sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

BENFICA DE NIVEL ELEVADÍSSIMO - Passeia classe em Estugarda.

--- Antes de mais, foi um grande espectáculo de futebol, tão emotivo que os 3 guarda-redes foram soberbos, mas essencialmente, foi um grande Benfica, à imagem do quem mostrando nos últimos meses, aquele que passeou classe em Estugarda, com uma qualidade de jogo notável, criatividade a rodos e uma entreajuda entre sectores fantástica, ou seja, um Benfica com nota artística máxima e aí meus amigos, muito mérito pra Jorge Jesus, um grande treinador.
  ESTUGARDA 0 BENFICA 2 - Depois do jogo da 1ª mão, com um resultado curto, esperava-se que o Benfica fosse passar por dificuldades, ante o poderio físico alemão, puro engano, desde o 1º minuto o Benfica assumiu as rédeas do jogo e com um futebol imprevísivel, dominava e mais importante, criava situações de golo que iriam sendo negadas pelo guarda - redes adversário.
   Perante o domínio e apesar de um ou outro fogacho do Estugarda, adivinhava-se o golo do Benfica e foi o que aconteceu, na sequência de um pontapé de canto, Salvio dispara forte e de primeira, fazendo um grande golo, que diga-se, o Benfica já há muito justificava.
    A verdade é que mesmo após o golo e embora a equipa alemã mostra-se também ela boa capacidade ofensiva, era do Benfica o melhor futebol e eram do Benfica as situações de maior perigo, julgo mesmo que era lisonjeiro para o Estugarda o resultado de 0-1 ao intervalo.
Na 2ª parte - Pensou-se que o Estugarda iria entrar com tudo, só que teve o azar de ter pela frente um grande Benfica e rapidamente era a equipa da Luz que dominava de novo a partida e era quem de novo criava a primeira oportunidade desta parte do jogo, jogada essa que culminou com um lance arrepiante que obrigou à substituição do guarda - redes do Estugarda, que diga-se, estava só a ser o melhor em campo dos alemães.
   Contudo, o 2º golo tardava, essencialmente por mérito do recém entrado guardião que deu continuidade ao excelente trabalho do seu antecessor, embora, num momento crucial, também Roberto tenha dito presente com uma defesa excepcional, eram claramente do Benfica as melhores jogadas e oportunidades.
    Para culminar uma grande exibição, nada melhor que outro golaço, o de Cardozo é uma bomba que não deu qualquer hipótese de defesa.
  Daí até ao fim, foi apenas e só um passear de classe, ficando o Benfica a dever a si mesmo mais golos que merecia.
   Num colectivo tão forte, torna-se quase penoso fazer destaques individuais, mas Jara, merece uma referência, correu quilómetros, abriu brechas na defensiva adversária, sendo uma autêntico quebra cabeças, mas foi muito bem secundado pelos centrais, Maxi Pereira e Gaitan, isto numa equipa toda ela com nível elevado.
Pela positiva: A imensa criatividade, assente numa pressão a todo o campo do Benfica, notável e a enorme frescura física da equipa após tanta sobrecarga de jogos, parecendo a equipa pronta para a mesma exigência que aí vem.
Pela negativa: A agressão a Carlos Martins, sinal de desespero alemão.
Arbitragem: Notável, deixou jogar e com uma condução de jogo que deveria ser alvo de avaliação dos árbitros portugueses, ou seja, um inglês com uma arbitragem à inglesa.
SPORTING 2 GLASGOW RANGERS 2 - A equipa de Alvalade foi claramente o patinho feio das equipas lusas, ante um adversário extremamente acessível, o Sporting foi uma equipa desnorteada, sem sequência no seu futebol, receosa apesar da vantagem trazida da Escócia e sempre com pouca profundidade no seu futebol.
  A equipa escocesa como era esperado, entrou com o seu bloco muito baixo, já se sabia que seria assim, mas Paulo Sérgio insistiu numa equipa de contenção, com Abel e João Pereira na mesma equipa e 2 trincos no meio campo, como é óbvio, isso fez com que na 1ª parte raras fossem as vezes que os leões criavam perigo, pese embora a enorme eficiência do Glasgow que marca na única vez que foi à frente, num golo (mais um) consentido, com Diouf sozinho, sem qualquer marcação, a marcar à vontade.
  Contudo e embora com um futebol de repelões, o Sporting acabou por empatar por Pedro Mendes, num golo de belo efeito.
Na 2ª parte - Houve mais Sporting, finalmente a equipa assume o jogo e vai para cima do adversário, embora com um futebol longe de convencer, só que o adversário era tão banal, que mesmo aos repelões., a equipa de Alvalade lá ia criando uma ou outra oportunidade, até que consegue o mais difícil, a reviravolta no jogo através de um cabeceamento de Yannick.
   Com 80 minutos de jogo e a reviravolta feita, julgou-se que a eliminatória estaria decidida, pois o Rangers era pouco mais que inofensivo e a equipa sportinguista parecia estar por cima do jogo.
  Só que estranhamente, o Sporting não tinha cabeça, não geria a posse de bola, não contemporizava o jogo e com isso mantinha o jogo aberto e foi aliado a esse facto que surge uma desatenção inconcebível, com um jogador escocês a entrar livre, no interior do lado direito da área e cruzar para pasme-se, estarem 4 jogadores do Rangers, sem qualquer marcação, prontos a empurrar a bola para o fundo das redes e assim a 1 minuto do termo do jogo eliminarem o Sporting.
  Pode-se dizer que foi um castigo severo, mas eu digo que são castigos que o Sporting oferece, porque na verdade falta classe e categoria a uma equipa demasiado vulgar para poder honrar a camisola do Sporting.
    Não vi os jogos do Porto e Braga, ambos carimbaram o passaporte para a fase seguinte da prova, no caso dos portistas com um susto enorme para quem vinha com a eliminatória praticamente ganha, no caso do Braga, com uma boa reviravolta ao sempre perigoso 1 a 0 da 1ª mão.
   Assim teremos 3 equipas nacionais nos 1/8 de final desta Liga Europa, com os seguintes jogos: Benfica - P.S. Germain; CSKA Moscovo - Porto e Braga - Liverpool. 

4 comentários:

Carlos Alberto disse...

Estão 3 equipas portuguesas nos oitavos da Euroliga.

O André.ppt está cansado de dizer que uma delas está lá graças a um golo do Lyon no ultimo minuto. Agora alem desse golo de uma equipa no ultimo minuto, temos que as outras duas equipas estão lá com um golo irregular! Conclusão:
Há Golos e golos...

Quanto à outra equipa portuguesa, não me sai da cabeça que aquele golo do Rangers foi sofrido de propósito:
Imagina o que era este Sporting ir jogar com o um grande Europeu como é o PSV? O 12-0 do Bayern deve ter-lhes passado pela cabeça e... toda a deixar 4(QUATRO!!!) Jogadores escoceses SOZINHOS dentro da área!!!

águia_livre disse...

Ninguém consegue fazer uma análise tão correcta, perfeita e exemplar como o grande amigo Jotas, sobre o que se passou com as equipas portuguesas na Liga Europa

Simplesmente DIVINAL este SOBERBO artigo. Parabéns
.

Manuel Oliveira disse...

Amigo Jotas, já não há adjectivos para classificar o futebol do Benfica!
Mais uma bela e categórica vitória, a 16ª, e logo na Alemanha onde ainda não tínhamos ganho em quase 50 anos de confrontos.
Realmente impressiona a forma física que os jogadores do Benfica apresentam depois de tantos jogos nas pernas.

Abraço.

Bimbosfera disse...

Tirando o grande, e habitual, texto de qualidade aqui do Jotas, de realçar o comentário do Carlos Alberto, que sempre que reparo é «cada tiro, cada melro», ou neste caso, «cada tiro, cada androide», porra! Essa foi muito bem apanhada! Parabéns! Bem como o resto da equipa!
Quanto aos lagartos... Depois de os apanharmos na próxima quarta logo falo do que achei da época!

Abraço

Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

Bimbosfera.blogspot.com

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista