quarta-feira, 16 de novembro de 2011

PORTUGAL ABATE BÓSNIA - Com mísseis de longo alcance.

    Uma exibição convincente, com momentos de grande qualidade, Portugal começou por desbravar o caminho para o Euro 2012, com dois mísseis de Ronaldo e Nani, que destroçaram uma Bósnia vulgarizada por uma selecção em noite inspirada.
    PORTUGAL 6 BÓSNIA 2 - Um grande espectáculo o que se assistiu na Luz, com a equipa das quinas a entrar determinada em resolver o jogo a seu favor, com um Ronaldo inspiradíssmo como há muito não se via na selecção, muito bem secundado por Moutinho, Miguel Veloso e restante equipa.
   O querer da equipa ficou demonstrado desde cedo, com Ronaldo que já antes ameaçara a fazer o primeiro golo bem cedo, num remate de livre fantástico, que serviu para desinibir a equipa e arruinar com a estratégia dos Bósnios.
   Mas Portugal queria mais e continuou com grande dinâmica, daí que não estranha-se o 2 a 0 que já se adivinhava tal o domínio luso e se o primeiro golo foi fantástico, este de Nani foi do outro mundo, um pontapé do meio da rua, cheio de força e colocação.
   Com 2 golos de vantagem, Portugal tirou o pé do acelerador, mas a Bósnia era pouco mais que inofensiva, não me lembro de um único remate até ao lance do penalti, numa infantilidade de Coentrão mesmo em cima do intervalo, que ainda deu alguma esperança ao nosso adversário, um lance que poderia ser bastante penalizador, não estivesse a equipa com uma crença tão grande.
  Na 2ª Parte, Portugal voltou a entrar fortíssimo, dona e senhora do jogo, como quem diz, que aqui quem manda somos nós, com um pequeno senão do público nacional não estar tão activo como na 1ª parte.
  Só que ontem era dia de Ronaldo, endiabrado, colectivo quase sempre e individualista quando se impunha, desequilibrador e solidário, coloca novamente a equipa das quinas com a vantagem de 2 golos, passando pelos defesas que nem uma flecha, dizendo adeus ao guarda - redes adversário, finalizando um lance que começou com um grande passe de Moutinho.
  Com 3 na 1 e em superioridade numérica, fruto de uma expulsão que um jogador da Bósnia que protestou em demasia não sei o quê, o jogo parecia decidido, mas após uma falta de Coentrão, na marcação do livre, toda a defesa portuguesa ficou parada e a Bósnia, sem saber ler nem escrever, reduz a desvantagem, num lance cuja passividade defensiva de Portugal foi evidente, mas que foi também irregular, porque o marcador do golo estava claramente em fora de jogo, aliás, este fiscal de linha, que tão peremptório foi a marcar o penalti contra Portugal, não conseguiu vislumbrar este lance, nem um penalti bem mais evidente contra a Bósnia.
   A verdade é que mesmo com 3 a 2, senti sempre a equipa portuguesa forte e cheia de confiança, sinceramente nunca temi um volte - face e o tempo deu-me razão, Portugal voltou a revoltar-se e partiu para uns 20 minutos finais de enorme qualidade, que deram para Postiga bisar e para Miguel Veloso marcar de livre, um golo que bem mereceu.
   Portugal marcou 6 golos, mais poderiam ter sido, todos eles de grande qualidade, ora nos disparos potentes de longe, ora na beleza das jogadas que culminaram em golo e o 6 a 2 final, espelha bem a superioridade da equipa lusa, num jogo em que se deve dar mérito à postura da equipa, em vez de menosprezar o adversário que lembre-se, nos últimos 6 jogos havia apenas sofrido um golo e de penalti.
    Uma palavra para Cristiano Ronaldo, é verdade que nem sempre as suas exibições na selecção são o reflexo do que produz no seu clube, mas caramba, é um ato de estupidez alguns portugueses, principalmente os que gostam de futebol, menosprezarem o seu valor e até mal tratá-lo por vezes, qualquer outro país se sentiria orgulhoso de ter um Ronaldo a representá-lo por esse mundo fora, num país pobre, ávido de referências, não se entende como não se idolatra um jogador que é para alguns o melhor do mundo, já foi Bola de Ouro e aos 26 anos pulveriza recordes e é apenas 2 vezes Bota de Ouro.
    Outra referência para o Público, hesitante quando Portugal detinha a vantagem mínima no marcador, mas depois esteve sempre soberbo, ora gritando por Ronaldo, ora fazendo a onda, ora gritando por Portugal, culminando a noite com um momento mágico no final do encontro, em que juntamente com os atletas agrupados no relvado, se cantou conjuntamente o hino nacional, um momento único de enorme beleza e sentido patriótico.
    Já desprezível, é a hipocrisia de alguns comentadores e jornalistas, condenando um público que foi exemplar por assobiar o hino do adversário, caramba, deixem-se de tretas, a paciência tem limites, porque raio temos sempre de ser os cordeirinhos e sem direito de resposta á ofensa constante? Afinal de contas, o tratamento que os Bósnios deram ao nosso país foi bem pior do que apenas assobiarem como o fizeram o hino nacional.
  Pela positiva: Todo o Portugal, jogadores, equipa técnica e público, como se viu no fim do jogo, foram um só e a beleza dos nossos 6 golos, espelharam em beleza a beleza da nossa exibição.
  Pela negativa: Apenas algumas hesitações defensivas que deram azo a alguma desconfiança nas potencialidades da selecção e a arbitragem desastrosa desta equipa alemã.
  Arbitragem: Má demais para um jogo desta importância, com claro prejuízo para Portugal, só não teve consequências, porque ontem, a equipa estaria capaz de lutar contra todas as adversidades, nada a dizer no penalti contra Portugal, Coentrão

3 comentários:

Carlos Alberto disse...

Foi uma boa jogatana... a ver vamos o que iremos fazer no EURO!

Manuel Oliveira disse...

Foi um jogão como não via desde o particular com a Espanha há cerca de um ano, também na Luz.

Abraço.

Enrraba Boys disse...

Hi hi hi hi

No meio desta cebolada toda quem anda feliz é a carol, desceu aos infernos e ao 3º dia escreveu as escrituras... hi hi hi hi hi hi hi.........finalmente foi promovidada a escritora môr do regime.

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista