segunda-feira, 12 de novembro de 2012

VITÓRIA DO QUERER - E outras notas desta jornada.

    Antes de entrar nas incidências do jogo, começo por dizer que ainda bem que o Benfica tem um treinador como Jorge Jesus, lamentavelmente, nem sempre tratado com o respeito que merecia, mesmo por parte de alguns benfiquistas, os quais ridiculamente, preferem concentrar-se em alguma arrogância do treinador, do que naquilo que verdadeiramente conta, a competência.
    Tivesse o Benfica, as mesmas contrariedades que tem tido, com alguns dos muitos treinadores antes de Jesus e neste momento estaríamos a discutir nada, Jorge Jesus, perdeu o esteio do meio campo no fecho e depois do fecho do mercado, perdeu o seu líder dentro do campo, perdeu Aimar e Martins que seriam alternativas naturais e agora neste jogo ainda perde outro jogador de meio campo que ele próprio criou, Enzo Pérez e mesmo assim, o Benfica continua forte,competente e competitivo, tivessem outras equipas tantas contrariedades e veríamos o que aconteceria, por isso obrigado Jorge Jesus pelo teu magnifico trabalho, aquilo que alguns experts apelidam de invenções, eu apelido de capacidade em criar soluções alternativas.
   RIO-AVE 0 BENFICA 1 - Num jogo que se previa complicado como se confirmou, o Benfica teve de arregaçar as mangas, depois de uma 1ª parte de bom nível, uma 2ª parte de luta e querer, menos conseguida, fruto de algum cansaço e também do mérito que se deve reconhecer a um adversário digno, de qualidade que merece uma palavra elogiosa, pela forma como abordou o jogo e o tentou discutir, porque isto de por vezes se julgar que o Benfica joga sozinho tem de acabar, há adversários de valor, que têm as suas competências.
    O Benfica entrou muito bem no jogo, forte, dominador e com iniciativa atacante, embora contando com um adversário bem organizado e que tentava também chegar à baliza de Artur, mas não conseguia, porque também o Benfica estava bem organizado e sabia baixar as suas linhas quando tal se impunha.
   O jogo estava bom, com ritmo e a partir dos 15 minutos o Benfica acentuou o seu domínio, de tal forma que Artur, foi nesta fase um mero espectador.
   Aos poucos o Benfica ia criando boas situações de finalização,. Ola John com nova exibição muito positiva, criava vários desiquilibrios na ala esquerda, Cardozo tentava de todas as formas, mas ou por mera infelicidade, pelo poste ou pelo excelente Oblak, que é nosso, tem só 19 anos e imensa categoria, a verdade é que a bola parecia não querer entrar.
   Foi já ao cair do pano e na melhor altura que se pode ter, que o Benfica chegou ao já há muito merecido golo, Salvio lança para a área, Jardel desvia ao primeiro poste e Lima surge em plena zona de finalização a disparar uma bomba para o fundo das redes, estava feita justiça antes do intervalo.
Na 2ª parte - O cariz do jogo mudou, mais Rio - Ave, mas com um Benfica, embora mais recuado, a nunca perder de vista a possibilidade de matar o jogo, resultando destes factores, um jogo que no geral foi de qualidade.
   Já sem Enzo Pérez, que saio aos 30 minutos e com um Bruno César totalmente desinspirado, o meio campo do Benfica, perdeu alguma capacidade, quer em termos ofensivos, mas principalmente defensivos, disso se aproveitaram os vila condenses, mais atrevidos e que começavam a criar cada vez mais dificuldades à medida que o relógio avançava.
   Mas muito bem o Benfica e os campeões também se criam assim, percebendo as incidências do jogo, sentindo que a sua capacidade já não era a mesma, a equipa uniu-se, ganhou humildade e partiu para uma fase de lutar com raça e querer, é com vitórias assim que se fazem campeões.
   Se é certo que nos últimos 15 minutos tudo poderia acontecer e foi também preciso alguma felicidade, a verdade é que no final de todas as incidências do jogo, o Benfica venceu com inteira justiça.
   Não posso acabar a análise ao jogo sem destacar uma enorme defesa de Artur mesmo ao minuto 93, embora o lance já não contasse, é uma defesa extraordinária, não fosse o diabo tecê-las, a bola entrar e afinal o lance ser validado.
  Pela positiva: A enorme capacidade de Jorge Jesus em responder às imensas contrariedades que tem tido e o espírito de equipa que o Benfica demonstrou neste jogo.
  Pela negativa: Um Bruno César completamente fora do jogo e a péssima entrada de Migue Vítor, sempre ultrapassado na direita e que poderia ter comprometido seriamente a vitória.
  Arbitragem de Bruno Esteves - Num jogo facilitado pelos jogadores, foi regular.
   Esta jornada teve ainda algumas incidências que devem ser realçadas, desde logo e finalmente uma vitória do Sporting, num jogo que se antevia muito complicado  e que acabou por ser muito bom para o Benfica.
    Mas este jogo ficou marcado por um golo anulado ao Braga de forma absolutamente escandalosa por Pedro Proença, este senhor é a grande imagem do tal sistema instalado no nosso futebol e podem dizer-me o que quiserem, até que eu vejo conspirações em todo o lado, mas os factos falam por si, senão vejamos:- Haveria melhor oportunidade para esta nomeação que este jogo? Numa jornada que antecede a visita do Porto a Braga e havendo logo depois um Sporting - Benfica, esta foi um excelente oportunidade  para Pedro Proença, que foi o grande obreiro do título portista e merecedor do Dragão de Ouro, bem como da justa homenagem da A.F. do Porto, contribuir para desmoralizar o Braga, fazendo-o perder, ao mesmo tempo que contribuiu para a moralização do Sporting quando e aproxima o derby lisboeta, mais um excelente contributo de Proença.
     Depois do arquivamento do processo a Pereira Cristóvão, cujo CD da FPF legitimou que qualquer Vice - Presidente de qualquer clube, possa depositar dinheiro na conta de qualquer assistente, legitimando assim qualquer e toda a tentativa de corrupção, percebemos ainda esta semana, que vale a pena o Presidente de um clube, ir à sede da Federação e reunir-se com o Presidente do Conselho de arbitragem, fossem estes episódios com o Benfica e nem quero imaginar as proporções que isto teria, mas enfim, há clubes que choram de barriga cheia.
  Mas como gosto de realçar também as coisas bem feitas, devo ainda dar os parabéns  Godinho Lopes, não pela oportuna visita à Rua Alexandre Herculano, que pelos vistos foi tida em consideração, mas pela grande bofetada de luva branca dada ao novo presunçoso do futebol português, António Salvador, levando-o a percorrer o museu leonino, para que esse senhor perceba a enorme diferença de historial entre os clubes, querer ser grande é uma coisa, sê-lo e outra, não é por se fazer 3 ou 4 boas temporadas que se é grande, é pelas conquistas, conquistas essas, com a excepção da taça intertoto, o Braga não tem, neste caso, Godinho Lopes esteve e grande, colocou o Braga e o seu Presidente no seu sítio.

7 comentários:

Fura-Redes disse...

boa chamada de atenção. Desconfio que se Artur não tem feito aquela defesa genial a bandeirola tinha ficado em baixo

MAGALHÃES-SAD-SLB disse...

Amigo Jotas, mais uma brilhante crónica que, como sempre, aponta uma série de situações que por vezes passa despercebida a muitos adeptos.
Quanto ao JJ tudo dito! Tem algumas falhas enquanto pessoa e treinador mas com tanta contrariedade poucos conseguiam fazer o que tem feito.
quanto ao jogo conseguimos uma importante vitória.
o golo anulado ao Braga é digno do Sr. Proença!
Abraço Glorioso!!

Carlos disse...

Jorginho, como estás a falar do meu clube, subentendo que só tenhas visto a segunda parte como tal, aconselho-te a veres a primeira parte, quando logo aos 3 4 min Leandro Salino tem uma entrada assassina e não é expulso, quando depois ao min 15 antes da grande defesa de rui patricio, Wolfswinkel seguia isolado para a baliza num fora de jogo estranhamente tirado, apos cerca do min 20 25 Nuno André Coelho inventa e wolfswinkel tira-lhe a bola Limpinho e quando seguia isolado para a baliza lembra-se de que era falta(quando é falta tocar na bola), digo também cerca do min 35 mais um fora de jogo mal tirado a pranjic mais uma vez isolado. Portanto pelo menos 2 ou 3 lances de jogadores do SCP isolados na primeira parte dariam o merecido 2 ou 3 a 0, e depois sucede o caso do golo que do estádio me parece empurrao do EDER mas que ja vi as imagens e não é, é golo Limpo.

Portanto tive de deixar esta ressalva e mais uma vez deixem o Sporting em Paz no cantinho dele a lutar para não descer.

Nuno Silva disse...

foi uma vitória dificil e muito afortunada.... ou seja ... uma sorte do c@r@7h0...

além da sofrida 2ª parte, do bom jogo do rio Ave, do golo mesmo na altura certa ... livraram-se de ficar reduzidos a 10 logo no início da partida numa falta que não perde nada para outras expulsões indiscutíveis deste campeonato.

entretanto, como vem sendo hábito fica o campeonato para decidir a 2.

Frank disse...

Se a "entrada assassina do Salino" é aquela que lhe deu o amarelo e que nem falta devia ter sido porque o jogador acerta com o pé apenas na bola e depois com o corpo faz cair o jogador do Sporting, estamos conversados.
De resto Jotas, estamos muito em sintonia nas nossas análises. Abraço

Manuel disse...

Concordo com tudo!

O JJ é o melhor treinador para o Benfica, é mais do que competente, e continuo a dizer que gostava de ver o seu contrato renovado o mais rapidamente possível.

Para aqueles que dizem que não gostam do que ele diz, da forma como o diz e da maneira como trata os jogadores, gostava que esses espertos - chico-espertos! - olhem para o Ferguson, um senhor com Sir antes do nome, da maneira como fala, da "gramática" (ou da falta dela) que usa, da maneira como fala numa linguagem quase incompreensível e do modo como trata os jogadores.

A crítica imbecil já cansa!



Averapina disse...

Grande post,concordo com td aki descrito e assino por baixo.

Amigo Manuel, pk de vir aki falar da gramatica k Sir Alex Fergunson usa?!?! Ainda n percebeu k os analfabetos k tratam mal o JJ,nem portugues sabem falar,kuanto mais entender k tipo de gramatica usa Sir Alex Fergunson lol

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista