sábado, 27 de outubro de 2012

BENFICA CATEGÓRICO - Numa exibição segura e convicente.

   Uma vitória categórica do Benfica em Barcelos, com uma mini revolução no onze e agradáveis surpresas, as quais demonstraram que de facto, suprindo uma ou outra lacuna em Janeiro, há qualidade e soluções no plantel e acabando de vez com o mito do lateral esquerdo, Luisinho foi simplesmente imperial.
   GIL VICENTE 0 BENFICA 3 - Uma entrada em jogo à Benfica, entrega, garra e uma pressão que chegou a ser sufocante para o adversário, facto esse que contribuiu para uma vitória fácil, num jogo que se antevia complicado.
    Logo aos 2 minutos, Lima corresponde da melhor maneira a um cruzamento da direita, fazendo o 1 a 0, e todos sabemos como é importante marcar cedo a equipas que normalmente se fecham bem e jogam no erro do adversário.
    Mesmo marcando cedo, o Benfica continuou com um ritmo forte, sempre com iniciativa de jogo e hoje, com um meio campo mais sólido fruto da presença de um miúdo cheio de talento e com uma maturidade absolutamente notável para um miúdo de 19 anos, refiro-me a André Gomes, que será certamente o maior diamante da formação pós Rui Costa, assim se saiba gerir o miúdo, entrando lentamente na equipa e nisso, creio que Jorge Jesus sabe gerir pérolas como poucos.
    Fruto de um domínio absoluto, não espantou que o 2 a 0 surgisse, numa grande iniciativa de Lima, outra bela exibição, que assiste na perfeição Luisinho que atira para o fundo da baliza, um golo que coroava a bela exibição do Benfica e deste lateral esquerdo que na época passada, em Paços, foi dos melhores da Liga.
   O Gil Vicente ficou atordoado com esta entrada a matar do Benfica, não criava perigo e via um Benfica a gerir a posse de bola com qualidade, ao mesmo tempo que dava profundidade ao seu jogo, com Enzo e Ola John, a darem essa profundidade nas alas.
   Uma palavra para o jovem holandês, que tem tido imensa dificuldade em adaptar-se, entrou bem, foi criativo e já mostrou alguma da sua imensa qualidade, embora se note ainda alguma imaturidade e falta de maturidade táctica quando não tem bola, mas lá está, há ali qualidade e certamente, Jorge Jesus vai moldando o atleta e aos poucos vai entrando na equipa e isso é uma das coisas que os adeptos têm de aprender, as coisas fazem-se com método e tempo, ou seja, não se pode logo à primeira aparição a carimbar jogadores, lembrem-se do Di Maria que só na 3ª temporada explodiu.
    O Benfica fechou o resultado ainda na 1ª parte, com um golo do miúdo André Gomes, numa jogada de insistência em que não desistiu do lance, aproveitando ainda a ingenuidade do defensor adversário, com o 3 a 0, o jogo ficou definitivamente traçado.
   Na 2ª parte, o Gil tentou reagir a um resultado adverso, entrou mais agressivo e decidido, só que pela frente tinha um adversário tranquilo e confiante perante a vantagem adquirida na 1ª parte, o que complicou imenso a tarefa gilista, os quais apesar de terem agora maior acutilância ofensiva, não conseguiam criar qualquer perigo, ao invés, era o Benfica que parecia mais perigoso.
    Depois do desgaste do jogo da Liga dos Campeões e depois da preciosa vantagem no marcador, compreensivelmente, o Benfica procurava agora gerir a bola e baixar o ritmo de jogo, de modo a equipa conseguir estar sempre num bom plano físico ao longo de todo o jogo.
     O jogo seguia tranquilo, até que naquela que foi talvez a única desconcentração defensiva do Benfica, Enzo tem de recorrer à falta para impedir a progressão de um jogador gilista, falta e amarelo sem discussão, que por ser o 2º deu origem à sua expulsão, questionável foi o 1º amarelo, num lance normalíssimo.
   Em vantagem numérica, o Gil Vicente, acreditou que seria pelo menos possível um golo e se é certo que atacava agora mais, tinha mais cantos, a verdade é que exceptuando uma cabeçada que Artur defende para a barra da sua baliza, nunca houve lances de grande perigo para a baliza encarnada.
    No fim, um resultado justo, numa boa exibição do Benfica, que respondeu assim da melhor forma à derrota na Rússia, premiou a grande vitória de Luís Filipe Vieira e melhor ainda, deu-me 3 maravilhosas prendas em dia de aniversário e que melhor prenda poderia eu ter que uma bela vitória do nosso Benfica?
   Pela positiva: As belas exibições de jogadores normalmente não titulares, Luisinho, André Gomes e Ola John, estiveram em bom nível.
   Pela negativa: A agressão bárbara de um jogador gilista a Luisinho, como é possível só ter visto amarelo, incompreensível.
   Arbitragem de Vasco Santos: Teria sido extremamente positiva, não fosse o amarelo ridículo mostrado na 1ª parte a Enzo, que depois dá origem à sua expulsão e depois numa entrada brutal sobre Luisinho, apenas mostra amarelo. 
   

3 comentários:

Manuel Oliveira disse...

Parabéns amigo Jotas pelo aniversário!
Foi realmente um excelente resultado e uma 1ª parte de alto nível.
Temos matéria-prima para encarar o resto da época com esperança, apesar de precisarmos duns retoques para podermos competir na Europa.

Abraço.

Ricardo/águia_livre disse...

O Jotas fez anos? Se fez os meus parabéns.

Mais uma boa cronica cheia de verdade com a qual concordo na íntegra

MAGALHÃES-SAD-SLB disse...

Fizeste anos?? se sim parabéns, se não parabéns também, mas pelos teus posts e blog!

Bela 1.ª parte e umas pérolas para se irem trabalhando! Força Benfica!!

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista