quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

DO PORTO QUE ENFIA A CARAPUÇA - Ao tratamento VIP de um macaco.

    Após o derby, Luís Filipe Vieira, referiu-se a uma equipa que joga normalmente com 2 guarda-redes e as dificuldades inerentes que há em conseguir bater uma equipa que joga com tamanha vantagem, desleal para os seus adversários, mas sem nunca referir o nome dessa equipa.
   Mas evidência dos factos é tanta que obviamente, o Porto enfiou a carapuça que lhe serve na perfeição.
    No entanto, a vassalagem a Pinto da Costa é tanta que quando confrontado com a questão, não só enfiou a carapuça, como ainda divagou no disparate e perante isto, a brilhante conclusão do jornalista do "Correio da Manhã", é que esse senhor gozou com Luís Filipe Vieira, quando o gozado foi precisamente esse jornalista.
    Ou seja, a vassalagem que prestam a essa personagem é tanta que têm receio de verdadeiramente o confrontar com factos e por essa via ficam à mercê de serem eles próprios ridicularizados pelo presidente portista que vendo a ineficácia, a vulgaridade e a impreparação de quem o questiona, aproveita para gozar com eles à fartasana e eles são tanto mais ridículos que não percebendo que os gozados são eles, depois ainda afirmam que os outros é que sã gozados.
   Mas este episódio no fundo é igual a muitos outros, inclusive um e que Pinto da Costa chama filho da puta ao jornalista e ele ainda se ri, como podem ver aqui: http://www.youtube.com/watch?v=CtmGmSCfk9A, se calhar esse jornalista ainda escreveu que o presidente do porto gozou com a dona Susana seja lá ela quem for, a não ser que percebe-se que o Pinto quis dizer que ele era filho de uma das suas mulheres..
   A verdade é que as declarações de Vieira foram aceites pelo Porto, tendo até mesmo o seu treinador ao querer ser também ele engraçado por cair em desgraça, quando alude a um Benfica - Guimarães, falando de situações que só ele viu.
   Ouvindo o que Vítor Pereira disse, conclui-se facilmente uma de duas coisas, ou o treinador portista é de tal modo "Zarolho", que confunde mãos com outras partes do corpo e assim sendo percebe-se que não consiga ver as mãos dos seus jogadores, ou então gostava de ser palhaço mas falta-lhe o talento.
    A mossa foi tanta que até Rodolfo Reis, ex-caceteiro portista veio a terreiro em defesa da sua dama, talvez na esperança de ganhar um emprego que o Porto teima em não lhe dar, afirmando que o Benfica já temia o clássico com o Porto, porque sabia que os portistas têm equipa para ganhar na Luz. 
    Perante esta frase fiquei convicto que Rodolfo Reis se referia certamente à equipa de arbitragem, porque essa sim, tem ganho com frequência na Luz, no fundo, Rodolfo mostrou perfeita sintonia com o treinador portista, porque não se podendo jogar todos os jogos com 12 ou13 jogadores, nos jogos contra o Benfica costuma jogar não com 12 ou 13, mas sim com 14, assim sendo é natural algum receio do Benfica, tal a desvantagem numérica com que entra no relvado.
   Hoje ao esfolhear o jornal, deparei-me com o texto de um confesso sportinguista, Carlos Barbosa da Cruz, se é que isso ainda existe, afirmando ele duas coisa curiosas, a 1ª é que ao contrário do prometido, no final do derby,  o Benfica não refutou a acusação de Godinho Lopes de que Vieira não lhe atendeu os telefonemas , concluindo assim que o aldrabão seria o Presidente do Benfica, quando eu julgava que quem deveria produzir a prova é quem acusa e não o acusado, estranho que como homem do direito não o saiba.
   Prossegue esse senhor que entende que Luís Filipe Vieira chamou com todas as letras e como tal devera ser declarado  "Persona non grata" pelo Sporting.
   Ora bem, isso é algo que certamente não interessa nem incomoda os benfiquistas e muito menos o seu Presidente, mas não deixo e registar que quando o presidente dos seus comparsas portistas fez o mesmo a José Eduardo Bettencourt, na altura também ele Presidente do Sporting, nunca tenha exigido tal tratamento, mas quando se sabe o tratamento VIP que foi dado pelo Sporting ao alcunhado "Macaco", líder dos super dragões, facilmente se percebe qual o tipo de pessoas que é grata em Alvalade.
   Mas para mostrar a Carlos Barbosa da Cruz que nós no Benfica não ficamos ressentidos na forma como nos tratam, desejo a todos vós um Bom Natal, tal como os adeptos do Benfica que estiveram em Alvalade.
  

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

BENFICA VENCE COM IMPRESSÃO DIGITAL - Numa remontada categórica.

  Antes de entrar na análise do jogo em si, uma palavra em relação ao Sporting, tivesse a equipa leonina, a atitude e a entrega que teve neste derby e certamente a equipa estaria noutro patamar classificativo, o problema foi a enorme debilidade física e psicológica desta equipa, não tendo como causa o jogo com o Videoton, jogado a passo de caracol, até porque Carrilo teve cãibras aos 60 minutos e não fez um minuto nessa partida, mas sim porque a sua preparação na pré temporada deve ter sido uma brincadeira de meninos.
   Ora, tendo os próprio adeptos leoninos, saído deste jogo com a clara sensação que a equipa deu tudo o que podia, então é bastante preocupante a situação da equipa, porque se uma equipa que deu tudo, só dá isto, é porque a equipa está ou é mesmo má.
  Já o Benfica, mesmo sentido alguma dificuldade natural na 1ª parte, fruto de uma intensa pressão do Sporting que custou caro na 2ª parte, exceptuando o período entre os 10 minutos e o golo do Sporting, foi sempre uma equipa mais madura, com processos de jogo bem vincados e que nunca se sentiu em pânico, chegando a atingir um bom nível numa 2ª parte de domínio quase absoluto, exceptuando distracções, uma em que o Sporting poderia ter feito o 2 a 0, apesar de já antes o Benfica por várias ocasiões ter podido chegar ao empate e outra já com 1 a 1em que Insúa remata ao poste depois de Garay já ter feito o mesmo.
SPORTING 1 BENFICA 3 - Grande, justa e importante vitória do Benfica, num derby que não sendo um grande jogo foi bom e teve belos momentos de futebol, na maioria dos casos por parte do Benfica, uma equipa que nunca se resignou com o resultado, trabalhou, fez imensa circulação de bola e com uma grande 2ª parte deu a volta ao resultado e uma demonstração da grande diferença que há quer na qualidade dos jogadores, quer como equipa, em relação a este Sporting que tem sido banal, mas que ontem fez o seu melhor jogo da época, mas mesmo assim não chegou.
   O Benfica entrou a dominar o jogo, pressionando em zonas avançadas do campo, mas a verdade é que a equipa do Sporting estava bem posicionada em campo, defendia com alma e isso não permitia que o Benfica criasse perigo.
   Depois de um livre de Insúa para bela defesa de Artur, o Sporting ganhou ânimo, começando por equilibrar o jogo e depois até por ter um certo domínio, perante algum excesso de confiança dos jogadores do Benfica.
   A verdade é que nesta fase, os lances de perigo eram quase nulos, mas a maior capacidade em ganhar as segundas bolas do Sporting permitia que a equipa estivesse por cima do jogo, fruto dessa maior atitude, surge o  1 a 0 por Wolfswinkel, atacando uma bola cruzada por Capel, aproveitando muito bem uma abordagem tímida de Garay ao lance.
   Apesar de não haver até ao golo uma verdadeira oportunidade para qualquer das equipas, a melhor atitude dos jogadores leoninos, faziam com que  prémio do golo fosse nesta altura merecido.
   Com o golo o Sporting recuou mais as suas linhas dando maior iniciativa de jogo ao Benfica que não só não se fez rogado, como não pareceu acusar o golo sofrido.
   Agora sim, o Benfica começava dominar, a criar algumas situações de perigo junto da baliza de Patrício, mas foi castigado com a ida para o intervalo a perder, fruto de alguma sobranceria que em derbys nunca se pode ter.
  Na 2ª parte, o Benfica entrou com tudo, mais rápido e agressivo sobre a bola, aos poucos começou a perceber-se que o Sporting já não ganhava tanta 2ª bola, que tinha dificuldade em sair no contra ataque, exceptuando um lance de Carrilo que serve Elias de bandeja e este na cara de Artur falha, muito também por mérito do GR benfiquista, é verdade que já antes deste lance o Benfica já deveria estar empatado no mínimo, mas também não é menos verdade que o 2 a 0 aqui poderia dar um rumo diferente ao jogo.
   Falhou o Sporting marcou o Benfica e como já merecia este golo, recuperação de bola em pleno meio campo leonino, bola da direita para a esquerda e excelente cruzamento de um endiabrado Ola John para Cardozo cabecear, com a bola a enrolar em Rojo que mete a bola na própria baliza com o seu braço direito.
   Havia agora justiça no marcador, creio que nesta altura, em jogo jogado, o empate espelhava o que se passava, só que o golo do Benfica acabou por aniquilar completamente o Sporting, a equipa perdeu confiança, equilíbrios e denotava uma fragilidade física inadmissível em alta competição, com isso, via-se um Benfica em crescendo e a começar a chegar com alguma facilidade a área leonina, desperdiçando algumas boas situações de golo, quer por Lima, quer por Ola John após excelente trabalho individual, mas principalmente por Garay, que cabeceou ao poste.
   O domínio do Benfica era tal e de forma constante, que toda a gente percebeu facilmente que o remate de Insúa à trave foi meramente casual e até mesmo o último suspiro do Sporting.
   Sinceramente, nesta fase, sentia que a qualquer momento o Benfica poderia chegar ao golo e ele aconteceu de penalti, porque Boularouhz substituiu Patrício após um grande remate de Salvio que seria certamente golo, não foi dele, foi de Cardozo que bateu Patrício com grande calma.
   Em vantagem no marcador e em superioridade numérica, já não havia dúvidas quanto ao vencedor do derby, até porque este era o melhor período do Benfica no jogo, Sporting estava agora sim, rendido ao maior poderio e qualidade do seu adversário
    Não espantou por isso, que 4 minutos depois, surgisse o 3º golo do Benfica, após  cobrança de um livre lateral, com Salvio a cruzar para um cabeceamento fulminante do grande goleador Tacuara Cardozo, marcou  2 e esteve nos 3 golo da equipa, o que mais querem os energúmenos que ainda o assobiam?
    Até ao fim do jogo foi o tempo dos olés de recriar com a bola, de ver os jogadores leoninos e rastos e atordoados, numa vitória merecida do Benfica.
Pela Positiva: A grande 2ª parte do Benfica e Cardozo, como sempre a decidir nos jogos mais importantes e ainda há quem não goste dele, vamos lá entender isto.
 Pela negativa: O estouro físico e anímico do Sporting, inadmissível numa equipa profissional.
 Arbitragem de Marco Ferreira: Alguém se lembrou dele no fim do jogo? Este é o maior elogio que lhe posso fazer
    Para terminar, dizer que é bom estar na liderança da liga, embora haja ainda muitas dificuldades pela frente, até porque é muito complicado ganhar títulos onde uma equipa pode jogar sistematicamente com 2 guarda redes, depois de Rolando temos Alex Sandro, como diz o treinador portista nem sempre o Porto pode jogar com 12 ou 13, eu completaria a frase dizendo, excepto na Liga Portuguesa.

domingo, 9 de dezembro de 2012

DERBY À VISTA - Com a triste vitimização leonina.

   Aproxima-se o derby lisboeta, um jogo sempre apetecível para os adeptos de ambos os clubes, independentemente do momento que as equipas atravessam, que ninguém gosta de perder e que vale sempre mais que os 3 pontos em disputa.
   Como disse antes do jogo do Barcelona, o derby de amanhã, é um jogo em que o Benfica tem mais a perder que a ganhar, ou seja, devido à grave crise leonina, este jogo ganhou um cariz pouco visto, ou seja, as expectativas de vitoria do Benfica estão elevadas e qualquer outro resultado será encarado como uma surpresa  e as consequências que daí podem advir são desconhecidas.
   Sinceramente, eu não penso assim, os derbys são sempre jogos em que o respeito pelos adversários deve existir, em que os jogadores se transcendem e levam para o campo uma motivação diferente, daí a imprevisibilidade sempre inerente a este tipo de partidas.
    O ambiente em torno deste jogo estava calmo, tal como deveria ser sempre, de modo a que tudo corra bem e no fim, todos possamos apenas e só falar do que se passou no campo e dar os parabéns ao vencedor, mas infelizmente, por uma situação que nada teve a ver com o Benfica, o adiamento do Sporting - Videoton, logo os dirigentes leoninos se apressaram  a arranjar problemas onde eles não existiram, a fazer ataques cerrados ao Benfica, sem que e muito bem, o Benfica tenha em algum momento respondido às provocações
    Antes de fazer uma retrospectiva do que aconteceu, devo lembrar que o Sporting recebeu o Braga com o mesmo tempo de descanso com que vai receber o Benfica, mas com duas enormes diferenças, a 1ª é que antes de receber o Braga jogou no estrangeiro (Genk), onde aí sim se aplica a lei das 72 horas e em 2º lugar, jogou com o seu melhor 11 ao contrário do jogo de 6ª feira e não consta que tenha tentado adiar o jogo e muito menos causado este triste espectáculo.
     Pois bem, mal se soube que o jogo do Sporting - Videoton, ia ser adiado, logo, em comunicado, o Sporting não veio solicitar adiamento do derby, veio exigir, invocando as 72 horas de descanso regulamentadas e ao contrário do que diz Godinho Lopes, ameaçar com a não comparência no jogo, eu ouvi, ninguém me contou, foi dito pelo director de comunicação leonino.
   Esteve mal o Sporting, não tinha nada que vir logo com exigências e mostrar um total desconhecimento dos regulamentos, mandava a educação e bom senso, que em vez de um comunicado do quero, posso e mando, dissesse que iremos solicitar ao Benfica e à liga o adiamento do derby, ficava-lhes bem menos presunção e mais respeito para com o Benfica.
   O que se sabe oficialmente, ao contrário do que diz hoje Godinho Lopes, quando hoje afirma que tentou contactar com LFV mais não conseguiu, dando mais uma vez imagem de mentiroso compulsivo, semelhante a outras alturas, sinal de desorientação, foi que o Sporting tudo fez para impor a sua vontade sem passar cartão ao Benfica.
    Se o fez, mostre o documentos, pois se realmente enviou algum fax ao Benfica com algum pedido, certamente terá o comprovativo de envio.
   Desde o primeiro minuto que o Sporting criou este caso, ficou claro que os senhores de Alvalade, se achavam no direito no alto do seu complexo de superioridade, de não terem que passar cartão à ralé do Benfica e foram directamente à liga tentar adiar o jogo, essa é a realidade, aliás, bem patente na frase de Godinho Lopes, quando diz que não tem prazer nenhum em falar com Vieira, perante uma frase destas e desta atitude queriam que o Benfica fizesse o quê?
  Lamentável, o que a direcção leonina, nomeadamente o seu frágil e débil Presidente quiseram, foi dar uma de aprendizes de Pinto da Costa, enveredando pelo caminho da guerrilha, vendo nela uma clara estratégia motivacional para os seus jogadores, só que até nisso são aprendizes de mafiosos, são mais ladrãozecos de bairro.
   No meio de toda esta suja e lamentável estratégia leonina com uma triste teoria de vitimização usual em Alvalade, muito bem esteve o Benfica a deixá-los a falar sozinhos e não alimentando um clima de guerrilha para o jogo que se avizinha e que deveria sem uma grande festa do futebol.
    Neste caso, creio ser unânime que quem ficou muito mal na fotografia, mais uma vez, foi o Sporting, primeiro quando mostra desconhecimento dos regulamentos e depois quando de forma continuada e que certamente só acabará perto da hora do jogo, anda de todas as formas e feitios a querer passar a sua culpa para o Benfica.
   Termino com o facto de o Presidente leonino dizer que não convidará LFV para a tribuna presidencial, eu sei que as suas companhias preferidas são outras, nomeadamente presidentes de clubes que enxovalharam outros presidentes do clube e pagaram a árbitros para o Sporting perder, mas caro Godinho Lopes, o Presidente do Benfica também não estará interessado em sentar-se ao lado de qualquer porcaria.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

BENFICA SAÍ DA CHAMPIONS DE CABEÇA ERGUIDA - Obrigado pela vossa exibição.

    Sei que muitos vos vão bater, os do costume certamente, vão optar por crucificar treinador e jogadores, mas eu sou sempre benfiquista, nos bons e nos maus momentos, mais ainda nos maus, ainda por cima depois de uma exibição que merecia mais, porque quando ganhamos, não custa nada, mas mesmo nada estar com vocês, infelizmente, alguns, só o sabem fazer na hora das vitórias, como é fácil ser de um clube e estar com a equipa quando se ganha.
  Eu, depois deste jogo, aliado à qualidade que têm espalhado até esta fase da época, que merecia bem mais apoio e carinho dos benfiquistas, apenas vos digo, obrigado a todos vocês, treinadores e jogadores, senti um enorme orgulho em ser benfiquista, gostei muito da vossa atitude, da vossa qualidade, o que vos exigi antes do jogo foi que dignificassem a camisola e o clube, no final, foi com esse sentimento que fiquei.
    Alguns dirão que jogamos contra o Barcelona B, obviamente que tudo seria diferente com alguns dos titulares, só o Iniesta, Messi e Xavi são a alma desta equipa, mas nós também fomos quase um Benfica B, sem Enzo, sem Salvio, sem Martins, sem Aimar e com Cardozo no banco e até com um menino em idade júnior a titular e que bem esteve André Gomes, mas muitos dos que falarão em Barcelona B no sentido que sempre os move de tentar menosprezar o Benfica, desejariam ter grande parte daqueles jogadores na sua equipa A, Puyol, Adriano, Song, Thiago Alcântara, David Villa e Tello, não são propriamente vulgaridades, mas n 2ª parte ainda jogaram Pique e Messi, este lesionou-se, castigo merecido para quem fez campanha por outro clube e o lançou num jogo em que não precisava dele.
    Antes desta última jornada, apareceu toda a gente a lançar uma enorme campanha pelo Celtic, resultou, o penalti fantasma que os apurou foi uma vergonha e serviu para concretizar o desejo que  tantos manifestaram.
BARCELONA 0 BENFICA 0 - Em circunstâncias normais, depois de se empatar em Barça, o sentimento seria de felicidade, por norma, estaríamos felizes e a falar da pontinha de sorte que tivemos, mas esta igualdade deixou-me triste, triste por o Benfica não ter sido feliz, por falhar tanto golo e por ter visto o meu clube a ter momentos de autêntico massacre durante quase toda a 1ª parte e  não conseguir marcar o golo que tanto merecia.
     Depois de  uma entrada em jogo algo nervosa, com algumas precepitações, rapidamente o Benfica se recompôs, a partir dos 10 minutos começou a ser dono e senhor do jogo, com muita pressão sobre o portador da bola, bem subida no terreno, criando assim dificuldades enormes a este Barcelona.
    Rodrigo falha de forma incrível a 1ª grande situação de golo, isolado, com Nolito completamente solto e a baliza à sua mercê, opta pelo remate que sai ao lado, logo aqui se percebeu que a estrela pedida por Jorge Jesus não estava do lado do Benfica.
   O Benfica controlava o jogo em todos os sectores do campo, o Barça nada criava, ao contrário do Benfica, que conquistava cantos atrás de cantos, atacava de todas as maneiras e via todas as situações de golo a serem desperdiçadas, de facto, a este nível, paga-se caro falhar tanto.
   O Benfica viu ainda Pinto defender um remate de Lima que ia para golo, com a bola a bater no poste e Ola John, após uma jogada individual notável a permitir a defesa do GR adversário, enfim, demasiado desperdício que fez com que o Benfica que merecia mais que um golo, chegasse ao intervalo com o nulo no marcador.
   Na 2ª parte, deu-se precisamente o inverso, ou seja, um Benfica a entrar forte e logo na sua primeira jogada a falhar de novo o golo que tanto fez por merecer, mas com o passar do tempo e com a entrada de Messi, a equipa recuou, resguardou-se mais e começou a acusar a algum desgaste físico, perfeitamente natural, tal a enorme pressão que fez na  1ªparte e que acontece a quem defronta o Barcelona, o Real Madrid que o diga, com isso, subiu de produção o Barcelona e o Benfica sentia agora mais dificuldade em sair para o ataque e em recuperar a bola em zonas mais adiantadas, aí, em alguns momentos valeu o acerto de Garay e Artur.
   Na parte final do jogo, depois de Messi sair lesionado e saber-se que o Celtic vencia com o tal penalti fantasma, o Benfica voltou a subir e mesmo na última jogada da partida, Maxi desperdiça o golo, enfim um jogo em que faltou felicidade e houve demasiado desacerto na finalização, para um jogo de Liga dos Campeões, ainda mais contra tamanho adversário, assim pode-se dizer que o Benfica desperdiçou uma enorme oportunidade de ganhar em Barcelona e carimbar a passagem.
   Agora não há nada a fazer, a Liga Europa será a competição que iremos disputar com o claro objectivo de lutar por ela, mesmo sabendo que as dificuldades nesta prova começarão agora.
  Pela positiva: A atitude da equipa e a qualidade da exibição na 1ª parte.
  Pela negativa: O falhanço de Rodrigo, há lances que não se podem falhar, as bolas paradas, com tanto canto nem um foi perigoso e por fim a ineficácia da equipa, o Benfica está fora desta Liga dos Campeões por falhar golos inadmissíveis.
  Arbitragem: Globalmente positiva, parecendo-me que Maxi deveria ter sido amarelado e que a dado momento começou a assinalar faltas a mais junto à área do Benfica.
Termino este post com um breve análise ás opções de Jorge Jesus, tal como disse antes do jogo, creio que Enzo e Salvio estariam em condições de jogar, mas atendendo ao facto da sua utilização neste jogo, poder colocar em causa a sua presença em Alvalade, faria o mesmo que o treinador do Benfica, porque uma das causas de não sermos os actuais campeões nacionais se deveu ao facto de na época passada ter feito o contrário, colocar a Champions à frente da Liga, espero agora que quem na altura o criticou por isso não o faça agora por JJ ter feito aquilo que no passado exigiram, mas já não digo nada e ser campeão nacional é o grande objectivo do Benfica e o grande desejo dos benfiquistas.
     Já durante o jogo, ressalvando que o treinador conhece melhor os jogadores que eu, tem muito mais competências que eu e cada um de nós vê o jogo de maneira diferente,  achei que e muito bem, depois de conhecer o 11 do adversário, entrou com a equipa a pressionar fortíssimo, com o objectivo de sair em vantagem para o intervalo, sabendo que Messi iria entrar n 2ª parte.
   Essa estratégia resultou na qualidade patenteada pela equipa, mas JJ foi traído pela ineficácia da  equipa, nesse aspecto, achei excelente e de um grande treinador  a forma como ele geriu  momentos e pormenores do jogo, se calhar a única coisa que faria diferente seriam as substituições, porque acho que a equipa perdeu velocidade nas transições, pelo facto dos jogadores substituídos, todos eles com velocidade, terem-no sido por jogadores lentos.
   Se calhar, eu faria sair Rodrigo e entrar Gaitan, assim reforçava o meio campo, ao mesmo tempo que tinha velocidade e capacidade de improvisação na frente, até porque para colocar Cardozo, preciso de gente rápida e forte nas alas que lhe façam chegar a bola, Bruno César para mim não é nada disso.

CONSELHO DE DISCIPLINA DA F.P.F. - Um atentado à verdade desportiva

  Rui Gomes da Silva, ex- Administrador da Sad do Benfica, foi castigado com 11 meses de suspensão, por pasme-se, ter denunciado possíveis tentativas de corrupção, sendo penalizado pelo CD da F.P.F., por ter tido simplesmente isto, depois da arbitragem lastimável de Carlos Xistra no Académica - Benfica e que custou 2 pontos ao Benfica: " O Benfica foi avisado que isto poderia acontecer e o Presidente do C.A., Vítor Pereira, tem conhecimento dessa situação".
    Ou seja, o Benfica na pessoa de Rui Gomes da Silva, fez uma denúncia da qual deu conta ao Presidente do Conselho de Arbitragem, facto esse que custou uma pena pesadíssima, inédita no nosso futebol.
    Perante isto, é caso para dizer que já nem sequer há vergonha do Conselho de Disciplina da F.P.F., os membros desse órgão disciplinar perderam o tino e os seus veredictos vão servindo apenas e só para legitimar a corrupção no futebol português, uma palhaçada.
    Primeiro, esse órgão, arquiva um processo a um dirigente de um clube que efectuou um depósito em dinheiro na conta de um arbitro auxiliar, considerando isso um acto normal, legitimando assim qualquer tentativa de corrupção, ou seja, após o seu veredicto, todos os dirigentes dos clubes estão legitimados a depositar dinheiro nas contas bancárias dos árbitros, agora, neste caso de Rui Gomes da Silva, pune severamente quem denuncia possíveis actos de corrupção, ou seja, avisa toda a gente que tenha conhecimento e queira denunciar aliciamentos ou corrupção para com os árbitros que serão severamente punidos.
   Mas alguém pode entender isto? Qual a lógica destas decisões?
    Uma autêntica vergonha, ou melhor, a impunidade que grassa no futebol, perante a inércia e a conivência total da Justiça em Portugal, faz com que se ilibe quem tenta corromper e se puna quem tente denunciar, silenciando-se assim qualquer voz que não queira pactuar com o estado actual, imundo e sem escrúpulos que graça no nosso futebol.
    Percebo agora, os motivos que levaram a que se derrubasse o anterior Conselho de Disciplina da Liga, pois foi o único que lutou contra os interesses instalados e que teve a ousadia e coragem de punir sem olhar a clubes ou nomes e isso não interessa a uns quantos fulanos que primam a sua conduta pela corrupção, os quais não descansaram enquanto não o derrubaram.
   É esta a verdade desportiva em que alguns se revêm? Lamento mas não é a minha, pois no fundo, os juízos que este Conselho de Disciplina fez em relação aos casos Paulo Pereira Cristóvão e Rui Gomes da silva, é o mesmo que um Polícia apanhar um ladrão em flagrante a assaltar uma casa e o ladrão ser ilibado e o Polícia punido por não ter deixado o ladrão roubar em paz.
   Cada vez tenho mais vergonha deste futebol português, com sistemáticos atentados à verdade desportiva, servido por gente sem o mínimo de escrúpulos e uma ausência de caracter que no fundo é o reflexo do Governo deste país.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

LIGA DOS CAMPEÕES - Missão (im)possível

    O Benfica inicia amanhã um ciclo que não sendo decisivo, é de extrema importância, pois as deslocações a Barcelona e Alvalade, poderão definir em muito as reais capacidades deste Benfica.
   Pessoalmente, eu não colocaria em causa o jogo de Alvalade por este de Barcelona, porque nesta deslocação à Catalunha  Benfica terá muito mais a ganhar que a perder, ou seja, a missão do Benfica em conseguir passar esta fase de grupos afigura-se herculiana, sendo muito mais realista poder vencer em Alvalade e tentar conquistar a Liga Portuguesa.
   Neste sentido, parece-me que Jorge Jesus jogou pelo seguro em relação à não convocação de Salvio e Enzo para Barcelona, os jogadores, com algum sacrifício, até poderiam jogar, mas tal facto, poderia colocar em causa a sua utilização nos próximos jogos da Liga, a meu ver, muito mais importantes, pois tal como o Benfica assumiu, o grande objectivo da temporada é ser campeão nacional.
   Apesar desta minha ideia aqui deixada, creio que o Benfica se deve apresentar em Barça sem receios e cheio de ambição, mesmo reconhecendo a dificuldade da missão e a maior valia do adversário, jogando descomplexado e usufruindo deste jogo, porque tal como disse, o Benfica tem mais a ganhar do que a perder, pois a derrota acaba por ser natural, o favoritismo está todo do lado de lá e o sentimento generalizado é que o trajecto do Benfica nesta competição está feito, ou seja, perder este jogo será encarado com normalidade, surpresa e espanto geral, seria o Benfica conseguir empatar ou vencer este jogo, como tal não há qualquer pressão e isso pode ser favorável.
    Se calhar alguns vão chamar-me pessimista, por afirmar que acho mais provável o Sp. de Moscovo vencer em Celtic do que o Benfica em Barcelona, eu chamo a isto ser realista e perceber que há de facto um fosso entre a equipa catalã e as outras, Benfica incluído e ninguém deve ficar melindrado com esta evidência.
    Concluindo, o que eu exijo ao Benfica e aos seus jogadores , é que amanhã, em Camp Nou, pelas19H45, honrem a camisola que vestem, lutem até ao limite das suas capacidades, para que no final, independentemente do resultado e do apuramento ou não, todos possamos ficar convencidos que tudo se fez  e que moralmente, a equipa saiu reforçada para o jogo seguinte da Liga, esse sim, onde há mais a perder que a ganhar.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

XISTRALHADAS DA NOSSA LIGA - Com uma imprensa conivente.

   O 1º terço da Liga Portuguesa está concluído, com isso, a certeza cada vez mais presente que o nosso campeonato será um decisão a dois, assim deixem que as coisas corram de forma normal e sem interferências externas, sempre tão presentes nas nossas competições.
    Depois de uma vitória tranquila do Benfica frente ao Olhanense, atenções estavam todas viradas para o Braga - Porto e a imprensa tratou rapidamente de incentivar e moralizar o Porto, subvertendo e aldrabando uma frase de Jorge Jesus, tratando logo de a colocar como uma declaração de guerra, sabedores que são que esse é o tipo de clima com que o Porto gosta e sabe lidar. 
  Questionado sobre as suas expectativas para o jogo Braga - Porto, o treinador benfiquista limitou-se a constatar um facto, dizendo taxativamente isto: " O Porto costuma ter uma pontinha de sorte em Braga", com o único sentido de dizer que este é um campo onde raramente os portistas perdem pontos.
    Lamentável foi o despropositado tratamento dado a essa frase e a forma como ela foi desvirtuada, pois rapidamente foi impressa sem a palavra pontinha e colocada ao treinador portista de uma forma diferente  e com um sentido diferente, ainda com o descaramento de no dia a seguir, o grande título do jornal "Record" ser, "estalou a guerra", numa alusão à frase aldrabada de Jorge Jesus e à resposta de Vítor Pereira, numa tentativa clara e sem escrúpulos dos jornalistas desse diário desportivo em criar já um conflito onde ele não existe, algo que deveria envergonhar esses jornalistas, cujo tipo de episódio já foi criado anteriormente.
   Obviamente, como sempre, os portistas sabem tirar imenso proveito de tudo o que lhes possa ser vendido e houve um claro aproveitamento de uma frase sem importância que foi transformada numa provocação, um vergonha.
     O certo é que com sorte e outras coisas, o Porto venceu em Braga, não querendo tirar o mérito desse triunfo, sendo até hipócrita da parte seja lá de quem for, não reconhecer que o Porto tem uma bela equipa, com jogadores de top como James, Moutinho, Fernando e Jackson por exemplo, a verdade é que sempre que há um daqueles jogos de extrema importância para a classificação, o Porto vê a sua equipa a ser beneficiada e o Benfica a ser prejudicada e em Braga isso mais uma vez  aconteceu e lamento essas situações, não só porque a qualidade do Porto não deveria precisar de especiais favores e porque sem tanta estranha situação, seriam as suas conquistas muito mais meritórias e reconhecidas por todos, eu, não teria qualquer problema em reconhecer a sua superioridade e de lhes dar os parabéns, algo que os portistas nunca conseguirão fazer, porque ao contrário dos benfiquistas, demonstram um claro complexo de provincianismo, bem presente quando evitam dizer o nome do Benfica e na falta de respeito com que o tratam, mas infelizmente, as coincidências surgem época após época e não posso dar os parabéns a quem está intimamente ligado ao que de mais podre se passou e passa no futebol português.
     Carlos Xistra, não conseguiu ver uma mão do tamanho do mundo de Alex Sandro, ignorando um penalti evidente que poderia dar a vantagem no marcador o Braga, mas é o mesmo árbitro que em Coimbra, conseguiu ver 2 penaltis que não existiram contra o Benfica, resultado: Porto poderia não ganhar 3 pontos em Braga e o Benfica ganharia 3 pontos em Coimbra, mas o que aconteceu é que o Porto ganhou os 3 pontos em Braga e o Benfica foi impedido de os conquistar em Coimbra, com os reflexos que isso tem na classificação.
     Mas não deixa de ser curioso que perante estes factos, António Salvador, qual subserviente, se manteve no mais completo silêncio, ao contrário do que fez uma semana antes perante um golo mal anulado em Alvalade, em que apressadamente procurou os holofotes para dar conta do seu descontentamento.
    Curioso também que esta imprensa sempre tão desperta para o Vale e Azevedo, fazendo questão de sistematicamente o tratar como ex- Presidente do Benfica, ignore estas situações, faça vista grossa a um suicida na torre das antas, que ao que consta, conseguiu o milagre de esconder a arma com que se matou!!!, a um árbitro condenado a 20 meses de suspensão por corrupção no âmbito do processo apito dourado, mas que já está de novo a apitar competições profissionais e mantenha um silêncio absoluto, como se fosse normal, a A.F. do Porto andar a homenagear árbitros que não são daquela associação, a esse propósito, creio que para o ano, Xistra será o homenageado, tais os bons serviços que vai prestando a um filiado daquela associação.
    Alguns benfiquistas pareceram-me ficar descrentes na conquista do título pelo facto do Porto vencer em Braga, não partilho esse sentimento, primeiro porque foi o resultado que esperava em segundo, porque mesmo sabendo que em Braga não seremos tão irmãmente recebidos, que depois de terem agredido tudo o que era jogador do Benfica, provocado expulsões em jogadores o Benfica, de inéditas falhas na iluminação e mesmo desconhecendo o que está a ser preparado para a nossa deslocação a Braga, parece-me perfeitamente possível, mesmo com as contrariedades e provocações de que seremos vítimas, que o Benfica também ali ganhe.
    Mas esse jogo ainda vem longe, o próximo é sempre o mais importante e esse, será dia 10 de Dezembro em Alvalade, num dos tais jogos importantes para o final do campeonato, daí a oportunidade expectável em tirar pontos ao Benfica, é com esses pormaiores que se decidem campeões e toda a atenção será pouca, daí pela falta de vergonha de quem gere o nosso futebol, nos poder bem calhar um Proença, mas a minha aposta, vai para o Olegário ou Jorge Sousa, porque o efeito será o mesmo e dará menos nas vistas.
    Termino este post que já vai longo, dizendo que como sempre na ausência de argumentos em rebater civilizadamente estes factos, os adeptos do clube da corrupção, aqui virão como anónimos, previligiando como sempre a ofensa na ausência de argumentos, típico.
  

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

MOMENTO BENFICA - E o papel de Jorge Jesus.

   Decorrido praticamente um terço do campeonato, com a Taça de Portugal e Liga dos Campeões em andamento, parece-me oportuno fazer um balanço deste Benfica e até comparar a outros da era Jorge Jesus.
    Por altura do fecho do mercado, com as saídas de Witsel e Javi Garcia, com a ausência da contratação de um lateral esquerdo, os adeptos, de forma perfeitamente legítima, temiam pela resposta que a equipa poderia dar, antecipando-se as mais diversas conjunturas, havendo algumas leituras que considerei válidas, mesmo que por vezes revela-se algum desacordo, mas outras que considerei perfeitamente descabidas, porque a crítica assentou num velado ataque às pessoas, num total descrédito para quem dirige os destinos do Benfica e para com o seu treinador, de tal forma corrosivas que apenas foram servindo para dar armas de arremesso aos inimigos externos do Benfica, esse era o único contributo dessas críticas, ora como sempre defendi que apontar o dedo e falar mal por falar, sem dar ideias ou soluções é o caminho de quem efectivamente não tem ideias, não podia aceitar ou partilhar algo com quem está sempre pronto a ser destrutivo, não sabendo mais que isso.
   Para acentuar essa desconfiança e avolumar uma crise de desconfiança que embora ainda hoje se note, é bem menos acentuada, o Benfica começa a época com Presidente, treinador e capitão castigados, algo inédito na história do futebol, sendo pelos vistos para a Liga e Federação mais grave um desabafo a quente de quem perde um campeonato com um golo irregular, do que alguém que diz que as faixas estão entregues, colocando em causa a idoneidade de quem organiza as competições, ou de quem fala em sorteios com bolas amestradas, colocando em causa a veracidade do mesmo, pelos vistos, para os órgãos disciplinares, isso é uma coisa banal.
     Felizmente para o Benfica, esses cenários pessimistas previstos não se verificaram, o Benfica arrepiou caminho, o plantel uniu-se e felizmente teve um treinador que ao invés de se lamentar, arranjou as soluções que estupidamente alguns chamam invenções dentro do plantel, de tal forma que tenho a plena convicção, que com muitos outros treinadores, perante tanta adversidade, não estaria hoje o Benfica bem colocado em todas as competições.
   Fiz há uns tempos um post em que falava do Jorge Jesus das costas largas, em que o homem é condenado por dizer, por não dizer, por fazer ou não fazer ao gosto de cada um, (do género birrinha de menino mimado, se ele não mete o jogador que eu quero é mau), como os seus argumentos foram esvaziados pela sua capacidade, esses detractores, viram-se agora para o argumento de que Jesus só serve para valorizar jogadores e que o Benfica é hoje um clube de valorização de activos e não de títulos, como se essa faceta no actual contexto do futebol fosse algo de menor importância.
    Pois bem, eu acho que Jorge Jesus é muito mais que isso, antes de mais porque a capacidade de valorizar, tirar o máximo proveito das potencialidades dos jogadores e a capacidade de perceber neles características que lhes permita ter um alto rendimento em posições que não eram as suas, não está ao alcance de qualquer treinador banal, a melhor resposta é que hoje ninguém fala em lateral esquerdo, em alternativa a Maxi e o crescimento e qualidade de Matic e Enzo no meio campo é por demais evidente e se a Jorge Jesus lhe faltam mais títulos, deve-se em parte é certo a algumas culpas próprias de um treinador que é preciso não esquecer que só há poucos anos chegou a um patamar de excelência e como tal também ele cresce com os erros e porque infelizmente muita coisa se passa no futebol português fora das 4 linhas.
    Creio que quem envereda pela ideia de que rentabilizar e fazer crescer jogadores, gerando desse modo mais valias que geram receitas fundamentais para a viabilidade financeira do clube, é um velho do Restelo, saudosista, com tremenda incapacidade para perceber o caminho que o futebol moderno levou e a forma como ele evoluiu, goste-se ou não, hoje, nenhum clube consegue sobreviver no topo, sem uma vertente comercial forte, porque hoje, é impossível dissociar o futebol negócio do futebol propriamente dito e quem não perceber isso ou não conseguir acompanhar essa mudança, está morto a nascença.
    Para quem continua no ataque cerrado a este treinador, apenas lhes pergunto na sua opinião, que treinador para as possibilidades do Benfica, faria mais e melhor?
     Uma das muitas críticas feitas a Jorge Jesus e que na minha opinião tinha alguma razão de ser, tinha a ver com o facto de ser norma o Benfica começar muito forte e quebrar fisicamente nos finais de temporada, muito por força da pouca rotatividade no plantel, ora esta época, parece-me que se está a verificar uma inversão dessa situação, lá está, o crescimento de um treinador faz-se percebendo os erros.
    Julgo que o momento actual do Benfica é de evolução pelos mais diversos factores, antes de mais, porque me parece ter havido um planeamento diferente da época, ou seja, este tem sido um Benfica em crescendo, não só pelo necessário tempo que alguns jogadores tiveram de ter para assimilar os processos da equipa numa posição que não era a sua, mas também porque fisicamente, a equipa foi preparada para crescer ao longo da época, para atingir o seu pico de forma numa fase mais adiantada e decisiva da época, notando-se claramente um crescimento exibicional à medida que a temporada avança, muito por força da forma dos jogadores ser progressiva.
    Por este motivo, tenho esperança que a equipa ainda está longe de atingir o seu máximo potencial e que se calhar, ao contrário do passado, esta temporada, não se irá assistir a uma quebra física como se viu noutras.
     Se me parece estar neste diferente planeamento o assumir de alguns erros do passado, creio que é tudo uma questão de opções, no fundo e isso é de extrema importância, numa fase em que tudo está ainda longe de se decidido, com a equipa ainda sem estar nos seus índices físicos máximos, estar neste momento bem posicionado no campeonato, na Taça de Portugal e ainda cm algumas chances na Liga dos Campeões, abre na minha opinião, boas perspectivas que o Benfica irá ter uma época de sucesso, lamento apenas que ainda haja tanta desconfiança e dificuldade em perceber isto que me parece evidente, que faça com que esta equipa continue sem ter o carinho e o apoio que merecia de todos os benfiquistas, é lamentável continuar a assistir a tanta divisão no Benfica, dando a equipa tão boa resposta, é hora de honrar o nosso lema.
    Estou mesmo em crer que se na Liga dos Campeões, não estamos melhores, num grupo de certo modo acessível, deve-se exactamente a aposta feita num trabalho diferente de modo a que os jogadores estejam mais frescos e capazes na fase em que tudo decide, fosse hoje o jogo de Glasgow ou de Moscovo e estou certo que tudo seria hoje diferente.
   Vem agora aí o jogo com o Olhanense na Luz, num momento de crescendo da equipa em que os níveis físicos melhoram a olho vistos e com a confiança no máximo, por isso é imperioso continuar este caminho evolutivo ganhando este jogo, para que o Benfica não ceda terreno e esteja em posição previligiada nos momentos chave da época, até porque me parece que ao contrário do Benfica, o nosso mais directo adversário está neste momento no pico da sua forma e ele não dura para sempre, daí a minha enorme fé.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

BENFICA VENCE CELTIC - Em vendaval de futebol atacante.

   Numa noite chuvosa, o Benfica venceu o Celtic  num vendaval de futebol atacante, com momentos de enorme qualidade e  cuja vitória pecou por escassa, tal o domínio do Benfica e a sorte que voltou a proteger os escoceses.
   Para quem como eu, gosta imenso de futebol, custa que seja uma equipa como o Celtic a seguir em frente nesta prova, quase a fazer lembrar os gregos no Euro 2004, mas o futebol é também isto e a equipa escocesa, apesar do Benfica estar neste momento em 2ª lugar, é de facto, aquela que melhor colocada está para seguir em frente, em virtude do grau de dificuldade do calendário, já o Benfica, com este triunfo, garantiu desde já um lugar na Liga Europa, ou seja, o objectivo mínimo de quem está na Liga dos Campeões, também por isso se percebe a enorme importância que este jogo tinha.
    BENFICA 2 CELTIC 1 - Este era um jogo de enorme responsabilidade para o Benfica em que só a vitória interessava, porque sabia que não ganhando, não só comprometia em definitivo a hipótese de seguir em frente nesta prova, como poderia colocar em causa o próprio apuramento para a Liga Europa.
    Tal facto, poderia fazer com que a equipa do Benfica acusa-se algum nervosismo, mas isso não inibiu um entrada forte e decidida, começou desde cedo o ataque à baliza de Forster que defendeu muito e bem.
   Já depois de Cardozo ter ameaçado o golo, Ola John, factura o primeiro para o Benfica, após uma bela jogada individual de Salvio, com a bola a cair na zona de Cardozo que assiste o jovem prodígio  holandês, que cresce a olhos vistos, fazendo assim o 1-0.
   Um golo cedo era o melhor que poderia ter acontecido, não só tranquilizava a equipa, como obrigava uma equipa que coloca um camião TIR à frente da baliza, a abrir um pouco mais o jogo.
   Só que o cariz defensivo desta equipa nas competições da UEFA faz com que o Celtic não saiba jogar de outra maneira e pese embora ter subido um pouco mais no terreno de jogo, o domínio esse pertencia por completo ao Benfica, embora neste momento as dificuldades em entrar na área escocesa fosse maior, exceptuando um lance em que Ola John surge solto na esquerda e remata para uma defesa com os pés de Foster.
   O Celtic joga sempre na expectativa de uma bola parada, um livre, um canto, marcar um golo, foi assim nestas 5 jornadas e hoje não foi excepção, primeiro canto da partida aos 30 minutos, e golo de Samaras a empatar a partida, num lance em que Artur me pareceu mais concentrado em ganhar a falta do que a bola, falta essa que não me pareceu existir, pois foi Artur que foi ao encontro do avançado escocês que estava parado.
   Com o empate no jogo, o Celtic voltou a sentir-se confortável no jogo e aproveitou bem algum desnorte que a igualdade causou ao Benfica.
 Na 2ª parte, o Benfica voltou a entrar forte, houve mesmo momentos de autêntico massacre e é preciso perceber, que não é nada fácil jogar contra uma equipa que defende com toda a gente e ainda por cima com grande entrega, daí o grande mérito deste Benfica que colocou o Celtic em pânico constante. 
   O Benfica jogava muito bem neste momento, tentava por todas as formas o golo, ora em triangulações vindas da ala para o meio, com sucessivas tentativas de entrada na área, ganhando cantos sucessivos, ora através da meia distância quando tal não era possível, mas a estrelinha da sorte estava de novo com os escoceses, como se percebeu numa grande iniciativa de Lima que é tirada sobre a linha de golo por um defensor contrário. 
    Nesta altura já custava ver o resultado empatado e elogio seja feito aos jogadores, contra todas as adversidades, lutavam, tentavam e nunca baixaram os braços, isto num jogo com tanta responsabilidade, sinal de grande personalidade.
    Ironicamente, foi através de um lance de bola parada aos 71 minutos, que tantos pontos foram dando ao Celtic neste grupo, que após tanto porfiar, o Benfica chegou ao golo do triunfo que já há muito merecia, livre marcado para a área, Luisão  ganhar nas alturas e Garay a aparecer solto de marcação e a fuzilar autênticamente o Guardião adversário, estava feito o 2 a 1.
    O Celtic tentou reagir ao golo, mas pela frente estava um Benfica decidido, que ficou a dever a si mesmo, ora por algum demérito na hora de finalizar, ora pelas excelentes intervenções de Forster, nomeadamente num livre de Cardozo, e num lance fantástico do Tacuara que após driblar de forma soberba um defesa contrário, vê de novo Forster a negar-lhe o golo, ora pela tal falta se sorte, como no belo remate de Salvio que embate na trave.
    Sem aparecer o 3º golo, compreensivelmente, na ânsia de garantir tão precioso triunfo, notava-se agora alguma ansiedade nos jogadores e com isso alguns maus passes em zonas perigosas, mas apesar de um ou outro calafrio, a verdade é que o Celtic não conseguiu grandes oportunidades.
    O jogo terminou com uma vitória justíssima, que apenas peca por escassa, agora, apenas resta aguardar pelo que nos reserva a última jornada, onde tudo poderá acontecer.
  Pela positiva: A fantástica atitude da equipa do Benfica, que num jogo de enorme responsabilidade, denotou enorme personalidade e ainda as grandes exibições de Garay, fabuloso em todos os capítulos e Enzo, parecia estar em todo o lado e com uma capacidade criativa fantástica, mais uma criação de Jorge Jesus, a que alguns entendidos de forma imbecil chamam de invenções.
  Pela negativa: o episódio da demora da entrada e Enzo após receber assistência fora das 4 linhas, hilariante.
   Arbitragem: Técnicamente gostei muito, ou seja, procurou deixar jogar e decidiu quase sempre bem, mas com um erro disciplinar grave, ao não expulsar (nem amarelo houve) Waneyama por clara agressão a Enzo.

SORTEIO DA TAÇA DE PORTUGAL - Benfica ainda sem adversário.

    Decorreu hoje na sede da Federação Portuguesa de Futebol, o sorteio dos 1/8 de final da Taça, um sorteio desde logo muito positivo, uma vez que o Benfica jogará na Luz, apenas faltando conhecer o adversário que está dependente de um qualquer protesto, mas que será sempre de uma divisão inferior, o que desde logo, abre excelentes perspectivas de seguir em frente, diria mesmo que outro cenário que não o apuramento será inadmissível.
    Depois de 2 eliminatórias fora de portas, é com agrado que registo o regresso aos jogos caseiros na Luz e embora não podendo fazer uma análise ao adversário que nos calhou em sorte, porque ainda não se sabe qual será e que provavelmente obrigará o Benfica a jogar numa data posterior à data marcada para os jogos dos 1/8 de final, creio que numa fase em que a sobrecarga de jogos começa a acentuar-se, pode ser muito importante, ter um jogo em teoria mais acessível, que permitirá uma gestão adequada do plantel, sem contudo hipotecar a passagem à fase seguinte e sempre, mas sempre com o máximo respeito por quem visitar a Luz, até porque é preciso ter em mente, que o Benfica já foi surpreendido na sua própria casa por equipas menos cotadas e isso é um aviso que nunca poderá ser ignorado, Taça é Taça e as surpresas acontecem, cabe ao Benfica evitar semelhante situação.
   O grande destaque deste sorteio vai para o Braga - Porto, é obviamente o grande jogo dos oitavos e que também esse factor é positivo para o Benfica, porque obrigatoriamente, um dos outros candidatos à final será eliminado, um jogo interessante, entre 2 clubes amigos e que é aguardado com alguma expectativa.
   Aqui ficam o jogos dos 1/8 de final da Taça de Portugal, que irão disputar-se no 1º fim de semana de Dezembro, provavelmente sem o jogo do Benfica, pois dificilmente, até esta data, a questão dos possíveis adversários do Benfica estará resolvida:

Marítimo – V. Guimarães
Lourinhanense – Paços Ferreira
Benfica-Aves/Coimbrões/Operário/Caldas
Académica – Tourizense
SC Braga – FC Porto
Belenenses – Fabril do Barreiro
Gil Vicente – Oliveirense
Arouca – Beira-Mar

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

BENFICA NA CHAMPIONS - Cenário realista.

  Vibrando sempre com as vitórias do meu Benfica e sofrendo com as suas derrotas, tento sempre analisar as coisas de forma realista, sem dramatismos ou extremismos, embora ciente que sendo este fenómeno emotivo, se calhar, nem sempre as coisas serão assim tão lineares.
    Mas é baseado num realismo que é o cenário que se coloca neste momento ao Benfica na Liga dos Campeões, que na minha opinião se deve analisar o jogo de amanhã, no Estádio da Luz, frente ao campeão escocês Celtic.
   Como tal, deve-se fazer a análise deste jogo e da sua decisiva importância, perante a realidade do cenário actual que é colocado ao Benfica, sem qualquer tipo de dramatismos, ou seja, há a clara noção que este jogo é absolutamente decisivo para o Benfica, não tanto por nos dar grandes probabilidades de apuramento para os 1/8 de final da Liga dos campeões, mas por garantir o menos mau daquilo que pode resultar da fase e grupos, ou seja, o apuramento para a Liga Europa e essa é realisticamente a maior probabilidade e a hipótese mais fiável do que poderá ser o futuro do Benfica nas provas europeias na presente época.
   Sabendo-se que a vitória do Celtic sobre o Barcelona, limitou em muito as aspirações do Benfica nesta prova em relação ao seu apuramento, é contudo de extrema importância, o Benfica continuar a fazer-se representar na Europa do futebol, até pela defesa do seu prestígio internacional e é nessa perspectiva que se deve encarar o jogo de amanhã.
   Na minha opinião o cenário é este, ganhando, o Benfica garante desde logo a continuidade na Liga Europa, aconteça o que acontecer na última jornada, aí colocam-se outros 3 cenários, o primeiro de extrema dificuldade, que é vencer em Barcelona e sem depender de ninguém, apurar-se para os 1/8 de final da Liga dos Campeões, o segundo, empatar em Barcelona e esperar que o Celtic não vença o Sp. de Moscovo em Glasgow, o terceiro, perder em Barcelona e esperar que os russos vençam na Escócia, mas para este cenário ser possível, é preciso que o Barcelona vença amanhã na Rússia.
   Como se percebe, a missão do Benfica em termos de Champions afigura-se extremamente complicada, mas a continuidade nas provas europeias depende exclusivamente de um Benfica ao seu nível, sendo esta a hipótese mais realista, contudo e embora demasiado dependente de terceiros, vencendo o Celtic, mesmo perdendo depois em Barcelona, o Benfica ainda pode ser feliz, embora seja melhor ter os pés assentes na terra e lá está, pensar realisticamente e partir para este jogo com a garantia efectiva que ele nos oferece, ou seja, há que ganhar ao Celtic e garantir a Liga Europa e depois aguardar pelo que nos reservará a ultima jornada.
   Termino este post com um forte apelo aos adeptos do Benfica, nomeadamente aos elementos da claque do clube, mostrem que verdadeiramente amam e respeitam o clube, para darem essa prova de amor e respeito ao clube, amanhã e sempre, devem deixar-se dessa parvoíce do lançamento de petardos, se o fizerem e sabendo vocês das consequências que esse acto pode trazer ao clube, então é porque não respeitam nem o amam, têm a palavra amanhã, qualquer outro cenário que não seja a ausência de petardos, será imperdoável e inadmissível e como tal restará aos benfiquistas uma única opção, irradiar e impedir de entrar na Luz, quem não respeita e prejudica o clube de forma intencional.
 

sábado, 17 de novembro de 2012

BENFICA VINGA SPORTING - Contra duas equipas.

   O Benfica vingou a eliminação do Sporting na Taça de Portugal, com uma vitória incontestável contra duas equipas, a do Moreirense e a de arbitragem.
   De facto, Duarte Gomes, esteve ao seu nível, tentou de tudo para que o Benfica não chegasse ao golo e quando se começa uma crónica pelo árbitro, é porque de facto foi miserável.
   Fingiu que não viu penalti sobre Lima ainda antes dos 10 minutos, pouco tempo depois ignora outro sobre Luisinho, não satisfeito, consegue transformar um livre à entrada da área por faltíssima sobre Bruno César, num amarelo ao jogador benfiquista, aliado a esse facto, a disparidade no critério disciplinar, entradas a roçar a violência dos jogadores do Moreirense valeram apenas amarelo, quando travavam jogadores do Benfica em jogadas de perigo nada de cartões, mas aos jogadores do Benfica conseguia mostrar amarelos em faltas junto à área do adversário, ou seja em lances sem qualquer perigo, lamentável, vindo de um árbitro que não me esqueço, foi o único até hoje que me fez sair do estádio bem antes do termino do jogo, refiro-me a um Benfica - Sporting, que com o célebre penalti fantasma de Jardel, conseguiu conduzir o Sporting ao empate, mais um vigaro com apito.
  MOREIRENSE 0 BENFICA 2 - Quando uma equipa, com tanta mudança, algumas por opção técnica, mas grande parte por lesões, consegue ganhar com alguns momentos de bom futebol, contra duas equipas em vez de uma, está tudo dito quanto à forma categórica como ganhou este jogo.
    Mais uma vez Jorge Jesus esteve muito bem na gestão do plantel, algo que era acusado de não fazer, mas estranhamente, agora, esses que tanto lhe bateram, são os mesmos que o acusam de estar a facilitar, eu digo que Jorge Jesus, está a transmitir aos seus jogadores, uma clara demonstração de confiança em todos eles e os jogadores estão a responder de tal forma, que começa a ser já difícil de diferenciar titulares de suplentes, com tudo o que de positivo isso representa.
    Entrou muito bem o Benfica no jogo, percebendo que o centro do terreno estava demasiado povoado, fruto da densidade defensiva  do Moreirense, tentava criar desiquilibrios nas alas, embora quer Nolito, quer Gaitan, não estivessem particularmente inspirados, mas contavam com o apoio dos laterais e dos próprios avançados que fugiam da zona central para ganhar mais espaço e zonas laterais.
    Estas movimentações baralharam o adversário, porque jogava com 3 centrais e estes viam-se sem qualquer referência para marcar.
   Apesar de tanto domínio e com o árbitro a ignorar penaltis, foi uma tremenda injustiça chegar ao intervalo com o nulo no marcador.
  Na 2ª parte - O Benfica entrou da mesma forma no jogo, o bloco defensivo continuava muito subido, o que permitia roubar a bola em zonas adiantadas do terreno e ao mesmo tempo impedir o Moreirense de criar qualquer jogada de perigo, de facto, até ao golo do Benfica, não se viu Paulo Lopes.
   O golo esse surgiu num lance de bola parada, com Matic na ressaca a rematar forte e apesar de Ricardo Fernandes ter tentado evitar o golo, mais não fez que o confirmar e como o Sérvio e o Benfica já o mereciam, Matic foi um gigante no meio campo, quer na recuperação da bola, quer ao ser o primeiro jogador a iniciar a 1ª fase de construcção do jogo ofensivo da equipa.
    Vendo-se em desvantagem, finalmente o treinador do Moreirense abdicou do autocarro, lançando Pablo Olivera, carrasco do Sporting e de seguida Wagner, o outro carrasco, só que  solidez do Benfica mantinha-se, embora descendo mais o bloco, de forma estratégica no sentido de aproveitar algum espaço dado pelo adversário.
    Depois veio a já habitual quebra de Luz em jogos fora do Benfica, que parou o jogo durante quase 20 minutos, pausa essa que pelo que foi o jogo no seu reinicio, me pareceu ter sido prejudicial a um Benfica que até então mostrava um ritmo forte.
    Esta foi seguramente a melhor fase do Moreirense, embora de curta duração, que apenas criava algum frissom nos muitos livres laterais que Duarte Gomes ia arranjando, mas exceptuando um perigoso cabeceamento e Ghilas, que roçou a trave, nada mais criou.
   Mas curiosamente, agora com mais espaço e algumas transições ofensivas com igualdade ou superioridade numérica, mas inconsequentes e normalmente mal definidas.
   O jogo parecia já ganho, mas mesmo assim, ao cair do pano, Gaitan arranca pela esquerda, passa por um adversário e entrega de bandeja ao recém entrado Cardozo, que mais uma vez marcou, fazendo o 2 a 0, bastando para tal estar 15 minutos em campo, enfim, ainda há uns quantos sei lá o quê que o assobiam.
   Vitória justa do Benfica que vingando o Sporting segue em frente na Taça de Portugal, num jogo que assinalou o regresso do capitão Luisão, que esteve em bom plano e certamente tão feliz como os benfiquistas por ter voltado a fazer o que tão bem sabe.
   Pela positiva: A dinâmica e jogo do Benfica, numa equipa com muitas ausências importantes e o regresso de Luisão.
  Pela negativa: Duarte Gomes, fez de tudo, mas teve o azar de ter pela frente um grande Benfica.
  Arbitragem de Duarte Gomes: Lamentável, já disse tudo no início do post.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

PAULO BENTO - O adeus à selecção?

    Brilhante, corajosa e adequada, a resposta de Paulo Bento, àquele que será sempre a pessoa que esteve directamente ligada ao que de mais podre existiu e existe no futebol português.
     O expert em matéria de fruta e aconselhamento matrimonial, como sempre, tinha de vir mandar os seus recados, aproveitando como sempre, uma comunicação social que apesar de sistematicamente usada e mal tratada, está sempre pronta a baixar as calças, subserviente ao mestre da corrupção e este, queixoso, veio a terreiro acusar a F.P.F. e o seu seleccionador, pelo excessivo uso de alguns dos seus jogadores.
  Curioso, que não deixa de ser a mesma personagem que em tempos, como bem lembrou Paulo Bento, reclamava pelo pouco uso dado aos atletas que lhe interessa promover e se calhar, o azedume desse senhor, resulta exactamente da não convocação de um jogador que quer vender, mas ninguém o quer comprar e que a selecção seria o espaço ideal para o promover, conforme foi no passado feito com muitos outros atletas, refiro-me a Rolando, que por mais que a comunicação social, insista em promover o jogador, arranjado interessados, a verdade é que ninguém o quer.
     Paulo Bento, com a coragem que o caracteriza, sem medo ou cobardia perante aqueles que estão habituados a esmagar todos aqueles que não se verguem a si,  defendeu-se também argumentando com o facto de essa personagem, gostar mais da selecção da Colômbia que da portuguesa, dando o exemplo do muito maior tempo de viagem e de jogo do jogadores colombianos pertença do clube a que o queixoso preside, o problema é que as pessoas do nosso futebol, não estão habituadas e não gostam de quem pensa pela sua cabeça e não se verga a poderes instalados, como tal, ou muito me engano, Paulo Bento ao afrontar o Padrinho do futebol, pode ter cavado a sua sepultura e dito adeus à selecção, é que eles não costumam perdoar.
   Mas eu creio que não se trata de gostos, mas sim de demonstração de poder, ou seja, inteligente como o mestre da corrupção é, falou para quem lhe dá ouvidos e para os seus servos, fazendo-lhes ver que o "Big Boss" está zangado, com a convicção que neste momento na Federação já todos tremem, azar do caraças, Paulo Bento não se assusta com ninguém, não liga a joguinhos de poder e como tal não pactua com ameaças venham elas de onde vierem.
   Por outro lado, essa pessoa, sabe bem que na Colômbia não lhe ligam nenhuma e que se sujeitava a ouvir algo do género que não respondem a pessoas que percebem mais de corrupção que de outra razão qualquer. 
   Percebo ainda que os Migueis Sousas Tavares, os Migueis Guedes e outros que tais, virão rapidamente em defesa do mestre, pois o respeitinho é muito bonito e o medo de represálias caso sejam discordantes também, sabemos bem o que normalmente acontece a quem faz frente ao mestre.
   Percebo ainda que o seu discurso de apelo aos benfiquistas para que deixem de falar de arbitragens e do apito dourado, com o argumento falacioso de que enquanto essa for a desculpa, o Benfica nunca encontrará a causa dos seus problemas, percebo ainda que esse discurso resulte noutra zonas da 2ª circular, sempre tão solícitos, subservientes e veneradores do azul e branco, muitos mais que o verde e branco, mas por mais que tentem e seja conveniente contar com o branqueamento dos benfiquistas, em relação à corrupção praticada nesse dito grande clube do Norte, isso nunca irá acontecer, até porque ao contrário daquilo que querem fazer crer, essa é a maior causa dos problemas do Benfica, tal a dificuldade em ganhar com tanta trafulhice no nosso futebol e porque ao contrário dos nossos vizinhos, esse estado de coisas não nos satisfaz, porque queremos ganhar e não que alguém não ganhe.
    Com a sua arrasadora e perspicaz resposta, Paulo Bento, sem se da conta, cavou a sua sepultura junto da Selecção Nacional, porque afrontar o actual estado de poderes instalados, normalmente sai caro a quem pauta a sua conduta pela seriedade e verticalidade e isso é uma postura completamente desconhecida quer por corruptos, corruptores ou vendidos e infelizmente isso é do que mais existe nos órgãos de poder do futebol português
 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista