quinta-feira, 15 de setembro de 2011

DIGNO DE CHAMPIONS - Num ambiente fantástico.

   Assistiu-se na Luz, a um jogo digno de champions, com um ambiente fantástico, 2 equipas a um nível alto, como momentos de bom futebol, foi de facto um prazer assistir a tudo isto ao vivo.
   O Benfica realizou uma exibição personalizada, madura e consistente e apar aqueles que dizem que o Manchester jogou sem 8 titulares, comparem este 11 com o da final da Liga dos Campeões e vvão poder concluir que em relação a esse jogo, foram feitas 4 alterações, 2 delas por lesão..
BENFICA 1 M.UNITED 1 - Um jogo com ritmo alto, mas marcadamente táctico e ao contrário de algumas opiniões que surgirão de muitos benfiquistas, que por puro delírio ou prazer, talvez por força do hábito, vão criticar Jorge Jesus, pela inclusão de Ruben Amorim, pois esses entendidos, limitam-se a discutir jogador A ou B, ou se é o 433 ou 4231 em que se deve jogar, demasiado redutor, aliás, quem vai criticar agora Jesus por ter jogado em contenção com a inclusão de Amorim, serão certamente os mesmo que na ante visão do jogo diziam que o Benfica não poderia jogar taco a taco com o Manchester, eu deixo aqui um público elogio ao nosso treinador, porque a sua leitura do jogo, roçou a perfeição.
   É preciso antes de mais não esquecer, que mesmo com muitas alterações em relação ao seu último jogo, o M.United, é só o vice-campeão europeu, que não perde fora nesta prova a 19 jogos com este e é o actual campeão inglês, tomaram muitas equipas ter grande parte dos atletas que alinharam ontem.
   Por isso, na minha opinião, Jorge Jesus, sabia que o grande forte desta equipa é o seu meio campo e a capacidade que tem da gestão e circulação da bola, aliada aos lançamentos rápidos para a velocidade dos seus alas, daí, de forma inteligente, ter colocado Ruben Amorim, de início, porque dava superioridade numérica ao meio campo do Benfica, obrigando como se viu, o adversário a circular a bola em zonas muito atrasadas, impedindo assim os lançamentos para os extremos e esta nuance táctica de Jesus só não resultou melhor, porque o Ruben, pese embora a sua capacidade, está ainda longe da melhor condição física e obviamente com os níveis de confiança ainda em baixo.
   Como se viu também, o M.United, povoou o meio campo, porque também temeu o do Benfica, deixando Rooney desamparado na frente.
   O Benfica entrou um pouco nervoso em campo, alguma ansiedade talvez, mas a partir dos 10 minutos tinha o controlo do jogo, começando aos poucos a ameaçar com relativo perigo a área inglesa.
   O golo surgiu através de um lance genial de Cardozo, o tal que incompreensivelmente alguns energúmenos do assobio insistem em assobia-lo, mas aos quais Tacuara, vai respondendo com golos, calando esse bando que continua achar que não serve ao Benfica um jogador que garante mais de 25 golos ano e que é já, só e apenas o melhor marcador do Benfica, como o é em todas as épocas, um golo com uma execução perfeita e um remate fortíssimo e colocado com o pé direito, pé esse que Cardozo vem treinando, pois sabe que residia aí a sua maior lacuna, o que demonstra bem a sua categoria e profissionalismo, Tacuara foi mais uma vez dos melhores.
   As grandes equipas também se definem nisto, o Manchester sofreu o golo, mas não abanou, continuou igual ao que estava, sem pressas, gerindo a bola, embora sempre em zonas recuadas, fruto do bom povoamento que o Benfica fazia dos espaços, mas Giggs, numa bela acção individual, que categoria ainda tem com 37 anos, protagoniza uma bela iniciativa individual e na única oportunidade que a sua equipa dispôs na 1ª parte, empata o jogo com um grande golo.
Na 2ª parte, pode-se dizer que os primeiros 15 minutos foram os piores do Benfica, ou os melhores do nosso adversário, isso aconteceu porque a condição física de Ruben já não era a melhor e o Manchester tentou subir as suas linhas, o que acabou por conseguir.
   Contudo, a grande oportunidade inglesa, nasceu de um lance em que Evra, na barba do auxiliar, derruba Emerson e a bola atravessou com muito perigo a pequena área da baliza de Artur, o Benfica tremia um pouco com o maior atrevimento do adversário.
  É aqui que mais uma vez e muito bem entra Jorge Jesus, vendo que Ferguson arriscou e tirou uma unidade do meio campo, Jorge Jesus percebendo que Amorim já não dava e que a sua presença já era desnecessária, faz entrar Nolito, porque o Benfica com essa substituição, o Benfica continuaria a ter superioridade no meio campo ao mesmo tempo que ganhava profundidade ofensiva.
    O resultado desta substituição ficou bem à vista, o Benfica voltou a obrigar o Manchester a ter posse de bola na sua zona defensiva e o Benfica ganhou profundidade ofensiva e salvo um ou outro ameaço do seu adversário, era o Benfica que desperdiçava algumas boas situações de finalização, obrigando o guarda redes do Manchester a intervenções fantásticas e quem esteve mais perto de vencer, algo que pela paciência, atitude e inteligencia posta no jogo, o Benfica merecia.
 Pela positiva: Cardozo, mais uma bofetada aos críticos, um jogo de luta, atitude e qualidade, selada com um golaço, Giggs, invejável e fabuloso ver a sua qualidade com 37 anos, Jorge Jesus, muito bem na leitura do jogo.
 Pela negativa: Alguma tremideira defensiva do Benfica, no período de maior assédio do Manchester.
Arbitragem: Sem influência no resultado, embora em alguns lances em que os jogadores ingleses deixaram a bola sair das 4 linhas, tenha deixado o jogo continuar e quando deixou passar em claro uma mão bem visível que daria um livre frontal e muito perigoso a favor do Benfica.

7 comentários:

troza disse...

É esta a atitude e garra que se quer todos os jogos! :)

Manuel Oliveira disse...

Perfeita descrição do que se passou!
Como sabes, também acho que Jesus esteve muito bem e que podiamos ter sido mais felizes.

Abraço.

Joao disse...

os meus parabéns pela bela síntese do jogo

não da mesmo para perceber como alguém assobia o cardozo

quando ele for embora vão pedir ao presidente uma estátua do tacuara à porta do estádio e vão morrer de saudades

só queria morar em Lisboa e ter o dinheiro dessa gente para ir de 15 em 15 dias à LUZ, como sou de Braga vou quando posso e é para berrar pelo nosso Benfica

Carlos Alberto disse...

Noites e Gala só naquela Catedral!!!

águia_livre disse...

Mais um artigo fantástico. Parabéns Jotas

Abraço

João Tomaz disse...

Concordo com tudo. Um pormenor: Penso que o JJ poderia ter arriscado um pouco mais quando tirou o Aimar fazendo entrar o Bruno César em vez do Matic.

Caça Boys disse...

Um glorioso empate e o regime ficou feliz.

Vá lá pelo menos não desceram as calças.

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista