domingo, 22 de fevereiro de 2009

JORNADA DE DERBY - Sporting a mais, para Benfica de menos

--- Numa jornada marcada pelo derby lisboeta, houve muito Sporting, para pouco Benfica e quando assim é, nada mais resta do que ter o fairplay necessário e dar os parabéns aos justos vencedores.
SPORTING 3 BENFICA 2 - Numa 1ª parte essencialmente equilibrada, o Sporting entrou melhor no jogo, ante um Benfica demasiado expectante, mas oportunidades não havia, até que Liedson, abre o livro com um sensacional golo, num pontapé fantástico. Com a desvantagem o marcador, o Benfica reagiu bem, começou a ter mais posse de bola e aos poucos marcava mais presença no meio-campo adversário e após uma bola no poste com um cabeceamento de Yebda, Polga de forma algo infantil, faz penalti indiscutível sobre Suazo e a igualdade que nesta altura o Benfica já justificava.
Depois, poucas oportunidades houve até ao intervalo, com excepção a um lance passível de grande penalidade, cometido por Maxi Pereira, que também de forma infantil, coloca o braço na bola, desviando-a intencionalmente da sua trajectória, ainda bem, que este lance não influiu no resultado, à semelhança do penalti sobre Yebda na 1º volta.
Na 2ª parte, tudo mudou de figura, o Sporting entrou forte e foi embalado pela felicidade de marcar logo no recomeço da partida por Derlei e com o 2 a 1, o Benfica não mais conseguiu reagir, a moral da equipa leonina estava em alta e o meio-campo benfiquista, sempre em grande inferioridade numérica, não conseguia ter a posse de bola, para além disso, o Sporting atacava fortemente pelo lado esquerdo, fazendo cair ali Izmailov e Vukcevic e posteriormente Pereirinha, ante um David Luíz, desastrado é verdade, mas também tremendamente desamparado, perante a inércia dos seus colegas e até do seu treinador, que ao ver a aposta clara da equipa da casa, devia colocar alguém na ajuda à cobertura do lado esquerdo da sua defesa, não o fez e naturalmente, após 2 oportunidades claras de golo, o Sporting chega ao terceiro golo, novamente Liedson, agora com um fantástico golpe de cabeça.
O jogo estava ganho, no entanto, Cardozo ainda reduziu a diferença, com um bom golpe de cabeça, golo esse que pode vir a ser importante em caso de desempate, já que no confronto directo, a vantagem é do Benfica.
3 a 2, foi o resultado final, numa justa vitória, que diga-se em abono da verdade, peca por escassa, tal o dominio leonino na 2ª parte, em que se destaca Liedson, sempre em grande contra o Benfica, Izmailov, mais um belo jogo e Moutinho, um senhor no meio-campo. No Benfica é difícil destacar alguém, talvez Maxi Pereira, que é de facto o jogador mais competitivo do Benfica 2008/09.
Olegário Benquerença teve alguns erros, bem no penalti sobre Suazo, mal no penalti de Maxi Pereira que ficou por marcar e beneficio da dúvida num possível penalti sobre Aimar logo no início da partida, na sequência dum lançamento de linha lateral e sobre Liedson, já na 2ª parte.
Julgo que um vermelho a Luisão, por chapada a Liedson e a Derlei que atinge intencionalmente Luisão com um pontapé por trás, não seriam mal mostrados, mas compreende-se a decisão de Olegário, porque o jogo foi globalmente correcto.
Quanto a este Benfica, preocupa o facto de não ter dinâmica de jogo, os princípios estão lá, os jogadores existem, mas a dinâmica colocada em jogo, é normalmente pouca, as excepções são raras e de facto quando elas existiram a equipa jogou, num entanto, julgo que a equipa continua na luta e se calhar poucos pensariam que tal fosse possível no principio da época, já que a desvantagem do Benfica perante os seus rivais era imensa, o Sporting e o Porto, apresentam uma estrutura consolidada à 2 épocas, mesmo treinador e mesma espinha dorsal da equipa, o Benfica começou de novo, por isso julgo que se mantiver a base, o Benfica na próxima temporada, será um candidato ao título, mais sólido e mais forte que esta época.
Para os que me acusam de facciosismo, basta ver que quando os jogos são como este derby, tenho a sensatez e o fairplay necessário de reconhecer o mérito do adversário e de lhe dar os parabéns pela vitória, deixando ainda a questão que se o Benfica ganhasse os últimos 3 jogos, com os casos e os lances com que o Porto os venceu, o que estariam neste momento a dizer ?
PAÇOS DE FERREIRA 0 PORTO 2 - Em mais um jogo marcado por casos, o terceiro seguido, o Porto venceu bem, até porque foi na 1ª parte superior ao seu adversário, embalado por Hulk, que é cada vez mais uma confirmação, velocidade, força e potência de remate, aliados à sua idade (22anos), fazem dele um diamante em ebulição.
O Porto entrou no jogo decidido a resolver cedo as coisas e Hulk, num misto de talento, que grande remate e alguma felicidade, a bola bate no pé de Ferreira e desvia a trajectória, fez o 1º golo da partida, que diga-se, já se adivinhava. O Paços só conseguiu reagir ao domínio do seu adversário, à passagem dos 35 minutos, enviando mesmo uma bomba à barra da baliza de Helton.
Na 2ª parte, o Paços entrou melhor, estava a reagir bem e o Porto tinha mais dificuldade em fazer as suas transições ofensivas, mas Ricardo faz grande penalidade sobre Hulk, num lance muito contestado pelos locais, mas que se aceita a decisão de Jorge Sousa, uma vez, que apesar de tocar na bola, este acaba por derrubar Hulk e aceita-se a decisão, porque a bola ficava ao alcance do jogador portista se este não fosse derrubado.
Com o segundo golo, o Porto voltou a ficar senhor do jogo e já de forma algo inesperada, o Paços marcou um golo, na minha opinião mal invalidado, uma vez que após cabeceamento de Tatu, a bola bate no braço de Carlos Carneiro, mas este não esboçou qualquer reacção, tinha até o braço encostado ao corpo. Num entanto, dificilmente o Porto iria perder os 3 pontos mesmo que esse lance fosse, como devia, validado.
A verdade porém, é que a equipa portista, num momento de equilíbrio da Liga, teve a felicidade de em lances de grande dúvida, ter todas as decisões a seu favor, e assim tem agora 4 pontos de avanço sobre os seus rivais, avanço esse, que pode ser a necessária alavanca para uma recta final cheia de moral do Porto. Tem a palavra o Sporting na próxima jornada.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

CLUBITE AGUDA? - Talvez sim, talvez não...

--- Ultimamente tenho sido acusado por alguns ilustres visitantes de alguma clubite aguda e que com essa atitude, estou a tranformar um bom blogue num espaço miserável. Não o nego, não o escondo, sou benfiquista, com muito fervor e muito orgulho, não sou daqueles que dizem que o Benfica está acima de tudo até da própria família, isso não, essa estará sempre acima de tudo.
O que algumas pessoas se calhar confundem, é a clubite aguda, com o facto de andar com os olhos abertos, de não ter pejo em relatar situações corriqueiras em certos clubes e ver o evidente e infelizmente, tem sido algo evidente nesta temporada, que de facto na dúvida, o clube que tem tido mais sorte em decisões a seu favor é líder e a bem da verdade, se calhar, não é vergonha nenhuma admitir que sem os últimos erros crassos, talvez hoje o líder da liga fosse outro.
Sou ainda acusado de não comentar ou esconder, situações que sucedem no meu clube, as quais não o dignificam, julgo que isso não é verdade, basta ver alguns posts anteriores em que critico duramente as acções quer da principal claque do Benfica, quer de alguns dos seus dirigentes, nomeadamente o seu Presidente, até porque eu tenho o privilégio de pensar por mim e não necessitar que falem por mim.
Tudo isto vem a propósito do facto de Rui Costa, ao intervalo do Benfica - Paços de Ferreira, estar no túnel de acesso aos balneários em animada conversa com o Delegado ao jogo da LPFP, e não com o arbitro, como alguns querem fazer crer, facto esse na minha opinião censurável, uma vez que dá azo às mais variadas especulações, mas que na verdade e felizmente em nada contribuiu para a acção da equipa de arbitragem, uma vez que o único caso que poderia haver foi o lance de um fora de jogo mal assinalado a Aimar na cara de Cássio, mas que em nada resultou, relembro até, que foi anulada e muito bem, uma situação de fora de jogo a Cardozo que daria golo.
Rui Costa foi multado por essa atitude, concordo, é assim que deve ser e era bom que assim fosse noutros sitíos, mas julgo eu, que toda a gente dos mais variados clubes, tem em Rui Costa, um exemplo em toda a sua carreira, sendo um ex-jogador, assumidamente benfiquista que vive o clube com enorme paixão, o que o leva a cometer alguns excessos, este caso foi um deles.
Num entanto, quem por vezes exige que se fale deste assunto, parece ignorar, que episódios destes não são infelizmente virgens, nem no Benfica, nem em muitos outros clubes e que em túneis de outros estádios, quando há relatos de situações anómalas, as imagens não existem, na Luz, pelos vistos existem, o que é bom.
Gostaria ainda, a bem da verdade, que as pessoas que se apressam a exigir que se fale neste espaço de situações incorrectas no Benfica, tenham a mesma coragem e ousadia de o fazer com aquilo que se passa nos seus clubes, olhem que os telhados de vidro são imensos e eu, nos blogues deles, não vi comentários, por exemplo, aos comportamentos de Antero Henriques no Porto - Marítimo, em que houve um motorista agredido, ou no triste comportamento de todo o banco portista, nomeadamente do adjunto José Gomes, que foi até à linha de fundo ter como assistente e de certeza que não foi para o elogiar.
Não me peçam para comentar a atitude de Fábio Coentrão, ele neste momento não joga no Benfica, mas sim no Rio-Ave, mas não consta que na Luz, algum jogador emprestado pelo Porto, tenha sido alvo de tentativas de agressão.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

SR. VITOR PEREIRA - BENQUERENÇA?!!!!!!!!

---Olegário Benquerença foi o arbitro escolhido para o derby do próximo fim de semana, o que não faz antever nada de bom, é caso para perguntar ao Sr. Vítor Pereira, se é assim que quer acabar com a onda de suspeição no futebol? É que o sr.Presidente da Comissão de Arbitragem da Liga, tem de ser o primeiro a dar o exemplo, tendo o máximo cuidado com as nomeações, mas parece que se está a preparar terrenos obscuros para alguém ser campeão, lastimável.
Este arbitro é conhecido pela sua alergia ao Benfica, com ele, o Benfica pura e simplesmente não ganha, com ele, em dois jogos com o Leixões, ignorou 2 grandes penalidades evidentes.
Não acredito que esta nomeação tenha por base beneficiar o Sporting, até porque esta equipa é também daquelas que tem algumas razões de queixa, o que me preocupa é que por trás desta nomeação, esteja o beneficio a terceiros, o que não me espanta nada, face ao que se vem verificando nas últimas semanas.
Sinceramente, perdi a fé toda para o derby, oxalá me engane e no final do jogo tenha de falar de tudo menos do Olegário, mas sinceramente nada de bom se anuncia, com o árbitro que mais tem lesado o Benfica, basta consultarem o seu belo historial nos jogos em que nos apita.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

TUDO NA MESMA - Frente da liga sem alterações

--- Foi uma jornada sem novidades, em que os quatro primeiros venceram e mantiveram as suas posições na tabela classificativa, nem mais uma tendenciosa arbitragem no Dragão foi novidade, afinal de contas já todos estão habituados às sucessivas tentativas de lançar os portistas na liderança, assim de facto é muito fácil ganhar títulos.
BELENENSES 1 SPORTING 2 - A jornada começou com um apetecido derby que teve um justo vencedor, o domínio do Sporting foi quase sempre a nota dominante do jogo, embora na 1ª parte, mercê do bom posicionamento defensivo dos azuis do Restelo, as oportunidades tenham escasseado, já que o Belenenses procurou mais destruir que construir.
Na 2ª parte, o Sporting acelerou o jogo, mas foi o Belenenses que inaugurou o marcador por Marcelo, que estava em posição irregular, embora seja daqueles lances que em caso de dúvida se deve beneficiar o ataque, o que não tira a irregularidade ao lance.
Depois desse golo, foi o único período de alguma desorientação do Sporting e o Belenenses esteve mesmo perto do 2º golo, depois, com o tento do empate por Vuckcevic, só deu Sporting, que chegou com justiça ao triunfo pelo recém entrado Postiga e ainda desperdiçou mais 2 ou 3 boas oportunidades de ampliar a vantagem.
Pedro Henriques esteve mal, é um árbitro que normalmente deixa jogar, mas não pode confundir impetuosidade com agressão e quer Diakité com uma bárbara cotovelada a Rochemback ainda na 1ª parte, quer Pedro Silva perto do final da partida, com um pontapé no peito de um jogador belenense, deviam ter recolhido mais cedo aos balneários com vermelho directo.
BENFICA 3 P.FERREIRA 2 - O jogo valeu pelos últimos 20 minutos cheios de golos e emoção, numa 1ª parte em que a equipa pacense tentou por todos os meios, anti-jogo incluído, impedir que o ataque benfiquista causasse mossa, tendo conseguido levar os seus intentos por diante, a excepção foi uma grande cabeçada à barra de Luisão com uma recarga de Aimar para grande intervenção de Cássio.
Na 2ª parte, o jogo ganhou intensidade e principalmente após a entrada de Di Maria, o Benfica foi mais rápido no último terço de terreno, mas a 1ª grande oportunidade pertenceu a Leandro Tatu, que passou por Moreira e deu mal na bola quando rematou à baliza, permitindo o corte sobre a linha de golo de David Luiz. Até que Cássio borra a pintura, depois de boas intervenções, falha a intercepção de uma bola fácil, permitindo que Cardozo inaugura-se o marcador aos 72 minutos e este foi o momento de viragem de um jogo enfadonho, para um jogo pleno de emoção, senão vejamos: Ruben Amorin faz 0 2 a 0, num momento de autêntico domínio no jogo, pensando toda a gente que o jogo estava resolvido, puro engano, 3 minutos depois, Ferreira reduz para o Paços, mas 5 minutos depois, Di Maria faz um golão, num momento de Di Magia, 3 a 1 para o Benfica aos 82 minutos e todos pensaram, agora sim, já está. Novo engano, aos 91 minutos, Chico Silva reduz e mesmo em cima do apito final, o Paços ainda mandou uma bola à trave, imprópio para cardíacos.
Se analisarmos o jogo todo, a vitória do Benfica é justa, se analisarmos apenas os ùltimos 5 minutos, o Benfica teve estrelinha, mas a verdade é que novamente o Benfica voltou a revelar algumas dificuldades e muita intermitência no seu futebol contra clubes que defendem mais, não podendo, sobe pena de sofrer dissabores como no jogo com o Setúbal, ter tudo para arrumar com o jogo e tremer com o assédio do adversário, uma equipa que está com 2 golos de vantagem aos 90 minutos, não pode correr o risco de perder 2 pontos.
PORTO 3 RIO-AVE 1 - De facto, em Portugal, outro clube que não o Porto, campeão só se for na playstation, pois sempre que a liderança do Porto está em risco, factores paranormais resolvem a situação, pese embora a natural superioridade portista que não estava a ser materializada em golos, mas mais um penalti, caído do céu, deu a vantagem ao Porto, que chegou ao intervalo em vantagem, vendo ainda uma defesa de Paiva, que lança a dúvida, dentro ou fora da baliza, a mim pareceu dentro e se é verdade que a grande penalidade não existiu, este golo não validado, escreveu direito por linhas tortas, pelo que a vantagem ao intervalo se aceita.
Na 2ª parte, o Rio-Ave apareceu melhor, começando também ele a criar lances perto da área portista, até que Fábio Coentrão tira um coelho da cartola e aos 72 minutos faz um golaço.
Adivinhavam-se portanto dificuldades para o Porto e eis que surge o momento do jogo, Farias empoleirasse num defesa vilacondense e introduz a bola na baliza, 2 a 1, aos 86 minutos, em mais um golo falso, com falta nítida e que contribuiu de forma decisiva para tranquilizar e dar a vitória ao Porto, pois o 3º golo já em período de compensações é apenas fruto da normal tranquilidade dos portistas. Assim de facto não é muito difícil criar hegemonia no futebol, uma tristeza para quem realmente gosta da verdade desportiva, mais uma vitória, falsa como Judas.
Mas não satisfeitos com a preciosa ajuda de Elmano Santos, Antero Henrique (o tal dos telefonemas que limparam o castigo do Deco), à boa imagem do FC do Porto, ainda ameaçou Fábio Coentrão, tentando agredir o rapaz, o qual se limitou no flash interview a constatar o óbvio:- " O arbitro deu a vitória ao Porto", aliado a isso, o facto do jovem jogador estar emprestado pelo Benfica ao Rio-Ave. De facto naquele recinto parece valer de tudo.
Carlos Brito, mostrou um fairplay que não lhe reconhecia, recusando comentar o trabalho de Elmano Santos, com uma atitude muita contrária a outras situações em que se sentiu lesado, sinais de vassalagem? Parece que sim, infelizmente, parece que há cada vez mais clubes subservientes ao sr. Feudal.
Outros resultados: Braga 0 Leixões 1; Nacional 3 Guimarães 0; Trofense 2 Naval 2 e Marítimo 1 Estrela 0.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

SALADA DE FRUTAS - Quando o crime compensa.

--- Muito se tem discutido sobre a Justiça, ou falta dela, em Portugal, a qual deveria ser igual para todos, mas que é mais que evidente que tem dois pesos e duas medidas, principalmente, quando envolve figuras públicas. Não, não falo do caso "Freeport", uma vez que esse nada tem a ver com o desporto, falo sim do caso da fruta e de mais um arquivamento.
De facto, fazendo jus à minha introdução, o Tribunal da Relação do Porto, acabou de confirmar a decisão de arquivamento do caso da fruta que diz respeito ao jogo Estrela da Amadora - Porto, à semelhança do que havia feito no jogo Nacional - Benfica, por parte do TIC do Porto, ilibando assim pessoas como Pinto da Costa e Jacinto Paixão.
Após mais esta estranha decisão, o que salta à vista para a maioria da opinião pública, é que neste país, nem há justiça, nem interessa fazê-la, que no seio dos Tribunais, se movem das mais estranhas influências, quem sabe se também movidas, ou não, ao sabor da fruta, a verdade é que como se pode credibilizar a Justiça, quando com provas tão evidentes como as escutas telefónicas, se recorrem de subterfúgios que questionam só e apenas a sua legalidade e nunca a sua essência?
Como pode um Tribunal, que curiosamente pertence à cidade do principal suspeito, dar provimento a um recurso que visa arquivar um processo, alegando a falta de credibilidade de um testemunho (Carolina Salgado)? Ignorando não só o conteúdo das já referidas escutas, como dando como credíveis os envolvidos no processo e passando um atestado de estupidez a uma testemunha, é caso para dizer que se trata uma testemunha como um suspeito e um suspeito, como um benfeitor.
De facto, é caso para dizer que a nossa (in)justiça, está mergulhada numa autêntica salada de frutas, soltando energicamente o berro " VIVA O CRIME".

JOÃO MOUTINHO - Melhor jogador português a actuar na nossa liga

--- Após inquérito realizado aos nossos fieis leitores, foi sem surpresa que João Moutinho foi o jogador mais votado para a eleição do melhor jogador português a actuar na nossa liga. De facto a regularidade deste jovem jogador sportinguista é impressionante, caminhando para os 100 jogos seguidos, uma marca só por si digna de registo.
Moutinho, obteve 41% das preferências, seguido por Nuno Gomes com 33% dos votos e de forma algo surpreendente surge na 3ª posição Ruben Amorin, com 16% , fruto do respeito e admiração que vai causando no seio do universo benfiquista e também nos próprios adeptos adversários, mesmo jogando fora da sua posição natural.
Segue-se novo inquérito, que visa apurar o melhor guarda-redes a actuar na nossa liga, pelo que agradecemos desde já, a maciça participação dos nossos ilustres visitantes.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

MÊS DE DECISÕES? - Só em Abril, julgo eu...

--- Muitos consideram ser este mês de Fevereiro, aquele que pode decidir o futuro campeão nacional, talvez devido ao facto dos eternos favoritos se defrontarem entre si, mas eu não vou nesta teoria.
Partindo do princípio que este campeonato ainda não está entregue, a bem da verdade desportiva e é nisso que quero acreditar, apesar de cada vez ser mais complicado, julgo que da forma com a liga está a decorrer, que o mês de Abri será o decisivo, será o mês em que a equipa que estiver na liderança, poderá agarrá-la até ao fim, até porque os jogos como sabemos decidem-se nos confrontos contra os chamados pequenos e não entre os grandes.
O empate do Benfica no Dragão, mais me convenceu dessa realidade, a ganhar, o Porto assumiria tal vantagem pontual e moral, que muito dificilmente alguém os conseguiria contrariar, assim com esta igualdade, que devia ter sido uma vitória do Benfica, as equipas continuam muito próximas entre si, até mesmo o Sporting, apesar da comprometedora derrota em casa.
Durante Fevereiro, O Benfica joga com, P.Ferreira, em casa, Sporting fora e Leixões em casa; o Porto, recebe o Rio-Ave, vai ao Paços e recebe o Sporting, calendário muito idêntico não tivesse o Porto nas deixas do Benfica, já o Sporting tem a teoria um mês mais complicado, o que pode ser comprometedor na ausência de bons resultados, a equipa leonina vai ao Restelo, recebe o Benfica e vai ao Porto, jogos muito dificeis e é talvez a única equipa que em caso de insucesso se pode definitivamente atrasar para os seus rivais e comprometer as suas legitimas aspirações, embora o inverso, lhe possa garantir uma forte injecção de moral, mas não o fará distanciar-se, ou seja nada decidirá.
Neste lote de candidatos há que incluir o Braga, não só pelo seu belo plantel, como pelas suas performances e a verdade é que dista a apenas 6 pontos da liderança e pode tirar proveito dos confrontos directos entre as equipas que estão à sua frente, o Braga neste mês recebe, o Leixões, vai à Naval e recebe o rival minhoto Guimarães, jogos em que pode perfeitamente arrecadar os 9 pontos e colar-se ainda mais aos da frente.
Por isso é que digo que no final de Fevereiro vai ainda continuar tudo muito junto, as equipas vão ainda perder alguns pontos e reafirmo que a vantagem moral de enfrentar na liderança as 3 últimas jornadas, pode realmente ditar o vencedor da liga, por agora ainda é cedo tal o equilíbrio.
Esperemos então que até aos meu mês de decisões, os árbitros melhorem as suas performances e deixem de ter influência directa nos resultados, para que no final da liga, possa haver um campeão com mérito, cujo seu valor foi indiscutível dentro do campo, oxalá assim seja.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

LIGA DA MENTIRA - Assim se fazem campeões

--- Foi uma vergonha aquilo a que se assistiu o estádio do Dragão, num bom jogo de futebol, em que a correcção imperou e os jogadores facilitaram a vida ao árbitro, eis que mesmo assim Pedro Proença, o benfiquista?!!!!!, resolveu tirar um coelho da cartola e deixar o Porto na liderança, atrevo-me mesmo a dizer que a máfia contínua viva e bem viva e a dar antecipadamente os parabéns ao Porto por mais um título à semelhança de tantos outros, conquistado ao seu mais nobre e velho estilo, pois não tenho dúvidas nenhumas depois deste clássico, que o campeão está há muito encontrado, o que é triste. Peço desde já, que se crie um campeonato para o Porto e outro para as restantes equipas, para que comecemos a ter campeonatos com alguma verdade desportiva.
Por mais que se procure falar menos das arbitragens, de facto torna-se complicado, quando eles próprios nada fazem para contribuir para a pacificação deste sector, parece que a sede de protagonismo impera.
PORTO 1 BENFICA 1 - Bom jogo de futebol, com uma igualdade no resultado que se ajusta ao jogo em si, mas escrita por linhas tortas.
Entrou melhor o Porto como se esperava, dono do jogo, mais acutilante e a criar as duas primeiras oportunidades de golo, contudo, nunca o Benfica foi um equipa melindrada ou assustada com esse domínio, o Benfica esteve antes confiante e personalizado, como à muito não se via e que se calhar muitos como eu não esperavam. Perante isto, a equipa foi-se soltando e começou a dominar a operações, repartindo o domínio da partida com a equipa da casa e já depois de uma grande ocasião desperdiçada por Reyes, na sequência de um canto marcado por este jogador, Yebda, bem lá no alto, dispara uma bela cabeçada que só acaba no fundo das redes.
O golo surgia numa bela altura, pois logo de seguida veio o intervalo.
Na 2ª parte, julgou-se que o Porto viria com tudo, puro engano, era o Benfica quem geria o ritmo da partida, alicerçado num grande meio-campo, onde Yebda, Katsouranis e Ruben Amorin ganhavam e matavam a maioria das jogadas e onde Aimar (o melhor jogo no Benfica), marcava o ritmo ao futebol atacante do Benfica, com uma qualidade de passe fantástica, parece que el mago está a caminho. Depois na defesa Sidnei impunha-se a todas as iniciativas do adversário, resultado disso é que o Porto tinha um caudal ofensivo maior, mas as situações de maior perigo iam pertencendo ao Benfica.
O Porto estava manietado, não conseguia dar velocidade ao jogo, muito por mérito do Benfica, até que surge o escândalo do jogo, Lizandro simula nitidamente uma queda junto a Pedro Proença, olhando para este, com quem diz - então pá, ò Pedro, o que é que a gente tinha combinado? E como bom servo o Pedro, providencia numa bandeja de apito dourado o empate para o Porto, numa altura em que se adivinhava mais depressa o 2º golo do Benfica, , lance esse que tem clara influência na partida e como tal falseou o resultado, impedindo o Benfica de vencer com mérito, assumir a liderança com 2 pontos de avanço que no fundo representaria 3 pontos, uma vez que em caso de igualdade pontual a vantagem era do Benfica.
Podemos aqui falar de um lance de Lucho Gonzalez, com Reyes aos 20 minutos da 1ª parte passível de grande penalidade, esse lance é de todo comparável ao de Suazo no Restelo com o Guarda-Redes do Belenenses, em que leva um toque, consegue continuar a jogada e só depois caiu, lançando a dúvida no árbitro e perante isto, muito bem, na dúvida não se assinala, além de que, pela posição do árbitro, este lance é incomparável aquele que ditou o empate portista.
Pensei que após a falsa igualdade no marcador, o Benfica iria cair animicamente, é complicado a uma equipa num jogo destes, resistir a tamanho roubo, mas não, o Benfica continuou melhor até ao fim do jogo e só não o venceu, porque forças maiores o impediram.
Sinceramente, espero agora que essa ideia de Proença ser sócio do Benfica seja desmistificada e a ser verdade, espero que ele tenha a vergonha e o bom senso de não colocar os pés num estádio, onde seguramente não é bem vindo, acho mesmo que ele, além do apito, deve ser premiado no final da temporada com o prestigiado galardão do dragão de ouro, pois são nestes pormenores que se fazem campeões e pelo que vi, repito, não tenho dúvidas em quem será o próximo campeão nacional, a mim este futebol já me mete nojo.
SPORTING 2 BRAGA 3 - Como é compreensível, apenas vi 35 minutos da 1ª parte, 15 da 2ª parte e o resumo do jogo.
Pelo que vi, o Braga entrou muito bem no jogo, e a prova mais fiel disso mesmo, é que nesse período da 1ª parte a que assisti, não me lembro de um único remate do Sporting, enquanto o Braga falhou uma oportunidade flagrante de golo e teve sempre um caudal de jogo mais fluído.
Na 2ª parte, mais do mesmo, com a equipa bracarense a chegar à vantagem com toda a justiça. Aí sim, Sporting reagiu, acabou por chegar à igualdade com um belo golo de Derlei e a dominar a partida, mas depois, num lance precedido de falta nas imediações da área arsenalista, o Braga chega ao 1 a 2, após grande jogada de Luís Aguiar e bom golo de Renteria, de facto e apesar da falta não marcada que dá origem ao golo, estranha-se a deficiente e lenta recuperação da equipa que teve muito tempo para matar a jogada e não conseguiu, daí eu nunca entender esses lances de faltas que eram mas não foram como decisivas.
Com a vantagem no marcador, o domínio arsenalista foi ainda maior, chagando ao 3º golo, num lance em que me dá a clara sensação que a bola entrou, embora seja muito complicado afirmar com certeza, mas a verdade é que os próprios jogadores leoninos pareceram acreditar que foi golo, pois nem reagiram a esta decisão, por isso benefício da dúvida para Jorge Sousa. O Sporting ainda reduziu no período de compensações, mas já nada havia a fazer para impedir a justa vitória do Braga, a qual podia ter atingido maiores proporções, tala a noite de desacerto leonino.
Destaque ainda nesta jornada para o Nacional da Madeira, cm a goleada na Figueira da Foz, com o seu goleador Néné, a ser já uma das figuras desta liga, um jogador a seguir com muita atenção.
Restantes resultados: Naval 0 Nacional 4; Guimarães 2 Marítimo 1; Leixões 2 Trofense 0; Estrela 0 Setúbal 0 e Rio-Ave 1 Académica 0

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

CARLSBERG CUP - Final com apetecido derby

Disputaram-se as meias finais desta competição sem chama e completamente desorganizada, em que na véspera dos jogos ainda só se conheciam 3 semi-finalistas. O Benfica foi nesse caso o mais prejudicado, sabendo apenas o nome do seu adversário pouco mais de 24 horas antes do jogo, julgo mesmo que os bilhetes impressos, deviam dizer Benfica - Guimarães/Belenenses, uma autêntica vergonha a leviandade com que se fazem regulamentos.
O interesse nesta competição não parece ser muito e uma prova que foi criada, segundo a Liga, a pensar nos clubes pequenos, os seus moldes são contudo de beneficio aos grandes.
BENFICA 2 GUIMARÃES 1- Num jogo em que o futebol vitoriano foi mais vistoso, mas as melhores oportunidades foram do Benfica, em especial nos últimos 15 minutos da 1ª parte em que o Benfica por intermédio de Cardozo envia uma bola à barra e propicia uma grande intervenção ao Guarda-Redes vimaranense, os vitorianos jogavam até à área benfiquista, mas não conseguiam lá entrar, optando quase sempre por remates de meia distância, inconsequentes e sem perigo, pelo que nulo ao intervalo era aceitável.
Na 2ª parte, o jogo continuou igual, até que o autogolo de Desmarets acordou o Benfica, que após o 1 a 0, passou a dominar a partida e a aproveitar os espaços dados pela defesa adversária, pelo que o golo de Aimar surgiu com alguma naturalidade.
Pensava-se que o jogo estava resolvido, mas não, o Guimarães reduziu pelo mesmo Desmarets, quase logo a seguir ao 2º golo do Benfica e já mesmo no final do jogo desperdiçou o empate.
No jogo fica o destaque para o regresso tranquilo de Quim e finalmente um golo de Aimar, diga-se que merecido, com uma excelente arbitragem de Artur Soares Dias, num momento complicado da sua vida com a morte do pai.
Vêm aí um jogo de extrema importância para o título, e a verdade é que no Dragão, precisa-se um Benfica muito superior a este, pois esta equipa revela dificuldades em pautar um ritmo de jogo, em assumi-lo e uma falta de ligação entre sectores assinalável e ao contrário do princípio da época, as suas melhores individualidades estão eclipsadas.
SPORTING 4 PORTO 1 - Quase apetecia dizer Sporting - Porto B ou C, mas disso não tem a equipa de Alvalade a culpa e o Porto pagou bem caro a factura com uma goleada que só não atingiu maiores proporções pela displicente entrada no jogo do Sporting e pelo seu desacerto na finalização durante a 2ª parte.
O Porto marcou cedo, colocando-se em vantagem no marcador, ante um Sporting que entrou adormecido, o jogo estava sem fulgor e a equipa de Alvalade revelava alguma ansiedade, até que surge o penalti sobre Polga, o qual me deixa algumas dúvidas, dúvidas não teve Romagnoli que igualou a partida. Esse golo acordou a equipa leonina, que depois disso não mais perdeu o controlo do jogo, num entanto o intervalo surge com uma igualdade a uma bola.
2ª Parte, aí a equipa do Sporting entrou determinada, mas mais um lance duvidoso de penalti, faz com que Romagnoli desse a cambalhota no resultado e a partir desse momento foi um festival de ocasiões de golo perdidas, com 2 golões de Derlei e um inspirado Vuckcevic, os quais juntamente com Pereirinha deram cabo de uma equipa portista sem reservistas de categoria e obviamente sem rotinas de jogo, é caso para dizer bem feita Jesualdo pela tua presunção, pena não teres levado mais.
Carlos Xistra teve uma arbitragem infeliz, num jogo em que os jogadores nem complicaram e se nos penaltis deixo aqui as minhas reservas, a verdade é que o Sporting acabaria sempre por vencer tal o seu domínio.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

SÃO MANTORRAS - no dilúvio da Luz.

--- O Porto inicia a 2ª volta na liderança, em vésperas do grande clássico, numa jornada que ficou também marcada pelo regresso de Mantorras e logo com um golo que valeu 3 pontos e por um sensacional Trofense que ainda não perdeu frente aos grandes.
BENFICA 1 RIO-AVE 0 - É humanamente impossível analisar o desempenho das equipas num jogo jogado naquelas condições, o charco em que se encontrava o relvado não permitiu que se jogasse futebol, manifesto mesmo a minha estranheza pelas dificuldades de escoamento daquele relvado, algo nunca visto na Luz.
Foi um jogo atípico, jogado com mais entrega que talento e nesse aspecto as equipas tiveram um bom desempenho. Como a bola não rolava, tornava-se complicado criar oportunidades, o jogo era mesmo uma lotaria e se na 1ª parte o Rio-Ave e adaptou melhor às condições do terreno de jogo, que obviamente facilita mais quem defende, na 2ª parte tudo mudou, o Benfica começou a jogar um futebol mais directo e criava algumas dificuldades ao último reduto adversário, cujo reflexo desse domínio foram as duas bolas aos postes de Cardozo e as duas magnificas defesas de Paiva. Até que chegou o grande momento do jogo, Mantorras entra em campo, com ele o êxtase no estádio e 3 minutos depois de entrar, o golo, merecido, para um jovem que tem a sua carreira altamente condicionada e tem sido um exemplo de sofrimento e luta, Mantorras nunca desiste.
Continuo a dizer, por muito que a verdade custe, que esse jogador, devido às suas evidentes limitações fisicas, já tinha sido dado como inapto para a prática do futebol noutro clube, mas no Benfica não, pois ele representa a alma e o querer, algo que infelizmente não é mais vezes seguido pelos restantes atletas.
Em suma uma vitória justa e importante num campo complicado.
TROFENSE 0 SPORTING 0 - assisti à última meia hora do jogo, pois também eu exercitava nessa hora toda a minha capacidade técnica, OK, levei uma cabazada mas que se lixe.
Vamos ao jogo, pelo que sei, a 1ª parte foi nivelada, sem grandes ocasiões de perigo nas balizas, o Sporting apesar de algum domínio, foi uma equipa lenta e sem rasgos, pelo que ao intervalo o nulo era o corolário lógico daquilo que se tinha passado.
Na 2ª parte, o Sporting entrou mais rápido, maior mobilidade e acabou por encostar o Trofense na sua área, mas as dificuldades em furar a muralha defensiva eram muitas, já que num campo curto, a missão de defender torna-se mais simples e a verdade é que ocasiões soberanas de marcar foram poucas, mas todas para o Sporting. O Trofense apenas deu um ar da sua graça em dois rápidos contra-ataques em que ficaram dois para dois, mas os quais foram muito mal conduzidos e acabaram por nem sequer representar qualquer perigo.
O árbitro da partida era para ser João Ferreira, o qual se lesionou no aquecimento, acabando substituído pelo 4º arbitro, o qual apesar de ser dos quadros da 2ª divisão, no período que o vi a apitar, mostrou a alguns conceituados da nossa praça, como se deve arbitrar, nos lances mais complicados de ajuizar, apitou quase sempre bem, mostrando serenidade e uma boa capacidade para deixar o jogo fluir, oxalá houvesse sempre arbitragens deste nível.
BELENENSES 1 PORTO 3 - Dar 2 golos de avanço a uma equipa como o Porto é puro suicídio e foi isso que aconteceu. Ao contrário do jogo contra o Benfica, o Belenenses entrou frouxo, desorganizado e sem chama, reagindo apenas após ter conseguido reduzir a desvantagem, tendo mesmo uma ocasião soberana pra igualar a partida já no período de compensações da 1ª parte, negada por uma boa intervenção de Helton.
Na 2ª parte, o Belenenses correu riscos, foi mais esforçado e teve até algum domínio de jogo e até aos 75 minutos, foi a única equipa a criar oportunidades, uma delas incrivelmente desperdiçada por Àvalos. Esse lance acabou por ser fatal para os homens do Restelo, depois desse lance a equipa pareceu deixar de acreditar e o domínio de jogo voltou a pertencer aos portistas, culminando a sua actuação com o 3º golo apontado por Lucho, já perto do final da partida.
Vitoria justa do Porto que assim mantém o 1º lugar e vai receber o Benfica em vantagem pontual, algo que pode constituir uma enorme mais valia em termos psicológicos.
RESTANTES RESULTADOS: Marítimo 1 Naval 0; Nacional 0 Leixões 0; Braga 2 P. Ferreira 0; Académica 2 Estrela 0 e Setúbal 2 Guimarães 4.

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista