terça-feira, 18 de setembro de 2012

EPISÓDIOS HILARIANTES - Do condenado Duque ao Palhaço Aguiar.

   Confesso que no futebol português já nada me espanta, embora haja de facto noticias de tal modo hilariantes, que no meio desta enorme crise instalada no país, acabam por ser o melhor remédio para rir e como faz bem rir.
   Vem isto a propósito de duas coisas que li hoje, a primeira diz respeito ao recém condenado por crime de fraude fiscal Luís Duque, queixando-se da arbitragem de Carlos Xistra no jogo em atraso da 3ª jornada, a lata que hoje muita classe dirigente tem é já um modo de estar do dirigismo português, tal a leviandade dos seus dirigentes.
   É verdade e só alguém demasiado faccioso o pode negar, que na temporada passada, nas primeiras jornadas, o Sporting foi altamente lesado pelas arbitragens, da mesma forma que o Benfica o foi no final da Liga, no fundo, a fábrica de campeões, matou um candidato no princípio e outro no fim, com o resultado pretendido.
    Por esse motivo, legitimamente, os sportinguistas podem questionar o que teria sido a temporada do Sporting, caso não o impedissem de iniciar bem a Liga, embora creia que só muito dificilmente seriam campeões, certamente, moralizados por um bom começo, fariam uma campanha melhor, mas nesta época, com resultados em tudo semelhantes aos da época passada, não têm por onde acusar as arbitragens, só a desresponsabilização de culpa própria podem conduzir Luís Duque a proferir afirmações ridículas.
   Afirma esse senhor e pelos vistos com toda a Admnistracção solidária que Carlos Xistra lesou gravemente o Sporting, alegando que o lance de Capel a bola entrou na baliza, algo que só ele viu e que o livre que deu origem ao golo, não foi falta.
   Absolutamente ridículo, desculpar tão pálidas performances da equipa com a arbitragem, a única leitura possível desta choraminguisse, tem apenas uma leitura, cientes da ineficácia da equipa e da sua incapacidade, o Sporting, estratégicamente tenta pressionar a arbitragem  a ajudar o clube a obter os resultados que não consegue obter por mérito e branquear essa incapacidade junto da sua massa associativa.
    Mas de tão descabidas as queixas, creio que nem os adeptos do Sporting perceberam haver razões para tal, é que o lance do Capel, ninguém no seu perfeito juízo poderá afirmar que a bola entrou, nenhuma das muitas imagens que já passaram e nenhuma fotografia mostrada nos jornais, em momento algum, mostra que a bola passou a linha de golo na sua totalidade, ou seja, é lamentável querer imputar esse lance como erro, a não ser que se recordem de um golo ao Guimarães obtido em situação semelhante, ou seja em que a bola não entrou e queiram disso fazer jurisprudência para o Sporting.
    Concordo que o livre que originou o golo do João Guilherme não foi falta, tal como um livre perigoso, em zona idêntica que foi marcado favoravelmente ao Sporting, a grande diferença é que o defesa maritimista cobrou o livre magistralmente e fez golo e Adrien marcou mal o livre e chutou contra a barreira, ou seja, livres há que são marcados indevidamente, mas só se fala deles quando há golo, pena que Luís Duque tenha omitido o lance mais grave, penalti de Xandão sobre Heldon, concluindo, o dirigente leonino, queixa-se de um jogo em que foi mais beneficiado que prejudicado, sintomático daquilo que pretende, ou seja, as suas declarações foram pensadas como forma de pressão aos árbitros.
   A outra curiosidade que li, foi na página do jornal "Record", alusiva ao Porto, a dado momento, o cronista conta um episódio curioso, relatando uma conversa com o taxista que o conduzia ao Hotel, em que este dizia já ter sido do Zagreb, mas que agora é do Barcelona.
   Estranhando essas afirmações, o jornalista que acompanha o Porto e que não esconde que essa é a sua cor, acha estranho esse tipo de sentimento e pergunta porquê que os adeptos croatas estão desligados da equipa do Dínamo, a resposta do taxista foi é que o campeonato croata é uma farsa e altamente corrupto e como tal as pessoas estão completamente desiludidas com o futebol no país porque não acreditam nele.
   Concluí o brilhante jornalista portista, que o taxista sabia que estava a falar com portugueses, tentando comparar com a nossa realidade, o que de facto é evidente, certamente, o nosso futebol é tão mentiroso como aquele que o taxista descreve, nada de mais, espantoso foi o modo como esse jornalista quis transmitir esse episódio, fazendo do seu clube, que foi aquele que esteve intimamente ligado ao que de mais podre se passou no futebol português, como uma vítima, hilariante, mas que não surpreende, afinal de contas, uma das grandes virtudes tripeiras, tem sido a brilhante capacidade em transformar mentiras em verdade, esta é apenas mais uma mentira que querem transformar em verdade, por muito que as escutas os desmintam.
     Por falar em corrupção e na vergonha do futebol croata por comparação com o nosso, obviamente nem sequer vou perder muito tempo a falar na figura de Guilherme Aguiar, porque isso é dar-lhe mais importância do que aquela que ele tem, mas ao assistir ao que diz e a forma como tenta branquear e convencer as pessoas das suas aldrabices, apenas duas coisas me ocorrem dizer: a 1ª é que quem gosta de fazer figura de palhaço, optando pela palhaçada na ausência de argumentos, deve estar no circo e não a comentar futebol e a 2ª é que o nosso futebol é completamente miserável e desonesto, devido essencialmente à classe dirigente que nele teve responsabilidades ao longo dos últimos 30 anos, ora esse senhor foi um desses dirigentes e apreciando a sua postura, julgo que nem é preciso dizer mais nada.

  OFF TOPIC:  Sou um amante da Liga Record, creio que muitos de vocês também, como tal, criei uma liga privada e convido todos os interessados em participar, a clicar no link colocado na parte superior direita do blogue e juntar-se a nós.

4 comentários:

Vozes Encarnadas disse...

No meio disso tudo que descreves ai, o que me faz mais confusão é que acontecimentos tão simples e tão à vista de todos são tratados pelos nossos jornalistas como bichos de sete cabeças e principalmente como tabus.

Jotas disse...

Nem mais vozes, a forma como se branqueiam as coisas, faz parte de todo um esquema mafioso muito bem orquestrado.

MAGALHÃES-SAD-SLB disse...

As palhaças habituais!! Por essas e outras há meses que não vejo nenhum programa de comentário desportivo... e os jornaleiros sempre na mesma: falsos, intelectualmente desonestos e sempre com a "agulha" apontada ao Glorioso!!

Abraço Jotas, é dentro de campo que temos que dar a resposta!!

GIL VICENTE disse...

Excelente análise, caro Jotas.
Quanto ao jornalista adepto da corrupção, ele quando escreveu estava a ver o seu clube e os dirigentes dele todos reflectidos no espelho, aquele espelho que o crota lhe deu de borla.
É a tese da mentira muitas vezes repetida. Antes que me acuses, acuso-te eu.
Saudações Benfiquistas

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista