quinta-feira, 30 de abril de 2009

CASTIGO DE RUI COSTA - e os outros é que choram

Sinceramente tenho muita dificuldade em compreender os critérios disciplinares da liga, uns podem dizer tudo o que lhes vai na alma e outros, por quase nada dizerem, são imediatamente punidos, ou seja, o critério é consoante a cor da camisola, se for verde e branca não há castigos, se for vermelha, toma lá que cá vai disto.(espero não ser castigado por escrever a vermelho).
Rui Costa, foi punido com um mês de suspensão, por ter dito o seguinte: "Tenham vergonha das decisões e dos critérios disciplinares que andam a tomar", gostaria de saber onde está a gravidade de tl afirmação, para o CD da Liga, a achar muita mais grave do que fazer gestos de roubo, ameaçar criar um clima de terror nos árbitros, de os chamar desonestos e incompetentes, a isso, chama-se liberdade de expressão, segundo os jornalistas e sportinguistas, à frase de Rui Costa, que nada tem de ofensivo, pune-se de imediato.
Este castigo advém do jogo Benfica - Marítimo da última jornada, a celeridade da decisão foi notável, causando-me estranheza tanta pressa, isto se atendermos à lentidão constante das decisões disciplinares deste organismo, mas ainda mais grave, é assistir à expulsão de um treinador e nem sequer haver castigo, algo verdadeiramente notável e até original.
Se houvesse critério uniforme e a mesma rapidez na justiça desportiva em relação a outros clubes, Paulo Bento por exemplo, atendendo ao que disse e por analogia, provavelmente só poderia voltar ao banco lá para 2020 e já deveria ter sido punido à meses, mas enfim, ou existe um incompreensível medo de punir alguém do Sporting (por exemplo,uma peitada a um árbitro, só vale 2 jogos de suspensão), ou então vale a pena fazer um coro semanal de choro, de modo a condicionar não só a acção dos árbitros, mas também do CD da Liga, só desse modo se compreende a impunidade que existe para com os elementos ligados àquele clube.
Esse choro, torna-se tanto mais incompreensível, quando verificamos, que em abono da verdade, o Sporting não perdeu um único ponto por causa das arbitragens e isso é um facto indesmentível, já em termos estratégicos, esse constante vitimização, resulta e de que maneira, principalmente quando se tem uma comunicação social muito bem controlada e obviamente do seu lado, o que se diria hoje, se Quique já tivesse proferido declarações com metade da gravidade das de Paulo Bento?
Portanto, uns choram imenso e têm evidentes lucros com isso, outros, à mínima palavra, são severa e rapidamente punidos, afinal quem tem mais razões efectivas de queixa?
Qualquer dia, acredito, que qualquer declaração de alguém ligado ao Benfica, seja punida mais severamente do que um clube tentar corromper os árbitros, sinceramente já nada me espanta neste futebolês.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

TUDO NA MESMA - Ninguém escorrega.

--- Nenhum dos grandes escorregou nesta jornada, onde o Benfica só matematicamente tem hipóteses do título e à medida que o final se aproxima, mais remotas são as sua hipóteses para o 2º lugar.
BENFICA 3 MARÍTIMO 2 - Num bom jogo de futebol, aquilo que parecia o céu, quase se transformou em inferno.
O Benfica entrou muito bem no jogo, um meio campo composto por Ruben Amorin e Carlos Martins, aliados a um Reyes endiabrado, davam a profundidade e a velocidade que se quer numa equipa, depois, lá na frente Nuno Gomes jogava com tremenda inteligência e Cardozo era o matador que se queria e ao longo desta 1ª parte, a única coisa que espantou, foi o Benfica chegar aos 25 minutos de jogo sem marcar, tal o seu dominio na partida.
Só aos 28 minutos surgiu o golo já merecido, embora com alguma sorte, através de um livre de David Luiz. A partir desse momento, o Benfica foi avassalador, resultando esse dominio em mais 2 golos, ambos apontados por Cardozo, o verdadeiro goleador encarnado, que não fora a lesão de Suazo e nem se quer jogava, a jogar desde a 1ª jornada, se calhar hoje, seria o melhor marcador da Liga, neste momento tem 13 golos, tantos como Liedson, e menos 280 minutos de utilização.
Esta 1º parte do Benfica foi o céu, apesar de na única oportunidade, a sequência de um livre indirecto, Marcinho de cabeça, ter reduzido para 3 a 1.
Na 2ª parte,o Benfica entrou pior no jogo e aos 58 minutos, aproveitando-se de uma certa apatia do seu adversário, Bruno reduziu de grande penalidade, por falta desnecessária de Maxi Pereira, sobre Baba.
Num jogo que parecia resolvido, de repente, ficou equilibrado, mas a verdade é que após o 2º golo dos madeirenses, o Benfica foi a única equipa a ameaçar o golo, pelo que se calhar 2 golos de diferença, espelhariam melhor o que se passou no terreno de jogo
Má arbitragem de Rui Costa, muitos pequenos erros para ambas as equipas e 3 cantos favoráveis ao Benfica, transformados em pontapé de baliza, assim com um critério disciplinar em claro prejuízo da equipa da Luz. No lance do penalti, ajuizou bem.
SPORTING 2 E. AMADORA 1 - Num jogo quase sempre mal jogado, venceu quem mais fez por isso. O Sporting entrou melhor no jogo, embora algo lento e previsível, tendo-se adiantado no marcador por Postiga. Depois, do nada, surgiu um dos melhores golos desta liga, o golo do Estrela, mesmo em cima dos 45 minutos, resulta de um pontapé fenomenal 30 metros da baliza, sem defesa possível, um grande momento em Alvalade.
Na 2ª parte, a equipa de Alvalade acelerou o jogo, ciente que só a vitória interessava, desperdiçando uma ou outra situação de perigo, até que Liedson, o suspeito do costume, resolveu. Esse golo deitou abaixo a equipa da Amadora e exceptuando um lance de Vidigal, foi a equipa leonina que esteve sempre mais perto de ampliar a vantagem, embora sem jogar bem, longe disso, talvez fruto das muitas e importantes ausências.
Péssima arbitragem, num jogo em que o árbitro conseguiu complicar o que os jogadores simplificaram.
PORTO 2 SETÚBAL 0 - Nada melhor que este pouco mais que inofensivo adversário, para um Porto muito Quanto Baste, notando-se claramente que as ausências de Lucho e Hulk, se reflectem no desempenho da equipa. a 1ª parte foi muito má, um Porto sem chama e lento, ante um adversário que pouco mais fazia que fechar os caminhos para a sua baliza, um adversário mais capaz e atrevido, podia ter feito mossa no Dragão.
Na 2ª parte, o Porto surgiu com outra velocidade, sabendo perfeitamente que só aumentando o ritmo, poderia marcar e assim foi, apesar da exibição algo desinspirada, surgiu a individualidade Lizandro, com um 1º golo de grande categoria individual e em seguida a dar o melhor seguimento a um bom cruzamento de Mariano.
Boa arbitragem.
Em jeito de nota de rodapé, dizer que esta comissão de arbitragem nada faz para se dignificar e evitar suspeições, numa altura em que se aproximam as grandes decisões, nomear 3 árbitros do Porto, para os jogos dos 3 primeiros classificados, é no minímo dar azo a suspeições, para não dizer estranho e já não é a 1ª vez que tal acontece em momentos chave da liga, é caso para perguntar, quem está por trás destas nomeações?

segunda-feira, 20 de abril de 2009

MAIS UMA JORNADA POLÉMICA - A tristeza do costume

Mais uma jornada marcada pela polémica, o FC do Porto, nos momentos decisivos, continua a ter os empurrões necessários, pena que alguns imbecis, não consigam discernir quem verdadeiramente não olha a meios para atingir os fins, principalmente, agora que viu, que reina a impunidade. Vem isto a propósito das tristes e infelizes declarações de Agostinho Abade, Presidente do Conselho Fiscal (CF) do Sporting, o qual se mostrou indignado com o trabalho do árbitro do encontro dos "leões" em Guimarães, da Liga Sagres, considerando que Bruno Paixão trazia a "receita encomendada".
Este dirigente leonino revelou à Agência Lusa, após o encontro no Minho, que a nomeação de Bruno Paixão para dirigir esta partida deixara apreensivos os responsáveis do Sporting porque "é um árbitro volúvel", isto para utilizar uma "expressão mais suave", acrescentou.
Agostinho Abade foi mesmo mais longe ao afirmar que "há muito dinheiro em jogo nesta altura do campeonato, por causa do apuramento para a Liga dos Campeões", e que, por causa disso, "os dirigentes do Benfica estão a perder a cabeça".
Eu percebo que o Benfica vista de vermelho e que por esse motivo, haja quem teime em marrar com o Benfica, mas tenho pena, que a insanidade mental e a síndrome Benfica, tolde o cérebro a esta personagem "sui Generis" da classe dirigente leonina e não se aperceba, como se viu em Coimbra, quem realmente domina à largos anos o futebol em Portugal. Mas como todos sabemos, quem não falar mal do Benfica, não será nunca reconhecido no reino de Alvalade, daí eu dar um certo desconto.
Também percebo, que este imbecil, reconheça que o objectivo do seu clube seja o 2º lugar e que como tal, a sua preocupação esteja atrás de si e não à sua frente.
Mas vamos aos jogos:
GUIMARÃES 1 SPORTING 2 - Não vi o jogo, mas pelos resumos e pelo que li, pareceu-me uma vitória difícil mas justa do Sporting num terreno sempre complicado, na 1ª parte, apesar das oportunidades de golo serem algo divididas, a equipa leonina atirou com duas bolas à trave, o que que dizer alguma coisa, ainda para mais, quando a equipa está algo desfalcada.
Na 2ª parte, como não podia deixar de ser, sempre que Bruno Paixão entra em cena, o jogo, que até estava interessante, ficou marcado pelo protagonista do costume, um golo invalidado a Daniel Carriço, depois de ser validado, a fazer lembrar um golo do Benfica no jogo em casa contra Setúbal, sem bem que por motivos diferentes. Neste lance, não só não me pareceu haver falta de ninguém, como a haver, seria sempre complicado dizer quem fez falta. Depois, mais uma vez, Derlei a escapar à expulsão, já não me parece assim tão descabido o amarelo a Moutinho, embora também aceita-se que esse cartão não fosse exibido, enfim uma completa desorientação de Paixão, nomeação cirúrgica, assim como foi a de Benquerença para o jogo do Porto, o que demonstra que o polvo está vivo e bem vivo.
Num entanto, após o golo vimaranense, por Roberto, o Sporting reagiu bem e em 10 minutos, resolveu a contenda a seu favor, repito de forma justa.
O jogo ficou ainda marcado pela expulsão de Paulo Bento, não sei se justa ou injusta, o que sei, é que este treinador, que pelos vistos goza de tremenda impunidade em relação aos treinadores dos outros clubes, pois muitos são castigados por quase nada dizer, enquanto Bento, chama tudo a todos e nada lhe acontece, provavelmente agora deverá ser castigado, pois o seu comportamento, já ultrapassou muitas e muitas vezes o limite do razoável, independentemente da razão que lhe possa ou não assistir, nisso julgo, que toda a gente com o mínimo de bom senso, está de acordo.
ACADÉMICA 0 PORTO 3 - A expressão do resultado, não espelha a realidade do jogo, pois o amigo do costume, Benquerença (será o novo Calheiros?), ajudou e muito. Não sei se o Porto venceria na mesma, o que sei, é que pressionado pelo resultado do seu mais directo perseguidor, com a desvantagem no marcador, o Porto poderia ter muito mais dificuldades em arrecadar os 3 pontos.
É por este motivo e pelo facto de esta época, à semelhança de muitas outras, não posso dar os parabéns a este clube em caso de ser campeão, como já se viu vai ser, pois a maneira vergonhosa, como em momentos decisivos tem sido obrigado a destacar-se do Sporting e do Benfica, faz com que eu, não reconheça nesta liga qualquer verdade desportiva
Na 2ª parte da partida e após a ajuda que teve, o Porto ao marcar primeiro, obviamente tranquilizou e dominou a partida, apesar o 3º golo, já sem influência, ter sido precedido de fora de jogo.
SETÚBAL 0 BENFICA 4 - Pois é caro Abade, num jogo sem polémicas, o Benfica passeou, ante um adversário que foi demasiado permeável.
Apesar do Setúbal ter entrado bem no jogo, com os primeiros 10 minutos a serem por si dominados, o Benfica conseguiu agarrar no jogo e aos poucos, começar a encostar o seu adversário no seu meio campo, com 3 golos ainda na 1ª parte, o Benfica cedo resolveu a questão, mostrando algo que lhe tem faltado muitas vezes esta época, dinâmica e velocidade nas suas transições ofensivas, onde Reyes e Nuno Gomes, encheram o campo.
Com o jogo resolvido, na 2ª parte, o Benfica veio mais lento e com claras intenções de gerir o ritmo da partida, sem num entanto, deixar de ter a baliza adversaria como referência, desperdiçando algumas boas situações de golo, até Nuno Gomes, carimbar o seu 2º golo e o 4º do Benfica, ficando alguns golos por marcar que dariam uma noção mais exacta do que se passou em campo.
Apesar do bom jogo conseguido, julgo que a equipa encarnada beneficiou do mau momento quer fisico, quer psicológico do adversário, a bem da verdade, é bom que a liga, tome sérias e duras medidas contra os clubes que não cumpram os requisitos necessários para jogarem na liga principal e claramente, ordenados em atraso, tem de ser um incumprimento insanável que dite a imediata despromoção desses clubes, sob pena de estarmos na presença de concorrência desleal.
Apesar de achar que Cardozo, independentemente do seu valor, não ser jogador de 11 milhões, a verdade, é que com pouca utilização regular, é só o melhor marcador do Benfica, com 11 golos no campeonato, menos 1 que por exemplo, Liedson, que tem seguramente quase o dobro dos minutos de jogo, em relação ao paraguaio.

sábado, 18 de abril de 2009

A TEMPORADA DO SLB - Há que fazer bem melhor

---Em 1º lugar peço desculpa pela minha ausência temporária deste espaço, mas afazeres profissionais assim o determinaram.
Durante este período de ausência muitas coisas se passaram no meu clube, desde a derrota caseira com a Académica, curiosamente e na minha opinião, com uma das melhores exibições da época, mas com muito desperdício de oportunidades e desse modo, resolvi fazer um reflexão, a qual obviamente tem a relativa importância que tem, mas com algumas questões, que julgo deviam ser devidamente explicadas pela direcção do clube aos sócios.
Começo por dizer que sou acérrimo defensor de uma política de continuidade, continuidade no projecto de Rui Costa, que passa pela permanência desta equipa técnica, mas essencialmente de um núcleo duro do plantel, há que acabar de uma vez por todas, com saídas e entradas em catadupa de jogadores. Mas se a opção não passar por este treinador, eu entendo, entendo porque de facto esta equipa tinha todas as condições para crescer futebolísticamente durante a temporada, mas aquilo a que se assistiu foi precisamente o inverso, ou seja, uma equipa, que foi revelando cada vez menor qualidade de jogo, ausência de modelo alternativo e demasiada previsibilidade no seu futebol, a juntar a isto, a estranheza da ausência de um onze base e sólido, que se exige construir numa equipa nova e que nunca foi feito. Mas a despedir o treinador, é no final da época, nunca no inicio da próxima como aconteceu com Fernando Santos, o que defendo é , ou se aposta definitivamente no treinador até ao final do contrato, ou se despede no fim da temporada.
Outra das apostas, tem forçosamente de passar pela continuidade de jogadores referência, aliás, nunca consegui entender como é possível que a maioria dos sócios trata tão mal os seus jogadores mais antigos, o que se passa com Nuno Gomes é demasiado atroz, para não chamar de ridículo, o Nuno, é daqueles jogadores que dá sempre a cara em defesa do grupo, é referência de balneário e dos poucos que ainda temos para ensinar o que é ser do Benfica e curiosamente é normalmente um dos mal amados. Não entendo e se pensarmos bem, é com jogadores assim, mesmo não sendo 1ª opção, que o Porto constrói balneários fortes e unidos, vejam o caso de Pedro Emanuel. Mas além de Nuno Gomes, Luisão, Katsouranis, Moreira, Quim, são jogadores que têm de ser a trave mestre de um balneário referência, jogadores que têm de ser do clube até ao fim, que passem a mensagem e ensinem o que é representar este grande clube, só assim se pode caminhar.
Num entanto, no meio de tudo isto, há algo que deve ser explicado pela direcção encarnada, nomeadamente a sua maior figura, o Presidente, mais do que mudar treinadores, jogadores ou atirar com as culpas para bodes expiatórios, quando na maioria das vezes se dão autênticos tiros de zagalote nos próprios pés, Luís Filipe Vieira, deve explicar, como é possível que exista tanta vulgaridade num plantel que sofreu um brutal investimento de 60 milhões de euros em duas épocas? Esta questão nunca foi explicada.
A títulos de exemplo, dou jogadores como Cardozo, sem querer pôr em causa o seu valor, apenas questiono se é jogador para valer 11 milhões? Se por esse preço não há mais e melhor, Balboa 4 milhões porquê? Se ele nem sequer era opção em Madrid?, Aimar 6,5 milhões, não será demasiado para um jogador que em duas temporadas não fez 3 jogos seguidos? Das duas uma, ou há pouca capacidade negocial ou então não se sabe pressionar, pois acredito, que os clubes de Aimar e Balboa, estavam com necessidade de se ver livre deles, daí achar que era possível gastar muito menos. Já para não questionar o valor de 6,5 milhões num jovem desconhecido chamado Di Maria, em Manducas, Zoros, Manús, Paulo Jorge, etc, etc. Este desperdício de milhões, sem resultados e sem capacidade de construir uma grande equipa, revela falta de astúcia e esbanjamento, isso deve ser urgentemente explicado aos associados.
Para terminar, dizer que é ponto assente para todos, que uma classificação abaixo do 2º lugar é um desastre perante tamanho investimento e alguém tem de se responsabilizado, já o 2º lugar, seria aceitável em face da construcção de uma nova equipa e do princípio de um novo projecto, se acompanhado por um futebol mais digno do nome do Sport Lisboa e Benfica.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

1/4 FINAL DA CHAMPIONS - Foi um grande Porto em Manchester

---Foi uma jornada da Champions marcada pela goleada do Barcelona ao Bayern e pelo grande desempenho do Porto em "Old Trafford".
Começando pelo jogo de Manchester, o Porto entrou no jogo a todo gás, com uma mentalidade forte e pleno de confiança nas suas capacidades, algo que vai fazendo muita falta noutras paragens. Mesmo antes de Rodriguez inaugurar marcador, aos 4 minutos, Lizandro havia assustado Van der Sar, com um remate forte de fora da área. O Manchester parecia atordoado com tamanho atrevimento e na verdade tardava em encontrar-se e não fora o deslize de Bruno Alves a permitir o empate por Rooney, talvez fosse o Porto a conseguir ampliar a vantagem, tal o absoluto controlo que detinha da partida.
Com 1 a 1 ao intervalo, esperava-se que o campeão inglês viesse para a 2ª parte mais forte e de facto isso aconteceu nos primeiros 10 minutos, depois, comandado por um Fernando de grande categoria, o Porto voltou a equilibrar a partida e se Helton foi obrigado a 3 interbençoes de categoria, Van der Sar também.
Quando tudo levava a crer que o 1 a 1 não se alteraria, eis que tivemos 5 minutos finais de autentica loucura, com Tevez a fazer o 2 a 1, mas 3 minutos depois Mariano Gonzalez, coloca justiça no marcador. Empate justo, mas a haver um vencedor, esse teria de ser o Porto.
Destaque para Fernando, que grande partida e ainda Rodriguez e Lizandro, 2 quebra-cabeças para a defesa do Manchester, numa equipa que esteve toda ela tacticamente brilhante.
Restantes Resultados: Villareal 1 Arsena 1; Barcelona 4 Bayern Munique 0 e Liverpool 1 Chelsea 3.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

JORNADA SEM SURPRESAS - Benfica continua com mau futebol

--- Numa jornada em que a maior surpresa foi o empate do Trofense na Madeira, o Benfica contínua a espalhar o seu mau futebol, enquanto o Porto deu um passo que pode ser decisivo na conquista do título, com um categórico triunfo em Guimarães.
E. AMADORA 1 BENFICA 2 - Com muito mau futebol à mistura e uma arbitragem desastrosa, foi esta a grande marca do encontro na Reboleira.
O Benfica até entrou decidido e bem no jogo, tentando colocar em campo um ritmo forte, mas a capacidade de manter esse ritmo muito tempo, é para esta equipa uma tarefa quase impossível, tal a incapacidade que revela. O Benfica chega cedo ao golo, através de uma grande penalidade inexistente, num lance em que me pareceu que Nuno Gomes tropeça nele mesmo, mas a haver falta, esta seria nitidamente fora da área de rigor. 0 - 1, e cinco minutos depois, novo penalti, este indiscutível, pois se no 1º penalti houve duplo erro, neste houve dupla falta, puxão de Vidigal no avançado encarnado e mão na bola e estava feito o 0-2.
Com 20 minutos de jogo e ma vantagem de dois golos, tudo parecia fácil, mas mais uma vez foi puro engano, como sempre que está em vantagem, o Benfica recuou e optou pelo contra-ataque que nunca saiu, tal a falta de velocidade do Benfica no ataque.
Depois mais do mesmo cromo que apitou este jogo, 1º não vê mão de David Luíz na sequência de um canto, e logo de seguida na sequência de outro canto, vislumbra um penalti que só ele viu, conseguindo a proeza de cometer 2 erros graves no mesmo minuto, compensando um erro com outro.
A 2ª parte da partida foi simplesmente lastimável, não consigo comentar um lance digno de se chamar de futebol.
A arbitragem de Hugo Miguel, foi simplesmente anedótica, com erros atrás de erros, 1º penalti o Benfica inexistente, duplo erro no penalti do golo do Estrela, marcando a penalidade que não existiu, amarelos e vermelhos por mostrar, como por exemplo aos 43 a Nery do Estrela, que era o 2º e a Cardozo aos 83, que até podia ser vermelho. Enfim, um desastre e que vem alertar a liga, para o facto de uma vez por todas, há que fazer chegar à 1ª categoria os melhores árbitros e não os mais apadrinhados.
Sou um defensor da continuidade de projectos já aqui defendi várias vezes, que o Benfica deve manter o núcleo duro da equipa, com 3 ou 4 reforços que entrem de cara na equipa e mesmo treinador, mas a verdade é que alguém tem de fazer ver a Quique, que treina o Benfica e que este, em circunstância alguma, pode dizer que o 3º lugar, pode nem ser mau, noutros tempos, um treinador que tivesse tal afirmação, já nem sequer entrava mais no Estádio da Luz e a verdade é que esta equipa que tinha tudo para crescer e evoluir ao longo da temporada, apresentou na maioria das vezes, um futebol pouco mais que sofrível. Há que reflectir.
LEIXÕES 0 SPORTING 1 - vitória justa do Sporting, frente a um Leixões já sem aquele perfume do futebol que apresentou na 1ª volta.
Num jogo disputado, mas com muito poucas oportunidades, Derlei adianta o Sporting no marcador logo aos 13 minutos, fruto de uma melhor entrada na partida e a verdade é que o dominio nestes primeiros 45 minutos foi quase sempre da equipa de Alvalade, a incapacidade do Leixões em assustar o último reduto leonino era gritante.
Na 2ª parte, o Leixões entrou melhor, mais pressionante e adiantado no terreno, mas a defesa leonina, chegava para as encomendas, sem grandes sobressaltos e exceptuando um lance em que Abel defende um cruzamento com as 2 mãos, ficando uma evidente grande penalidade por assinalar contra o Sporting, nada mais criou, ao invés, a equipa leonina, sem grande oportunidades, é verdade, era de qualquer maneira a que criava maiores lances de algum apuro, pelo que o resultado acaba por ser justo.
Pedro Proença teve 2 erros graves, 1º uma entrada fora de tempo sobre Abel, que roçou a agressão, o árbitro mostra amarelo, mas o vermelho não escandalizava e depois o penalti já referido que ficou por assinalar, talvez com algum receio, devido ao que sucedeu na Taça da Liga, mas devo registar, que para um benfiquista, Proença tem sido maior aliado dos seus rivais e mais penalizador para aquele que afirma ser o seu clube, estranho.
GUIMARÃES 1 PORTO 3 - Não vi o jogo, limito-me ao que ouvi do relato e aos resumos a que assisti e pode-se afirmar, que o Porto venceu de forma categórica, revelando uma enorme ambição, vontade de ganhar e aquela capacidade que os seus mais directos adversários não revelam, ou seja, a capacidade de reagir às adversidades do jogo e quando em desvantagem ainda acelera mais e consegue encostar os adversários lá atrás, impondo uma pressão forte, impedindo assim o adversário de sair a jogar. Julgo mesmo que o Porto, atravessa o melhor momento de forma da época.
Carlos Xistra, pelo que li, teve uma arbitragem irregular, mas sem influência no resultado.
OUTROS RESULTADOS: Marítimo 1 Trofense 1; Setúbal 0 Braga 3; Académica 1 Belenenses 0 e Naval 0 P.Ferreira 0.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

CASTIGOS DA LIGA - Lizandro punido por simulação.

--- O Conselho de Disciplina da Liga de Clubes, puniu Lizandro López, com 1 jogo de castigo, pela evidente simulação de grande penalidade, com consequência visível no resultado final do jogo e nesse caso, o regulamento é bem claro, quem deliberadamente com uma simulação, desvirtuar o resultado final de um jogo, com clara influência na verdade desportiva é punido com 1 jogo de suspensão, estranha-se apenas que o amarelo do Yebda não tenha sido abolido.
Este acrescento no RD da Liga, surge na sequência de um vazio disciplinar existente e foi criado na sequência do já famoso lance do golo com a mão de Ronnie, do Paços de Ferreira contra o Sporting.
O que eu não consigo entender, é a reacção dos clubes, sempre que se aplica o regulamento como neste caso do Lizandro, e que de forma leviana, os dirigentes portistas, vêm falar em lei da física, pois os clubes são tão céleres a invocá-lo sempre que sirva os seus interesses e tão críticos, quando e aplicam aos seus jogadores. Uma pobreza franciscana a pobre e débil mentalidade dos dirigentes dos nossos clubes, afinal de contas, como disse e bem Rui Costa, não se fez mais, do que aplicar um artigo evidente e existente no Regulamento Disciplinar, então porquê tanto espanto? Tudo bem, que o FC Porto, não estava habituado a que se procedesse com o seu clube de igual modo com que se procedia com os outros, mas é assim que tem que ser a bem da verdade.
O que efectivamente espanta, é o tempo que se demora a aplicar a lei, pois casos como o do Lizandro, não carecem de muito estudo, logo, deveria ter efeitos imediatos.
Portanto, quanto a este castigo, não há muito a dizer, assim como espero, que a partir de agora se aplique a mesma sanção, sempre que um lance semelhante desvirtue a verdade do jogo, desde que deliberado.
Mas, continua a haver uma tremenda falta de coragem na aplicação da lei, parecendo haver um medo terrível neste momento em punir elementos do Sporting e é bem fácil de verificar tal situação, com apenas um exemplo: Katsouranis foi punido por um jogo, porque num flash interview, disse que o arbitro tinha roubado 2 pontos ao Benfica, sem sequer entrar em mais comentários ou de fazer outro tipo e juízos de valor em relação aos intervenientes no Benfica Nacional, já o treinador, dirigentes e alguns jogadores leoninos, usaram e abusaram da expressão roubar, fizeram imensos juízos de valor depreciativos dos intervenientes na final da taça da liga, sendo alguns elementos useiros e vezeiros nesse tipo de afirmações e a verdade é que para aquelas bandas não há punições. Falta de coragem? Tratamento diferenciado? Nem quero pensar nisso, mas que é discutível, lá isso é.
Preocupante para os dirigentes desportivos para além da exigência do cabal cumprimento do regulamento disciplinar, devia ser, o perceber as razões que levaram Nuno André Coelho e Tengarrinha, jovens centrais portistas, emprestados ao Estrela a estarem lesionados sempre que defrontam o Porto e a estarem aptos e operacionais, sempre que defrontam outros clubes, é que estranhamente, estes jovens, lesionaram-se nos treinos, mesmo sem o seu clube treinar em vésperas do confronto da 1/2 final da Taça contra o seu clube de origem.
Acho que está na hora de acabar com esta palhaçada e era simples, bastava impedir os clubes de emprestarem jogadores a clubes que disputam o mesmo campeonato, para que não seja mais fácil a uns que a outros vencer os seus jogos, não ponham dúvidas, esta é a grande vergonha actual em desvirtuar a realidade dos jogos e por inerência a verdade desportiva.
 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista