terça-feira, 31 de janeiro de 2012

AINDA A 17ª JORNADA - E a liderança do Benfica.

   O Benfica foi supostamente beneficiado num jogo e lá está, aqui d' el Rei, caiu o Carmo e a Trindade que isto é um escândalo sem precedentes e o mais curioso é verificar que o maior alarido vem daqueles que viram o clube que foi lesado em Barcelos, mas nem sequer são desse clube, ou seja, sportinguistas dizem eles.
   Acho graça porque é hilariante e como sou por norma um pessoa sempre disposta a uma boa "chalaça", é claro que me rio com certo tipo de comentários que vou ouvindo e mais graça ainda por ver aqueles que são sistematicamente humilhados, gozados e que sabem que houve árbitros pagos pelo Porto para eles perderem os seus jogos, rapidamente se juntam no coro de protestos e sempre em prol de um clube que se não é parece o seu, curioso, porque quando o Porto é alvo dos mais variados benefícios, não lhes ouço o esboçar de um único protesto, o que já não se estranha pelas razões óbvias que todos conhecemos.
    Posto isto, vou começar pelo jogo Feirense - Benfica que já aqui escalpelizei, parece-me desde logo um enorme exagero querer fazer deste jogo um escândalo nacional, é óbvio que o fiscal de linha que na 2ª parte acompanhou o ataque do Feirense lesou e muito a equipa da Feira, julgo que seria ridículo da minha parte negar essa evidência, tendo como erro mais grave a anulação de um golo em que efectivamente não havia fora de jogo como referi na minha crónica do jogo, repito no entanto que tenho algumas dúvidas se haveria ou não pé em riste do jogador que faz o passe, mas sendo um lance complicado e que não foi sancionado, conclui-se que o golo do Feirense é efectivamente mal anulado.
   Parece-me é descabido e intelectualmente desonesto querer fazer desse caso o único do jogo, como se os adeptos do Porto (incluo os verde e brancos por fora e azuis e brancos por dentro), só tivessem assistido aos primeiros 15 minutos da 2ª parte e não tivesse havido do lado do Feirense um jogador em maré de azar que faz um auto-golo e um penalti desnecessário,  senão vejamos:
   Será que fazendo o Feirense 1 a 0 no lance anulado, o jogo seria igual e eles fariam o 2 a 0? Julgo que como é óbvio o jogo teria um caminho muito diferente e inclusive até poderia já nem haver o golo de canto nem o auto - golo; Será que não houve mais casos nesse jogo? Não houve na 1ª parte uma grande penalidade favorável ao Benfica por mão de Mika? Nessa altura a ser concretizado o penalti não se colocaria o Benfica a vencer por 1 a 0 ?; Não foi uma expulsão perdoada a um jogador do Feirense quando o resultado estava em 1 a 1?; São evidencias que por conveniência são ignoradas no sentido de querer justificar o injustificável, mas com o mal dos outros posso eu bem e com isto não quero dizer que o Benfica foi prejudicado nesse jogo como já por aqui li e nem sei onde foram buscar tal ideia, o que quero dizer tal como toda a imprensa escrita desportiva é que o Árbitro Rui Costa este mal e teve erros graves em prejuízo de ambas as equipas, foi isso que eu li e que concordo.
    Já no jogo Gil Vicente - Porto, julgo que ninguém no seu perfeito juízo pode afirmar que o Porto não foi excessivamente lesado por Bruno Paixão, claro que foi e não há como negar o que foi evidente para todos, o que me revolta é que toda a gente parece esquecida que o Porto já teve benificios bem maiores e que queiram branquear quem durante 30 anos andou a roubar no futebol português e que só quem for cego ou andar demasiado distraído o pode negar, sendo contudo evidente que em muitos anos também teve o seu mérito.
   Portanto, quando estes senhores mostram tanta incredulidade perante o jogo de Barcelos, o que lhes posso responder é: Dói não dói? Custa não custa? Pois bem, isto não é mais nem menos do que aquilo que outros clubes sofreram na pele durante anos a fio, pelo que percebo perfeitamente a falta de hábito em ver este tipo de arbitragens contra o seu clube, pois a regra é exactamente ao contrário.
   Concluindo esta matéria, parece-me que querer reduzir a liderança do Benfica a este fim de semana é descabido e revela uma tremenda desonestidade aliada a uma enorme dor de cotovelo.
   o Benfica é líder até ao momento, porque tem sido efectivamente melhor que os seus adversários e é até hoje, a equipa que no geral melhor e mais consistente futebol tem praticado em Portugal, sendo inegável e visível a todos, que este Benfica sabe jogar bom futebol, mas também sabe ser uma equipa de raça e de enorme capacidade de luta quando assim é preciso e não me parece que seja por este fim de semana ou pelos árbitros que ao cabo de mais de 35 jogos oficiais, o Benfica regista apenas uma derrota, querer fazer passar essa ideia é um acto de enorme estupidez e isso sim é facciosismo e próprio de alguém que fica toldado nas suas análises por sentimentos anti, que como aqui já referi tiram discernimento, porque uma coisa é andarmos no futebol a defender e vibrar com a nossa equipa, conseguindo ver com alguma objectividade os outros, ora quando nos esquecemos disso e viramos a nossa atenção para sentimentos de raiva e ódio, obviamente ficamos sem o necessário discernimento para sermos minimamente coerentes.
     Para finalizar este post, dizer que esta vantagem de 5 pontos para o Benfica é importante, lança enorme pressão no mais directo adversário cuja margem de erro ficou muito reduzida, mas que está longe, muito longe de ser decisiva, pois há ainda muito jogo com elevado grau de dificuldade e muito para lutar, não se podendo esquecer a importância deste mercado de Janeiro e nessa matéria, julgo que a contratação do ponta de lança do Twente, Jancko, foi um grande golpe do Porto, porque os números falam por si e Jancko é um goleador nato e cujo desempenho já tinha apreciado desde os jogos com o Benfica, já Lucho, tem o valor inegável que todos sabemos, mas julgo que o Porto no meio campo perdeu como as saídas de Guarin e Belushi.
   Já no Benfica, parece-me que a contratação de Yannick, pouco ou nada acrescenta em termos qualitativos à equipa, é um jogador que sempre achei um bluff, que nunca apreciei e vem reforçar uma posição em que na minha opinião é onde o Benfica está mais bem servido.

sábado, 28 de janeiro de 2012

VITÓRIA DA RAÇA - Num jogo muito complicado.

    Se havia jogo que se previa muito complicado pelas mais diversas razões, era este e isso veio-se a confirmar, foi preciso um Benfica de luta, com raça, para vencer um grande Feirense que nunca deu o jogo por perdido, valorizando ainda mais esta vitória,
   FEIRENSE 1 BENFICA 2 -  Num terreno com as dimensões mais reduzidas de todas as equipas da Liga e um relvado que levantava tufos com grande frequência, a tarefa do Benfica que até entrou mal no jogo, foi muito complicada.
    A partir dos 15 minutos a equipa equilibrou e Rodrigo desperdiçou, obrigando Paulo Lopes à sua primeira grande defesa, contudo, o Feirense, em passes longos nas costas da defesa do Benfica, criava alguns sustos, mas a verdade é que exceptuando um cruzamento falhado em que a bola bateu na barra, não criou verdadeiras oportunidades, ao invés, foi novamente o Benfica, com um fulminante golpe de cabeça que fez Paulo Lopes a brilhar novamente.
   Mas já antes, havia ficado um penalti por marcar contra o Feirense por mão de um defesa na sua área, que o árbitro não vislumbrou.
    Até ao intervalo assistiu-se sempre a um jogo mais lutado que jogado, sem que houvesse muitos lances de perigo.
Na 2ª Parte, o Feirense voltou a entrar melhor no jogo, na pior fase do Benfica, que parece ter tido um período de algum adormecimento, e foi nesse espaço de tempo que o Feirense marca um golo mal invalidado por fora de jogo, embora tenha algumas dúvidas se o lance não foi precedido por pé em riste, o qual não foi assinalado.
  Viu esse golo ser invalidado, mas marcou logo de seguida por Varela, que respondeu com um belo golpe de cabeça, após a marcação de um pontapé de canto e diga-se que pela forma como o Feirense entrou, justificou o golo.
    Varela que até estava a fazer uma exibição fantástica, acabou por estar ligado a todos os momentos do jogo, pois pouco depois de colocar a sua equipa em vantagem, desviou um cabeceamento de Cardozo para dentro da sua própria baliza, dando o empate ao Benfica, que foi feliz nesse momento, mas os campeões também se fazem assim.
    Foi de extrema importância para o Benfica empatar logo após a desvantagem, a ansiedade poderia apoderar-se da equipa e assim, começaram a tomar as rédeas do jogo.
    Impunha-se mexer na equipa e foi o que aconteceu, Gaitan e Nolito renderam aos apagados Aimar e Bruno César e o Benfica cresceu, ganhou mais profundidade e tomou conta da partida.
    Numa fase em que já dominava e depois de Gaitan ter falhado o golo através de um cabeceamento sem oposição e outro com um belo remate de Rodrigo com mais um grande intervenção do guarda - redes adversário, eis que surge de novo Varela, que tem uma entrada dura e despropositada sobre Rodrigo, fazendo um penalti claríssimo que Cardozo não falhou dando assim uma vantagem no marcador que nesta altura o Benfica já justificava.
     Mas este Feirense era digno e continuou a tentar, só que agora mais com o coração e menos com a cabeça, já o Benfica tinha agora mais espaço e teve uma ou outra possibilidade de colocar um ponto final no jogo e no sofrimento.
   Em suma, uma vitória muito suada mas justa, valendo os 3 pontos  alcançados de extrema importância, esperando agora tranquilos pelo desenrolar do jogo de Barcelos que apesar do seu favoritismo, não se afigura fácil para o Porto.
   Pela Positiva: A capacidade de saber sofrer do Benfica, os campeões também se fazem com jogos assim, destacando-se a grande postura e atitude de ambas as equipas.
   Pela Negativa: O preço dos bilhetes, uma excentricidade, e o mau desempenho de Rui Costa que não esteve ao nível do jogo.
  Arbitragem de Rui Costa: Também por culpa do seu auxiliar, foi uma arbitragem com algumas más decisões, a começar desde logo por um lance de possível penalti sobre Javi, mas que por razões que se desconhecem, a TVI não repetiu, depois um corte de Mika com a mão na área do Feirense e nada assinalou, as repetições também desapareceram, já na 2ª parte, Thiago, só joga no Maxi Pereira e é perdoado o 2º amarelo, depois um golo invalidado ao Feirense por fora de jogo inexistente, se bem que me pareceu precedido de pé em riste, muitos erros para um jogo só, aliás esse auxiliar tirou mais 2 foras de jogo inexistentes com claro prejuízo para a equipa da casa.
   Apenas aqui um pequeno reparo, porque será que os Presidentes dos clubes, só se queixam sempre que jogam com o Benfica, mesmo nas vezes que não há razões para tal e se calam sempre que são prejudicados com outro clube mais a Norte? Medo de retaliações?
   

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

BENFICA E O MERCADO DE JANEIRO - Inquérito aberto.

    O mercado de Janeiro encontra-se perto do fim, muitos questionam a necessidade ou não do Benfica a ele recorrer, se fossemos pelos nomes que surgem diariamente nos jornais, certamente em cada abertura do mercado, teríamos uma renovação completa do plantel, tal a quantidade de entradas e saídas que são lançadas publicamente.
    Só que o caminho entre a ficção e a realidade é bem distinto, como tal, a realidade é que o Benfica está sem acção neste mercado de Janeiro, mais preocupado em resolver alguns problemas internos, colocando alguns jogadores que por um ou outro motivo não entram nas contas do treinador, refiro-me em concreto a Ruben Amorim, que depois da sua lamentável atitude perdeu espaço na equipa e a Capdevilla que nunca contou para o treinador e não adianta aqui escalpelizar os motivos, é uma decisão do treinador e ele já deu mostras que melhor que ninguém sabe as razões para as opções que toma.
   No entanto e atendendo ao actual momento da equipa e às provas que disputa e nas quais está muito bem posicionado, julgo que neste actual plantel há uma ou outra lacuna que deveriam ser corrigidas, refiro-me em concreto ao lado esquerdo da defesa e a uma alternativa a Maxi Pereira.
   Sendo esta uma opinião meramente pessoal, valendo o que vale, sou da opinião que o nosso lateral esquerdo Emerson, ainda não convenceu, parece-me um jogador com sérias limitações, nomeadamente em termos ofensivos e de velocidade e mesmo em termos defensivos, apesar de ser mais fiável, tem momentos de completa desconcentracção que podem colocar em causa o trabalho defensivo da equipa.
   No entanto, como sempre, sou contra o tratamento a que por vezes é votado, não concebo que um jogador, por mais limitado que possa ser, seja assobiado cada vez que toca na bola, porque isso em nada contribui para a sua melhoria e em nada ajuda à sua confiança, quem adopta esse tipo de comportamentos limita-se a prejudicar a equipa e a ajudar o adversário, sinceramente não consigo perceber que alguém que se diz adepto de determinada equipa assobie os seus jogadores, cujo único resultado é o enervar a equipa e prejudicar ainda mais a performance do atleta.
   Emerson, tem contudo uma virtude, dá tudo o que tem, é empenhado e se não faz mais é porque não pode, no entanto, é para mim o elo mais fraco da equipa e um lateral curto para as necessidades de uma equipa como o Benfica, pelo que julgo que seria importante a vinda de um lateral esquerdo de créditos firmados e que desse mais solidez à equipa, até porque Luís Martins, parece-me ainda demasiado verde para ser alternativa.
   Já na faixa direita, julgo que o clube está muito bem servido com Maxi Pereira, neste caso, o grande problema é a ausência de uma alternativa válida, André Almeida e que os meus amigos me desculpem, não é nem nunca será um jogador com suficiente qualidade para um clube como o Benfica, muito menos um lateral direito.
   Ora, atendendo aos muitos jogos que há pela frente, às constantes chamadas de Maxi à selecção, com os riscos e desgaste inerentes, julgo que seria muito importante a vinda de uma alternativa credível.
   Cheguei ainda a defender neste espaço, que ao Benfica faltava ainda alguma velocidade nas alas, até porque exceptuando Nolito, nenhum outro jogador me parece ser um jogador de linha de fundo, capaz de romper em velocidade e criar os desiquílibrios nas alas, como sucede por exemplo no Porto, mas a verdade é que nessa altura, Nolito estava como suplente utilizado e quando passou a ser opção, o Benfica ganhou essa profundidade.
    Outro jogador do plantel que me pareceria ser capaz dessas funções, era o Enzo Pérez, mas a lesão e depois o seu comportamento, associadas a alguma falta inicial de adaptação ao futebol europeu, atrasaram e muito a sua integração, logo num jogador que foi a aquisição mais sonante do Benfica juntamente com Witsel e Garay e um jogador em quem se depositavam imensas esperanças, embora julgue que o Enzo poderá ainda a vir a ser muito útil esta temporada, porque qualidade não lhe falta.
   Contudo, essa lacuna que é ainda por vezes evidente, até porque não há equipas perfeitas, parece-me ser menos evidente agora, fruto do bom momento da equipa e das várias nuances e mudanças tácticas que ao longo dos jogos e consoante as necessidades destes o Benfica adopta.
    Concluindo e atendendo ao comportamento dos dirigentes do Benfica e pelo discurso realista que muito me agrada de contenção nas despesas, parece-me evidente que neste mês, não haverão entradas de jogadores, o que pode ser muito positivo em termos de grupo e na prova de confiança que lhes é dada, mas poderá ter custos em caso de lesões e com o desgaste natural quando as provas europeias recomeçarem e principalmente quando as selecções voltarem ao activo.
   Posto isto, julgo que é interessante, perceber junto dos amigos que aqui costumam vir, qual a opinião que têm sobre este assunto, daí, ter lançado no canto superior direito do blogue, um inquérito sobre esta matéria.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

PARABÉNS AO REI - E a Fernando Martins.

   Hoje é um dia especial para os benfiquistas e para muitos portugueses, Eusébio completa a bonita soma de 70 anos, para muitos, o grande símbolo do futebol português, para os benfiquistas, o seu grande símbolo, que recordamos com orgulho e muito prazer.
    A sua humildade contagia e fica assente numa frase que proferiu: " Fui apenas um jogador de futebol".
     Pela minha idade, não tive a sorte de poder ver Eusébio a jogar, apenas tenho imagens que circulam como todos e as memórias dos mais velhos, algo que chega para perceber o seu impacto e dimensão.
    Infelizmente, algumas mentes menos capazes, tentam por vezes denegrir esse orgulho benfiquista, apelidando de canal história, uma faceta ridícula para quem produz tais afirmações, porque se há coisa que os benfiquistas se orgulham é da sua história e tenho sinceramente pena de quem não sabe o que isso significa.
     Se o Benfica tem hoje a colossal dimensão que tem, se arrasta as multidões que arrasta, tal deve-se a sua enorme história e a tudo o que ela representa, sem esse passado, certamente o Benfica não teria a dimensão que hoje tem e nós orgulhamos-nos disso, ao contrário de outros, que infelizmente por não se orgulharem dessa história, se revêm mais depressa nas conquistas de outros que nas vitórias do seu clube e isso, nós benfiquistas, não fazemos, para nós, graças a pessoas como Eusébio e outras antes dele e que lhe seguiram, amamos e olhamos apenas para um clube, o Sport Lisboa e Benfica.
      Mas não é apenas o Rei Eusébio que faz hoje anos, Fernando Martins, um dos melhores e mais inteligentes Presidentes da história do Benfica, faz hoje 95 anos, também ele, pela postura, pelo modo como sentia e vivia o seu Benfica, por tudo o que ajudou a fazer crescer o Benfica, merece o reconhecimento de todos os benfiquistas.
   Para eles, os meus sinceros parabéns, o vosso dia é também dia de Benfica.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

VITÓRIA SUADA - Com magia de Aimar.

    O Benfica continua na senda dos triunfos, numa vitória justa, mas suada, fruto de uma organização defensiva do adversário, sempre mais preocupado em tapar os caminhos da sua baliza e em jogar no erro do adversário, aproveitando-os bem para causar alguns lances de perigo.
   Mais uma boa casa na Luz, pena que por vezes não se entenda o comportamento de 1/2 dúzia de energúmenos, sempre prontos para o assobio, num jogo que tem 90 minutos, parece que querem que se ganhe em 30 minutos, não se percebe esta atitude com uma equipa que em mais de 30 jogos oficias tem apenas uma derrota, tivessem no lugar de outros e então não sei o que seria, é bom que essa gente se lembre que o Benfica não joga sozinho e há adversários que têm o seu mérito.
   Depois, assobiar jogadores não ajuda em nada, o que fazem neste momento ao Emerson é uma atrocidade, é verdade que é um jogador que tem certas limitações, mas dá tudo em campo e eu pergunto a esses energúmenos, qual a ajuda que dão, em quê que contribuem para a melhoria do jogador se muitas vezes ainda a bola não lhe chegou e já têm o assobio na ponta da boca? Façam um favor ao Benfica, fiquem em casa, porcaria dessa o Benfica não precisa, felizmente, são só uns quantos parvalhões, pois a maioria é fantástica no apoio ao clube.
   BENFICA 3 GIL - VICENTE 1 - Foi um jogo muito complicado, o Benfica entrou em campo com a sua estrutura habitual, agora assente num autêntico 442, embora com Rodrigo mais recuado no apoio a Cardozo e depressa se percebeu que não iria ser fácil.
   Os gilistas estavam bem fechados lá atrás e raramente corriam riscos, mesmo assim foi seu o primeiro lance de grande perigo, valendo no caso Maxi Pereira, por sua vez, o Benfica não tinha espaços para acelerar o seu jogo, faltava alguma criatividade no meio campo e mobilidade na frente, porque a equipa de Barcelos fazia algumas marcações individuais que complicavam.
    Foi já com 20 minutos que o Benfica deu o primeiro sinal, embora sem grande perigo num cabeceamento de Cardozo, não foi à primeira foi à segunda, num cabeceamento colocado após um livre marcado de forma exemplar pelo sempre inconformado Nolito, o Benfica chega à vantagem no marcador.
   Julgou-se que o mais difícil estava feito, puro engano, o Gil Vicente não se abriu, continuou na mesma toada, procurando o erro, o qual surgiu perto dos 40 minutos, com Artur a sacudir uma bola que sobrou para Rodrigo Galo que com um fantástico pontapé igualou a partida.
   Julgo que esta temporada, contra o Benfica se marcou dos melhores golos da época, é incrível o acerto que os jogadores adversários conseguem ter, neste lance, Artur, que é uma guarda redes notável sacudiu para perto, falhando a abordagem ao lance, ao mesmo tempo que não pode naquele zona do terreno estar um jogador do adversário solto de marcação.
   Na 2ª parte, o Benfica continuou com as mesmas dificuldades e já se temia que com o decorrer do tempo, essas dificuldades pudessem aumentar, o Gil começou com algum anti-jogo, nomeadamente demorando eternidades na reposição da bola em jogo, tudo isto com o árbitro da partida impávido e sereno.as
   O Benfica jogava com algum nervosismo que levava a certas percepitações, as quais eram muito bem aproveitadas pelo Gil, que esteve mesmo à beira do 2 a 1, valendo Artur com uma defesa notável, depois o árbitro como protagonista, um corte em carrinho de Witsel, para longe de Artur, o qual teve de correr para ir agarrar a bola e é sancionado de forma incompreensível com livre indirecto, do qual nada resultou.
   Deu-se então o momento do jogo, a entrada de Aimar e depois de Bruno César, tendo transformado completamente o decorrer do encontro, a equipa ganhou imaginação e conseguia entrar com mais facilidade no último terço, com os gilistas a ficarem nesta fase encostados às cordas e foi num lance algo feliz, mas de enorme talento, que Rodrigo recebe a bola a meio do seu meio campo atacante, rodopia, acelera e desfere um míssil, que desvia num adversário e vai para o fundo das redes, felicidade, mas procurada.
   A vantagem no marcador tranquilizou equipa e adeptos, a partir daí, foi ver um festival Aimar, que espalha classe e magia pelos relvados e foi precisamente numa jogada por si iniciada, tabelando com Nolito, que o Mago colocou um ponto final na partida aos 75 minutos.
    Naturalmente, a resistência gilista acabou aí, levar 2 golos em 3 minutos mata qualquer um, depois, foi um Benfica a circular a bola, com jogadas de fino recorte técnico, só possíveis pela categoria dos jogadores, mas também da tranquilidade entretanto adquirida, enfim, uma vitória suada mas justa e a lição de que os jogos têm 90 minutos e não se pode exigir à equipa que ganhe em 30.
 Pela positiva: Aimar, entrou e revolucionou por completo o jogo, dando à equipa a imaginação e criatividade que lhe faltava.
 Pela negativa: Algum anti jogo do Gil Vicente e Gaitan, uma fantástico jogador num deplorável momento de forma físico, mas também psicológico.
  Arbitragem de Marco Ferreira - Permissiva com o anti jogo e inqualificável o livre indirecto, no lance reclamado pelos gilistas e que deu o primeiro golo do Benfica, não tenho a certeza, mas assinala uma falta sobre Nolito que existe, mas tentou dar a lei da vantagem, vendo que ela não existiu, então, sanciona a falta, daí não perceber a intervenção do Presidente Gilista António Fiúza, mas vindo de um analfabeto, compreendo.
     Na luta pela liderança, o Porto havia vencido momentos antes o Guimarães por 3 a 1, num jogo a que não assisti porque estava a caminho da Luz, mas pelo que vi, houve claramente mais Porto, mas o Guimarães também falhou golos em cima da linha de baliza, ao contrário do Gil que marca um golo fabuloso, o Guimarães falha golos incríveis, mas a sua defesa é um desastre e assim é difícil ganhar jogos.
    Muito discutível o penalti da tranquilidade, James sente o seu adversário e atira-se para o chão lançando as pernas contra Toscano, enfim, penalti à Porto, mas julgo que não foi por aí que ganhou, pois as fragilidades evidenciadas pelo Guimarães, seriam mais tarde ou mais cedo aproveitadas pelos portistas, que pelo que vi, venceu com inteira justiça, qualquer outra leitura, julgo ser incorrecta.
   Hoje entra ainda em campo o Sporting, que pasme-se está na 5ª posição!!!, perante isto, julgo que qualquer discurso cérelac, ou da integração de 19 jogadores cai por terra, basta ver o que acontece à maioria das equipas ditas pequenas, as quais ano após ano reformulam os seus planteis, basta olhar para o Benfica que tem no seu plantel imensos jogadores novos.
   Hoje, em Olhão, o Sporting vai entrar com essa pressão extra, e qualquer resultado que não seja a vitória, pode tornar a situação de um fragilizado Domingos pouco mais que insustentável, embora julgue que o jogo que pode definir muito do que vai ser a época do Sporting será a 2ª mão das 1/2 finais da Taça de Portugal na Madeira.
  

sábado, 21 de janeiro de 2012

ANTEVISÃO DA JORNADA - É preciso continuar a ganhar.

    Este fim de semana dá-se inicio à 2ª volta do campeonato português, o Benfica, jogando em casa, certamente perante mais de 50 mil pessoas, que amanhã pelas 20H15, irão dar um forte apoio à equipa, terá de continuar a ganhar, é imperioso continuar a aumentar os níveis de confiança da equipa.
    Certamente, o Gil Vicente vai ser um adversário incómodo, que tentará impedir que o Benfica entre forte no jogo, impedindo-o de ter o mais possível a bola, por isso só um Benfica forte e unido, entrado pressionante e com muita dinâmica, poderá conseguir furar a defesa preenchida do seu adversário.
   Julgo que este Benfica já mostrou nas mais diversas ocasiões, ser uma equipa que não é demasiado dependente de nenhum jogador em particular, embora haja jogadores, que pelas suas características e por aquilo que representam para a equipa, sejam mais importantes que outros e o Benfica, nos últimos tempos, tem sido assolado por algumas lesões, embora de pouca gravidade, em alguns dos seus principais jogadores, a verdade é que já goleou sem Aimar, Gaitan, Garay e Javi Garcia em campo e se alguns jogadores regressam contra o Gil Vicente, outros parece que vão parar.
   Se é quase certa a presença de Cardozo, foi agora a vez de Rodrigo parar, ele que estava num fantástico momento de forma, sendo que em princípio Aimar será de novo ausência certa, mas nem isso poderá servir de desculpa, em casa, o Benfica se quer ser campeão, está proibido de perder pontos.
   Também no Domingo, o Porto entra em acção, contra um Guimarães que apesar de já ser 6º classificado, continua a apresentar uma irregularidade exibicional que chega a ser incompreensível.
   O Porto sabe que qualquer perda de pontos nesta altura pode ser a morte do artista, a equipa não quer ceder mais terreno para o Benfica e como tal, este jogo com o Guimarães é de extrema importância, julgo que mesmo com a ausência do seu mais influente e determinante jogador, Hulk, o Porto não irá vacilar, até porque este Guimarães, principalmente fora de portas, é uma equipa com enormes fragilidades defensivas, as quais certamente serão exploradas pelo seu adversário, ou seja, julgo que em relação às contas do título, tudo poderá ficar na mesma finda esta jornada, embora já se saiba, que em futebol tudo pode acontecer.
   As grandes emoções desta jornada parecem estar todas guardadas para Domingo, pois no que à luta pelo 3º lugar diz respeito, Braga e Sporting também só jogam amanhã, os bracarenses serão os primeiros a entrar em acção, recebendo o Rio-Ave, uma equipa que a meu ver, tem mais qualidade do que a classificação deixa antever, apesar disso, favoritismo total para um Braga que vencendo, lançará uma enorme pressão ao Sporting.
   Sporting que tem uma deslocação sempre complicada a Olhão, onde defronta um Olhanense agora orientado por Sérgio Conceição, um jovem treinador à procura do seu espaço.
   Mais um jogo de enorme responsabilidade para o Sporting, o qual poderá entrar em campo a 5 pontos do Braga e vendo as última incidências para as bandas de Alvalade, este é um jogo que não se antevê nada fácil para um Sporting que também tem o 5º classificado à perna, aliás, correm mesmo o risco de estar nessa posição quando entrarem para o começo da partida e a dúvida que reside, é a de atendendo ao seu momento actual, até que ponto a equipa conseguirá responder psicologicamente a estes factores? Uma enorme dúvida a ser desfeita no final de Domingo.
    Sobram por isso muitos motivos de interesse no que à 16ª jornada diz respeito, a mim, enquanto benfiquista, o que realmente me interessa é que o meu clube cumpra o seu papel, se o fizer, de momento, nada tem que pensar nos outros, apesar de na minha opinião, ser imperioso para o Benfica, chegar ao jogo da Luz contra o Porto na liderança da Liga e o caminho até lá não será tarefa fácil, senão vejamos: pois enquanto o Porto a seguir a esta jornada vai ao campo do Gil Vicente, depois recebe em casa o Leiria, vai a Setúbal e recebe o Feirense, um calendário algo acessível, o Benfica vai ao Feirense, recebe o Nacional e em seguida terá 2 deslocações fora de portas, Guimarães e Académica, podendo estar nestes 2 jogos uma das chaves no que às contas do título diz respeito.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

2 PASSOS PARA AS MEIAS - em ritmo de treino.

    O Benfica, deu ontem um importante passo rumo às meias finais da Taça da Liga, batendo em casa o secundário Santa Clara, num ritmo de treino, que só animou com a entrada de Nolito.
  BENFICA 2 SANTA CLARA 0 - Foi um jogo de pouca intensidade e pouco conseguido por parte da equipa benfiquista, muito por força das inúmeras alterações introduzidas no onze, algo que se compreende e que julgo ter sido a medida certa face ao jogo em causa.
   A qualidade de jogo menos conseguida, não tem a ver com a qualidade dos jogadores que iniciaram a partida, obviamente, quando entra em campo uma equipa com poucas rotinas e ritmo de jogo, isso com toda a naturalidade reflecte-se na produtividade, daí a equipa ter melhorado imenso com a entrada de 3 jogadores com outra rotina.
   A 1ª parte teve poucos motivos de interesse, num jogo disputado quase sempre devagar ou devagarinho, as situações de perigo eram escassas, com o Santa Clara a não ter dificuldades de maior, a este ritmo, de guardar bem os caminhos da sua baliza, no entanto, salvo uma ou outra situação, denotou sempre pouca audácia ofensiva.
  Na 2ª parte, o jogo parecia caminhar na mesma monotonia, embora o Benfica fosse mais dominante ainda que na etapa anterior.
   Dando conta que a equipa denotava alguma falta de ritmo e sentia dificuldades em acelerar o seu jogo, Jorge Jesus que já havia colocado Witsel ao intervalo, viu-se forçado a colocar Rodrigo e Nolito em campo e a acção deste último foi determinante no resultado.
   Nolito é assim, não há jogos mais nem menos interessantes, vai para cima deles, às vezes até parece que faz as coisas de modo meio atabalhoado, mas a verdade é que tem uma capacidade de partir para cima dos adversários, criando constantes desiquilibrios, com as vantagens adicionais de ter um notável capacidade de passe e de ser vertical no caminho das balizas adversárias.
   Com um ritmo mais alto e uma equipa mais entrosada no seu meio campo, não tardou o golo, Nolito (quem havia de ser), dá um verdadeiro nó cego no defesa açoriano e oferece de bandeja o golo a Nelson Oliveira e que bom foi para a confiança do miúdo marcar.
   O mais difícil estava feito, a partir daí e até ao fim só deu Benfica, é verdade que nem sempre com um futebol fluído, mas ainda assim bem melhor que na 1ª parte.
  Por isso, não tardou o 2º golo, onde um dos adjectivos que usei para classificar Nolito foi usado na perfeição, a sua capacidade de passe, com uma desmarcação notável para Witsel que com classe colocou um ponto final na partida.
  Pela Positiva: Nolito, entrou e transformou um jogo até aí monótono.
  Pela Negativa: Gaitan, teve uma atitude demasiado desinteressada do jogo que me pareceu mais que estar simplesmente fora de forma, que se cuide, pois apesar de toda a sua enorme qualidade, Bruno César e Nolito atravessam um grande momento de forma.
  Arbitragem: nada a dizer, serena como o jogo.
   Assim, finda esta jornada, o Benfica precisa apenas de um empate na última jornada com o Marítimo para carimbar o passaporte para as meias finais, já o Braga, com a vitória de ontem por 2 a 0 frente ao Penafiel, está praticamente apurado, só uma hecatombe na última jornada os fará cair.
  Já em relação ao Porto que venceu o Estoril por 1 a 0, antevendo-se por isso um clássico na meia final da prova, devo dizer que depois de ouvir certos comentadores afectos a esse clube, que talvez porque nunca ganharam essa prova, dizem à boca cheia que ela não representa nada para o seu clube, estranhei que mais de metade do seu onze, fosse constituído por habituais titulares e os que não o são, por norma são opção regular nos jogos do Porto, sinal claro, que afinal, esta prova não é assim tão desprezada pelo clube, como alguns querem fazer crer.
   Aliás, relembro aqueles de memória mais curta, que inclusive, o Porto perdeu um final contra o Benfica e o seu desinteresse foi tanto que jogou na máxima força.
   É óbvio e já aqui o referi diversas vezes que a Taça da Liga, não é nem será nunca a grande prioridade do Benfica, no entanto, não deixa de ser uma prova oficial e como tal é sempre melhor ganhá-la que perde-la, acho graça, que algumas pessoas, aquelas que por norma não conseguem alcançar mais insistam em dizer frases feitas e nomear esta prova como Taça Lucílio Baptista, devo relembra-los, que o Benfica não venceu uma, mas sim três vezes esta prova e só numa delas esse senhor foi o árbitro e se calhar a razão para algumas pessoas quererem ainda desvalorizar mais esta competição, é exactamente o facto de nunca a terem conseguido ganhar, assim a vençam e certamente o seu discurso será outro.
   Já o Sporting em ebulição interna, com Presidente e treinador a contradizerem-se, pode ter comprometido o seu apuramento com o empate em Alvalade 1 a 1, jogando com todos os titulares, ante um Moreirense com vários suplentes no seu onze, continuando com uma exibição a roçar a mediocridade, continuando sem vencer em 2012.
    O Gil Vicente lidera o seu grupo com 4 pontos e o Sporting pode ser obrigado a vencer por mais de 1 golo, uma vez que o Rio-Ave está também na luta e se marcar 2 golos e o Sporting 1, apuram-se os vilacondenses.
   Não posso deixar aqui de registar e deixar à consideração dos sportinguistas que também desvalorizam as conquistas do Benfica nesta prova, que se houve equipa que usou quase sempre a base principal da sua equipa, em todas as suas edições, contribuindo mais que ninguém para a sua valorização, essa equipa foi o Sporting e para quem diz que esta prova não interessa ao seu clube, ficou hoje provado que não é bem assim.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

CONCLUSÃO DA 1ª VOLTA - Um balanço em relação os 3 grandes

    Encerrada que está a 1ª volta da Liga Portuguesa, chegou a hora de fazer um balanço, balanço esse, que será baseado em alguns factos e como é óbvio numa opinião estritamente pessoal, a minha e claro está susceptível de ter outra interpretação pelos meus caros visitantes.
    Começo pelo líder actual do campeonato, o Benfica: Uma equipa que iniciou a 3ª época no clube, com todas as vantagens daí inerentes, mas que pela realidade do futebol português, tal como todas as outras equipas, se vai vendo forçada a constantes renovações do seu quadro de jogadores, com importantes vendas, saídas de outros atletas que não mostraram qualidade suficiente para um clube desta dimensão e outros por clara inadaptação e claro esta, com entradas várias.
    Para se ter a noção do quanto mudou este plantel, basta ver que por norma, jogam 5 a 6 jogadores no 11, que não pertenciam a este plantel, daí o Benfica, ter começado a época com grande pragmatismo, assentando o seu futebol mais no resultado que propriamente na exibição, tendo inclusive, empatado na 1ª jornada, depois de desperdiçar uma desvantagem de 2 golos, naquele que para mim, até ver, é talvez o único mau resultado do Benfica na presente edição da Liga.
   Muitas vezes sem grandes exibições, o Benfica foi ganhando os seus jogos, quer ao nível interno, quer europeu, com isso, a equipa, aos poucos foi-se soltando, ganhando confiança e claro está, subindo aos poucos o nível das suas exibições.
   O que se foi notando, foi um Benfica em contínuo crescimento, com a confiança a ser fruto das vitórias que se sucediam, com um revés que foi a eliminação da Taça de Portugal, algo que me deixou algo frustrado, pois esta é uma prova muito valorosa e apreciada por mim, ainda para mais, estando o Benfica ausente há tempo demais da final.
   Podemos concluir que a época do Benfica até ao momento tem sido muito positiva, 1º lugar na fase de grupos da Liga dos Campeões e liderança no campeonato e mais importante ainda, nota-se que este Benfica já consegue ser mais que pragmático, com uma grande viragem de 2011 para 2012, ano em que todas as suas vitórias resultaram em goleadas e exibições muito conseguidas, com isso, ganhou a equipa e o público, o qual, finalmente, parece estar em sintonia com a equipa e com o imenso desejo que a ajudar na concretização dos seus objectivos.
   Há contudo de ter os pés bem assentes, nota-se um Benfica no caminho certo, mas ainda muito longe dos seus objectivos, por isso, há que continuar com esta qualidade, sabendo e encarando cada jogo como uma final, só assim poderá concretizar os seus objectivos, mas uma coisa é certa, o Benfica da era de Jorge Jesus pode não conseguir ganhar, mas elevou o nível de exigência no clube e criou a convicção que o Benfica pode não ganhar, mas tudo fará para o conseguir.
   O Porto, segue a 2 pontos, portanto firme na luta, contudo, a sua caminhada na presente época tem sido um contraste entre o que faz cá dentro e lá fora, ou seja, um Porto que vai-se mantendo firme, coeso e com o objectivo da conquista do campeonato firme e no seu horizonte, continuando apenas a depender de si mesmo.
   Ao contrário do Benfica, que já mostrou ser mais colectivo e menos dependente das suas individualidades, conseguindo ultrapassar os mais variados obstáculos com ausências muito importantes na equipa, tais como Luisão, Garay, Aimar, Javi Garcia e Gaitan, o Porto parece estar mais dependente das suas individualidades, dependendo em muito do rendimento de Hulk, mas também de James e João Moutinho, sem esses 3 pilares, o Porto parece menos confiante e capaz.
   Mas se a nível interno o Porto vai chegando para as encomendas, apesar da também precoce e até humilhante eliminação da Taça de Portugal com a Académica, ao nível europeu, este Porto nunca se mostrou forte e consistente, sendo por isso relegado para a Liga Europa, não conseguindo ultrapassar na Liga dos Campeões um grupo de certo modo acessível.
   Essa má campanha na Europa, criou alguma intranquilidade na equipa e isso foi-se reflectindo nas suas exibições, no entanto, o Porto, é certamente, o grande adversário do Benfica na luta pelo título, podendo o clássico da 6ª jornada da 2ª volta na Luz, ser determinante na sua definição, mais pela vantagem psicológica que pode surgir, do que pontual.
   Mais uma vez, a grande desilusão da Liga tem sido o Sporting, onde a desmedida euforia precocemente instalada, encheu de forma desmedida um balão que rapidamente esvaziou, embora, em antítese ao Porto, tenha sido forte na Europa, apesar de jogar uma Liga Europa, incomparável à Liga dos Campeões e mau internamente.
      Apesar de todas as comparações que possam ser feitas com um passado recente, nomeadamente com a campanha de Paulo Sérgio na época passada, julgo que este Sporting é melhor, mais forte e com alguns jogadores com outra qualidade, o problema muitas vezes, é a tendência de alguma franja adepta leonina em colocar depressa demais jogadores em patamares de excelência que claramente não são os seus, querendo por um finta mais conseguida, transformar logo um jogador bom em craque.
   Nesse aspecto, tenho dado sistematicamente um exemplo: Carrilo foi rapidamente endeusado, é de facto um miúdo com margem de progressão, mas longe de ser já um craque, basta por exemplo comparar a James Rodriguez ou Rodrigo, que são sensivelmente da mesma idade e parece-me que Carrilo está muitos furos abaixo destes.
   Contudo, há factos concretos que não podem ser desmentidos, é que Domingos Paciência, teve ao seu dispor um investimento e reforço da equipa que os seus antecessores nunca tiveram e nem por isso os resultados foram melhores.
frustração e desilusão o trabalho do actual treinador leonino.
     Há de facto uma atenuante que tem a ver com a enorme quantidade de jogadores novos na equipa, mas a verdade é que apesar de haver um período que se notou alguma evolução, que coincidiu com os jogos teoricamente menos complicados, a verdade é que com o crescimento do grau de dificuldade, a equipa do Sporting tombou e mostrou que afinal ainda tem um longo caminho a percorrer.
   Em suma, julgo que de facto o actual Sporting tem equipa para se bater de igual para igual num confronto directo com Benfica e Porto, tal como demonstrou quando os defrontou, mas falta-lhe a qualidade e consistência de uma equipa ganhadora, a qual só com tempo e continuidade poderá conseguir.
    O Sporting parece-me já arredado da luta pelo título, sinceramente, até pela qualidade do seu jogo quando comparada há dos rivais, não me parece que consiga recuperar a enorme desvantagem pontual, acho mesmo que ela até vai aumentar, como tal, tem na Taça de Portugal um dos seus principais objectivos no que à conquista de títulos diz respeito, numa conjuntura, em que Porto, Braga e Benfica já eram, a não conquista desta prova, será certamente entendida por todos os sportinguistas como um rotundo falhanço, com os perigos daí inerentes à criação de divergências internas, cujo esboço, se começou já a notar após a derrota em Braga, basta lembrar que Duque desresponsabiliza os jogadores que o treinador responsabilizou e que Godinho Lopes, afirma que os objectivos pretendidos até esta fase da época ficaram longe do desejado.
    Mas perante o investimento feito, há outro objectivo claro, que a ser perdido, pode criar graves problemas financeiros futuros em Alvalade, refiro-me ao facto de ter que conquistar o 3º lugar, o qual dá acesso à pré-eliminatória da Liga dos Campeões, não podendo depois falhar o acesso à fase de grupos, sob pena de o investimento feito ter de ser repensado.
    Espera-nos portanto uma 2ª volta cheia de intensidade nas várias frentes, em que penso que a luta quer pelo título, quer pelo 3º lugar, será até ao fim e em que o mínimo falhanço poderá ser a morte do artista e para que não se desvirtue a verdade deste campeonato, espero que o nova direcção da Liga de Clubes, repense a idiotice de em caso de alargamento, nenhuma equipa da 1ª liga descer de divisão, esse erro seria catastrófico para o presente campeonato, em que do 6º lugar para baixo, haveria para os clubes, apenas a simples formalidade de cumprir calendário, algo que seria inadmíssivel.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

PARA UMA TAL DE MARTA REBELO - Insiste em cair no ridículo!

   Uma das coisas que me vai repugnando na imprensa desportiva, mais do que qualquer outra coisa, é ler aquilo que os próprios ditos benfiquistas escrevem acerca daquele que dizem ser o seu clube, lamentavelmente, por vezes, vejo com desagrado, que nem os escribas ligados a Sporting e Porto, conseguem ser tão corrosivos para com o Benfica.
   Vem isto a propósito daquilo que um jurista de nome Marta Rebelo escreve semanalmente no jornal "Record", creio e desejo a bem dela, que seja bem melhor jurista que cronista, porque de facto, é muito mau aquilo que diz e revela um total desconhecimento sobre as matérias que aborda.
    Sei que ela não irá ler o que escrevo aqui, mas sempre fica aqui uma espécie de carta aberta para uma senhora que de forma lamentável, após um ciclo de grandes exibições e goleadas,  perca o seu tempo a criticar um jogador, em vez de enaltecer o momento da equipa, é uma palhaçada autêntica.
   Só posso entender a sua escrita pelo facto de após tanto e tanto bater em Jorge Jesus e Cardozo, estes, semana após semana, insistam em dar-lhe autênticas bofetadas de luva branca, contrariando constantemente as suas teorias e falácias, tantas que de facto, a senhora Marta e as outras Martas e Maneis do universo benfiquista, sintam necessidade de se justificarem dos disparates que semanalmente vão dizendo.
   Essa "benfiquista", depois do Benfica vencer o Setúbal,de forma convincente, por 4 a 1, com 2 golos de Cardozo, um deles de grande execução técnica, em vez de fazer o que qualquer adepto de qualquer clube faria em relação ao seu clube, ou seja elogiar a produção e capacidade da equipa, dedica a sua crónica a mal tratar Cardozo, como não vejo mais ninguém a fazê-lo, uma contra senso lamentável, com argumentos tão ridículos e sem sentido, que provavelmente, ela própria, depois de ler o que escreveu, deve ter corado de tanta vergonha.
   Marta Rebelo, dá-se ao luxo de chamar preguiçoso, tosco e um sem número de adjectivos depreciativos ao melhor goleador a jogar na Liga Portuguesa, o que a faz cair no ridículo.
   Somos livres de gostar ou não de um jogador, mas quando partimos para uma crítica objectiva, não só devemos saber um pouco do que falamos, como devemos saber o que dizemos e dizer que Cardozo não tem cultura táctica, não sabe dominar uma bola e que é um pastelão, é grave e falso.
    Cardozo é de facto um jogador que não prima pela velocidade, mas tem uma qualidade técnica acima da média, tem uma boa recepção de bola, qualidade de passe e um remate forte e colocado, infelizmente, algumas pessoas confundem isso com a capacidade de fintar, com a velocidade e habilidade, coisas bem distintas, na sua função, Cardozo é simplesmente fantástico e fundamental para o Benfica, basta ver que quando ele não joga o Benfica tem muito mais dificuldades e as suas performances, 63 golos nas 2 últimas épocas, já leva 17 nesta e marca a qualquer clube, seja pequeno ou grande e isso define um jogador, não é um artista na arte do drible, mas é um artista na arte do golo e cara Marta Rebelo, talvez não saiba, mas não é com fintas que se ganha, é com golos, mas pelos vistos, para si, isso não significa nada, porque se calhar, no alto da sua inteligência, é capaz de julgar que se pode ganhar jogos sem golos.
   Uma lástima o que essa senhora escreve, é absolutamente lamentável, assim como o é, ver um jogador deste nível, por vezes, a ser tão mal tratado pelos seus próprios adeptos, outros clubes, dariam tudo para o ter.

domingo, 15 de janeiro de 2012

FECHAR A 1ª VOLTA COM GOLEADA - E momentos de pura magia.

    Este Benfica, confiante, parece estar em clara transformação, daquele Benfica frio, calculista e até algo cínico de 2011, aparece em 2012, um Benfica goleador, por vezes demolidor, com uma criatividade atacante e uma beleza de jogo que não deve deixar nenhum adepto de futebol indiferente, este é o Benfica que cativa e leva gente aos estádios.
   Contudo, haverá momentos durante a 2ª volta, em que aquele Benfica mais cauteloso e cínico terá de ser colocado em prática, porque a equipa está bem, mas cada jogo é um jogo e há ainda um longo é árduo caminho a seguir, sempre com os pés bem assentes, para que no fim, possamos então dar azo à nossa alegria.
     Este é o Benfica à Jorge Jesus, um técnico que merece o maior apreço e respeito de todos os benfiquistas, como se pode constatar neste blogue, mesmo nos momentos de menor fulgor e durante toda a temporada passada, defendi que este treinador devia continuar e até renovar, apenas porque mesmo que não consiga ganhar, este treinador devolveu-me a ilusão de acreditar que tudo faremos para o conseguir, porque desde há muitos anos não via um futebol no meu clube que me desse tanto prazer e porque este homem, colocou o Benfica em patamares condizentes com o seu estatuto e devolveu o nível de exigência adequado a um clube desta dimensão.
   BENFICA 4 SETÚBAL 1 - Apesar de ter entrado praticamente a perder, nunca me pareceu que os jogadores do Benfica entrassem na partida com a sensação que este jogo seria fácil, até entrou bem, mas na primeira falha, sofre o golo.
   Noutro contexto, certamente este golo abanaria a equipa, mas quando um equipa confia no seu potencial, os jogadores acreditam uns nos outros, com naturalidade, as coisas acabam por surgir e foi exactamente isso que aconteceu, a partir de determinado momento, era só Benfica que dava, com velocidade quando era preciso e paciência quando se exigia, sem sobressaltos, o Benfica ganhou o domínio do jogo, encostou o seu adversário e os lances de perigo surgiam com alguma frequência.
   Fruto desse domínio, o golo do empate, após passe magistral de Witsel, Nolito entra pela esquerda e já no interior da área setubalense, quase sem ângulo, consegue igualar o jogo, com um golo de elevado recorte técnico e cheio de intencionalidade.
    Com a partida empatada antes dos 25 minutos e com a velocidade imposta no jogo, percebia-se que o Benfica iria conseguir com relativa facilidade a reviravolta, pese embora o susto com um remate de Neca que quase dava nova vantagem ao Setúbal, mas isso, foi apenas um oásis no meio do deserto, pouco depois, Cardozo, quem havia de ser, o goleador mor do nosso campeonato, faz o 2 a 1, numa jogada de insistência.
   O Mais complicado estava feito e a goleada já pairava no ar, adivinhava-se que os golos iriam surgir ainda na 1ª parte e de facto, esse golo acabou por surgir, num belo lance individual do enorme Cardozo (espero que tenha calado de vez as Martas Rebelo deste País), que finaliza de forma excelente, pondo um ponto final quanto ao vencedor do jogo ainda antes do intervalo.
  Na 2ª parte, claramente o Benfica baixou o ritmo, o que se compreende, há ainda muito jogo pela frente, mas mesmo assim, teve sempre o controlo e domínio do jogo e conseguiu momentos de pura magia, Rodrigo começou a abrir o livro, Emerson acalmou assim que sentiu o jogo ganho e a confiança era a palavra de ordem.
   Com um domínio absoluto e com belas jogadas que só por mero acaso não foram finalizadas, adivinhavam-se mais golos, o Setúbal esse, a espaços aparecia, mas quase sempre sem grande fulgor, pelo que foi com naturalidade que o Benfica ampliou a vantagem com um belo cabeceamento de Matic.
   Daí até ao fim do jogo, foi uma delicia para os 56 mil adeptos ( e pensar que outros num clássico ficam exuberantes com 48 mil), os quais animavam o estádio com uma imensa onda vermelha a circular pela Catedral, num apoio constante e de rara beleza do primeiro ao último minuto, a equipa merece e os adeptos de ontem mereceram esta equipa, foi de facto uma bela noite na Luz.
   Pela positiva: A capacidade de reacção do Benfica, aliada a qualidade de jogo colectiva e individual, com momentos mágicos e a confirmação que Rodrigo é hoje em dia, um dos jovens mais promissores da Europa do futebol, não marcou, mas jogou um monstruosidade, julgo poder afirmar que já se está na presença de um grande jogador.
  Pela negativa: A expulsão de Cardozo, o avançado paraguaio fez uma enorme exibição, pena que tenha sido manchada por uma infantilidade que insiste por vezes em cometer, mas desta ver percebi, era a ânsia por um hattrick que mereceu que lhe estava na mente.
   Arbitragem de Hélder Malheiro: Se no capítulo técnico nada se lhe pode apontar, decidiu quase sempre bem e não alinhou em simulações, já no capítulo disciplinar foi algo permissivo com os jogadores do Setúbal, os quais por vezes abusaram de entradas por trás com alguma dureza sem levarem amarelo, no entanto, o seu trabalho no geral foi positivo.
 

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

   Escrevendo hoje, sexta - feira 13, espero que não seja um sinal de azar para o Benfica na próxima jornada, o desejo, é óbvio, é que seja antes um sinal de sorte.
    Após assumir a liderança, naturalmente, a confiança apoderou-se das hostes benfiquistas, mas nunca é bom demais lembrar que esta não pode nem deve ser confundida com euforia, e esta, ao existir, que seja apenas junto dos adeptos e nunca no seio da equipa.
   Comparativamente à época passada, o Benfica está hoje numa posição bastante mais positiva, embora longe do seu principal objectivo que é a conquista do título, está numa boa posição para o discutir até ao fim com todas as suas armas.
   O próximo jogo é já amanhã, pelas 18H30, no Estádio da Luz, contra o V. de Setúbal, uma equipa que surge logo acima da linha de água, que luta arduamente pela manutenção, que revela pouca capacidade ofensiva, revelando igualmente problemas defensivos, no entanto, conta com vários jogadores de alguma qualidade e muita experiência, nomeadamente no seu meio campo, parece-me contudo ser um adversário perfeitamente ao alcance do Benfica.
    Apesar disso, o jogo, como todos, deve ser encarado com a máxima seriedade, se assim for, julgo que o Benfica tem tudo para conseguir atingir os 3 pontos, até com algum conforto, o maior risco, será o Benfica tornar-se inimigo de si próprio, pois o excesso de confiança e até algum desleixo, pode vir a ser um obstáculo, que sinceramente, espero que não se verifique.
   No entanto, a equipa do Benfica está a contas com alguns problemas que derivam de lesões em algumas pedras nucleares do11, só muito dificilmente Gaitan e Aimar, à semelhança do jogo anterior serão opção e corre-se ainda o risco de Cardozo e Witsel não recuperarem das suas mazelas, muita ausência e todas elas de peso, embora creia que quer Tacuara, quer o médio belga, recuperem a tempo de dar o seu contributo.
    Prevê-se uma grande casa na Luz, a expectativas apontam para números perto dos 50 mil, algo que considero muito importante, julgo ser de uma vez por todas a hora dos adeptos benfiquistas mostrarem que estão com a equipa, a qual precisa de sentir os adeptos próximos de si, um factor impulsionador e que pode catapultar a equipa para índices de produtividade ainda maiores.
   Aguarda-se com expectativa o desempenho do Benfica, que tem tudo para continuar na liderança ao fim desta jornada, mais do que do Setúbal, o Benfica depende mais de si do que qualquer outra coisa para fazer um bom jogo e conseguir o principal objectivo, ganhar.
   No Domingo entra também em acção aquele que é agora o principal rival do Benfica na luta do título, o Porto, que defronta o Rio-Ave no seu terreno e que também desfruta da vantagem de virar a 1º volta e iniciar a 2ª volta em casa, parecendo-me que tal como no caso do Benfica, o Porto tem tudo para continuar colado na perseguição ao Benfica, neste caso contudo, desejo apenas que assim não seja e eles percam pontos, o que sinceramente duvido.
    Há contudo um factor importante a ter em conta, a pressão que eventualmente o Benfica, vencendo o seu jogo, poderá lançar no Porto, aí, os dragões ficam proibidos de perder e poderão ter a ansiedade como inimigo, embora creia que não será por aí que poderá ceder pontos.
   Obviamente ainda é muito cedo para se lançar o clássico entre estas 2 equipas, há ainda várias batalhas pela frente e com o confronto entre ambos ainda longe, é demasiado prematuro fazer qualquer ante visão, mas pelo discurso do seu treinador, percebe-se claramente que há já um objectivo bem definido, o de não ceder qualquer ponto até esse jogo, tendo em vista que a diferença pontual não se acentue, ou possa mesmo ser ultrapassada, algo a que o Benfica terá de se manter muito atento.
    Já o Sporting, que apesar de mais atrasado nas contas do título e ter a sua situação mais complicada, é ainda um candidato ao título, quanto mais não seja por aquilo que representa, terá em Braga, na teoria, uma missão bem mais complicada que os seus mais directos rivais, com o problema de não ser apenas o título que está em questão, mas o seu 3º lugar e por consequência a pré eliminatória da Liga dos Campeões.
    Este Braga - Sporting, é o grande jogo da jornada, está em jogo uma luta acesa pela Liga dos Campeões e se para o Braga essa não é uma obrigação, já para a equipa de Alvalade, tudo o que não seja pelo menos garantir a 3ª posição, terá de ser entendido como um rotundo falhanço e a verdade é que o Sporting, ao fim desta jornada tanto pode cimentar a 3ª posição, como pode cair para o 5º lugar, o que transformaria por completo a noção que vai passando para o exterior que estão a fazer um bom campeonato.
   Resta a curiosidade de perceber com está animicamente depois de ainda não ter ganho em 2012 e como vai reagir ao jogo da Taça de Portugal contra o Nacional, que tem forçosamente de se considerar um mau resultado, ao contrário do que defende Eduardo Barroso e que não fosse a estrelinha de marcar um golo em cima do apito final, poderia ter consequências ainda piores.
    Concluindo, venha então a 15ª Jornada, com a expectativa de se perceber por um lado, como ficarão as coisas na frente e por outro lado, como ficará a situação do Sporting na classificação após o seu fecho.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

LIDERANÇA COM ENTUSIASMO SIM - Euforia nunca.

     Após a conclusão desta jornada, o Benfica assumiu de forma justa e peremptória a liderança da Liga Portuguesa, respondendo da melhor forma ao empate registado no clássico, em que ambos os rivais perderam 2 pontos.
    A liderança de qualquer prova, é sempre um bom tónico psicológico, faz com que a equipa e os seus adeptos acreditem mais em si, dá uma condição moral que faz com que por vezes se consiga de forma mais fácil ultrapassar as mais diversas contrariedades, é portanto, se bem encarada, algo de positivo, no fundo, é sempre melhor ser líder do que andar atrás dele.
    No entanto, há algo que não se pode confundir, o entusiasmo com a euforia, julgo que a campanha desta equipa, não tem merecido nos jogos em casa o mesmo entusiasmo dos jogos fora, vê-se em terrenos alheios, os adeptos do Benfica a encherem os estádios, a darem um apoio tremendo à equipa durante os 90 minutos, mostrando estar e acreditar nela, estranhamente, na sua própria casa, esse factor motivacional tem sido menos evidente, a maioria das vezes, o Estádio da Luz, embora composto, tem estado muito aquém das expectativas e daquilo que esta equipa merece, daí, após esta jornada, eu ter a esperança de que a chamada onda vermelha, que tão importante e quiçá decisiva foi no ano do título, possa erguer-se de novo, esse é o entusiasmo que falta, que a equipa merece e precisa, estou certo que já contra o Setúbal, a imensa massa adepta do Benfica, colocar pelo menos 45 mil na Luz, dará um claro sinal de crença e fé nos jogadores e restante estrutura de todo o futebol benfiquista, algo que sinceramente, esta época, de forma para mim injustificada, ainda não vi na Luz.
    Por outro lado, a euforia é nefasta e inimiga da perfeição, pode ter um efeito contrário ao previsto, começar já com cartazes de reservado, julgando que o mais difícil está feito, é um tremendo erro, cujas consequências podem ser gravosas, não se justifica minimamente qualquer tipo de euforia, apenas e só entusiasmo.
    Como todos sabemos, o futebol é fértil em emoções, daí, ser por vezes natural o tal sentimento nos adeptos que vai do 8 ao 80, Jesus era um Deus quando foi campeão, é um treinador mau quando não o foi, parece que agora está a voltar a ser bom, encaro isso com alguma naturalidade, embora por vezes me revolte um pouco a forma muito pouco racional como alguns analisam as coisas, muitas vezes colocam em causa as pessoas, apenas por elas não fazerem o que gostariam que fizessem, esquecendo-se de muitas outras nuances que existem no interior de um plantel, no qual muita coisa tem de ser gerida, nesse aspecto, tenho sido e continuarei a ser um acérrimo defensor do melhor treinador do Benfica pós - Eriksson e defendo já aqui de forma clara e inequívoca, que aconteça o que acontecer, seja o o Benfica campeão ou não, continuidade de Jorge Jesus, só com estabilidade e trabalho a médio e longo prazo, se pode ter sucesso, é muito fácil de olhar para trás e perceber que os nefastos resultados obtidos com as constantes substituições de treinadores à mínima adversidade.
    Portanto, há que não confundir euforia com entusiasmo, mas mesmo que a euforia se instale nos adeptos, em momento algum, sob pena de se hipotecarem as legítimas aspirações ao título, ela pode passar para o seio do plantel, além de tudo, o que se exige aos adeptos benfiquistas é encetar um forte apoio à equipa, torcendo por ela em todos os momentos, sabendo que a missão é árdua e o mais complicado está ainda para vir, sem exigências de nota artística, importante é pensar em ganhar jogo a jogo.
    Este campeonato está muito equilibrado, faltam 16 partidas e se é verdade que em teoria, a 2ª volta do Benfica é mais acessível que a do Porto, sabe-se também que a partir de determinado momento, os jogos mais complicados, serão contra as equipas mais aflitas, aquelas que lutam pelo pontinho para a manutenção, daí todos os cuidados serem poucos, até porque é fundamental para o Benfica, chegar ao jogo contra o Porto em vantagem pontual.
   Parece-me que vamos ter até ao fim um campeonato a dois, julgo que será muito complicado ao Sporting conseguir recuperar 6 pontos para o Porto e 8 para o Benfica, mesmo percebendo que este Sporting é melhor que o da época passada, a verdade é que ao contrário do peixe que parecem querer vender, a equipa de Alvalade, está longe de estar a fazer um grande campeonato e é bom de ver isso, senão repare-se:
     A equipa de Alvalade teve de facto um grande ciclo de vitórias, com boas exibições, mas num ciclo de jogos sem grande grau de dificuldade, falhando quase sempre nos principais jogos, como foi o caso do derby e do clássico, a verdade é que assim que o calendário lhe apresentou um maior grau de dificuldade, a equipa do Sporting cedeu terreno aos outros candidatos, tornando-se até caricato para alguma comunicação social que quer elevar este Sporting a um patamar que ainda não tem, dizer que a equipa está a fazer um grande campeonato, quando neste momento tem os mesmos pontos do 4º classificado, o Braga, que tem menos recursos e é precisamente lá que joga na próxima jornada, tendo ainda à perna o 5º classificado, o Marítimo que está a apenas 3 pontos, sujeitando-se a equipa de Alvalade em caso de derrota no Minho e vitória do Marítimo e Paços, a descer para a 5ª posição, ora aí está um grande desempenho que não desejo à minha equipa.
 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista