sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

UM BOM ANO DE 2012 - São os votos da Catedral do Desporto.

   Estamos perto do final de 2011, um ano que certamente teve momentos bons, mas que foi também um ano de enormes dificuldades para muita gente, infelizmente, os próximos anos não auguram nada de melhor, as dificuldades certamente irão ser maiores, mas a preseverança que nos é reconhecida e a nossa capacidade de ultrapassar as diabruras da vida, certamente fará de nós ainda mais e melhores pessoas.
   Com tudo isto e consciente que 2012 não será um ano fácil para ninguém, desejo que consigam ser fortes e ultrapassar os momentos menos bons, mas essencialmente que valorizem e vivam com intensidade os bons momentos que certamente também terão.


UM GRANDE ANO DE 2012, COM PAZ, SAÚDE, AMOR E ALEGRIA.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

QUANDO TUDO CORRIA A FAVOR DO BENFICA - Surgem alguns meninos a trair o clube.

    Depois de um fecho de 2011 bastante positivo para o Benfica, no que a esta época diz respeito, em que a grande mancha foi a eliminação precoce na Taça de Portugal, em que se ultrapassou um ciclo muito complicado de jogos com nota muito positiva, nomeadamente no campeonato nacional, que deixava antever um 2012, com boas probabilidades de êxito, eis que alguns atletas, denotando uma tremenda falta de profissionalismo e um ego bem maior que a sua real categoria, ameaçam tudo o que de bom se poderia antever em termos desportivos no Benfica.
    Quer Enzo Perez, quer Ruben Amorim, demonstraram antes de tudo o resto, uma enorme falta de respeito para com o clube que lhes paga e para com os seus milhões de adeptos, se no caso do Enzo, não se percebe o que quer, uma vez que só não teve mais utilização fruto da grave lesão que o afectou, numa fase em que se percebia uma cada vez melhor adaptação ao nosso futebol, já no caso de Ruben Amorim, a surpresa é ainda maior, porque o seu comportamento não é em nada compatível com a imagem que transmite, sendo para mim e certamente para muitos outros benfiquistas, uma enorme desilusão.
   Recusar a treinar-se é grave, muito grave e se todos estes episódios, podem abalar a coesão do grupo, numa altura decisiva da temporada, em que o calendário em teoria, até favorece o Benfica, pior seria se a direcção do clube, não mostrasse a firmeza que parece estar a ter e só assim, se pode ser exemplar e fazer perceber a todos os outros, que há algo que está e terá de estar sempre acima de qualquer individualidade, o Benfica e quem não percebe isso, não merece vestir a camisola do clube e não faz falta nenhuma.
   Infelizmente, a mediatização que este desporto dá, faz com que os egos cresçam por vezes de forma desmedida, há cabeças muito pequenas e gente demasiado vaidosa, este é o caso típico de Ruben Amorim, não querendo colocar em causa o seu valor, a verdade é que a sua vaidade, pelos vistos, o faz julgar muito melhor jogador, do que na realidade o é, mas infelizmente, parece que estes jogadores que deveriam sentir um enorme orgulho de pertencer ao Benfica, nem com o passado aprendem e é bom que se recorde a esses egos elevados, que muitos como o Ruben, que quiseram ser maiores do que aquilo que são, andam hoje esquecidos, a passear-se por clubes de menor dimensão, em alguns casos por divisões secundárias e esse é o resultado para quem por vezes se julga maior do que aquilo que é.
   Não coloco em causa a vontade de um jogador querer ser mais opção, é legítima e até salutar, pena é que haja quem não perceba que o ser mais ou menos utilizado, depende daquilo que faz diariamente nos treinos e do que faz nos jogos em que participa e não daquilo que acha que deveria ser, só os fracos assim pensam e se achava que merecia mais ou que estava a ser injustiçado, não só deveria ainda empenhar-se mais, como deveria resolver a questão internamente, expondo o seu ponto de vista, sem alaridos e complexos de superioridade, isso é o que distingue os bons dos maus profissionais.
   Lamento ainda que o Ruben Amorim, se esqueça, que foi pago sem falhas durante toda uma época em que esteve gravemente lesionado e nunca o clube lhe voltou as costas e é exactamente por causa desse clube, que continua a poder exercer a sua profissão sem condicionalismos, pois foi muito bem recuperado de duas operações aos seus dois joelhos e já houve quem por menos tivesse de abandonar a carreira e lamento ainda mais, que o Ruben, não olhe para o lado e veja que ao pé de si está um campeão do mundo e da Europa, que sendo votado ao esquecimento, continua a treinar sem faltar e sem criar casos, isso só por si, deveria ser o suficiente para que aqueles que se julgam grandes, descessem ao seu nível, mas infelizmente só as pessoas com inteligência o conseguem fazer.
   Voltando ao Enzo Pérez, a sua falta de respeito foi também evidente e assume proporções graves, se de facto queria regressar ao seu país, deveria fazer ver isso internamente a quem de direito e acatar a decisão de quem investiu tanto dinheiro na sua contratação e em quem tantas esperanças depositava nele, mas a sua conduta, faz-me duvidar que este atleta mereça jogar no clube, o carácter revelado faz-me crer que não, haja quem pague e adeus Enzo que gente como tu no Benfica não.
   Obviamente que este tipo de situações, reflectem-se e têm sempre impacto no grupo de trabalho, compete à estrutura do futebol menorizar os seus efeitos e fazer ver aos que realmente querem, que o clube está acima de tudo e que só unidos, com respeito uns pelos outros, o clube pode almejar o sucesso que está ao seu alcance.
   Uma nota final para algumas contratações do Benfica já anunciadas, tendo em conta a criação das equipas B, julgo que são aquisições que se enquadram na filosofia dessas equipas, descobrir mais valias a baixo custo, juntando-as aos jogadores da formação e gerar daí mais valias futuras que integrem no futuro o plantel principal, mas julgo que é imperioso primeiro cuidar da equipa principal e Janeiro é o mês da oportunidade de suprir uma ou outra lacuna que se mostre evidente no plantel, na minha opinião e vale o que vale, esta equipa precisa de 2 ou 3 ajustes, a começar nas laterais, se André Almeida na direita pode ser a alternativa a MaxiEmerson vale mais do que aquilo que querem fazer dele, mas é para mim, claramente insuficiente para uma equipa como o Benfica.
    Outra lacuna que me parece evidente, agravada primeiro com a lesão e agora com a atitude de Enzo Pérez, é a falta de velocidade e verticalidade nas alas, se Nolito na esquerda dá profundidade e consegue partir para cima dos adversários, forçando o 1x1, algo que considero fundamental numa equipa de ataque, se na direita Gaitan se adapta à função de extremo, a verdade é que não o é e não são raras as vezes que a sua tendência é a de fugir para zonas mais centrais e na minha opinião, Bruno César não é alternativa a nenhum deles, o Bruno é tudo menos um extremo, quando joga caí sempre para zonas mais interiores e como o lateral esquerdo é pouco ofensivo, a equipa parece ficar cocha, pelo que seria muito importante que o Benfica conseguisse um extremo rápido, que procure a linha de fundo e seja desequilibrador no 1x1, algo que vejo quer no Porto, quer no Sporting e que muita falta faz ao Benfica, Patito Rodriguez seria excelente solução, é um jogador de enorme potencial e que não engana.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

O TÉDIO DA AUSÊNCIA DE COMPETIÇÃO - Valeu a entrevista de Coentrão.

  Espero que todos tenham passado um Bom Natal, com aquele espírito que caracteriza esta quadra, junto daqueles que mais gostam.
   Não é fácil encontrar temas para escrever após tão longa paragem das nossas competições, é de lamentar que se trate como rico um futebol tão pobre, tirando proveitos aos clubes com tão longa paragem, mas enfim, essa é a irresponsabilidade dos responsáveis pelo quadro competitivo do futebol português.
   Contudo, há um facto que gostaria de destacar, a fantástica entrevista de ontem, no jornal "Record" de Fábio Coentrão, um jogador fantástico, com uma personalidade e crença dignas de registo e que tem o dom de falar com o coração.
   Explicou bem os moldes com que foi feita a sua saída do Benfica, referindo que só mesmo um clube como o Real Madrid o faria sair do Benfica, facto esse que se compreende e aceita, até porque não vejo um atleta capaz de recusar um clube com tamanha dimensão e significado.
  Fábio reforçou ainda com tremenda convicção, o desejo de regressar ao Benfica com força para ainda dar muito ao clube, reforçando a sua ideia com uma paixão sentida pelo clube que até nem era o seu em pequeno, mas do qual agora não abdica e não perde um jogo, confessando inclusive que sofre a ver os jogos do Benfica.
   Nest brilhante entrevista, Coentrão, mostrou algo que rareia nos dias de hoje, pureza nas suas palavras, ou seja, quem leu esta entrevista, facilmente percebeu que as suas palavras saiam naturalmente e não falava com ideias pré concebidas, nem alinhava naqueles discursos tipícos e useiros neste tipo de entrevistas e se eu já admirava este atleta por tudo o que colocava em campo, pela racionalidade natural dos seus actos e palavras, fiquei ainda mais a admirá-lo e a desejar um dia, o seu regresso a um clube que certamente o receberá de braços abertos.
   Obrigado Fábio pelas tuas palavras que foram sentidas e não pensadas, o que muito o enaltece.
    Agora meus caros, só nos resta esperar pelos jogos, pela competição, para mim, torna-se complicado viver tantos dias sem o sal e a pimenta do futebol, ver tudo parado, sem assunto ou caso para discutir, enfim um tremendo tédio que custa a passar, mas este é o futebol que temos e vou-me contentando com o verdadeiro profissionalismo de Inglaterra, onde a competição não para e vamos assistindo a grandes jogos daquela que é sem dúvida, a melhor Liga do Mundo, pelo modo como é vivida, pela paixão e respeito para com o público e obviamente pela qualidade do futebol espetáculo.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

FELIZ NATAL PARA TODOS.

   A Catedral do Desporto, deseja a todos os leitores e amigos, uma Santo e Feliz Natal, junto daqueles que mais gostam, com muita Paz, Amor e Alegria.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

REI EUSÉBIO - O mundo está contigo.

    Não tive o privilégio de ver o grande Eusébio jogar, confesso inclusive, que nem foi essa figura ímpar do futebol mundial que me fez ser benfiquista, mas foi ele, pelo esplendor do seu futebol, pela sua postura por onde passeou classe, que ajudou e muito, o Benfica a ser o que é hoje.
    Creio que o seu estado de saúde não inspira cuidados de maior, todos estamos como ele, porque Eusébio, não é do Benfica, não é de Portugal, mas é do Mundo e o Mundo torce por ele.
    Julgo que esta grande figura do desporto, não mexe apenas com os benfiquistas, certamente, adeptos de outros clubes estarão também a torcer pelas suas melhoras, até porque há valores que vão muito para  além das rivalidades ou ódios de estimação e creio que todos os portugueses estão agradecidos pelo que ele representa ainda hoje para o país.
    Eusébio é o grande ícone do futebol nacional, assim como nos dias hoje teremos outras grandes figuras, como Figo ou Rui Costa e mais actualmente Cristiano Ronaldo, jogadores que devem ser queridos e estimados por todos, por tudo aquilo que representam e dignificam o país.
   A grande diferença, é que o King, nasceu noutra era, muito menos profissional, menos mediática e mesmo assim tem ainda hoje o prestígio que tem em todo o mundo, pena que não seja deste tempo, onde certamente, à semelhança de outros grandes jogadores nacionais, passearia o seu charme futebolístico pelos principais campeonatos europeus e pelas grandes provas quer a nível de clubes, quer de selecções, ele merecia isso.
    Só me resta então desejar ao Homem, ao Atleta e ao grande Embaixador do futebol português, as rápidas melhoras, com a certeza que irá rematar com a força que o seu temível pontapé tinha, a doença que o apoquenta, que ao que consta, não é grave, inspira alguns cuidados, mas da qual sairá com um golaço.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

PINTO DA COSTA - A moral de quem sabe do que fala.

      Pinto da Costa, no auge da sua santidade, ou não fosse ele conhecido por Papa, veio a terreiro queixar-se de uma arbitragem que valha a verdade não lhe tirou pontos, aliás, arranjar arbitragens que tirem pontos ao clube que preside é um exercício de memória deveras complicado.
      De facto, a impunidade tem destas coisas, é que se há alguém que deveria ter vergonha, que não tem um pingo de moral para falar de arbitragens, essa pessoa é o Presidente portista.
   Queixa-se com razão de um penalti por marcar sobre Belushi por parte do Árbitro Duarte Gomes, alegando que este foi o mesmo arbitro que marcou um penalti sobre Saviola no jogo que apelidou de jogo do apagão, onde por acaso a sua equipa também marcou um golo em fora de jogo, não mencionado por lapso, bem como dos 3 penaltis contra o Guimarães, até aqui tudo muito bem, como se costuma dizer, dou de barato, tolera-se, só que este senhor, pela conveniência que se lhe reconhece, esqueceu-se de mencionar, que este árbitro, foi o mesmo que foi agredido com 3 peitadas por Belushi e nem por isso veio reconhecer no Facebook que omitiu uma agressão e errou ao não o expulsar, caso que teria forçosamente de dar um severo castigo ao atleta, isto se não fosse usado um truque similar ao usado quando Deco atirou uma chuteira contra um árbitro, ou pelo facto do Presidente do Conselho de Justiça da F.P.F, ser figura assídua no camarote presidencial do Porto.
   Mais, se por não ter sido com o seu clube, não tenha a obrigação de o dizer, lembro  que foi este mesmo árbitro que apitou penalti num Benfica - Sporting num enorme mergulho do Jardel e noutro derby numa simulação do Silva, poderia Pinto da Costa lembrar-se que foi este mesmo árbitro que lesou gravemente o Sporting com 2 expulsões ridículas, num clássico no Dragão e não consta que nessa altura tenha exigido o profissionalismo.
   Mas para exercitar ainda mais a memória do Papa e dos seus paineleiros, relembro ainda que curiosamente, ou talvez não, quando após as 3 primeiras jornadas, os dirigentes leoninos se revoltaram contra as arbitragens, depressa, veio esse pagador de viagens, em defesa dos árbitros, com críticas ferozes aos dirigentes leoninos, alcunhando a crítica de choradinho habitual e dizendo que era preciso ter coragem para ser árbitro.
   Coincidentemente, ou talvez não, logo após as suas declarações, depressa os árbitros iniciaram um boicote aos jogos do Sporting, curioso por isso verificar, que agora, após as críticas que fez a Duarte Gomes, não só os árbitros não façam boicote, como ainda pedem desculpa, é apenas a constatação de um facto.
   Não tenho aqui qualquer necessidade de defender o Sporting neste caso, até porque são eles que o têm de fazer, aliás, Godinho Lopes já veio relembrar isto e criticar aquilo que entende e bem, como uma forma de pressão desta personagem, que até é muito conhecida por diversos episódios relacionados com corrupção na arbitragem, para os jogos que se seguem, nomeadamente o Porto - Sporting, no fundo, este post, serve essencialmente para os sportinguistas que o possam ler, como um alerta, para que de uma vez por todas tirem dos olhos as palas que lhes tolda a visão e vejam quem na realidade os tem prejudicado, muito embora ache isso pouco provável.
   Tudo isto está longe de ser inocente, o timing escolhido para este tipo de declarações é oportuno, surge numa altura em que após um calendário que lhe foi deveras favorável, como é usual, não conseguiu descolar na classificação, sabendo que agora que irá ter um calendário mais apertado, nada como um pedido de ajuda extra, que tantas vezes deram um enorme jeito na conquista de títulos.
     Numa coisa estou de acordo com Pinto da Costa, é o que diz respeito à profissionalização da arbitragem, algo que os grandes e Lisboa defendem há muito e que curiosamente, só agora este senhor se lembrou de defender, espero é que não seja uma exigência sua, a criação de um gabinete por si presidido de aconselhamento matrimonial, algo em que diga-se o Presidente portista, conforme está comprovado, é mais competente que o professor Bambo.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

LUÍS FILIPE VIEIRA - A pessoa para além do Presidente.

    Luís Filipe Vieira, tem sido um mártir nas críticas de alguns benfiquistas e de outros que se dizem benfiquistas, sendo eles qualquer outra coisa que não se percebe bem o quê, se calhar nem eles ainda sabem bem aquilo que são, críticas essas muitas vezes infundadas, outras que não passam de meras suposições e de situações criadas nas suas próprias cabeças, e obviamente algumas fundadas e com alguma razão de ser, porque o Presidente do Benfica, como qualquer pessoa, não é imune a erros e também os comete.
    No geral, julgo que o Presidente do Benfica tem feito um excelente trabalho, não me vou alongar muito em considerações, apenas digo que após ruinosas gestões desportivas e financeiras, Luís Filipe Vieira estabilizou o clube, devolveu-lhe o crédito perdido, conseguiu um fluxo de receitas nunca visto que fez com que o clube entrasse no top 20 mundial, como o clube com maiores proveitos financeiros e criou infra estruturas novas e modernas, tais como o Estádio, Pavilhões e centro de estágio.
   Na vertente desportiva, é certo que não tem os títulos que por ventura gostaria e julgaria já ter nesta altura, culpa própria em algumas situações e alheia noutras, porque num futebol português mergulhado em situações menos claras, em que existe um clube que se sabe andou a dar aconselhamentos matrimoniais, a distribuir fruta, entre muitas outras situações, torna-se para o Benfica ou até mesmo para o Sporting, muito complicado ser campeão nacional, só mesmo em épocas de grande qualidade isso se consegue, daí eu achar que num futebol português sem ponta de verdade, as suas conquistas são já relevantes.
   Na minha opinião, o que eu crítico e julgo ser o grande erro destas direcções encabeçadas por Vieira, é elevado número de contratações, nem sempre com o melhor proveito, ou seja, sempre defendi, que mais vale contratar pouco e mais caro, com selo de qualidade garantido, do que muito e barato, cujo risco de falhar é muito elevado, ora atendendo ao enorme investimento feito no clube, principalmente nos últimos 4 anos, acho que o Benfica poderia ter ainda mais qualidade no seu plantel, ou então, poderia ter gasto bem menos dinheiro para ter esta qualidade, esta é na minha opinião onde a direcção mais falhou.
   No entanto, como se sabe e isso é em qualquer clube do mundo, há e haverá sempre contratações mais e menos conseguidas, inclusive, por vezes é de onde menos se esperava que surge a mais valia e desiludem-nos aqueles nos quais depositamos mais esperanças e essa é uma das particularidades do futebol e como tal, qualquer contratação envolve riscos.
   Mas há algo que é o que mais venho apreciando nos últimos tempos em Luís Filipe Vieira, a sua condição humana e o seu carácter enquanto homem, mostrando ser uma pessoa solidária e com um sentido enorme de cooperação dentro daquilo que lhe é possível, elevando ainda consigo o nome do Benfica, falo não só da acção da Fundação Benfica por si criada, cujos resultados em matéria de solidariedade são bem visíveis e teve como expoente máximo a ajuda prometida e cumprida para com as vítimas da Madeira, relembro que noutros clubes, a promessa na hora da tragédia surgiu, mas nada foi feito.
   Tenho ainda como episódios mais marcantes da sua enorme postura humana e de grande coração, a atitude que teve com Ricardo Gomes, ex- capitão do Benfica, quando foi vítima de AVC e agora, a visita feita a Carlos Martins e ao seu filho Gustavo, um acto que o enobrece e que deve ser alvo dos mais rasgados elogios, este tipo de atitudes só o enriquecem a ele enquanto homem e ao Benfica, uma vez que a sua imagem de Presidente estará sempre associada ao clube, é de facto um acto de grande e imensa nobreza este que agora teve e aos quais se juntam muitos outros, Parabéns Vieira, isto é o que mais me faz gostar do Presidente, porque isto vale mais que qualquer vitória.
   Termino, lamentando e muito, que aqueles que por alguma blogoesfera, nomeadamente no Geração Benfica, tanto tempo o perdem a criticá-lo, a maioria das vezes em assuntos sobre os quais não têm qualquer conhecimento de causa, que o criticam só porque ele não faz aquilo que eles gostavam, porque se acham uns hábeis negociadores sem qualquer experiência ou conhecimento técnico nesse campo, que o criticam por situações criadas por si, ilusões geradas naquelas cabecinhas que se julgam pensadores, não tenham a ombridade, nem a capacidade moral, de o elogiar pela sua enorme postura humana e não vejam para além dos seus próprios egos e fetiches. 
  

sábado, 17 de dezembro de 2011

NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA - Maxi já renovou.

   Este post é dedicado aqueles que mais não sabem do que lançar críticas a tudo e todos, aqueles que pedem cabeças porque se acham sabedores de tudo, aqueles que quando a sua vontade não é satisfeita no imediato, acham que os outros são todos uns incompetentes.
   Luís Filipe Vieira, numa das suas visitas às casas do Benfica, acabou de anunciar uma grande notícia, a renovação do contrato de Maxi Pereira, isto foi agora anunciado na Benfica TV e só vem demonstrar que o Presidente do Benfica, ao contrário da opinião de alguns pseudo entendidos, sabe o que está a fazer e que estas coisas das renovações, por vezes levam o seu tempo, porque não se pode aceder logo às primeiras exigências, isto vem demonstrar que LFV é hábil negociador.
   Os pseudo competentes, acham que por um atleta ser importante, se deve logo renovar e pronto, que não há um processo negocial com cedências de ambas as partes, ou seja, com eles seria quanto queres? Toma lá, ufa!, imaginem  que seria com tanta bondade à frente dos destinos do Benfica, felizmente, alguns gerações Benfica, não estão à frente dos destinos do clube, mas lá que querem uns vale azevedistas à sua frente lá isso querem, talvez na esperança de mamarem algo, de facto que grande benfiquismo o deles.

UM BOM BENFICA - Deu em goleada.

   Acabo de chegar da Luz, depois de assistir a um bom jogo do Benfica, com alguns momentos fantásticos e outros menos conseguidos, mas que globalmente foi uma exibição positiva, em que Nolito mostrou que dá outra vivacidade ao corredor esquerdo, porque arrisca no 1x1, dá velocidade e não interioriza tanto o jogo como o Bruno César, cujas características não lhe permitem dar a mesma dinâmica nos corredores.
  BENFICA 5 RIO-AVE 1 - A exibição do Benfica não se pode classificar de brilhante, essencialmente como o modo demasiado macio e permissivo com que a equipa entrou em jogo, pressionava pouco, não dava velocidade ao seu futebol e permitia ao Rio-Ave entrar no último reduto com demasiada facilidade.
   Apesar disso, percebia-se também que sempre que acelerava o jogo, o Benfica criava desiquílibrios na defesa vila condense com muita facilidade.
     Mas foi o Rio-Ave o primeiro a chegar ao golo num belo remate de Atsu que não deu hipóteses a Artur, ou seja, o Benfica colocou-se a jeito devido a passividade que demonstrava em campo, e foi devidamente castigado.
   No entanto, foi precisamente esse golo que acordou a equipa, a qual vendo-se em desvantagem, acelerou o jogo, começou a pressionar mais forte e em zonas mais adiantadas, apostando em lances pelos corredores laterais, onde Nolito brilhava na esquerda e Maxi, bem apoiado por Witsel, dava profundidade na direita e foi precisamente através de um cruzamento seu, que um defensor do Rio-Ave, desviou com a mão o cabeceamento de Cardozo, num penalti indiscutível, que o Tacuara concretizou com um míssil, tanto que Carlos Brito afirmou que o lance é tão evidente que não oferece discussão.
   O empate estava conseguido, só que esta fase do Benfica era muito boa e Nolito, numa jogada individual de grande categoria, fintou vários adversários numa caixa de fósforos e num ângulo reduzido faz um golaço que fez a carambola no marcador.
   Já em vantagem, a equipa ganhou ainda mais confiança e antes do intervalo chega ao 3 a 1, numa jogada sensacional, em que Aimar, quem mais, faz um passe de calcanhar magistral que coloca Saviola na cara do golo e este não perdoou.
Na 2ª parte, o Benfica entrou a marcar, pedir melhor era impossível, Aimar cobra um livre descaído para a esquerda e surge Garay a antecipar-se a um estático defensor vila condense e carimba o 4º golo, retirando quaisquer dúvidas quanto ao vencedor do jogo.
   A partir deste momento, a questão já era em quanto ficaria a goleada, as boas jogadas sucediam-se, as oportunidades surgiam, mas o último toque falhava.
  Jesus mexeu então na equipa, retirando o maestro do campo, gerindo e bem o seu esforço, disso se ressentiu o futebol do Benfica, o qual começou a ser menos vistoso, mas mesmo assim com o domínio completo da partida.
   Já com Rodrigo também em campo, por troca com Saviola, Nolito, numa jogada de insistência, de forma feliz, faz o seu merecido 2º golo e o 5º do Benfica, dando expressão ao caudal ofensivo da equipa.
  Entrou então Nelson Oliveira e finalmente Cardozo a ser tratado na sua casa como merece, saindo com um forte aplauso de todo o estádio.
   O jogo desde os 75 minutos perdeu fluidez e atá ao final da partida, foi ver um Rio-Ave rendido e um Benfica entretido.
   Resultado inteiramente merecido, com bons momentos colectivos e individuais.
   Pela Positiva: A grande exibição de Nolito, a provar que é o jogador indicado  para jogar na esquerda do ataque do Benfica e a goleada, a qual moraliza, ainda por cima quando é alcançada depois de estar em desvantagem no marcador.
   Pela negativa: A fraca assistência na Luz, 34.000 pessoas é pouco para o líder da Liga, esta equipa merece mais apoio e carinho, está a fazer até ao momento uma bela temporada, mesmo que por vezes as exibições não sejam brilhantes.
Arbitragem de Bruno Esteves: Simplesmente fantástica, todas fossem assim e a verdade desportiva estaria sempre salvaguardada.
   Como nota final deste post, A Catedral do Desporto perguntava qual o adversário ideal para o Benfica e calhou em sorte o mais desejado pelos benfiquistas, num universo de 74 votantes, 23 responderam Zenit, precisamente quem nos calhou hoje em sorte para os 1/8 de final da Liga dos Campeões,  com a enorme curiosidade de 10% terem desejado o Milan e ninguém ter votado no Nápoles.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

MERCADO DE JANEIRO - As lacunas deste Benfica.

    Julgo que será unânime entre todos que não há planteis perfeitos, todas as equipas do mundo apresentam sempre uma ou outra posição menos bem apetrechada, ora porque os reforços a essa posição não corresponderam ao esperado, ou por inadaptação, ora porque por vezes, ao idealizar-se um determinado plantel, só com a máquina a rolar, se consegue perceber aquilo que funciona menos bem e que carece de um retoque e obviamente, o Benfica não é excepção.
   Julgo que uma das principais lacunas que esta equipa do Benfica tem apresentado, é a falta de velocidade nas alas, de um jogador cuja principal característica seja abrir o jogo a partir dos flancos, procurando ganhar a linha de fundo, o que se nota é que Bruno César procura invariavelmente zonas centrais do terreno, Nolito, apesar de dar mais profundidade e ser mais forte no 1x1, também não me parece um verdadeiro extremo e o próprio Gaitan é um jogador que tem por hábito flectir da linha lateral para o centro, ficando assim muitas vezes, as despesas de flanqueamento entregues ao lateral Maxi Pereira, o que é manifestamente pouco, provavelmente seria Enzo Pérez esse atleta capaz de flanquear o jogo e dar velocidade nas alas, mas a sua lesão associada a alguma falta de adaptação tem atrasado a sua integração.
    Não raras vezes se nota que a equipa afunila o jogo em demasia pelo centro do terreno, isso faz com que o futebol do Benfica seja por um lado mais previsível e por outro, facilita quem defende, uma vez que a zona central é por norma a zona mais bem preenchida e isso é de facto algo que urge resolver.
   Outra lacuna, tem sido na minha opinião a lateral esquerda, principal ao nível defensivo, Emerson não me pareça tão mau quanto o querem pintar, mas está longe de ser um lateral de excelência, com capacidade ofensiva, algo que é exigível num clube como o Benfica, ou seja, Emerson vai cumprindo no plano defensivo, mas denota sérias limitações no desdobramento ofensivo, deixando muitas vezes as despesas naquela ala entregues ao jogador mais adiantado, que ainda por cima, flecte muito para o meio, ou seja, o Benfica acaba por jogar demasiado tempo coxo naquela zona do terreno.
   Na minha opinião, essas são as lacunas que tenho identificado no Benfica e como vem aí o mercado de Janeiro e o Benfica está em posição previligiada no campeonato, apurado para os 1/8 de final da Liga dos Campeões, com boas possibilidades de fazer um pouco mais, o clube não pode desperdiçar esta oportunidade se suprir essas lacunas, sob pena de hipotecar as suas ambições na presente época, penso ainda que não são precisas mais de 2 ou 3 contratações.
    Sinceramente não gosto muito de falar em nomes, contudo, confesso que aqueles que têm vindo a lume, merecem a minha aprovação, Ansaldi, pelo que conheço dele, tanto pode jogar na esquerda como na direita, o que oferece logo a vantagem de também poder suprir a eventual falta do Maxi, é um jogador forte a defender, com um grande pulmão, que sobe muito bem no terreno e não raras vezes arrisca o remate, uma vez que tem um bom pontapé, embora não seja nada de extraordinário em termos de finalização.
   Outro nome de que se fala é Patito Rodriguez, o qual inclusive confessou já um acordo com o Benfica, este atleta é um jovem com enorme potencial, com muita velocidade, um desequilibrador nato, já que é fortíssimo no 1x1, capaz de jogar nas alas e ganhar a linha de fundo e apesar de jogar preferencialmente na esquerda, pode também jogar na outra ala ou ao centro, é muito versátil em toda a linha ofensiva e revela enorme qualidade, diria mesmo que é um craque ao nível do Di Maria e que se crescer na Europa, poderá ser ainda melhor, confesso que se há jogador que quero ver no Benfica é este.
  Quem quiser pode ver este vídeo http://www.youtube.com/watch?v=S_PvLb7lyi0
   Concluindo, julgo que a vinda destes dois atletas, resolveria muitos dos problemas do Benfica, com a enorme vantagem de serem ambos polivalentes, um ao nível ofensivo, outro ao nível defensivo, portanto ambos como o nosso treinador Jorge Jesus gosta.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

BENFICA VENCE NA MADEIRA - Num jogo muito complicado.

    Devo dizer que não segui o jogo com a atenção devida, pois onde me encontrava, obrigou-me a tentar ver o jogo pela net, com paragens que chegavam a ser enervantes, por isso não posso fazer uma análise ao jogo como gostaria, deixando aqui algumas ideias vincadas, à vossa consideração.
    Contudo, já tive oportunidade de ver os resumos e sinceramente, não entendo os motivos para tantos protestos do Pedro Martins e seus pares, na expulsão de Olberdam, nada a dizer, duas entradas a justificarem plenamente os amarelos, em relação aos restantes amarelados, quem vai retirar elevados dividendos e o Porto e mais ninguém, em relação ao golo, a questão que fica é que só por muita má fé se pode contestar a sua legalidade, não há nem de longe nem de perto qualquer fora de jogo no lance.
   Em relação à contestação a uma possível falta de Aimar sobre Peçanha, torna-se ridículo o protesto, porque o erro não dá mais que um lançamento de linha lateral, ou seja, permite todo e qualquer posicionamento do adversário, dando-se início a um novo lance, se vamos protestar questões destas, qualquer dia, dizemos que sofremos um golo porque 20 minutos antes o árbitro não assinalou uma falta, portanto é uma desculpa ridícula justificar o golo do Benfica por um lance que nada tem a ver com a jogada do golo.
   MARÍTIMO 0 BENFICA 1 - Foi um jogo, tal como se previa, complicado para o Benfica, o seu adversário está efectivamente num bom momento, cheio de confiança e como tal isso só valoriza o triunfo do Benfica.
     Queixam-se alguns, com um nível de exigência tremendo, que o Benfica não jogou bem, concordo, efectivamente do que vi, posso concluir que não foi um jogo muito conseguido, mas não deixa de ser verdade que o Benfica no geral foi melhor e justificou o seu triunfo, mas mais importante ainda, é ver a equipa a ganhar a adversários complicados, por ventura no ciclo de jogos para o campeonato mais difícil, Braga fora, Sporting em casa e Marítimo fora, quando efectivamente não está no seu melhor momento e os campeões fazem-se exactamente assim, quando conseguem vencer nos seus momentos de forma menos favoráveis.
   Depois, parece que por vezes as pessoas se esquecem que há adversários e que estes têm o seu mérito, o Benfica conquistou 3 pontos num campo em que os seus mais directos rivais, terão também muito dificuldade em ganhar, tudo isto, valoriza ainda mais esta importante vitória.
   Na ante visão deste ciclo iniciado em Braga, eu tinha dito que seria muito importante o Benfica conseguir pelo menos 6 pontos, conseguiu 7, tinha ainda dito que era importante após estes 3 jogos, que a equipa se mantivesse em posição de discutir o título, que mesmo não sendo líder, teria de ficar a uma distância pontual que o deixasse na luta, pois bem a equipa saiu deste ciclo na frente do campeonato, posto isto, o que querem mais os adeptos do Benfica, goleadas?
    Meus amigos, eu quero é ganhar, quero é ver que este Benfica, mesmo longe da sua melhor forma consegue vencer e isso sim é de extrema importância e o que mais importa realçar.
   Concluindo, o Benfica após um Novembro e Dezembro terríveis, passou em 1º lugar o seu grupo da Liga dos Campeões, continua na frente do campeonato, lamentando-se a eliminação da Taça, pode haver quem não esteja, mas eu estou contente e orgulhosos da minha equipa e só lamento que ela não seja merecedor por parte dos do costume de mais confiança e apoio, porque noutras alturas, a onda vermelha já estava em marcha e julgo que é o que falta para catapultar a equipa para outros patamares, porque infelizmente os jogadores não estão a sentir o apoio e o carinho dos seus adeptos, se o sentirem, imaginem até onde ela poderá ir.
   À semelhança do jogo do Benfica, também não segui convenientemente os jogos dos seus mais directos adversários, mas a verdade é que também eles tiveram muitas dificuldades para vencerem os seus jogos, que diga-se, eram em teoria de um grau de dificuldade bem menor e não vejo nos seus adeptos tantas críticas como nos nossos.
   Pelo que li e pelo resumo que vi, o Sporting esteve num plano aceitável na 1ª parte frente ao Nacional, jogou mais, teve algumas situações de perigo, embora com poucas oportunidades efectivas de golo, justificando plenamente a vantagem no marcador ao intervalo.
   Na 2ª parte, parece que houve mais Nacional, equipa que assustou e muito o Sporting, obrigando Patrício a intervenções valorosas e enviando uma bola à barra, tendo inclusive o próprio Domingos assumido que há vitórias assim, sofridas e que o Sporting teve alguma felicidade no jogo.
   Como atenuante perfeitamente justificável, as muitas ausências de peças importantes na equipa, nomeadamente no seu meio campo, o qual naturalmente se ressentiu e muito das ausências de Rinaudo e Schaars, 2 jogadores muito importantes na manobra da equipa, mas o mais importante foi conseguido, a obtenção dos 3 pontos.
   Para a equipa do Sporting, segue-se após um ciclo de jogos favorável, um ciclo mais complicado e é aqui que a equipa leonina vai ter de provar a sua rela valia, até porque sabe que está a 4 pontos da liderança e que por exemplo o Benfica, terá agora em teoria um calendário bem menos exigente.
   Já o Porto em Aveiro, teve também muitas dificuldades, embora com o mérito de ter recuperado de uma desvantagem no marcador, ante um Beira - Mar, que foi perdendo força ao longo do jogo.
    A verdade é que o Porto apesar de ter justificado os 3 pontos, viu na última jogada do encontro, os aveirenses falharem um golo absolutamente incrível e de baliza escancarada, o que poderia ter sido um tremendo rombo nas suas ambições, neste caso valeu a chamada estrela de campeão, é que não é muito normal falhar-se um golo daquela maneira.
   Portanto, o futebol hoje é complicado, os adversários existem e complicam e no fundo, este fim de semana trouxe imensas dificuldades aos principais candidatos ao título, mas todos eles conseguiram o mais importante, o triunfo.
 

sábado, 10 de dezembro de 2011

FIM DE SEMANA INTENSO - Emoção em perspetiva.

     Um fim de semana intenso nesta próxima jornada da Liga Portuguesa, mas não só, O Benfica joga este fim de semana várias cartadas importantes nas mais variadas modalidades, a começar por um fantástico derby no futsal, já hoje pelas 17H00, onde Benfica e Sporting irão certamente deliciar os adeptos com um bom jogo, no Basket há clássico, Benfica e Porto testam a invencibilidade de um e de outro e há também um sempre apetecível e escaldante Real Madrid - Barcelona da Liga Espanhola, mas isso são contas de outro rosário e que nada interessa ao meu Benfica, mas interessa a todos nós que gostamos de um grande jogo de futebol.
      Quanto a nossa Liga e no que às contas do título diz respeito, começa hoje pelas 18H30, com o Beira - Mar - Porto, um jogo que não se afigura fácil para os portistas, defrontam uma das melhores defesas da Liga portuguesa, com uma excelente organização, mas que revela tremendas insuficiências ofensivas, havendo alguma curiosidade em perceber de que forma irão os portistas responder à eliminação da Liga dos Campeões.
     No entanto, o favoritismo do Porto é claro, até porque sabendo do jogo difícil que o Benfica terá pela frente, não quererão certamente perder a oportunidade de vencerem, para se isolarem na liderança, ainda que à condição, lançando assim pressão no seu mais directo rival.
     Já o Sporting, pelas 20H30, tem em teoria o jogo menos complicado dos 3 grandes, ainda assim, esta equipa do Nacional, em dia de alguma inspiração, pode sempre causar algumas dificuldades aos seus adversários, até porque o 12º lugar que ocupa na tabela classificativa, não reflecte o seu real valor.
   O Nacional, é uma equipa com bons executantes no plano ofensivo, mas que tem revelado alguns problemas nos processos defensivos, demonstrando muita dificuldade em controlar os jogos ou em conseguir assumir o seu domínio, fruto disso, os golos que vai sofrendo, é também normalmente muito mais permeável fora de casa, factor que joga em claro benefício do Sporting.
   A equipa de Alvalade, apesar do seu claro favoritismo, terá certamente de ser mais forte que no último jogo para a taça frente ao Belenenses e tem contra si, o facto de Schaars não jogar, ele que tem sido o grande esteio do meio campo, principalmente desde a lesão de Rinaudo.
   Em perspectiva, um jogo com um cariz mais ofensivo do Sporting, que irá querer assumir as rédeas do jogo, ante um adversário que por norma valoriza o espectáculo, não sendo uma equipa que se resuma a defender, o que pode beneficiar a qualidade da partida.
   Já o Benfica, terá  amanhã, pelas 20H15, na Madeira, frente ao Marítimo, o teste mais complicado dos 3 grandes, havendo uma certa curiosidade na forma como a equipa irá responder à precoce eliminação da Taça de Portugal por este mesmo adversário.
    Se quiser vencer, o Benfica terá de mostrar uma postura ambiciosa, pressionar o seu adversário e não cometer os erros do jogo anterior, nomeadamente em termos de postura e atitude.
   Os maritimistas estão num ciclo muito positivo, com 14 jogos seguidos sem conhecerem o amargo sabor da derrota, facto esse que faz com que a equipa esteja forte, moralizada e cheia de ambição, contudo, se o Benfica quer ser e mostrar ser um sério candidato ao título, terá de vencer, fazendo-o e atendendo ao calendário já jogado e àquele que os seus mais directos rivais irão ter,  a equipa poderá dar na Madeira um grande passo para o seu principal objectivo da época, até porque se avizinha um ciclo de jogos que em teoria terão um menor grau de dificuldade, retirando daí benefícios pontuais no futuro, até porque será de extrema importância continuar na condição de líder na altura do Sporting - Porto.
   Concluindo e na minha opinião, julgo que este Marítimo - Benfica, atendendo à conjuntura actual, é talvez o mais importante jogo desta 1ª volta, um jogo que mais que os 3 pontos, poderá definir a época, pela moral que uma vitória nesta complicada deslocação dará à equipa, pelo respeito que incutirá nos seus rivais, podendo em caso de um revés, ter resultados completamente distintos, com a desconfiança a instalar-se no seio do plantel, factor que poderá ser muito prejudicial em termos futuros.
   Tinha dito antes deste ciclo de jogos que começou em Braga, que se o Benfica fizesse neste conjunto de jogos 6 pontos e neles estivesse incluída a vitória sobre o Sporting, daria um enorme passo no que ao título diz respeito, embora obviamente nada decida em termos efectivos, falta apenas ganhar este próximo jogo, se assim for, o Benfica excede o pedido, passa este ciclo líder e assistirá em posição previligiada ao que se segue.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

SONDAGEM - Digam de vossa justiça.

    Estamos numa fase importante das provas europeias, com tudo definido na fase de grupos da Liga dos Campeões, impõem-se tirar o pulso aos ilustres visitantes deste blogue e perguntar-lhes qual na sua opinião será o clube que melhor se adequa ao Benfica no sorteio do dia 16 deste mês, certamente as opiniões dividem-se e o objectivo desta sondagem é apalpar o pulso dos adeptos do Benfica e não só.
    Apesar de faltar ainda uma jornada para concluir a fase de grupos da Liga Europa, já se pode definir aqueles que serão os principais candidatos a vencer esta prova, isto porque muitas vezes quem a vence é uma equipa repescada da Liga dos Campeões e essas já estão definidas, como tal, importa também saber qual a opinião que têm sobre o provável vencedor desta prova, até porque a época passada estiveram 3 equipas lusas nas meias finais e houve uma final portuguesa, será que o cenário se vai repetir? Estará esta edição mais forte? Digam de vossa justiça.
   As sondagens estão colocadas no canto superior direito da Catedral e espero que seja uma votação bastante participada, com a posterior divulgação dos resultados.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

BENFICA GARANTE 1º LUGAR - no grupo onde o Manchester caiu.

    Não foi de facto um jogo muito conseguido do Benfica, mas garantiu o essencial com um golo, mais um, daquele que continua de forma incrível a ser assobiado na Luz, Cardozo, já não se pode dizer que quem o assobia é ignorante em matéria de futebol, é já um ato de pura estupidez e quem o pratica é apenas estúpido e nada mais.
    Há também algumas pessoas que por puro delírio querem colocar o Benfica num patamar em que efectivamente não está, ou seja, acha que a equipa tem sempre a obrigação de golear seja contra quem for, uma barbaridade,  quer se queira quer não, esta equipa é boa, forte, mas não sejamos líricos, está longe de ser uma super equipa e não pode ombrear com outros tubarões da Europa do futebol, há que ser realista e tomaram outros que a sua equipa acabasse um grupo da Liga dos Campeões em 1º lugar e sem derrotas e esse é um facto.
   Relembro que ao contrário do que se pensava e porque nós adeptos jogamos muito com os nomes, este grupo foi difícil, porque houve um grande Basileia e a prova é que o Manchester United, vice- campeão europeu, foi relegado para a Liga Europa em detrimento de uma surpreendente equipa Suíça e não fora uma grande performance nos jogos fora do Benfica, hoje não estaria nos 1/8 de final.
    Relembrar ainda os mais críticos e por ventura menos atentos, que apesar de se notar muita ingenuidade e alguma falta de categoria nesta equipa romena do Otelul, a verdade é que em 6 jogos não foi goleado em nenhum e 5 deles perdeu por apenas 1 golo de diferença, a excepção foi em Manchester onde perdeu por 2 a 0.
  Portanto, o Benfica está de parabéns pela sua magnífica prestação nesta 1ª fase da prova e não é uma exibição menos conseguida que mancha o feito alcançado.
  Para uma equipa portuguesa e atendendo ao panorama actual do futebol internacional, tudo o que seja atingir os 1/8 de final tem de ser considerado uma presença positiva, tudo o que vier por acréscimo será uma excelente presença e a verdade é que pelo facto de ter ganho o seu grupo, o Benfica vai evitar as maiores potencias actuais do futebol europeu, podendo ombrear com qualquer dos seus possíveis adversários por uma presença nos 1/4 de final.
   Com este desempenho, evitou-se o Barcelona, Real Madrid, Inter de Milão, Arsenal, Chelsea, Bayern de Munique e Hapoel, podendo calhar em sorte, Nápoles, Milan, Bayer Leverkursen, Marselha, Lyon, Zenit e CSKA Moscovo. Sinceramente não tenho grandes preferências, julgo que todos eles são obstáculos complicados, mas também com todos eles o Benfica terá boas chances de seguir em frente, por isso, apenas resta aguardar pelo sorteio do dia 16.
   A arrogância inglesa demonstrada por Ferguson e seus pupilos saiu-lhes bem cara, menosprezaram as equipas do seu grupo numa fase inicial da prova e depois, quando acordaram para a realidade, tiveram sempre de correr atrás do prejuízo, provando-se que esse é o pior caminho que se pode seguir e que todas as equipas devem ser respeitadas, sob pena de se ser castigado.
   Constituiu ainda uma enorme surpresa o apuramento do Lyon, a equipa francesa precisava de golear e esperar pela derrota do Ájax frente a um fortíssimo Real Madrid e se a derrota conforme se verificou já era esperada, apesar da enorme colaboração de Jorge Sousa e seus pares, anulando 2 golos limpos e perdoando um penalti ao Real (esperemos que seja mais feliz na Madeira), uma goleada do Lyon com tamanha expressão era algo que poucos imaginavam, apesar da fragilidade do D. de Zagreb, mas constituiu ainda maior surpresa e até com dose de alguma suspeição, a forma como foi conseguida, após o 1 a 1 do intervalo, os franceses marcaram 6 golos em poucos mais de 25 minutos e carimbaram o passaporte para os 1/8 de final.
   Não há nada objectivo que aponte para qualquer acto ilícito, mas não deixa de ser estranha a forma como os 6 golos da 2ª parte foram obtidas, a velocidade com que se sucederam e ao fim ao cabo, não seria a 1ª vez que uma equipa de França estaria envolvida num escândalo de manipulação de resultados nas provas europeias, certamente todos se lembram de Bernard Tapie e do seu Marselha? No mínimo, este jogo de Zagreb, requer uma investigação séria e rigorosa por parte da UEFA e a bem da verdade desportiva, o senhor Platini, não deve intervir nesta questão, mostrando equidade para com todas as equipas.
   Posto isto, aguardemos pelos sorteio dos dia 16 deste mês, com a certeza de mais um belo encaixe financeiro para o Benfica e um jogo de casa cheia onde conto estar presente.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

DIA DE CHAMPIONS - 1º lugar exige-se.

    Após o sorteio da liga dos campeões, creio que ficou claro para toda a gente que o Benfica tinha tudo para seguir em frente na competição, recordo-me inclusive, de aqui ter escrito que qualquer outro cenário que não o apuramento do Benfica para os 1/8 de final, teria de ser considerado um fracasso.
   Também não é menos verdade, que para a generalidade das pessoas, o 2º lugar no grupo era um dado adquirido, afinal de contas, um dos adversários era nem mais nem menos que o campeão inglês e vice-campeão europeu Manchester United, pelo que poucos esperavam que hoje, pelas 19H45, o Benfica entrasse na última jornada com muito mais que o apuramento garantido, com o 1º lugar do grupo na mão, com toda a importância que esse factor pode ter no sorteio da fase seguinte.
    Assim sendo, será inadmissível que o Benfica deixe fugir a oportunidade de acabar esta última jornada como começou, líder, joga em casa e tem pela frente aquela que é claramente a equipa mais acessível do grupo e até uma das mais frágeis da presente edição desta prova.
   Como tal, o Benfica tem de encarar o jogo de hoje com seriedade e respeito pelo adversário, jogando ao seu nível, se o fizer, estou certo que com maior ou menor dificuldade, a equipa irá vencer este jogo e ganhar o grupo, o que lhe confere à partida uma série de vantagens para os 1/8 de final, desde logo o facto do jogo da 2ª mão e normalmente decisivo, ser jogado no estádio da Luz, com a força do seu público no apoio à equipa, mas essencialmente porque da maneira que esta edição está a correr, e evitar os mais sérios candidatos à vitória na Liga dos Campeões, Barcelona, Real Madrid, Bayern, Inter de Milão, Arsenal, Chelsea e o outsider Hapoel.
    Seria portanto um cenário de enorme dificuldade para o 2º lugar do grupo o que se avizinhava, no entanto, pela qualidade enorme desta prova, o facto de ganhar o grupo, apesar de conferir melhores possibilidades, tem ainda assim equipas de renome e muita qualidade, Nápoles ou City, Milan e Bayer Leverkursen que me parecem ser os adversários de maior grau de dificuldade, tendo como melhores alternativas apesar se serem sempre confrontos de elevado grau de dificuldade ou não estivessemos a falar da melhor prova a nível de clubes,  Lille ou Tranbzonspor, muito provavelmente Ajax, Zenit e Marselha, por aqui se pode perceber como é importante vencer o grupo devido às maiores probabilidades de um sorteio que abra perspectivas para os 1/4 de final.
   No entanto, como disse antes da prova começar, tudo o que para uma equipa portuguesa seja chegar aos 1/8 de final, deve ser considerada uma presença positiva, mais do que isso é uma fantástica presença.
    Lamento apenas que o jornal "Record" deturpe as palavras do treinador do Benfica, o qual nunca disse que queria apanhar o Barcelona na final, dando quase como adquirida a quase utópica presença do Benfica nesse jogo, não foi nada disso que Jesus disse, o que ele disse quando confrontado com esse cenário pelos jornalistas rindo-se, foi que se assim fosse, gostaria de jogar com o Barcelona, porque era sinal que o Benfica tinha chegado à final, ou seja, um contexto totalmente diferente da ideia que hoje, na 1ª página e em grande destaque, esse jornal quer fazer passar.
    O Porto foi ontem relegado para a Liga Europa após empate caseiro a zero com o Zenit, um jogo marcado por intenso domínio portista, que explorou as imensas fragilidades defensivas concedidas por um adversário que se limitou a pouco mais que ficar fechado no seu meio campo, mas cujas falhas na concretização e o acerto do guarda - redes adversário, o impediram de fazer melhor.
   Este resultado acabou por castigar o Porto pelo mau inicio de campanha nesta prova e o curioso, é que mesmo com um desempenho por vezes medíocre nas primeiras 4 jornadas, os portistas ficaram a 1 golo de vencerem o grupo.
   Estranho apenas, que ao contrário da temporada passada, quando o Benfica saiu da Champions para a Liga Europa, não haja agora ninguém no clube portista, com um coro de protestos por aquilo que apelidaram de absurda repescagem dos clubes de uma prova para outra, mudam-se os tempos, mudam-se as vontades.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

HÁ VIDA PARA ALÉM DA TAÇA - Depois da enorme desilusão.

     Não pude fazer a minha habitual crónica ao jogo de 6ª feira para a Taça de Portugal que redundou na 1º derrota oficial da temporada para o Benfica frente ao Marítimo por 2 a 1 por mera questão de falta de tempo.
    Não escondo a enorme frustração pela eliminação da Taça de Portugal, é uma prova muito significativa para mim, mas principalmente para o clube, o qual há anos a mais que não marca presença na final, naquele que é o jogo de encerramento da temporada e para mim o mais belo da temporada.
   Como sabem sou e continuarei a ser um enorme defensor de Jorge Jesus, nem sequer me vou alongar de novo nas razões dessa defesa, pois já aqui as expliquei muitas vezes, no entanto, quando erra há que assumir e dizer que errou, nada mais normal e para mim, o treinador do Benfica foi o grande responsável pelo desaire na Madeira, não porque tenha tido qualquer erro de abordagem táctica, mas porque na minha modesta opinião errou na própria abordagem ao jogo e nas muitas modificações introduzidas no onze que à primeira vista não se justificavam.
    Sinceramente, custou-me entender as razões para que jogadores como Javi Garcia, Aimar e Maxi Pereira, essencialmente estes, não foram 1º opção, porque o jogo com o Marítimo era irreversível e porque o jogo de amanhã com o Otelul é em teoria menos complicado e joga-se numa prova em que o principal está conquistado, ou seja o apuramento, ainda para mais, por exemplo, não entendo porque se poupa Maxi Pereira, quando este por castigo não joga na Liga dos Campeões.
   Ao facilitar desta maneira, a equipa perdeu dinâmica, ficou com a ideia que o jogo era de menor importância e isso reflectiu-se na qualidade de jogo e na pouca atitude dos jogadores.
    Mas isso é passado, há vida para além da Taça e agora há que centrar todas as atenções nas restantes provas em que o Benfica está envolvido, começando já por garantir o 1º lugar no grupo da Liga dos Campeões e em seguida por ir à Madeira de novo, mas agora na máxima força e com o pensamento que esse é o jogo que em caso de vitória, poderá catapultar a equipa rumo ao título, uma vez que esse jogo irá encerrar um período de calendário muito complicado, ao mesmo tempo que os principais adversários, terão um ciclo de jogos de maior grau de dificuldade, o que poderá conferir alguma vantagem ao Benfica, até porque Sporting e Porto jogarão entre eles.
   Venham então os próximos jogos para que a equipa retome a senda das vitórias, eleve de novo a sua moral e a dos seus adeptos, porque depois da eliminação na Taça de Portugal, exige-se aplicação máxima e luta acérrima para a conquista da Liga Portuguesa e boa presença na Liga dos Campeões, com a dignidade que deve sempre caracterizar o Benfica.
   Voltando à Taça, com a eliminação de Benfica e Porto, o Sporting ficou com via aberta para a final desta competição, ontem fui a Alvalade para ver um outro clube com que muito simpatizo, o clube da zona onde crescio e que me habituei a acompanhar, o Belenenses, apesar de por vezes julgar que era o Benfica que ali jogava tantas as vezes que o seu nome foi invocado, o qual fez um bom jogo, sendo inclusive melhor que o Sporting na 1ª parte, com 2 excelentes situações para marcar, mas que na 2ª parte caiu com o 1º golo do seu adversário, que obviamente mostrou ser nesta fase mais forte e cuja maior capacidade dos seus jogadores acabou por vir ao de cima.
    Os adeptos leoninos, ao contrário do que muitos julgam, não se mostraram felizes com a eliminação do Benfica, mas sim aliviados, aliviados porque levar de novo com um clube que ganhou os últimos 6 ou 7 derbies é sempre sinal de imensa preocupação.
 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista