sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

ULTIMAS DA NOSSA PRAÇA - Da detenção de Grimi ao adeus de Léo.

Nem só de futebol jogado se viveu esta semana, vários acontecimentos como sempre vão marcando a actualidade desportiva nacional.
No caso especifico do Benfica, fica marcado pelo emagrecimento do plantel, a rescisão por mútuo acordo com Léo, a quem fica aqui o meu reconhecimento pelo empenho e profissionalismo demonstrados ao longo das épocas em que defendeu as cores benfiquistas. A sua conduta é reconhecida pelos benfiquistas e adversários, como de grande categoria futebolistica, profissionalismo, sendo um jogador sempre com um discurso seguro na defesa dos interesses da equipa, nunca se envolvendo ou semeando polémicas, mesmo quando a renovação do seu contrato parecia não ser possível.
Julgo que a sua saída não se deveu única e exclusivamente aos problemas familiares que são do conhecimento de todos, embora essa situação tenha o seu peso, fico com a clara sensação que pura e simplesmente este jogador nunca entrou nas contas de Quique Flores, facto que me causa estranheza, até porque na minha opinião estávamos na presença do melhor lateral esquerdo a actuar em Portugal, mais um tiro no pé.
Ainda no Benfica, Makukula foi emprestado ao Bolton da liga inglesa, uma liga que me parece ser adequada às suas características, num negócio de empréstimo por uma época, em que o Benfica recebe 700 mil euros e o Bolton fica com a opção de compra no valor de 5 milhões de euros. Parece-me ser um bom negócio, até porque se o Bolton concretizar a opção de compra, o Benfica não só recupera o investimento, como ainda gera 1 milhão de lucro. Eu confesso, que fui um defensor da sua contratação na época passada, embora tenha achado um exagero aquilo que o Benfica pagou ao Sevilha, mas tenho de reconhecer que foi uma má compra, pois o jogador pareceu-me muito limitado.
No Sporting, o destaque vai inteirinho para o lateral esquerdo argentino Grimi, que foi detido pela PSP esta madrugada por ter acusado 1,24 de álcool no sangue, na zona das Docas, em Lisboa,facto esse que ao abrigo do código da estrada constitui crime. No entanto, o jogador já treinou esta manhã com os seus companheiros. Salema Garção, director de Comunicação do clube de Alvalade disse à Rádio Renascença que “o assunto está a ser tratado internamente”.
Já no Porto, as noticias ficam marcadas pela contestação do clube pelo facto da LPFP, ainda não ter feito a entrega do troféu respeitante ao anterior campeonato, facto esse que é estranho e já começa a pecar por tardio. Nunca consegui perceber, porque razão em Portugal o vencedor do campeonato, não recebe o seu troféu ou na última jornada da época do título, ou na 1ª da época seguinte, assim estas polémicas acabavam de uma vez por todas. Já que a liga puniu o Porto de modo a não lhe retirar o título, então tratem lá desse assunto de uma vez por todas se faz favor.
Outro facto que tem sido noticia de última hora è a contestação generalizada ao formato da Taça da Liga, com a última jornada da terceira fase em horários diferentes, ao contrário do habitual em outras competições, levanta críticas de alguns treinadores ainda envolvidos na prova. Manuel Machado (Nacional), Paulo Sérgio (Paços de Ferreira), Domingos Paciência (Académica) e Lori Sandri (Marítimo) criticam o actual modelo da competição e afirmam que a realização de jogos em horários diferentes prejudica o espectáculo, podendo, inclusive, desvirtuar a verdade desportiva.
Tenho de reconhecer a razão dos contestatários, o interesse das televisões não pode ser superior aos interesses desportivos, sendo uma autêntica vergonha que os jogos da última jornada, ao contrário das outras competições, não seja disputada à mesma hora.
Como sabe sou também eu um contestatário desta competição, uma vez que ela nada trouxe de novo ao futebol português e se na verdade como disse Herminio Loureiro, esta prova foi concebida a pensar nos clubes pequenos, então não se percebe porque razão são os grandes que têm 2 jogos em casa nesta fase de grupos, se foi para os ajudar financeiramente, então pode-se considerar um falhanço, pois as parcas assistências falam por si, gerado mais despesas que receitas aos clubes.
Das duas umas, a continuar assim mais vale acabar com esta prova, ou então cria-se nela incentivos, os quais podem passar pelo direito a um lugar na Taça Uefa, à semelhança da Taça de Portugal e da Taçada Liga inglesa e como forma de atrair mais público aos estádios, que tal devolver o futebol às famílias, com jogos nos fins de semana à tarde com bilhetes de família a preços simbólicos?
Para finalizar, a semana ficou ainda marcada pela enorme onda de contestação à abitragem de Paulo Baptista no Benfica - Braga, a blogoesfera foi evadida por sportinguistas e portistas ferozes nas acusações a esta arbitragem. Sendo asim, aqui ficam algumas imagens dedicadas a todos aqueles que tanto criticaram Paulo Baptista e apelidaram de escândaloso o penalti de Luisão:
e outras imagens que mostram exemplos da razão porque foram condenados por corrupção pela branda justiça desportiva nacional:

1 comentário:

garanhao plus disse...

Léo Obrigado
Makukula, vai e não venhas que queremos os 5 milhões.

Grimi bêbado, amanhã será que os jornais tratarão este caso como o do Luisão?

É natural que não se queira entregar uma taça a corruptos, para não a manchar de corrupção.

Os vídeos fala por si.

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista