quinta-feira, 10 de maio de 2012

OLHAR O FUTURO - qualidade em vez de quantidade.

   A caminho do fim desta liga da mentira e da vergonha, interessa agora virar agulhas para o planeamento da próxima época, sem esquecer que o Benfica tem sempre a obrigação de jogar com dignidade e fazê-lo representa jogar em Setúbal para ganhar e com uma atitude muito diferente daquela a que se assistiu na despedida da época na Luz.
  Mais uma vez, os benfiquistas devem estar preparados para a catadupa de nomes que se irão apontar como reforços do clube, um vendaval usual e no qual, infelizmente, alguns benfiquistas embarcam, sobrando depois críticas inadequadas e precipitadas à direcção do clube, já que não há direcção que consiga controlar este tipo de situações, no fundo, este é o preço da dimensão do clube e do facto da marca Benfica vender muito a todos os níveis.
   Sabendo nós que à semelhança de outros anos, o Benfica terá forçosamente de vender alguns dos seus melhores activos, só assim se consegue manter um orçamento capaz de discutir títulos, também não deixa de ser verdade que esse facto obriga a um reenvestimento no reforço e equilíbrio da equipa, sendo eu defensor da qualidade em vez da quantidade.
    Longe de me querer meter num assunto que cabe às pessoas que dirigem o futebol do clube, sou da opinião que o Benfica não deve atacar no mercado com muitas novidades, mas sim suprir lacunas evidenciadas ao longo da temporada, dotar o plantel de uma ou outra alternativa mais válida e por fim, preencher convenientemente as vagas daqueles que serão vendidos.
    Também na minha modesta opinião, este plantel apesar de ter sido no geral equilibrado, revelou algumas evidentes lacunas, ora fruto de algumas inadaptações, ora fruto de algumas apostas que não resultaram, um risco sempre inerente a qualquer contratação, sendo o caso mais evidente o do Enzo Pérez, um episódio de difícil previsão, num jogador que constituiu das maiores apostas da época, são coisas que acontecem em qualquer clube.
    Sendo assim, parece-me evidente que o Benfica deve antes de mais resolver a questão do lateral esquerdo, já se percebeu que Emerson é um falhanço, que Capdevilla não é solução e que Luís Martins é ainda algo verde e o melhor para ele é rodar num clube que lhe dê minutos, crescendo, pode vir a constituir num futuro próximo uma opção válida.
    Esta questão do lateral tem de ser uma aposta séria, válida e sem falhanços, à semelhança do conseguido com Artur após a decepção Roberto, sinceramente não me interessam os nomes, interessa-me antes a qualidade e o tiro certeiro.
   Julgo que também neste plantel não há uma alternativa válida a Maxi Pereira, facto esse que convém ser corrigido, Maxi é jogador de selecção, tem normalmente grande sobrecarga de jogos e é imperioso salva guardar com qualidade situações em que forçosamente terá de estar ausente.
   Estas foram julgo eu lacunas evidentes na presente época, mas há uma outra que foi pouco debatida no universo benfiquista e que a mim me pareceu sempre evidente, alguma falta de velocidade no ataque, nomeadamente nas alas e apesar de ser a menos debatida, pareceu-me por vezes a mais gravosa na equipa e passo a explicar o meu ponto de vista:
   Desde que Jorge Jesus chegou ao Benfica, o futebol do clube caracterizou-se quase sempre por um ritmo alto de jogo, aliado a uma pressão forte na recuperação de bola, que permitia ao clube fazer rápidas transições do processo defensivo para o ofensivo, esse factor, foi na minha opinião o mais relevante na sua 1ª temporada no clube, que resultou na conquista do título com um futebol que a todos conquistou.
    Ora nessa altura, nas alas, o Benfica contava com a explosão de Di Maria na esquerda e Ramires na direita, dando muita velocidade nessas transições, as quais apanhavam muitas vezes os adversários em contra pé.
    Com a saída desses 2 jogadores de inegável qualidade, nunca o Benfica supriu com a mesma qualidade essas ausências, Gaitan tem de facto alguma velocidade, mas não é explosivo e muito menos um extremo puro, Nolito está longe de ser rápido, tal como Bruno César, são mais jogadores com enorme leitura de jogo e capacidade de passe, sendo que o espanhol junta a isso alguma irreverência.
    Por esse facto, o Benfica deixou de ter a mesma espectacularidade e a mesma capacidade desequilibradora pela velocidade, daí em achar ser urgente contratar jogadores com essas características e aí, o nome falado, Ola John do Twente, parece-me uma solução perfeita, é um jogador com grande velocidade, fortíssimo no 1x1 e que faz imensas assistências de qualidade, não só porque ganha o espaço nas costas das defesas adversárias com facilidade, como também pela sua capacidade em colocar a bola em zonas de finalização.
    Concluindo, julgo que o Benfica não precisa de mexer muito na equipa, 2 laterais, um para cada lado, mais um ala rápido e suprir eventuais vendas com qualidade, parece-me ser suficiente para que na próxima época o Benfica mostre qualidades e capacidade de discutir o título, desde que o deixem.

6 comentários:

Anónimo disse...

Caro e Glorioso Jotas,

Tens uma resposta no meu blog a comentário teu.

Já aqui venho há bastante tempo e com regularidade. Como já referi a alguNs dos nossos Companheiros da Gloriosasfera, por norma não comento, mas gosto deste blogue. É bom, Benfiquista.
Continua!

Saudações Gloriosas

GRÃO VASCO

Carlos Alberto disse...

cá está o Jotas a fazer serviço publico-Benfiquista.

Granda postadela

71460_5/8 disse...

Com Ola John e/ou Melgarejo acho que podemos voltar a ter mais velocidade nas alas ;)

No entanto nenhum é um Ramires. Mas os equilíbrios podem ser feitos de outra forma, tal como sucedeu este ano.

Concordo que não é necessário nem se deve mexer muito. Mas tudo vai depender das saídas. A saírem jogadores fundamentais que seja em bons negócios.

Anónimo disse...

com este frutabol portugues, o Benfica não precisa de investir no plantel, mas sim na arbitragem.
são estes os que ganham campeonatos.

Juris disse...

Muito bem! caro Jotas!....

Uma boa qualidade..correto..mas, não te esqueças, o ruizinho cartaxana contínua acantonado na trincheira e não abdica...

O futebulês encatrapiado vai continuar..ai vai..vai.

Manuel Oliveira disse...

Também sou de opinião que não precisamos de muitos jogadores até porque teremos a equipa B para rodar jogadores e utilizar alguns na equipa principal.

Abraço.

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista