quinta-feira, 17 de março de 2011

SOFRER EM PARIS - Garantiu o fundamental.

--- Antes de mais quero realçar algo que só mesmo o Benfica consegue fazer e que demonstra bem a dimensão inigualável que tem em relação as restantes equipas portuguesas, colocar quase 30 mil em Paris, com um apoio formidável à equipa, é algo histórico e um feito incrível, a eles o meu obrigado.
    Quanto ao jogo, Foi uma partida de sofrimento e luta este em Paris, mas que garantiu aquilo que era fundamental, o passaporte para os 1/4 de final da Liga Europa, numa jornada histórica para o futebol português, julgo mesmo que tão depressa haverá igual oportunidade desta prova vir para Portugal, a qualidade ali presente não é nada de especial, mas que temo que como sempre nos grandes momentos do nosso futebol, os incompetentes que o gerem, o venham a manchar.
   De facto, estou curioso agora para ver até que ponto as Associações do Porto e Braga terão coragem de correr com os seus filiados da Europa, impedindo-os assim de sonharem, por um lado, até gostava de ver os estatutos chumbados, só para ver como reagiam o Porto e o Braga, mas isto é apenas uma curiosidade nada mais.
P.S.GERMAIN 1 BENFICA 1 - Um jogo que se antevia difícil e realmente confirmou-se isso mesmo, foi um jogo de muito trabalho, de imensa luta, em que tivemos um Benfica melhor na 2ª parte do que na 1ª, onde sentiu algumas dificuldades perante a velocidade ofensiva do adversário.
   O Benfica entrou a tentar controlar o jogo, naturalmente, a equipa francesa procurava ter a iniciativa, mais consentida que conquistada, o certo, é que o Benfica tinha dificuldade em ter a bola e recuperá-la, quando o conseguia, raramente os passes para a transição saiam bem, ao invés, o PSG mostrava-se rápido nas transições, tinha mais bola, mas carecia de objectividade e apesar do domínio, as oportunidades rareavam.
   Foi numa altura em que o Benfica começou a equilibrar que surgiu o golo de Gaitan, numa das raras saídas rápidas para o ataque, o argentino disparou de fora da área e bateu o guarda-redes adversário, que diga-se, ficou mal na fotografia.
  Pensou-se que esse golo acalmaria o Benfica, puro engano, o PSG forçou ainda mais e logo na jogada seguinte Roberto salvou o empate, para pouco depois a equipa francesa empatar, dando justiça ao marcador, chegando-se ao intervalo com 1 a1.
Na 2ª parte, entrou melhor o Benfica, pressionou melhor no meio campo adversário, impedindo desse modo não só que o PSG tivesse mais dificuldade na criação de passes para os seus ataques em velocidade e por outro lado, o Benfica recuperava bolas em zonas mais adiantadas e criava assim mais aflições para a defesa contrária.
  Os primeiros 20 minutos desta etapa só deram Benfica, tendo mesmo algumas chances de poder matar a eliminatória, contudo, a equipa parisiense nunca se deu por vencida e tentava em contra golpe igualar este confronto.
  Nos últimos 10 minutos, assistiu-se a um recuo natural do Benfica e ao PSG a dar tudo para levar o jogo para o perlongamento, teve mesmo uma grande oportunidade que Roberto negou e pregou um tremendo susto mesmo no último minuto de compensação, valeu que o avançado do PSG escorregou na hora de rematar, chegando-se assim ao fim do jogo com uma igualdade com sabor a vitória, com o Benfica a carimbar a passagem à eliminatória seguinte de forma justa, uma vez que no conjunto dos 2 jogos foi melhor que o adversário.
   Destaques para as exibições de Roberto, sempre muito atento e seguro, com 2 defesas de grande nível, de Luisão, a serenidade e liderança de sempre, Sálvio, que trabalhou imenso, estando tacticamente fantástico, Fábio Coentrão, mais uma vez o homem pilhas "Duracell" e Gaitan pelo golo que valeu a eliminatória, numa equipa em que todos trabalharam muito, mostrando aquela alma que os caracteriza e que devia orgulhar todos os benfiquistas, porque as grandes equipas também têm de saber sofrer e o Benfica soube.
O Porto também seguiu em frente, batendo de novo a equipa russa, agora por 2 a 1, uma vitória que começou a ser carimbada num lance feliz logo aos 40 segundos, através de um livre lateral, em que um cruzamento para a área deu golo.
  Depois logo aos 20 minutos, numa sucessão inacreditável de erros de Ankifiev, que para impedir um canto, ofereceu a bola ao adversário e depois abordou sempre os lances até ao golo de forma incrivelmente assustadora, chegando mesmo a encolher-se, a isso Guarin respondeu com o 2 a 0.
  Os russos ainda reduziram o marcador, mas foram sempre uma equipa macia, sem grande chama e completamente controlada pelo Porto que nunca deixou que o seu adversário pudesse colocar o seu apuramento em causa.
  História fez também o Braga em Liverpool, chegando pela 1ª vez na sua história aos 1/4 de final de uma prova europeia com o nulo em Anfield Road.
  O Braga limitou-se apenas a gerir o tempo e a controlar a posse de bola, tapando os caminhos para a sua baliza de forma eficiente, ante uma equipa inglesa, muito longe dos seus melhores tempos, muito longe de ser uma grande equipa e com um défice de qualidade incrível, fico pasmado como é possível alguém dar 41 milhões por um jogador que apenas sabe saltar para a bola para tentar cabecear, cujos seus pés parecem 2 tamancos, refiro-me a Andy Carrol, numa contratação que ou muito me engano, ou será o barrete do século.
   A equipa portuguesa foi sempre superior ao seu opositor, quem em casa quer fora e o Liverpool, foi pouco mais que inofensivo, com um futebol atabalhoado, sem criatividade, limitando-se a bombear bolas para a área bracarense, a verdade é que o Braga defendeu sempre bem e também nada de registo criou, pelo que o empate a zero, espelha bem a melancolia deste jogo.
  Aguardemos então pelo sorteio que se realiza amanhã pela hora de almoço, onde espero sinceramente que não haja confrontos entre as equipas portuguesas.
  Os restantes apurados são o Sp. Moscovo, o PSV, Twente, D.Kiev e Villarreal, sendo que para mim a equipa espanhola é o adversário a evitar e a minha preferência recai claramente em qualquer uma das equipas holandesas, que julgo estarem perfeitamente ao alcance do Benfica.

3 comentários:

Viriato de Viseu disse...

Foi limpinho embora sofrido.
Agora que venham os corruptos....

Berrante De Encarnado disse...

É, foi sofrida mesmo, mas a passagem à próxima fase é mais do que merecida e, convenhamos, não fosse o azar e a enorme roubalheira na primeira mão, e já devia ter terminado em Lisboa.

BENFICA SEMPRE!!

Cumprimentos

troza disse...

Sofrida... talvez, mas no início da 2ª parte o Benfica teve umas 3 excelentes oportunidades para matar a eliminatória.

Bem... agora é ver o que vem aí. Espero que a sorte esteja do nosso lado.

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista