quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

BENFICA SEGUE NA TAÇA - Com goleada a meio gás.

--- A ilação mais positiva que se pode tirar deste jogo, é o facto de não ter sido preciso um super Benfica para golear a Olhanense, bastou um Benfica a meio gás, que de forma consistente que com toda a naturalidade, à medida que o tempo avançava, foi ampliando o marcador, com alguns golos de rara beleza.
BENFICA 5 OLHANENSE 0 - Era quase uma obrigação para o Benfica passar esta eliminatória, confirmando desse modo os sinais de retoma da equipa e fê-lo da melhor maneira, com goleada e um cheirinho daquele Benfica que nos habituou às goleadas.
   A marcha do marcador foi de tal modo calmo, que o jogo nunca chegou a ter um pingo de emoção e golear sem ser necessário jogar muito ou imprimir grande velocidade, é para mim um claro sinal de uma equipa cada vez mais confiante nas suas capacidades, mais mecanizada e com os jogadores a caminharem nesta fase da temporada, para o seu melhor momento de forma, com especial destaque para Saviola e Salvio, que deu a profundidade que escasseava no futebol benfiquista, aliado a isso, um Gaitan cada vez mais senhor de si, a acreditar nas suas potencialidades e adaptado ao clube, ao futebol português e além de tudo à posição no terreno de jogo que lhe foi confiada.
   O Benfica entrou forte no jogo e logo aos 2 minutos, já Cardozo correspondia com um bom cabeceamento a um cruzamento milimétrico de Salvio, para uma boa defesa de Ricardo Baptista, foi o primeiro sinal evidente dom que ia ser o jogo, um Benfica constantemente instalado no meio campo adversário e um Olhanense sem ideias.
   Já depois de Fábio Coentrão, numa boa iniciativa individual ter desperdiçado a vantagem que se adivinhava no marcador, Saviola, aos 20 minutos, correspondeu da melhor forma a um passe magistral de Carlos Martins, dando justiça ao marcador, estava feito o mais difícil, o 1º golo.
   Confiante, o Benfica aumentou ainda mais o seu domínio, até que Salvio, rompe pela direita e já de ângulo reduzido, remata para mais um golo.
   Mas o melhor estava guardado para o minuto 40, com Cardozo, de fora da área, a mostrar porque razão é o grande goleador encarnado desde que está no Benfica, algo que alguns por ignorância futebolística, tendem a menosprezar e faz um chapelão de belo efeito ao guardião adversário, naquele que foi o grande momento da noite.
  Na 2ª parte, com 3 a 0 no marcador e com a eliminatória ganha, chegou a hora de gerir o esforço, muitos e complicados jogos se aproximam e outra coisa não seria de esperar, por isso, o Benfica diminuiu o ritmo de jogo, mas sempre com a baliza adversária na mira, pelo que com naturalidade, na sequência de uma jogada de insistência, Luisão amplia a vantagem.
   Com o Olhanense morto e o Benfica saciado, mais preocupado com o jogo seguinte, a partida perdeu interesse e os minutos foram passando, sem impedir que Cardozo deixa-se de novo a sua marca num belo pontapé de moinho que fez com que o jogo terminasse com chapa 5, de forma inteiramente justa.
   Em suma, foi uma eliminatória que permitiu que o Benfica passasse aos 1/4 de final da Taça sem dificuldades, goleasse e assim aumentou ainda mais os seus níveis de confiança já de si num plano bem aceitável e ao mesmo tempo, permitiu que os jogadores em campo fizessem uma gestão de esforço, complementadas com as substituições operadas.
   Pela positiva: Os golos de Cardozo, ambos de belo efeito, especialmente o seu primeiro.
   Pela negativa: O pouco público presente, muito por culpa da hora imprópria do jogo para um dia de trabalho.
Arbitragem de Paulo Baptista - Foi fraca, num jogo que não ofereceu dificuldades de maior, tendo como principal erro um penalti por assinalar cometido por Maxi Pereira de forma escusada, mas que não teve qualquer influência no decorrer do jogo, pois o resultado era já de 5 a 0.
   Para terminar a análise ao jogo, um breve comentário à anunciada contratação do defesa central da Olhanense Jardel, apesar de como disse o Presidente da Olhanense, as negociações decorrerem já à algum tempo, não concordo com o seu timing.
  Não que esse negócio tivesse alguma influência na passagem do Benfica aos 1/4 de final, mas porque não é eticamente correcto e se eu já critiquei atitudes semelhantes dos nossos rivais, não posso agira concordar com este timing, mesmo sabendo que havia interesse de diversos clubes na aquisição deste atleta e por vezes há negócios que não se podem adiar, sob pena de serem perdidos.
  O que eu também não concordo, é que venham agora alguns moralistas condenar esta aquisição, como se os seus clubes fossem virgens nestas situações, infelizmente, este tipo de situações, já aconteceram mais vezes que o desejável e não são usufruto de ninguém em particular.
   Apesar de eu estar já cansado de tanto contratação sul americana e de outros jogadores estrangeiros, em detrimento de jovens da nossa formação, na qual, vergonhosamente o clube continua a ignorar e com isso a passar um atestado de incompetência à prospecção do clube, que neste momento funciona melhor que nunca e vocês sabem que falo com conhecimento de causa, devo realçar algo de positivo nisto tudo, que é o facto de em surdina, sem que estas notícias chegassem previamente ao conhecimento público, o Benfica já ter assegurado várias contratações para a próxima temporada e julgo que é justo destacar isto, porque esta direcção, tem sido imensamente criticada por arrastar negócios e assim perdê-los, pelo que me parece incoerente que os que na altura usaram a crítica, o façam também agora.
   De volta à Taça, o Porto carimbou o passaporte para as 1/2 finais da Taça, sem nuca ter defrontado uma equipa da 1ª Liga e só por uma vez apanhou uma equipa da Liga orangina, tendo ainda jogado no seu terreno por 3 vezes, ou seja, um caminho pouco meritório, muito facilitado, em contra ponto com o percurso benfiquista, que para chegar as meias finais, terá eliminar a 3ª equipa da 1ª liga e fora de portas.
    Mesmo assim, a verdade é que o Moreirense foi eliminado vendo-lhe um golo ser mal invalidado com o resultado ainda em branco e ontem, viu-se e desejou-se para ultrapassar esta potência Pinhalnovense, sendo preciso lançar em campo as suas melhores unidades e esperar que Hulk resolve-se, o que foi feito apenas aos 78 minutos, o que realça o grande trabalho da equipa da 2ª divisão B, que teve uma atitude muito meritória.
   De parabéns está também o Merelinense, que eliminou o Varzim no seu terreno, sendo mais uma bela surpresa da prova, e julgo que é para todos evidente, que caso consiga eliminar o Guimarães, está encontrado o próximo adversário do Porto na Taça de Portugal.

6 comentários:

margaridabenfiquista disse...

foi uma bonita vitória, voltamos ás goleadas !!!!
..

Carlos Alberto disse...

Os moralistas não disseram nada acerca do Moretto?

Ou o Ricardo Baptista também deu frangos à pedida?

troza disse...

Foi um bom jogo. Parecia o Benfica do ano passado e só é pena não termos começado o campeonato um pouco melhor (embora haja um factor muito importante para que isso tenha acontecido).

Quanto ao timing... eu também começei por achar mal mas... e se fosse depois? E se ele tivesse marcado um autogolo, como seria? Acho que era pior (como se a transferência fosse um prémio pela ajuda). Mesmo assim podiam ter anunciado com uma distância maior antes do jogo.

Mesmo assim o treinador do olhanense devia ter preparado (se é que não preparou) o encontro não contanto com o seu jogador.

E... é mais um... já temos no plantel muitos defesas centrais e temos 3 portugueses capazes de um dia serem titulares. O Roderick e o Miguel Vitor das escolas precisam de evoluir, é certo, mas espero que pelo menos a oportunidade esteja lá. É quase certo que o David Luiz irá sair (a pergunta é quando) e que o Sidney não combina muito bem com o Luisão (eu acho que os dois têm um estilo um pouco semelhante enquanto que o David Luiz complementa o Luisão e vice-versa), ficando o lugar só para mais um... veremos quais dos 3 fica. Mas um já era bom. Mas vamos lá ver. Esperemos que faça uma boa carreira no Benfica!

Apanhados disse...

Este Benfica sim!

Já está muito próximo do rolo compressor.


Ainda há muita coisa em jogo até ao final da época.

águia_livre disse...

Foi um jogo ... entretido, em que o Benfica ganhou com naturalidade, marcando cinco golos, todos de belo efeito.
Já o Porto tremeu e de que maneira perante o Pinhalnovense.

Manuel Oliveira disse...

Amigo Jotas, concordo com quase tudo o que dizes, excepto no que se refere ao Jardel. Era preferível que não tivesse acontecido (fiz um post sobre isso) mas havia outra maneira? O próprio presidente do Olhanense já veio explicar os contornos do negócio.

Abraço.

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista