domingo, 4 de novembro de 2012

BENFICA CONTINUA NA FRENTE - Em jogo de sentido único.

   O Benfica continua a sua boa campanha interna na Liga, que merecia muito mais público no estádio, 31 mil pessoas, é um número de espectadores lamentável para a dimensão de um clube que ainda por cima lidera o campeonato a par do Porto.
   BENFICA 3 GUIMARÃES - 0 - Um jogo de sentido único aquele a que se assistiu na Luz, tal o domínio do Benfica em todas as fases do jogo, com uma exibição agradável e com alguns belos momentos de futebol e outros em que se limitou a gerir o resultado, ante um opositor que se mostrou sempre incapaz de incomodar a defesa benfiquista.
    Desde o apito inicial, o Benfica mostrou claramente que queria resolver cedo o jogo, com uma boa circulação de bola, que se impões ante adversários tão recuados, a equipa aproximava-se da área vimaranense com facilidade, mas aí chegado, faltava uma melhor definição do último passe, factor esse que impediu que se chegasse cedo ao golo, aliás, foi mesmo o Guimarães a dispor da melhor oportunidade nesta fase, na única vez que chegou à baliza de Artur, com este a defender um remate, creio que de Toscano que apareceu isolado pelo lado direito do seu ataque.
    Esse lance não abalou o Benfica, pelo contrário, acelerou ainda mais o ritmo e nesta fase tinha cerca de 73% de posse de bola, mas o golo tardava, apesar de se rematar muito, mas aparecia sempre um boneco no caminho da bola.
   Contudo, o domínio era de tal modo avassalador, que o golo adivinhava-se e foi numa jogada de insistência e um Ola John que começa a crescer e está nos 3 golos da equipa, que Cardozo de cabeça, responde da melhor forma a um passe milimétrico do jovem extremo holandês, dando uma justiça ao marcador que já tardava.
    Com o golo, o domínio do Benfica ainda mais se acentuou, mas o intervalo chegou sem mais golos, que seriam merecidos.
  Na 2ª parte, o Benfica entrou novamente determinado em colocar um ponto final na questão, e logo aos 2 minutos, Ola John de novo, deixa um adversário para trás e cruza muito bem, com Salvio a ser impedido por Addy de chegar ao lance, obrigando o árbitro a marcar grande penalidade, a qual apesar de algo contestada, pareceu-me mesmo penalti.
   Cardozo, claro está fuzilou Douglas e fez o 2 a 0 que era um resultado mais condizente com o domínio total da partida por parte do Benfica.
    O jogo estava resolvido, o Guimarães nunca conseguiu fazer cócegas ao Benfica e este começava agora a gerir a posse de bola, baixando o ritmo de jogo, já a pensar na partida de 4ª feira com o Sp. de Moscovo, sem nunca abdicar da baliza adversária.
    Foi exactamente por nunca perder a baliza adversária de vista, que Ola John em mais uma bela iniciativa individual (como esteve bem em alguns momentos o miúdo), faz um passe a rasgar para Cardozo que de forma soberba, isola Lima que manda uma bomba que só parou no fundo das redes, estava feito o 3º golo e a sociedade Cardozo&Lima, a funcionar em pleno.
    Percebendo que o jogo estava agora mais que resolvido, Jorge Jesus, começou a mexer na equipa, retirando Salvio e dando minutos a Gaitan, isto já depois da saída forçada de Carlos Martins antes do intervalo, que deu o seu lugar ao miúdo André Gomes, que talvez por jogar diante dos seus adeptos, entrou algo nervoso, perdendo algumas bolas e sendo expulso numa entrada imprudente, num jogo de tal maneira calmo que não havia necessidade.
   Mesmo reduzido a 10 jogadores, para os últimos 15 minutos, nunca se sentiu que o Guimarães pudesse chegar ao golo, pelo contrário, o Benfica continuava a mandar no jogo, só que nesta fase já sem ter a baliza adversária em mira, mais preocupado em deixar correr o tempo e evitar o desgaste agora desnecessário, uma vez que vem aí um jogo absolutamente decisivo às aspirações do Benfica, que espero, tenha a correspondente moldura humana no apoio inequívoco a uma equipa que merecia mais carinho do que aquele que tem tido.
    Em suma, uma vitória justa, que peca por escassa, num jogo que deu para tudo, tais as fragilidades do adversário.
   Pela Positiva: Ola John, o miúdo nas mãos de JJ continua a crescer e embora ainda revele algumas infantilidades, nota-se uma tremenda melhoria e Cardozo, mais 2 golos, enfim, este paraguaio só sabe marcar golos.
   Pela Negativa: A expulsão do miúdo, corolário de alguma nervosismo natural de actuar pela primeira vez junto dos seus, a evitar noutras situações.
    Arbitragem de João Ferreira: Normal, benefício da dúvida no penalti sobre Salvio e num outro que me pareceu mais evidente sobre Lima ainda na 1ª parte, mas que também não é daqueles evidentes, pareceu-me exagerada a expulsão, embora se tenha de ter cuidado com entradas imprudentes como a do André, até porque nem sempre há esse critério.

3 comentários:

Fura-Redes disse...

Concordo Benfica explorou muito bem as fragilidades do Vitória. Também me pareceu muito exagerada a expulsão. Num jogo que estava a ser tão correcto...

MAGALHÃES-SAD-SLB disse...

Caro Jotas, com as vendas à última da hora e com as muitas lesões que têm assolado o plantel podemos e devemos estar, para já, satisfeitos com a performance na liga nacional...

Abraço Glorioso!

Manuel Oliveira disse...

Vitória sem espinhas, embora pudesse ser mais gorda!

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista