quinta-feira, 22 de outubro de 2009

FURACÃO NA LUZ - Benfica arrasa Everton

--- Foi um furacão vermelho aquele que passou no relvado da Luz, humilhando por completo a equipa do Everton, numa 2ª parte de grande nível, um regalo para quem realmente gosta de futebol.
   Antes de falar do jogo, uma grande palavra de apreço para os adeptos do Benfica, num jogo transmitido em sinal aberto, num dia de trabalho às 18H00, é notável a assistência que esteve no Estádio da Luz, 44.000 espectadores!!!, o bom futebol atraí gente.
BENFICA 5 EVERTON 0 - Ante um adversário de bom nível, com jogadores de grande categoria, o Benfica fez de facto um jogo de dimensão europeia, dando sinais claros de ser a melhor equipa do grupo.
   Entrou bem o Benfica, pressionante como quase sempre, a assumir as rédeas do jogo, perante um Everton que veio à Luz para tentar disputar o jogo de igual para igual e isso contra o Benfica, pode ser um pecado capital.
   Perante tão boa entrada, o golo surgiu num belo cruzamento de Di Maria, com um remate de primeira de Saviola, fazendo um golo de bom efeito, apesar de alguma felicidade. Reagiu o Everton, só que a defesa encarnada ía servindo para as encomendas e sinceramente, não me lembro de uma grande oportunidade dos ingleses, já o Benfica, apesar das suas transicções no contra - ataque não terem grande velocidade, era a equipa que criava oportunidades, embora não tenha feita uma 1ª parte espectacular, dominava o jogo em todos os sectores do terreno.
Na 2ª parte, O Benfica surgiu que nem um verdadeiro furacão, com uma velocidade de jogo impressionante e quando o Everton acordou, já Cardozo tinha bisado, em duas jogadas em que Saviola, Aimar no 2º golo e depois Saviola e Di Maria, estiveram brilhantes. O jogo estava resolvido.
   Mas o que dá gosto ver neste Benfica, é que mesmo com 3 golos de vantagem, nunca tira o pé do acelarador e com um Everton abismado perante tão bom futebol, Luisão, marca na sequência de um canto, realmente faltava o golo da ordem de bola parada, onde o Benfica é fortíssimo.
  Com 4 a 0, deu para tudo, momentos de verdadeira Di Magia, uma circulação de bola notável e um adversário colocado ao nível do Monsanto, tal o banho de bola que levava e para que os adeptos não estivessem mais de 30 minutos sem golos, eis que mais uma vez Di Maria abre o livro e oferece o bis a Saviola, 5 a 0, resultado final, em que nem os mais optimistas acreditavam, já os que rezam constantemente por uma derrota do Benfica, pedimos desculpa, mas vão ter de esperar mais um pouco.
Pela positiva, a presença de muito público, pese as condicionantes atrás referidas e as exibições fantásticas de Di Maria, Saviola e Cardozo, um trio fantástico, com Cardozo a mostrar que afinal não marca só de penalti. Pela negativa, num jogo em que a exibição do Benfica roçou a perfeição na 2ª parte, é complicado falar em factores negativos, pronto, mas eu tenho de arranjar um e olhem, acho que hoje a Águia Vitória não voou tão bem.
Arbitragem fantástica, a deixar jogar nos limites, com claro benifício para o espectáculo.
VENTSPILS 1 SPORTING 2 - Foi na minha opinião um jogo ante um adversário frágil e vulgar, com duas partes completamente destintas, uma primeira, com completo domínio do Sporting, principlamente na meia hora inicial, em que podia ter resolvido o jogo, embora sem mais uma vez, fazer um exibição de encher o olho, o que diga-se, num campo daqueles não era tarefa fácil.
   O Sporting teve a felicidade de marcar cedo num golo de canto directo, que julgo, não foi intencional e esse golo de Veloso, foi importante pois deu tranquilidade à equipa, a qual chega ao intervalo com apenas um golo de vantagem, muito por culpa da falta de eficácia na concretizãção.
Na 2ª parte, custa perceber o que aconteceu ao Sporting, entrou adormecido à sombra da sua vantagem no marcador e perante isso, o Ventspils começou aos poucos a crescer e foi perdendo o respeito ao adversário, embora, devido à sua vulgaridade, não conseguisse lances de grande perigo, até que num lance infantil de um defesa leonino, cujo elemento não me recordo, surge caído do céu, um penalti para a equipa da Letónia e o empate estava feito e diga-se, era um castigo justo para o Sporting, não tanto pelo que o adversário jogou, mas sim, por aquilo que a equipa leonina não jogava.
   Esse golo enervou o Sporting e os passes transviados eram agora imensos, mas a equipa da casa parecia também ela satisfeita com um empate que servia muito melhor os interesses do Sporting que os seus, até que João Moutinho, tem um pontapé fulminante, fazendo um grande golo, que selou a vitória e garantiu praticamente o apuramento para a fase seguinte da champions, onde dificilmente, encontrará equipas do nível das do seu grupo, embora, nessa altura, o Sporting, também tenha obrigatoriamente de estar melhor.

Pela positiva, o fantástico golo de Moutinho e a primeira meia hora do Sporting, pela negativa a apatia geral da equipa de Alvalade na 2ª parte e os flops exibicionais de Matias Fernandez e Caicedo.
Arbitragem regular.
AT. BILBAU 2 NACIONAL 1 - Não vi o jogo, mas pelos comentários que ouvi, a falta de experiência nestas andanças paga-se caro e se Ruben Micael deu mais uma vez mostras da sua enorme categoria, gelando San Mamés, a verdade é que a equipa portuguesa, não soube matar o jogo na 1ª parte e na 2ª parte, não resistiu à pressão exercida pelo seu adversário.
   Assim e com apenas 1 ponto, o Nacional está praticamente arredado desta Liga Europa, mas apesar de tudo, tem tido uma presença meritória, jogando sempre taco a taco com os seus adversários.
PORTO 2 APOEL 1 - Um jogo maçudo, um Porto nitidamente superior a este adversário, mas que não teve uma noite particularmente inspirada.
   O Porto demorou a entrar no jogo e com isso os cipriotas conseguiam manter o jogo longe da sua baliza e a um conveniente ritmo baixo, chegando mesmo à vantagem num golo feliz e que me pareceu ser marcado na própria baliza por Álvaro Pereira.
    Curiosamente esse golo teve o condão de acordar a equipa da casa e o Apoel começava a cometer erros infantis na sua zona de saída para o ataque e foi precisamente num erro gritante, que um jogador cipriota oferece a bola a Falcão e este endossa a Hulk para fazer o empate.
   Foi um golo que surgiu do nada, já que nada era aquilo que o Porto estava a fazer, mas a partir daí, os cipriotas como que desapareceram da partida e só chegam ao intervalo empatados, porque o Porto estava a jogar francamente mal.
Na 2ª parte, melhorou o Porto, mais pressionante e rápido, começava a criar espaços na área adversária e Chiotis (belo guarda-redes) começava a brilhar, mas foi através de mais um erro infantil, que surgiu um penalti cometido estupidamente por mão na bola e assim, vindo do céu e da ingenuidade do adversário, o volte-face no marcador foi dado.
   Se o Apoel já pouco fazia, a partir do momento que ficou em desvantagem no marcador, passou a ser completamente inofensivo, valendo-lhe o seu guarda-redes para que o Porto não resolve-se logo o jogo. Depois, veio a estupidez de Mariano, embora acha-se severo o vermelho por suposta agressão, a verdade é que era escusada a atitude do jogador portista e esse facto, podia ter de novo galvanizado o Apoel e colocar o resultado em perigo, mas nada disso aconteceu e o Porto, com muita facilidade e uma exibição quanto baste, venceu e ganhou 3 pontos muito importantes para o seu apuramento.
Pela positiva, o bis de Hulk e a sua exibição sempre inconformada, pela negativa a fraca qualidade deste jogo.
Arbitragem positiva, sem grandes erros e a deixar jogar, embora o veremelho a Mariano me tenha parecido algo exagerado.

6 comentários:

GIL VICENTE disse...

Grande jogo, caro Jotas.
O Benfica à Benfica.

Quanto ao Sporting... também à Sporting, isto um jogo medíocre, como é hábito.
O FCP uma lástima, aliás, de acordo com a equipa que têm que é muito diferente daquela que fazer crer que é, com muitas bênçãos dos homens do apito.
O Nacional não tem estaleca para estas andanças, sem prejuízo de umas surpresas de quando em vez.
Boa crónica.

Um abraço

margaridabenfiquista disse...

Grande jogo estamos imparáveis esperamos continuar assim até ao final da época

..

Bruno Venâncio disse...

Quanto ao Benfica acho que só há uma coisa a dizer: as 4 competições oficiais parecem-me bem ao alcance.

De resto, mais do mesmo dos outros 2. Só um reparo na análise do jogo do Nacional: o "Professor" Manuel Machado, que eu considero um bom treinador, peca por ser muito, mas muito, mas muito defensivo. O homem estava empatado e tira o Edgar (ponta-de-lança) para pôr o Clebão (defesa-central - e muito fraco, por sinal). Resultado? Aquele já tantas vezes visto e revisto no futebol: o Nacional a partir daí foi completamente encostado às cordas e o golo da vitória do Bilbau acabou mesmo por chegar. Será que os treinadores não aprendem de uma vez por todas que não é a tirar avançados e pôr centrais que ganham os jogos? Que isso só transmite medo aos que lá estão dentro? É que quase sempre que vejo um treinador fazer isto, a equipa perde! E hoje não foi excepção. É realmente incrível.

_Vascao_ disse...

Visita em 23/10/2009
As 00h13min
Abraço
Jeferson
Blog do Vascão

Sou de um Clube Lutador disse...

Grande noite Jotas.
É delicioso ver o Benfica.

Bom texto.

Forte Abraço
..

pedrove disse...

Hoje em dia ir à catedral ver os rapazes do manto sagrado a jogar futebol, é como comer chocolate dá um prazer do caraças mas engorda, o benfica joga que se farta dá prazer, mas a malta saí de lá toda "escavacada" das costas, com tantos abraços e tanta "levantadela" da cadeira!!!!
CARREGA BENFICA!!!!

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista