segunda-feira, 20 de agosto de 2012

JORNADA DE EMPATAS - Sina benfiquista contínua.

 A 1ª jornada que termina hoje em Aveiro, fica marcada pelos empates dos principais candidatos ao título, ninguém tirou vantagens e como tal continua tudo na mesma, assim como a sina do Benfica que não consegue novamente vencer na estreia, uma malapata que não larga o clube, mas que no Sábado teve um culpado evidente, o treinador Jorge Jesus.
  BENFICA 2 BRAGA 2 - Um empate para o Benfica tem sempre de ser considerado um mau resultado, seja qual for o adversário, pior ainda, sendo no Estádio da Luz e contra o Braga, daí, terem sido muito mal aceites por mim, as palavras de Jorge Jesus no final do jogo, dizer para justificar o resultado, que é preciso não esquecer que defrontamos uma grande equipa e que já previa que o jogo fosse assim, é minimizar a dimensão do Benfica, muito mal será, quando para o Benfica um empate caseiro com o Braga não é considerado um mau resultado, isso é falta de cultura de exigência e exigência é algo que tem de haver sempre no clube.
     Como sabem, sempre fui e continuarei a ser, até certo ponto, um defensor de uma política de continuidade, é minha convicção, que só assim se adquir um rumo e estabilidade, daí, a minha defesa ao longo da época passada na continuidade do treinador, mas esse facto, não me impede de achar que Jorge Jesus foi o principal culpado do desaire desta 1ª jornada, não por causa de Melgarejo, apesar de este ter ficado intimamente ligado aos golos adversários, mas porque houve decisões que hoje me custam perceber e que sinceramente gostava que alguém me pudesse explicar.
   Eis o meu entendimento e repito, alguém que me explique o que não consigo perceber:
    O Benfica faz uma pré temporada a insistir num modelo de jogo que contemplava apenas um ponta de lança, numa espécie de 4-3-3 e depois apresenta-se no primeiro jogo oficial em 4-4-2, mas mais incompreensível ainda é ter visto Carlos Martins a fazer uma pré temporada soberba e depois não só não entra no 11, como vê entrar em campo Aimar que nem pré época fez devido a lesão, sinceramente, por mais que tente, não encontro uma explicação razoável para isto.
    O grave deste tipo de situações, é a mensagem que passa do treinador para o grupo, ou seja, Carlos Martins, após ter visto esta situação, ficou ciente, que jogue o que jogar, esteja ou não em melhor forma, nunca será 1ª opção, mesmo que Aimar não treine e isto é grave.
    Quanto ao jogo em si, creio que o Benfica entrou em campo demasiado ansioso, por sua vez o Braga, mais tranquilo, preocupava-se essencialmente em impedir as transições do Benfica retirando-lhe espaços nas alas e impedindo Witsel de pegar no jogo, o Benfica, sentido incapacidade em desenvolver o futebol que mais gosta, começou a mostrar sinais de algum nervosismo.
    Daí que o jogo até ao intervalo tenha tido poucos motivo de interesse, sem grandes situações de golo, sendo que o Benfica vivia essencialmente de alguns rasgos individuais de Rodrigo e Salvio.
    Na 2ª parte, o Benfica entrou com maior velocidade e foi por essa razão que bem cedo chegou ao golo, num bom lance de Rodrigo, que cruza para o interior da área, com a bola  a ressaltar 1º no braço de Douglão, depois no de Cardozo, mas sem que estes sequer se apercebessem da bola,  que sobrou para Salvio que atirou para o fundo das redes, assinalando da melhor forma o seu regresso à Luz, ou seja, ao contrário do que diz Peseiro, um lance perfeitamente legal.
    Percebeu-se que o golo tranquilizou o Benfica, a equipa estava mais solta e começava a ter mais espaços e sem que nada o fizesse prever, pois o Braga não conseguia reagir um cruzamento para a área benfiquista, provoca o auto golo de Melgarejo que curiosamente até então estava muito certinho a defender, um lance de enorme infelicidade do jovem paraguaio.
    Com o golo caído do céu, o Braga voltou a entrar no jogo e a verdade é que se aproveitava de uma tremideira incompreensível que se apoderou do Benfica, depois, a felicidade estava toda do seu lado, num lance completamente inofensivo, Melgarejo com o lance perfeitamente controlado, faz um alívio desnecessário para uma zona perigosa e mais uma vez, de forma feliz, Alan falha o remate, mas caprichosamente este sobra para Mossoró que se limitou a desviar Artur e fazer o 1-2.
     Curiosamente o Benfica até reagiu muito bem a essa adversidade e foi para cima do Braga, a equipa estava finalmente desinibida, Rodrigo e Salvio cotavam-se neste momento como os jogadores mais inconformados no Benfica e iam abrindo brechas na defesa adversária, até que surge de novo Jorge Jesus e retira precisamente do campo estes 2 jogadores que eram apenas os melhores da equipa, sinceramente, tanto erro num só jogo é muito coisa para conseguir digerir.
   Percebi que a intenção da entrada de Aimar seria o de ter alguém que conseguisse pautar o jogo, mas como se podia pedir isso a um jogador que esteve mais de um mês sem pré temporada? Seria mais compreensível a entrada de um jogador em grande forma, mas se calhar o seu problema é não se chamar Carlitos Martinez.
   Curiosamente, do nada surge o empate, um cruzamento para a área e Luisão a cabecear com Custódio a desviar a bola com a mão, penalti sem qualquer dúvida, mas com o 1º erro crasso, Douglão que não interfere no lance a ver 2º amarelo e consequente expulsão, quando o prevaricador foi o internacional português.
   Cardozo na concretização do penalti, atira forte e empata a partida, naquela que era o resultado mais adequado ao que se passava no jogo.
   Depois veio a parte mais frustrante do jogo, 20 minutos a jogar contra 10 e uma gritante incapacidade do Benfica em conseguir encostar o seu adversário às cordas, foi lamentável ver que embora sem criar perigo, era o Braga quem controlava o jogo e geria a posse de bola, quando deveria ser o Benfica a acelerar, a ganhar a bola e a ter a iniciativa e o controlo do jogo, sinceramente, saí da Luz com uma sensação de falta de querer e ambição na equipa e isso é algo que não pode acontecer numa equipa que efectivamente quer ser campeã, apesar de nesse período, o Benfica ter feito um golo perfeitamente legal, vendo o árbitro transformar em falta de Cardozo um monumental frango de Beto.
   Pela positiva: A adesão maciça de público, quase 55 mil na Luz em tempo de crise é notável e os adeptos não mereciam ver uma equipa tão pouco ambiciosa.
   Pela negativa: Jorge Jesus, se muitas vezes o elogiei, hoje devo dizer que as suas decisões, antes e durante o jogo princípio do precipício do Benfica neste jogo.
   Arbitragem de Soares Dias - Foi uma arbitragem que pese embora estar a pactuar muito com o anti jogo bracarense deste o apito inicial, até estava a ser bem ajuízada técnica e disciplinarmente, mas a borrar a pintura, primeiro devido ao seu auxiliar que fez com que Douglão fosse expulso, quando é Custódio que faz o penalti e ao anular de forma inconcebível aquele que seria o golo do Benfica, num lance em que Beto deixa cair a bola das mãos sem qualquer contacto, ou seja, seria um frango e nada mais.
    Esta jornada só acabou por não ser mais nociva para o Benfica porque os seus mais directos rivais também empataram, primeiro o Porto em Barcelos, num jogo que não vi, mas segundo me disseram, contou com uma exibição muito apática do Porto e uma grande postura dos homens do Gil, curioso verificar que sempre que o Porto joga com equipas que nada lhe devem, as suas dificuldades aumentam imenso.
    Depois veio o Sporting que também cedeu pontos em Guimarães, um campo sempre complicado, pese embora a enorme revolução que surgiu naquele clube e que poderia fazer com que a equipa não estivesse ainda devidamente moldada, ou seja, para o Sporting não haveria melhor período para ir ao Afonso Henriques.
   Apenas segui mais atentamente a 2ª parte do jogo e o que vi do Sporting foi uma equipa com uma coesão defensiva muito superior à da época passada, com esta nova dupla de centrais a darem outra garantia que Polga e Xandão estavam longe de dar, factor esse que dá mais confiança à equipa.
   Foi um período de jogo a que assisti de sentido único, com o Sporting a procurar o golo de forma insistente mas sem grande clarividência, de tal modo que tirando um ou outro lance de maior perigo, não me lembro de uma grande oportunidade de golo.
    Já o Guimarães foi uma equipa essencialmente preocupada em tapar os caminhos da sua baliza, o que conseguiu com êxito, mas que nunca teve a necessária clarividência para aproveitar de definir melhor os momentos de saída para o contra ataque, umas vezes por mérito do Sporting, que matava as jogadas em falta logo no seu inicio, ora por demérito de um Guimarães sempre muito ansioso quando na posse de bola.
   Concluindo, uma 1ª jornada que faz com que se inicie a próxima na mesma, ou seja, candidatos empatados.
  

12 comentários:

MAGALHÃES-SAD-SLB disse...

AMIGO JOTAS, CONCORDO COM A TUA ANÁLISE.
No mais só queria reforçar que mais que o mau resultado do Benfica o que verdadeiramente me preocupou foi o desiquilibrio patenteado pela nossa equipa...

Abraço Glorioso!

Manuel disse...

Peço para discordar. O culpado do empate foi o árbitro que anulou um golo limpo depois de uma jogada brilhante do Melgarejo.

Quanto ao treinador eu não vi nenhum erro especial que tivesse influenciado o resultado, ao contrário de todos estes especialistas em futebol e profetas da desgraça que gostam que aconteça algo de mal ao Benfica para continuar a malhar no seu bode expiatório preferido. Depois do Roberto e do Emerson, este ano calhou a fava ao JJ. Compete aos Benfiquistas defender dos inimigos, sejam eles internos ou esternos, quem trabalha no clube e para o clube.

Não é culpa do JJ que os jogadores tivessem entrado em campo extremamente nervosos e ansiosos, como se viu bem nos lances que envolveram os jogadores mais velhos e experientes, de Artur e Luisão, afectando obviamente também o mais novo e inexperiente deles todos, Melgarejo, que no seu primeiro jogo oficial no Benfica cometeu dois erros que eu acredito não voltará a cometer.

Gostava também que o LFV prolongasse o contrato com o JJ para acabar de vez com todo este ruído e esta campanha vergonhosa que está ser feita a partir de dentro do clube com propósitos claros de dividir o clube e de impedir a equipa de futebol profissional de crescer à medida que o campeonato progride.


troza disse...

Caros Jotas, concordo com a tua análise.

Há coisas mais importantes do que quem é o melhor jogador ou não... o espírito de grupo... E o treinador deu cabo disso na primeira jornada. Como é que Salvio e Rodrigo entram a títulares e temos Perez e Carlos Martins (boa pré-temporada por parte dos dois) no banco? Tu já disseste isto... mas depois falas na falta de ambição do Benfica e, verdade seja dita... se não importa o que fazem e jogam os mesmo, onde há lugar para a ambição? para o querer? Não há.

E a questão do defesa esquero foi falada nos blogs e incrível como tiveram razão: é uma boa solução contra equipas mais fracas mas não pode ser num primeiro jogo contra o Braga.

Porque é que se comprou Ola John para ficar na bancada em vez de um defesa esquerdo títular?

Dito isto tudo... no fim... por mais erros e por pior que o Benfica jogue... aí está... um golo mal anulado... E se fosse o Gil Vicente vs Benfica aposto que o lance no jogo do Porto era penalty contra o Benfica.

Além disso contínua... os comentadores do Porto sempre a dizer que o Benfica é favorecido quando não é e a fazer do porto prejudicado quando não é.


Dito isto tudo... sinceramente... é preciso mudar e aprender com os erros. E por mais que eu também goste que haja alguma continuidade, essa serve também porque as pessoas aprendem com os erros. E Jorge Jesus e toda a direcção do Benfica parecem não aprender. Ok, é certo que têm falado bem agora lembrando sempre que os tripeiros são corruptos, mas isso não chega. Não há defesa do clube, não há prémios para os que estão em melhor forma nem mudança de táctica contra equipas em que é preciso maior capacidade no meio-campo.

Demos dois pontos aos nossos adversários (3 ao Braga... menos dois nossos e um que eles não deviam ter) porque os erros são os mesmos outra vez e porque, mais uma vez, temos de ser perfeitos quando jogamos em Portugal.

Espero estar muito enganado... mas continuo a achar que o ano passado a má resolução dos casos Amorim e Perez deram cabo do balneário do Benfica, este primeiro jogo é capaz de ter feito o mesmo. Espero estar enganado e que no final do ano sejamos campeões... mas começo a dúvidar que isso seja possível.

Jotas disse...

Caro Manuel, viva, repare nisto, a crítica que hoje faço a JJ, não é a pedir a cabeça dele ou de ninguém, é apenas e só aquilo que vi das suas opções, mas posso estar errado, mas a verdade é que não consigo perceber, como é possível recair uma opção sobre um jogador que não fez pré época, pese embora toda a qualidade que reconhecemos a Aimar e Carlos Martins, num grande momento de forma, nem sequer foi opção, na minha opinião também, não percebi a saída daqueles que estavam a ser os mais influentes jogadores do Benfica, Salvio e Rodrigo, mas aí dou de barato, pois como o Manuel sabe, a visão que temos do jogo varia de pessoa para pessoa, treinador incluído, com a vantagem deste saber melhor ler um jogo que qualquer pessoa sem formação no ramo.
Como o Manuel sabe porque segue os meus posts, não sou, estou longe de ser e não pactuo e mesno me revejo naqueles de que fal, que mais não servem do que fazer campanha por alguém que querem meter no Benfica, esses sim é que são os cordeiros porque simplesmente se submetem aos interesses de alguém, mas isso não me inibe que quando existem coisas que não concordo de o dizer, desde que isso não coloque em causa pessoas e muito menos o clube, é assim que eu entendo a crítica, que quando é colocada de forma correcta só pode ser encarada como construtiva. Um abraço.
Troza, oxalá esteja enganado, eu sinceramente acredito num Benfica com capacidade para ser campeão.

Manuel disse...

Caro Jotas, só uma coisa para provar que todo esse ruído por parte dos desmiolados que criticam por criticar, fazendo muito mal ao Benfica quando tentam fazer do JJ um novo Roberto, tem a ver com a opção dos dois jogadores que entraram e não fizeram a pré época que foram APENAS os melhores, enquanto tiveram em campo: Rodrigo e Salvio.

Criticar essas opções só por má fé. Mas os carneiros são assim. E os anti benfiquistas também.

Manuel disse...

E sabes a razão porque foram os melhores em campo? Precisamente por não terem feito a pré época.

Não tinham os níveis de ansiedade que os outros que a fizeram tinham. Níveis de ansiedade que foram passados de fora para dentro do clube em virtude de todo o ruído que tem sido feito pelos poucos mas muito barulhentos e agressivos adeptos antis/abutres que querem à força que o LFV se vá embora.

São os mesmos que iniciaram uma campanha anti-JJ, igual á do Roberto e do Emerson, campanha que este ano começou mais cedo em virtude das eleições serem já em Outubro, para atingir indirectamente o LFV, fazendo o trabalhinho ao tipo lá de cima, que deve estar todo contente.

Repara que este ano evitam atacar qualquer jogador, concentrando-se no treinador. É que as críticas aos jogadores já foram descobertas e não deram os resultados esperados! Como se provou! Ou melhor, deram! Não ganhámos qualquer dos campeonatos!

Mas continuem a dizer que a culpa foi do JJ! Atiram as pedras, escondem as mãos, e depois dizem que o apedrejado é que tem a culpa!! Falem em hipocrisia! Estratégias já muito antigas e conhecidas.

Há gente a ser paga pelo Oliveirinha e pelo Grupo da Luz (são a mesma coisa) para ir desgastando a pouco e pouco. Faz parte da sua estratégia porque há muito dinheiro em jogo!

troza disse...

Manuel, eu critiquei o começo destes dois a títular porque é importante ter o balneário unido. Sei que eles jogam por dinheiro mas eu também já fiz desporto e também senti na pele o que era ir aos treinos e ficar no banco o jogo todo em vez de gajos que não punham lá os cotos. Sei que não é igual mas desmoraliza.

E o Rodrigo e o Salvio jogaram pelos elementos que fizeram melhor pré-época no Benfica (carlos martins e Enzo Perez). E isso da pressão pode ser verdade, mas também foram eles que entraram moralizados porque receberam um prémio de chegar e jogar...

Manuel disse...

Caro Troza, eu também joguei futebol. Mas as coisas não são assim tão simples.

Os jogadores são homens adultos, profissionais e que são principescamente pagos. Eu, e tu provavelmente também, quando joguei não joguei por dinheiro mas por prazer. Assim, o que eu queria era jogar. Quando era ultrapassado por alguém, e acontecia, ficava triste. Mas nunca me deixei ir abaixo.

Eu não estou a insinuar que os jogadores não se importam de não jogar, mas isto não é propriamente a mesma coisa do que pessoas que jogam futebol apenas por prazer. Tentar ver coisas onde elas não existem não é realista. O JJ é uma pessoa já muito experiente não só como treinador mas como jogador de futebol.

Nós não lhe ensinamos nada embora hajam muitos idiotas por essa redosfera fora- pretenciosos, emproados, pedantes, mas todos impostores - que têm pretensão de saber mais e dar ensinamentos e recomendações a pessoas que sabem mais da poda a dormir do que esses idiotas acordados.

Alguns até dizem que têm informações privilegiadas de dentro do balneário, imaginem, como um tal de Shadows que é um dos maiores sifocantas que escrevem na redosfera!!
Quem diz que o balneário não está unido são estes gajos! Os jogadores já por várias vezes vieram para os jornais dizer exactamente o contrário!

Além disso, o Rui Costa tem uma grande influência na feitura e gestão do balneário e do plantel, mas estes imbecis armados em Professores Pardal, continuam a dizer que ele não passa de um verbo de encher. Não emprenhes pelos ouvidos e manda-os à merda!




Manuel disse...

Sicofanta!
Sicosumol!
Sicocompal!
Etc.

troza disse...

Manuel... isso tens razão. Eu não joguei futebol mas basket, o que vai dar ao mesmo.

E eu não sei o que se passa lá dentro... mas ´sempre pensei que o Carlos Martins fosse titular e que a equipa fosse jogar como jogou na pré-época. Mas também tens razão que eu não pesco nada disto. O problema é que o Benfica não ganha... Ele até pode saber mais de futebol do que muitos mas nós podemos e devemos exigir que ele ganhe e que esteja a fazer tudo pelo Benfica. E às vezes apenas parece que ele comete alguns erros vezes demais.

Mas atenção... eu só gostava que ele emendasse alguns erros... não que ele se fosse embora, porque obviamente que ele tem coisas boas também.

Quanto ao balneário... acho estranho que o Benfica não tenha jogado nada exactamente nos jogos a seguir aos casos Amorim e Perez o ano passado. Pode não dividir o grupo nem o balneário, mas pode dar cabo da moral dos jogadores. E eles não jogam por prazer mas são muito mimados. Eu mesmo jogando por prazer, preferia ficar no banco para ver a minha equipa ganhar a um rival do que jogar. Mas estes jogadores só pensam em dar o pulo e tal...

Anónimo disse...

Manuel.Gosto muito da maneira como defende o Benfica mas,deve concordar comigo que,o modelo utilizado pelo nosso treinador contra o Braga foi o menos trabalhado durante a pre-epoca.Depois de varios jogos no sistema 4-1-3-2 e que tao bem resultou,ninguem estava a espera do que ele utilizou. Porque razao nao privilejiou o meio campo com o Carlos Martins unanimemente considerado o nosso melhor jogador de pre-epoca?? Domingos Vieira

Manuel Oliveira disse...

Também não entendi a não utilização de Carlos Martins porque está em excelente forma, ao invés o Aimar quase não fez pré-época.

Abraço.

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista