quarta-feira, 31 de agosto de 2011

PARAGEM DOS CAMPEONATOS - Há que redefinir calendários.

    Cá como lá fora, os campeonatos dos respectivos países sofrem a 1ª paragem da época devido aos compromissos internacionais das selecções, com ela a debandada de jogadores dos clubes, que são a entidade pagadora e que se vêem privados amiúdas vezes dos seus melhores atletas, os quais regressam aos seus clubes, em muitos casos, ou em deficiente condição física, ou com lesões.
   Após 3 jornadas, para a nossa Liga, ou seja, ainda nem os motores aqueceram e já se assiste a privação por parte dos clubes dos seus principais activos.
   Sou e serei sempre, um fã incondicional do meu país e da minha selecção, embora hoje, o problema seja bem mais abrangente do que a selecção portuguesa, ou seja, a maioria dos jogadores que actuam nas nossas principais equipas, partem em maior quantidade para representarem outros países e não o nosso, fruto do excessivo número de estrangeiros que delas fazem parte.
  Tudo isto, no fundo, representa um problema grave e lesivo aos clubes, há que fazer uma redefinição dos calendários dos jogos de selecções, algo que não me parece tão complexo como isso, mas que tarda em ter uma resolução por parte da FIFA, até porque a sobrecarga de jogos é imensa, com os consequentes reflexos físicos e psicológicos nos seus desempenhos, bem como do aumento de lesões devido a essa sobrecarga.
   Mas como disse, parece-me simples a resolução desta situação, para tal, sabendo que de nada vale e que não terá qualquer tipo de reflexos no futuro, deixo aqui a minha opinião e gostaria até que quem ler este texto deixa-se aqui a sua.
   Vamos por partes: De forma sucessiva, as pré temporadas e muitas vezes as temporadas em curso dos clubes, são afectadas por competições ao nível de selecções, veja-se o recente caso da Copa América que atrasou de forma significativa a integração dos internacionais nos seus clubes, aliado a isso um campeonato do mundo de sub-20, levianamente realizado em pleno início dos campeonatos nacionais de clubes.
   Será complicado solucionar isto? Não me parece, haja vontade, como solução, não seria normal e adequado colocar a Copa América, o Campeonato da Europa e a Taça das Nações Africanas a serem disputadas todas de 4 em 4 anos e na mesma altura?  Julgo que sim, assim em vez dos jogadores saírem às prestações saiem só de uma vez, como também, esses campeonatos poderiam realizar-se apenas no mês de Junho, dando assim espaço para que os jogadores tivessem o necessário descanso após intenso ano competitivo e chegassem aos clubes mais frescos e ainda com um mês de pré temporada pela frente até ao início dos seus campeonatos, nem que o início destes se adiasse por uma ou duas semanas, beneficiavam os clubes, os jogadores e as selecções, é que por exemplo, estupidamente, a FIFA, permite que a competição africana decorre entre Janeiro e Fevereiro, um período crucial da temporada em que as equipas ficam privadas dos seus jogadores, o que acho um tremendo atentado à verdade desportiva e extremamente lesivo aos clubes, que repito, são quem investe milhões nos jogadores.
   Outra questão tem a ver com as fases de apuramento para mundiais e europeus, sinceramente, não percebo a razão de grupos de apuramento tão grandes e em muitos casos com tanta falta de competitividade.
   No que à Europa diz respeito, qual o benefício de ter equipas como o Luxemburgo, Liechenstein, Andorra, Ilhas Faroé e tantas outras, a competirem com Alemanha, Portugal, Inglaterra, Espanha, etc?
   Será assim tão complicado criar 2 divisões na Europa? Não me parece, seriam necessários menos jogos para apurar as equipas, haveria mais competitividade e os clubes não seriam tão prejudicados.
  Pergunta-se então como é que se dariam as promoções e despromoções? Fácil, existiria um apuramento numa 1ª e numa 2ª divisões, em que os piores classificados da 1ª divisão desceriam e os melhores da 2ª divisão subiriam, podendo até fazer-se um europeu de diferentes divisões, para que as equipas menores possam também ter competição e disputar fases finais.
   Esta é a minha opinião, até porque me custa muito estar constantemente sem ver os campeonatos a decorrerem e interrompidos com uma frequência abissal.
    

terça-feira, 30 de agosto de 2011

BENFICA SURGE NO MEIO DO NEVOEIRO - Numa vitória justa.

   Qual Dom Sebastião, o Benfica surgiu no meio do nevoeiro para carimbar uma vitória muito importante e inteiramente justa. Não foi um Benfica brilhante, nem o podia ser, naquele estádio, frente aquele adversário não é fácil sê-lo, mas foi claramente um Benfica competente, pela entrega, pela solidariedade e a frieza com que encarou este jogo e só assim foi possível sair da Choupana com os 3 pontos.
NACIONAL 0 BENFICA 2 - O jogo ficou claramente marcado pelas interrupções na 1ª parte, devido ao nevoeiro que se ia abatendo sobre o relvado, factor esse que retirou ritmo ao jogo, tornando esta fase do jogo intermitente e com ambas as equipas sempre à procura do melhor ritmo.
  A 1ª oportunidade foi do Nacional, Mateus isola-se pela esquerda da defesa do Benfica e remate para defesa com os pés de Artur, sempre muito sóbrio, aliás, nesta fase inicial, a equipa madeirense explorou muito bem o espaço interior dado pelo Emerson e o Jardel, algo corrigido logo após a 1ª paragem.
   Essa paragem fez bem ao Benfica, corrigiu as marcações e aos poucos foi assumindo as rédeas do jogo, com a felicidade de marcar logo que surgiu a oportunidade e a eficácia é também um dos factores que distingue as grandes equipas, Gaitan cruza muito bem e o matador Cardozo a facturar, dando mais uma chapada aos cromos do assobio.
  Cardozo goste-se ou não, marca golos e a verdade é que em 8 jogos oficias já leva 4 golos e note-se que não jogou em todos, eu sou fã de Cardozo.
   O golo tranquilizou mais a equipa e apesar de haver no jogo um Nacional mais rematador, a verdade é que não criava lances de grande perigo, assim como o Benfica, que exceptuando um pontapé forte de Cardozo pouco mais fez.
 Na 2ª parte - O Nacional entrou com vontade de mudar o cenário do jogo, mas esbarrou num Benfica solto, coeso e confiante, o qual voltou a assumir as rédeas do jogo e começava a ameaçar mais vezes a baliza do Nacional.
  Ao minuto 61 deu-se a expulsão de João Aurélio, um momento importante do jogo, pode-se questionar a justiça do 2º amarelo, mas a verdade é que apesar da falta não ser dura, Bruno César vai com perigo para a área adversária e pelo que sei, a não ser que se queira aplicar outras regras ao Benfica, uma falta que corte uma jogada de perigo, é punível com cartão amarelo.
   Mas dou o benefício da dúvida, dúvidas que já não tenho na entrada dura e sem bola de Felipe Lopes sobre Witsel, seria no mínimo amarelo alaranjado, isto não falar que 5 minutos após a jogada da expulsão de João Aurélio, o mesmo Felipe Lopes agride novamente com uma cotovelada violenta Witsel e claramente é lhe perdoada a expulsão, juntando a isto um fora de jogo mal tirado a Witsel quando este caminhava isolado para a baliza, ainda na 1ª parte e já com o Benfica em vantagem no marcador, é apenas uma questão de fazer as contas e verificar quem afinal foi o prejudicado neste jogo.
   Contra 10, o domínio do Benfica aumentou claramente e as oportunidades para matar o jogo sucediam-se e eram desperdiçadas, ora por ineficácia atacante, ora por mérito do guarda - redes adversário, apenas o melhor do Nacional, o que diz bem da justiça do triunfo do Benfica.
  Mas quem não mata arrisca-se e o receio de numa bola parada isso acontecer era muito, tendo Bruno César mesmo à beira do apito final, colocado um ponto final na questão, com uma arrancada impressionante e um golaço.
  Pela positiva: a atitude colectiva do Benfica e Cardozo, assobiam-no, mas ele marca, tomaram muitos clubes ter assim um goleador.
  Pela negativa: a agressão impune de Filipe Lopes sobre Witsel, quem faz aquilo não pode continuar em campo.
Arbitragem de Soares Dias: apesar de não ter notado uma premeditação em influenciar o jogo, errou em situações graves, Witsel isola-se com 1 a 0 e o lance é anulado por fora de jogo inexistente, perdoa a expulsão a Filipe Lopes e este mesmo jogador faz penalti sobre Bruno César, embora seja um lance muito complicado em que se deve aceitar a decisão do árbitro.
    O Benfica é líder à condição, mas isso para mim não tem nada de relevante, teria se fosse mesmo líder, a verdade é que o Porto tem um jogo a menos e tem ganho como se tem visto, aliás, alguns adeptos do Sporting que tanto se têm queixado da arbitragem, ás vezes com razão, em vez de olharem tanto para o outro lado da 2ª circular, deveriam desviar o seu olhar mais para a Norte, porque se calhar é lá que está algum do mal de que se queixam, até porque em vez de se preocuparem tanto com actos isolados de alguns adeptos, como o do caso Proença, se calhar deveriam estar mais atentos e preocupados com o facto de ter sido promovido à 1ª categoria um árbitro que no âmbito do processo apito dourado teve 2 anos suspenso, o qual apitou o último Porto - Gil Vicente conforme toda a gente viu e que pode ser comprovado pela foto aqui colocada.
  É este tipo de coisas que aldraba o nosso futebol, infelizmente, as atenções de uma grande franja dos adeptos leoninos está sempre mais virada para o outro lado da 2ª circular e enquanto assim for, sinceramente, não tenho pena nenhuma daquilo que lhes vai sucedendo, quem venera da forma que venera, aquelas que corrompem e aldrabam o futebol português, não só não tem legitimidade para se queixar, com ainda tem aquilo que merece, pelo menos até abrirem os olhos, o que no seu caso, parece improvável.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

REGRESSO - Após férias retemperadoras mas curtas...como sempre!

--- Viva caros e ilustres amigos da Catedral, o período de férias acabou, embora só regresse efectivamente ao activo dia 01 de Setembro, como dizemos sempre, foram curtas, mas boas.
    Quando parti para o repouso, desejei aqui vitórias do nosso glorioso, isso aconteceu e uma delas de extrema importância, refiro-me à nossa entrada na Liga dos Campeões, com uma tremenda exibição frente aos holandeses do Twente, cuja única derrota na presente temporada, foi precisamente frente ao Benfica, aliado a esse facto, um sorteio da fase de grupos que permitam que diga, foi muito generoso, tanto que na minha opinião, tudo o que não seja a passagem aos 1/8 de final, será uma má campanha nesta competição.
   Mas mais factos houve dignos de registo, um deles, não constitui em si nenhuma surpresa, constitui antes um estado de coisas que se mantém, refiro-me obviamente ao constante benefício dado ao Porto, conforme se viu na partida com o Gil Vicente, já não há vergonha sequer para disfarçar, o descaramento é total e com isso a equipa portista, à semelhança de tantas outras épocas, tem no início da liga muito mais pontos do que aqueles que deveria ter, assim se moralizam as tropas e daqui a uns tempos, toda a gente já esqueceu este início de época e um Porto moralizado pela pouca vergonha será alvo dos mais rasgados elogios, ou seja, um filme repetido e gasto, fazendo lembrar a SIC e a TVI que repetem nas tardes de cinema os mesmos filmes com enorme frequência.
   Outro facto teve a ver com aquilo que para mim foi surpreendente, o boicote de João Ferreira aos jogo Beira - Mar - Sporting, com a solidariedade dos seus colegas, facto esse que para além do protagonismo dado a um árbitro de Aveiro, só desprestigiou a classe dos árbitros e abriu um gravíssimo precedente.
  Todos sabemos que este comportamento leonino em relação aos senhores do apito é useiro e vezeiro, o choradinho já teve proporções bem maiores, tanto que a alcunha de calímeros advém desse facto.
  No entanto, neste caso em concreto, creio que a razão está do lado do Sporting, porque se um árbitro internacional ainda por cima, por causa daquilo que se disse e que não foi nada de especial, alega não ter condições para dirigir esse jogo, então meus caros, esse senhor pode ser tudo na vida, menos árbitro.
  Mais incrível é a omissão regulamentar existente nestes casos, ou seja, o árbitro pode recusar-se a apitar e nada de especial lhe acontece, já um clube que resolva faltar a um jogo é severamente punido e não me venham dizer que a arbitragem é amadora, porque aquilo que eles ganham e as regalias profissionais que têm em nada se coaduna com o amadorismo.
  Outra questão é a de se entender que o Sporting usou ou não uma estratégia de condicionamento ao árbitro, se assim foi, a Liga que instaure o competente processo disciplinar e puna exemplarmente, o árbitro é que não pode deixar de cumprir com as suas obrigações.
   Para mim a questão é simples, João Ferreira não pode ser árbitro, pois é frágil psicologicamente.
   Esta historieta, demonstrou ainda que estes senhores são serventis e andam a reboque de quem os molda e não será inocente com toda a certeza, o facto do Presidente portista estar do seu lado, pudera, os benefícios são evidentes e claro que a eles, interessa que este estado de coisas se mantenha e de preferência com silêncio e conivência.
   Conivência tem sido a palavra exacta para descrever a postura leonina até então em relação a arbitragem, pois na época passada, os empurrões ao Porto foram bem mais evidentes, e os pontapés ao Benfica mais graves que aqueles de que o Sporting tem sido vítima na presente temporada e os dirigentes leoninos na altura, rapidamente condenaram a postura benfiquista em relação à arbitragem e depressa se meteram ao lado dos interesses instalados, se calhar esperando daí recolher dividendos que não se verificaram.
   Já em relação as críticas de Godinho Lopes a Proença, parecem-me ridículas, fora de contexto e aqui sim, como uma clara confrontação aos árbitros, como forma de esconder os verdadeiros problemas de um Sporting que cometeu erros grosseiros, que não convence ninguém e não perdeu por culpa do árbitro, sendo até incompreensível que uma vitória contra um bando de rapazes louros, tenha sido tão valorizada, quando a vitória não foi nada convincente e a obrigação seria passar o Nordjeland com uma facilidade que não se viu.
   Proença errou? Claro que sim, mas para os dois lados, se é verdade que anulou um golo limpo a Evaldo, embora seja dos tais lances no limite que pela sua dificuldade se deve aceitar qualquer decisão, esse lance seria um 1 a 0 e não o 2 a 0, conforme referiu de forma mentirosa o Presidente do Sporting e a verdade é que o Sporting se colocou em vantagem e não conseguiu segurá-la.
  Quanto ao pseudo penalti sobre Schaars, ridículo, não existe nada a não ser uma disputa de bola, onde o contacto físico existe, mas por ambos os jogadores e o Marítimo também sofre o golo do empate num lance em que a falta seria ao contrário.
  Curiosamente, a comunicação social, de forma leviana e se calhar intencional, branqueou esse lance, é que existe claramente uma campanha pró Sporting por parte dos senhores jornalistas e eu entendo as razões: Vendo o poder da comunicação social, noemadamente a SportTv, que vai perder a sua galinha de ovos de ouro, o Benfica, nada melhor do que tentar levantar o Sporting para não perder tudo, a comprovar o que digo, basta ver que os jornalistas, analistas e afins, reclamam que a equipa do Sporting é uma equipa nova, pedindo-lhe tempo, mas constata-se que não só, o Sporting joga com um onze assente no da temporada passada, como o Benfica tem muito mais jogadores novos que eles, no seu onze jogam sempre 4 ou 5 reforços e ninguém diz que o Benfica precisa de tempo.
  Isto são factos concretos!
   Portanto, folgo em ver, que quer Domingos, quer os dirigentes leoninos, já achem aquilo que não acharam a época passada e tantas vezes por mim denunciado neste espaço, é que os campeonatos decidem-se desde o seu início, isso tem sido um facto relevante ao longo dos anos e esta época não está a ser diferente, pelo que este campeonato está já adulterado e é já uma completa farsa.
  Esta Liga mentirosa irá continuar, com a impunidade e a falta de vergonha que a caracteriza, pena tenho que os adeptos de todos os clubes, não se unam e boicotam este futebol em nome da verdade, deixando de ver os seus jogos na televisão e deixando de frequentar os estádios, eu sei que é difícil, eu adoro ir à Luz e ver os jogos do meu clube, mas esta seria a única resposta dura, dada por quem verdadeiramente ama este desporto e que no fundo são os principais enganados, ou seja os adeptos e se houvesse uma corrente unida para tomar tal atitude, garanto que aderia, é que eu já não acredito no que vejo, porque em Portugal, muitas vezes, não ganha o melhor, mas ganha o mais aldrabão.
  Hoje, o Benfica tem um jogo muito complicado na Madeira, frente ao Nacional, uma equipa muito forte em casa, uma equipa que por tradição nos causa muitas dificuldades e onde curiosamente já se pagou a árbitros para o Benfica perder e isto começou bem, com a nomeação de Artur Soares Dias, pelo que a minha expectativa para este jogo é tudo menos agradável, pois suspeito que possa assistir a mais uma mentira, oxalá me engane e que se o Nacional vencer eu possa dizer que foi apenas por mérito.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

A CATEDRAL VAI DE FÉRIAS - Mas só depois de dizer, GANDAS PUTOS!

  A Catedral do Desporto vai para uns dias, para que eu tenha umas merecidas, digo eu, ferias, e conta voltar ainda com mais força e com vitórias do Benfica.
  Custa-me não poder estar na Luz a apoiar a nossa equipa contra o Feirense e o Twente, mas esteja onde estiver a hora do jogo, certamente estarei a vibrar intensamente pela vitória do Glorioso e claro está pela enorme selecção portuguesa que está de forma brilhante na final do campeonato do mundo.
   E por falar nisso, antes de ir de férias e porque não o poderia deixar de o fazer, nada melhor do que dar os parabéns a Selecção portuguesa de Sub-20, eu como alguns, critiquei a futebol produzido por Portugal em certos momentos, mas eles têm sido brilhantes e mostraram o quanto podemos ser precipitados nas nossas análises e era bom que alguns que constantemente à mínima derrota do Benfica batem em tudo e todos, aprendem-se com esta equipa, feita de querer, raça e humildade.
  Joga um futebol defensivo? Joga pois claro, mas joga com as armas que tem e mostra um sentido colectivo e um espírito digno dos mais rasgados elogios, o querer desta equipa, aconteça o que acontecer na final com o Brasil, foi para mim uma verdadeira lição.
  Mas se joga um futebol negativo, se calhar a culpa é de quem não lhes dá oportunidades e como sabem que não têm a experiência competitiva ao mais alto nível nos clubes, como jogadores presentes na maioria das restantes selecções, unem-se num só, fazendo das suas fraquezas a sua grande arma e isso não só revela inteligência, como maturidade.
  Parabéns PORTUGAL, domingo torço por vocês putos, porque merecem e já são grandes, oxalá os clubes em cá do burgo olhem para vocês e lhes dêem a oportunidade que merecem, nada ficam a dever a outros, que por ser estrangeiros são alvo da cobiça dos nossos principais clubes.
  Um abraço a todos o que visitam este espaço e até dia 28 ou 29 deste mês.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

COM UM PÉ NA CHAMPIONS - Com um grande Rei Artur.

--- O Benfica, com o empate de ontem na Holanda, deu um passo de gigante rumo à fase de grupos da Liga dos campeões, num jogo que teve um Benfica com bons momentos e outros que revelaram algumas fragilidades defensivas preocupantes.
    TWENTE 2 BENFICA 2 - Foi de facto um Benfica de duas caras aquele que esteve na Holanda, um Benfica forte e criativo no ataque, com belos momentos ofensivos, onde se destaca a jogada do 2º golo, mas a revelaram imensas dificuldades em estancar o jogo ofensivo do adversário, especialmente no meio campo, algo que já havia sido visto em Barcelos e que é urgente melhorar.
   De qualquer modo, embora longe de ser uma grande equipa, o Twente está também longe de ser uma equipa vulgar, se defensivamente me parece ser fraca e permeável, tem um poderio atacante muito forte, com jogadores de uma estampa física assinalável e um Bryan Ruiz a dar-lhe um toque de classe, motivo que a torna uma equipa forte em casa, como se viu na edição da Liga Europa da época passada.
   A primeira oportunidade do jogo foi para o Benfica e surgiu logo aos 3 minutos, numa jogada de insistência de Gaitan, que ao ganhar vários ressaltos, surge na cara do Guarda - Redes, rematando forte contra este, na resposta, surge o golo do Twente, marcado por De Jong, um avançado possante, de boa qualidade técnica, numa jogada em que ficou à vista o muito trabalho a fazer em matéria de cobertura defensiva, naquela zona de terreno, o adversário não pode ter tanto tempo para preparar e pensar o remate.
   Felizmente, esse golo não abalou a confiança do Benfica, a qual tem melhores executantes e aos poucos foi tomando as rédeas do jogo, assumindo-o e com esse domínio, após uma excelente recuperação de bola de Aimar, Cardozo (o tal que não presta) embalou para um golo de belo efeito, dando justiça no marcador.
  Por falar em Cardozo, peço aos adeptos do Benfica que abram os olhos e não tratem tão mal este goleador, sim goleador, quando pensarem em criticá-lo, lembrem-se disto: nos últimos 2 anos marcou 61 golos, leu bem, 61 golos e tem no Benfica uma média de 25 golos ano, isto não é ser goleador? Então por favor, peço mais uma vez que me expliquem o que é ser goleador.
   Não é esteticamente bonito, é lento sim senhor, mas marca golos e julgo que por essa Europa fora, não há muitos jogadores com tantos golos como ele, por isso não só merecia mais respeito dos adeptos do seu clube, como mereceria admiração, mas não, a capacidade que alguns adeptos do clube têm para matar os jogadores é gritante, foi assim com Nuno Gomes, que só passou a ser bom quando deixou de jogar, até lá foi Maria Amélia e é agora com Cardozo que só será bom quando deixar o Benfica, enfim, vamos lá entender estes parvalhões.
   O golo do empate foi claramente um duro golpe no adversário, apesar de logo na jogada seguinte Artur, uma exibição monumental, ter negado o 2 a 1, mas o domínio do jogo era encarnado e não admirou que chegasse à vantagem, numa jogada fantástica, onde mais uma vez esteve envolvido o mal amado Cardozo, que soltou Gaitan, que de primeira lança Witsel, que com uma classe e visão de jogo notáveis, ofereceu de bandeja o golo a Nolito que não desperdiçou.
 Na 2ª parte, com a vantagem no marcador e ciente que o adversário iria arriscar tudo, o Benfica jogou mais na expectativa e no sentido de segurar um grande resultado, afinal de contas, é preciso não esquecer, que isto é uma eliminatória disputada a duas mãos.
   O Twente arriscou tudo, lançou mais um avançado possante na frente e começou a lançar muitas bolas para o confronto directo com a defesa do Benfica, a qual ia revelando muitas dificuldades face ao poderio físico do adversário, mas a verdade é que também nunca deixou de procurar o contra golpe e se Artur, foi um rei na baliza, salvando o Benfica de mais aflições, situações houve em que uma melhor definição no último passe, poderia a equipa encarnada ter arrumado em definitivo esta eliminatória.
   Mas apesar de tudo, nesta altura, era a equipa holandesa a mais perigosa, o que até acaba por ser natural, estava em desvantagem e tinha de procurar o golo, o qual surgiu, após uma incursão na direita do seu ataque, após perda de bola infantil de Maxi Pereira, com naturais sinais de cansaço, e cruzamento para a área, onde Bryan Ruiz faz o empate após empurrar Emerson, um golo em clara falta, nas barbas do árbitro de baliza, que nada assinalou, ficando mais uma vez a questão, que raio fazem esses senhores atrás da baliza a não ser ganharem dinheiro? Fica a resposta para quem souber.
   No entanto, o empate era justo para a equipa holandesa, mas tala como sucedeu quando esteve em desvantagem no marcador, o Benfica não se abateu, voltou a agarrar no jogo e teve mesmo nos pés em duas ocasiões a hipótese de vencer o jogo.
   Em suma, um bom jogo, com um resultado em minha opinião justo e que abre excelentes perspectivas para o jogo de dia 26 no Estádio da Luz.
Pela positiva: A enorme exibição do Rei Artur, defendeu o possível e por vezes o que parecia impossível e Cardozo, ele é isto, golos, goste-se ou não, merece respeito.
 Pela negativa: A permeabilidade defensiva do Benfica, por vezes dá muito espaço para os adversários pensarem as jogadas e a cegueira do árbitro de baliza no 2º golo do Twente.
 Arbitragem:Twente, não se pode culpar o chefe de equipa, se tem um colega junto ao lance que nada lhe diz, ele obviamente valida o golo.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

RUMO À LIGA DOS CAMPEÕES - Precisa-se um grande Benfica.

--- Hoje, pelas 19H45, disputa-se na Holanda, frente ao Twente, um jogo de extrema importância para o futuro desportivo e económico do Benfica, desportivo, porque uma equipa que se quer voltar a afirmar na Europa tem de estar consecutivamente na Europa dos grandes e económica, porque os valores pagos na Liga dos Campeões, são incomparáveis aos de outras provas.
    Antes de entrar no jogo propriamente dito, gostaria aqui de deixar algumas pequenas considerações: Depois do empate custoso da 1ª jornada do campeonato, ao viajar pela imensa blogoesfera benfiquista, deparei-me com uma chuva de críticas à equipa e não só, algumas das quais coerentes, bem descritas e que concorde-se ou não, se devem aceitar, já outras, são penosas e de uma leviandade tremenda, em que tudo se coloca em causa ao mínimo deslize, assim como colocaram nos píncaros a equipa após o jogo com o Arsenal e isso é extremamente nocivo ao clube, a crítica deve ser construtiva, analisada com frieza, sem que para isso seja preciso colocar tudo e todos em causa e pedir de forma insistente o rolar de cabeças, isso gera instabilidade e só faz mal ao Benfica e aquilo que o Benfica precisa é de estabilidade, ou será que já ninguém se lembra da catástrofe que foi despedir Fernando Santos na 1ª jornada?
   Claro que algumas críticas são justas, ou no mínimo levantam algumas questões, eu próprio também crítico algumas atitudes desta direcção e equipa técnica, mas tenho sempre presente que eles têm a obrigação de ter um melhor conhecimento da realidade do dia a dia do Benfica e acreditar que o que fazem será no sentido de ter o melhor para o clube, quando assim não for, então, nas eleições mostrem vontade de mudar.
   A mim, custa-me de facto entender algumas coisas, por exemplo, parece-me por vezes que no Benfica actual, é pecado ser português, senão vejamos: Dos poucos que compõem o plantel ainda são dispensados, casos de Moreira e Carlos Martins, este para mim difícil de entender, até porque Enzo Perez demonstra ainda algumas dificuldades de adaptação ao modelo de jogo da equipa e ao próprio futebol português e Bruno César, parecendo-me também ser um jogador de qualidade, creio que muito dificilmente vingará no nosso futebol, apenas porque me parece tipicamente jogador brasileiro de apenas e só bola no pé e isso em Portugal não dá.
  Então quem seria a melhor alternativa a Aimar? Para mim claramente Carlos Martins, até mesmo na direita e pode como já aconteceu coabitar na mesma equipa do astro argentino, mas que fique claro que isto não passa de uma mera opinião.
  Para reforçar esta minha ideia, julgo que David Simão, conforme mostrou na época passada é um belo jogador, capaz de jogar quer pela esquerda, quer como médio centro e neste momento parece-me bem mais capaz que alguns estrangeiros da equipa.
  Estou ainda renitente em relação ao que se vai fazer de Nelson Oliveira, um jovem de enorme valor, que via passeando a sua categoria no Mundial de Sub-20 e fosse ele argentino ou coisa que o valha e se calhar andava o Benfica a oferecer milhões por ele.
  Esta sim é a minha principal crítica a esta direcção, contrata em demasia, para lugares onde já existem jogadores de categoria no clube, alguns deles portugueses e ali formados, será que Bruno César que custou 6,5 milhões é assim tão melhor que David Simão? O tempo o dirá, mas sinceramente não me parece, para quê contratar avançados como alguns que existem no plantel, quando temos jovens do valor de Nelson Oliveira e Rodrigo? Pois, também não entendo, mas espero sinceramente que se saiba o que se está a fazer e que tenha a oportunidade de ver estes atletas a brilhar com a camisola do Benfica, porque têm imenso valor para tal, mas sinceramente temo que os venha a ver brilhar noutras paragens e a lamentar porque raio nunca o fizeram no meu Benfica.
   Mas, hoje o que importa é estarmos nós benfiquistas todos unidos no apoio a equipa, a cartada em jogo é demasiado importante e só espero que a equipa entre confiante, respeitando o adversário mas consciente do seu valor e do que é capaz, de modo a fazer um bom resultado.
  Precisa-se de um Benfica ao seu melhor nível, uma equipa inteligente e criativa, mas que saiba ocupar bem os espaços defensivos no meio campo, precisamente o que não aconteceu em Barcelos e isso contra o Twente poderá ser a morte do artista.
   A minha confiança na equipa é plena, porque o Benfica tem valor para passar este adversário, repito o que disse na eliminatória anterior, quem quer estar na Champions e se julga merecedor de tal, tem a clara obrigação de passar este adversário.
  A ansiedade já se apoderou de mim, tal como sucede sempre que o Benfica joga, estou confiante e acredito nesta equipa, FORÇA BENFICA.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

COMEÇOU A LIGA DA CORRUPÇÃO - Campeonatos decidem-se mesmo de princípio.

    Mais do mesmo, após o jogo de ontem do Guimarães - Porto, esta liga da vergonha, começou tal e qual o ano passado, ou seja, com os naturais e constantes empurrões a uma equipa, a qual depois se vai dizer maravilhas e que joga um grande futebol, etc, etc, mais do mesmo.
   Será que adianta os clubes investirem nos seus planteis? Criarem ilusões aos seus adeptos?
    É de facto incrível, o que se passa no futebol português, um futebol cheio de mentira, desacreditado e que envergonha todos aqueles que verdadeiramente gostam de futebol, com campeões escolhidos ainda antes das competições começarem, julgo que pelo menos, poderia haver um pingo de honestidade e assumir publicamente que o 1º lugar está destinado e inacessível a outros clubes que não o Porto, prometendo uma luta sadia do 2º ao último lugar.
   Mas será que alguém no seu perfeito juízo acha tudo isto normal? Acham mesmo que este campeonato se joga de forma honesta e que o campeão é normalmente o melhor? Sinceramente eu estou cada vez mais convencido que não e sinceramente não acredito neste futebol que é uma mentira pegada.
   Depois queixam-se de certos episódios de violência que se passam, mas afinal quem são os principais instigadores? São quem gere o futebol português, que não querem verdade e estão minados por uma enorme rede de tráfico de influências, os quais se arrastam para lá do futebol propriamente dito,  que estão bem à vista de todos os que olhem para este desporto com olhos de ver.
  É lamentável que se esteja a ver um jogo e não se possa acreditar na verdade do que acontece dentro das 4 linhas, mas é mesmo isso que se passa e eu tenho cada vez mais vergonha do que se passa e lamento que a impunidade continue a imperar e que toda a gente feche os olhos e assobie para o lado, com se tudo o que se vai vendo semanalmente seja a coisa mais normal do mundo, uma autêntica palhaçada.
   Alguém acredita que esta nomeação de Olegário Benquerença é inocente? Eu não acredito, este árbitro está claramente conotado com enormes favores ao clube do sistema, aquele que oferece fruta e viagens, este nomeação é tudo menos inocente e para isso, basta recordar que foi este mesmo senhor, que num Guimarães - Benfica na época passada, arredou por completo o Benfica do título, com uma arbitragem ainda mais vergonhosa que a de ontem, portanto, isto é tudo menos inocente, é antes uma acção concertada e claramente premeditada.
    Para comprovar ainda mais o que digo, basta ver que exceptuando Mourinho, todos os outros treinadores campeões, bi campeões e afins no Porto, não mais conheceram o sabor do êxito, será por acaso?
    Mas continuemos assim, matemos a verdade do nosso futebol, honremos os campeões da corrupção e vangloriemos os feitos fabricados.
    No entanto, constato que infelizmente, há muita gente de olhos tapados, pela obsessão ao Benfica, preferem não ver as evidências, refiro-me frontalmente a uma grande maioria dos adeptos leoninos, os quais, não se preocupam em ver o seu clube vencer, mas sim em ver o Benfica a não vencer e por isso, eles, estão satisfeitos com este estado de coisas, porque assim o Benfica não ganha e é isso que verdadeiramente os motiva.
  Senão vejamos: Ontem, quando do penalti maravilha assinalado contra o Guimarães, mandem uma mensagem a um adepto do Sporting, o qual me respondeu de imediato dizendo o seguinte: "Para mim não é penalti", vá lá, mas ressalvando logo o seguinte: "Mas é igual a um que assinalaram ao Cardozo o ano passado."
  Julgo ser sintomática esta resposta, vejam bem, que analisando um jogo do Porto, o que ele se lembrou logo, foi de um penalti do Benfica do ano passado, cujo lance já nem eu sei qual é e portanto, enquanto eles estiverem preocupados com o Benfica e não perceberem quem verdadeiramente goza com eles e os faz de otários, estaremos na mesma e infelizmente parece que eles gostam disso.
   Posto isto, sinceramente o que aconteceu ao Sporting neste jogo com o Olhanense, acaba por ser bem feito e se calhar deveria acontecer mais vezes, para ver, se de uma vez por todas abrem os olhos, porque pelo menos, Carlos Freitas e Domingos, já perceberam que os campeonatos se decidem muitas vezes de princípio.

domingo, 14 de agosto de 2011

DA ONDA VERDE - Ao feito dos Sub-20 de Portugal.

--- Está claramente instalada no país uma verdadeira onda verde e quando digo isto, refiro-me não ao fluxo de entusiasmo dos adeptos do Sporting, mas sim ao tratamento incrivelmente simpático que lhes é dado pelos media, é de facto notável o modo com a equipa de Alvalade tem sido tratada com mimos pela comunicação social desde a pré época.
     Senão vejamos: O Sporting começa a pré temporada vencendo equipas medíocres e já a comunicação social dizia que este era um leão que podia rugir, já o Benfica jogava com equipas que não sendo de 1ª linha, eram equipas de alguma qualidade e essencialmente com a preparação bem mais adiantada que o Benfica e essa mesma comunicação social dizia que o Benfica ainda tinha muito trabalho pela frente, sendo até crítica para com o clube, sem se quer se dar ao trabalho de ver que o plantel estava com ausências importantes na Copa América de toda a defesa.
   Seguidamente, o Sporting vence a Juventus, mais atrasada na preparação, com uma boa exibição e instalou-se o delírio, o Benfica começava a ganhar mas era criticado, até que se deu a viragem, o Sporting começou a perder e a cometer muitos erros, com exibições medíocres e logo a comunicação social faz uma campanha a dizer que era preciso paciência, que os adeptos da equipa tinham de estar com o clube que ele merecia, etc, etc, já o Benfica começava a mostrar algum futebol e nunca lhe foi pedido tempo e a verdade é que este plantel do Benfica, tem bem mais novidades que o do Sporting.
  Para o comprovar, apresento factos, por exemplo: O Benfica iniciou o jogo com o Gil Vicente com 4 novidades no onze, as mesmas que o Sporting, ou seja, Artur, Emerson, Nolito e Garay no Benfica e Rodriguez, Rinaudo, Jeffren e Schaars no Sporting, sendo que o Sporting acaba o jogo com 5 novos jogadores e o Benfica com 7, elucidativo creio eu.
  Mas após o jogo do Sporting, o que mais me parece digno de registo, foram as interessantes declarações da comitiva leonina, desde jogadores, passando por treinador, até a Carlos Freitas, indignados que estavam pela arbitragem de Carlos Xistra.
   Não está aqui em causa a sua incredulidade, de facto, o Sporting tem algumas razões de queixa, se bem que assim como se pode queixar do penalti e principalmente o fora de jogo assinalado a Postiga que seria golo, também pode agradecer que Jeffren tenha continuado em campo após uma entrada bárbara sobre um adversário, que a Binya, deu direito na UEFA a 7 jogos de castigo.
   Mas o que destaco das palavras de Domingos e Carlos Freitas, após esta arbitragem é a seguinte expressão: " Estamos atentos e sabemos que os campeonatos podem ser decididos nas primeiras jornadas".
  Ora muito bem, eis como se mudam os tempos e se mudam as vontades, então não foi isto que os benfiquistas apregoaram na época passada? Que a liga ficou inclinada e falseada nas primeiras jornadas, sempre por vós negado, alegando a superioridade do Porto?   
   Pois é, finalmente estamos de acordo, como foi dito muitas vezes na época passada, os campeonatos inclinam-se no seu início algo que os sportinguistas sempre negaram, até porque quando se trata do Benfica, por uma questão de princípio eles têm de estar contra.
  Alegaram eles na altura, a superioridade portista, a qual foi óbvia, mas para a qual muito contribuíram as arbitragens vergonhosas das primeiras jornadas, espero que agora tenham finalmente percebido, o que eu duvido.
  Mas para reforçar ainda esta imensa onda verde da comunicação social, basta ver o título do "Record", "Empate com sabor a Xistra". Mais uma vez, reconheço algumas razões de queixa do Sporting, mas o que questiono, é porque raio na época passada, com uma arbitragem bem mais vergonhosa em Guimarães, na sequência de muitas outras, este jornal não colocou como título "Derrota com sabor a Benquerença?
    Mudando de assunto, não poderia acabar este post sem dar os meus parabéns à jovem selecção portuguesa de Sub-20, pelo brilhante apuramento para as 1/2 finais do campeonato do mundo.
   É verdade que esta selecção não tem tido um grande nível exibicional, mas assenta o seu futebol num sentido colectivo muito forte, onde todos trabalham para todos, mostrando que um colectivo forte, é a melhor individualidade que se pode ter.
  Não se destacam à primeira vista nesta selecção nacional muitos jogadores, o colectivo repito é a grande arma, disso é prova o facto de ainda não ter sofrido golos, o que é notável, no entanto há alguns jogadores que denotam excelente capacidade, fossem eles sub - 20 de outros países e se calhar os nossos principais clubes ofereciam milhões por eles, refiro-me aos jovens Nuno Reis, um central de enorme qualidade, Mika, um belo guarda - redes em potência, Danilo, um esteio no meio campo e principalmente Nelson Oliveira, que tem sido a grande individualidade esta selecção, ele corre, ele remata, mostrando técnica, força e drible, um atleta de eleição, que fosse de outra nacionalidade e era já uma aposta no Benfica, aliás temo que nunca  se venha a tirar o devido proveito deste jovem talento, com uma capacidade acima da média, aliás, ainda não vi neste mundial melhor avançado que ele.
   Sem grande brilhantismo é certo, a verdade é que os nossos jovens já estão nos 4 melhores do mundo e agora tudo pode acontecer.
 FORÇA PORTUGAL.

sábado, 13 de agosto de 2011

MANTEVE-SE A TRADIÇÃO - Um jogo para não esquecer.

--- A tradição manteve-se, o Benfica voltou a não conseguir ganhar na sua estreia na Liga, contudo, este é um jogo para a equipa analisar muito bem e para não esquecer, pois uma equipa como o Benfica, não pode em caso algum, frente a um adversário deste nível, deixar fugir um jogo que estava ganho e isso é preocupante.
 GIL VICENTE 2 BENFICA 2 - Muito mau o que se passou em Barcelos, o Benfica com tudo muito bem encaminhado, com 2 golos de vantagem em 20 minutos, nunca conseguiu o controlo do jogo, deixando-o partir, quando deveria fazer a gestão de posse de bola e tirar ritmo ao jogo, obrigando o adversário a correr atrás da bola, tirando-lhe desse modo não só a iniciativa do jogo, como ao mesmo tempo enervaria o adversário e iria abrir ainda mais espaços na sua retaguarda de modo a resolver o jogo, pois bem, nada disso se viu.
   Num jogo que se antevia de alguma ansiedade, é sempre assim na estreia, o Benfica marcou 2 golos de rajada em duas jogadas de belo efeito, mas estranhamente esse facto pareceu não acalmar a equipa, sempre muito precipitada no seu meio campo defensivo e a permitir que o adversário entrasse com facilidade no último reduto da equipa.
  A verdade é que o Gil Vicente foi uma equipa muito digna, nunca defendeu em demasia, procurou sempre a baliza adversária, mas o grave é que isso me pareceu sempre mais consentido pelo Benfica, do que por mérito exclusivo do adversário, pelo que o golo do Gil, após um falhanço clamoroso de Ruben Amorin, que até estava a ser dos melhores, traduziu-se em justiça no marcador.
Na 2ª parte - esperava-se que o Benfica corrigisse a falta de solidez no meio campo, impondo-se a entrada de Witsel, o que aconteceu, mas com certeza que não iria ser Aimar a sair, até porque estava simplesmente a ser o melhor jogador em campo, mas segundo Jorge Jesus, uma lesão na coxa, obrigou a que saísse do jogo e disso se reflectiu a criatividade ofensiva da equipa.
   Embora mais sólida e sem permitir tantos espaços ao adversário, faltou alguma acutilância ofensiva, sempre a cargo de Nolito e Saviola, porque Gaitan nunca esteve no jogo e Jara está claramente sem confiança e para os ferozes críticos de Cardozo, que só gostam de quem corre muito, que lhes sirva de lição este jogo, porque certamente, correndo bem menos, o Tacuara, com as bolas que teve na área adversária, tinha feito aquilo que faz muito bem, golos.
   Contudo, nesta fase do jogo, o Benfica até controlava as operações, o adversário parecia agora manietado e houve mesmo 2 ou 3 situações flagrantes para resolver o jogo, mas como quem não marca sofre, Laionel, voltou a fazer das suas e marcou outro golo da sua vida, é de facto incrível, como este jogador mediano, tem esta veia de fazer os golos da sua vida ao Benfica, se calhar nada mais digno de registo fará ao longo da época, á semelhança do sucedido no ano passado.
  O certo é que o Gil empatou e o Benfica foi incapaz de reagir nos 15 minutos que faltavam, num empate com sabor a derrota como diz Jorge Jesus, pois uma equipa que quer ser campeã, não se pode dar ao luxo de fazer o que o Benfica fez neste jogo, alguém no seu perfeito juízo está a ver o Porto a desperdiçar 2 golos de vantagem? São jogos assim que tiram campeonatos e esperemos que tal não volte a suceder.
  Mas faltam 29 jogos, a equipa tem de acreditar em si, analisar muito bem este jogo de modo a não cometer semelhante pecado, com a consciência que o Benfica é capaz de muito mais que isto e um sério candidato ao título, tem é de se assumir como tal em toda a sua plenitude.
Pela positiva: A exibição constante de Nolito e Saviola, os jogadores mais na ofensiva encarnada e toda a equipa do Gil Vicente que nunca desistiu do jogo.
Pela negativa: O desperdiçar de 2 golos de vantagem, não pode acontecer num candidato ao título e Jardel, de facto o Benfica precisa de uma verdadeira alternativa a Luisão e Garay.
Arbitragem de João Ferreira: Muito positiva, sem casos, bem no aspecto técnico e disciplinar, deixando fluir o jogo.
  Mas o que me dói mais que este empate, é ver as reacções desmedidas e absolutamente inadmíssiveis de alguns adeptos do clube, chegando-se ao cúmulo de se pedir que se faça ao Jesus o mesmo que a Proença.
  De facto enoja-me a facilidade com que no universo benfiquista se vai do 8 ao 80, quando se ganha é tudo maravilhas, os jogadores os maiores do mundo, etc, quando se perde é tudo mal feito, é tudo uma tragédia, pois bem, eu também estou insatisfeito, mas caramba, não sou capaz de andar constantemente a colocar tudo em causa, a assobiar a equipa a falar mal de tudo e de todos, mesmo sabendo que obviamente existem erros. Sabem que mais? O verdadeiro benfiquista é aquele que após este jogo, irá à Luz contra o Feirense apoiar fervorosamente a equipa, não é quando se ganha que a equipa precisa de nós, é quando perde.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

A BOLA VAI COMEÇAR A ROLAR - É preciso romper com a tradição.

    Parece que enquanto o campeonato não começa, a bola não rola a sério, não sei explicar, a sensação é diferente e o bichinho esse nem se fala.
    Pois bem, finalmente a bola vai começar a rolar a sério, com isso, a adrenalina ao máximo, o levantar ora no estádio, ora no sofá, com um lance que parece golo mas não é, a vibração tremenda quando é mesmo golo, enfim, um conjunto de emoções que não se explica e que só percebe quem gosta de futebol e quem vive o seu clube de forma apaixonada.
    O Benfica, que no fundo é o que mais me interessa, abre a liga portuguesa, numa deslocação a Barcelos, para defrontar o recém - promovido Gil Vicente, um jogo já de casa cheia, como não podia deixar de ser,  jogo esse, que antevejo complicado, o qual deve ser encarado com a máxima seriedade, até porque é preciso romper com a tradição e entrar a ganhar no campeonato, algo que há muito não acontece com o Benfica, mesmo com alguns jogos teoricamente acessíveis na abertura.
   Novamente essa teoria do acessível está presente no jogo de estreia, afinal de contas, o Gil acabou de subir, não tem grandes nomes sonantes, mas a verdade é que tem organização e a motivação de defrontar o grande Benfica e isso por si só, é motivo suficiente para encarar o jogo com seriedade e empenho.
   O Benfica vai certamente ter pela frente uma equipa fechada no seu meio campo, preenchendo os espaços, no sentido de impedir que os criativos do Benfica tenham influência no jogo, tentando depois, apanhar o seu adversário em contra golpe, por isso, não espero um grande jogo, nem isso se pode pedir, porque estas equipas são por norma resultadistas e em nada se preocupam com o espectáculo e não censuro que assim seja, porque de facto, cada um joga com os recursos que tem.
   Para ultrapassar estas adversidades e uma defesa compacta, o Benfica terá de ser paciente, perseverante e insistente, tentando dar velocidade ao seu jogo e conferindo mobilidade na linha atacante de modo a tentar descompensar o seu adversário.
  No fundo, este tipo de jogos são aquilo que vulgarmente se designa por um pau de dois bicos, ou seja, se o Benfica marca cedo, obrigará o seu adversário a abrir o jogo e deixar mais espaços na retaguarda, se o golo tarda, começa a impaciência a apoderar-se dos jogadores e dos próprios adeptos e as dificuldades tornam-se acrescidas.
  No entanto, pela obrigação e maior valia que tem, confio plenamente no romper da tradição, ou seja, um Benfica a entrar forte e dinâmico e a vencer, no fundo o que verdadeiramente interessa.
   Venha de lá esse jogaço, porque o nervoso miudinho já se apoderou de mim e não vejo maneiras de o jogo começar.
  Porque o Benfica não concorre sozinho e interessa sempre olhar um pouco para os nossos adversários e torcer pela sua derrota, sem fazer disso a mesmo obsessão que eles fazem em relação ao Benfica, faço também aqui uma pequena análise sobre os nossos rivais:
  O Sporting, parece-me ainda longe da mecanização necessária para enfrentar uma liga que se prevê forte e competitiva, tem a vantagem de começar em casa, frente a uma adversário acessível, a Olhanense, ou seja, mesmo não estando ainda no patamar exigível, a equipa de Alvalade, tem a felicidade de lhe calhar em sorte um adversário que lhe permite vencer mesmo sem estar bem e julgo que é isso que irá acontecer.
   Teremos certamente um Sporting a entrar ao ataque para cedo resolver o jogo, mas, porque julgo haver ali alguma falta de confiança e ainda muitas debilidades, nomeadamente defensivas, julgo que o tempo jogará a favor da Olhanense, porque a impaciência poderá apoderar-se dos adeptos leoninos e com isso o nervosismo apoderar-se dos jogadores, mas o Sporting é claramente favorito e creio que com maior ou menor dificuldade irá vencer, até porque a equipa algarvia, é por norma um adversário que tendo obviamente mais cautelas defensivas, joga normalmente um futebol positivo que em muito beneficia o espectáculo.
    Fala-se com alguma razão, que o Sporting precisa de tempo, foram muitos jogadores novos, há que os integrar e criar rotinas, tudo isso é verdade, apenas lamento que tendo o Benfica no seu plantel mais jogadores novos que o Sporting, não tenha o mesmo tipo de tratamento da imprensa e dos especialistas desportivos.
  Já o Porto terá na teoria o jogo mais complicado, desloca-se ao terreno do Guimarães, num jogo sempre complicado para qualquer equipa, num dos estádios onde perdeu pontos na época passada.
No entanto, os portistas têm a grande vantagem de apesar de terem perdido o seu treinador, manterem intocável a estrutura da época passada, com todas as vantagens daí resultantes, nomeadamente em termos de rotinas e mecanismo já criados.
Ao invés, o Guimarães reformulou a sua equipa e procura ainda nivelar os seus níveis de entrosamento, aliás nos jogos que eu já vi desta equipa, pareceu-me pouco compacta e que deixa muitos espaços entre linhas, embora tenha um boa criatividade ofensiva.
Vai ser certamente um jogo difícil para o Porto, mas sinceramente, creio que com maior ou menor dificuldade, acabará por ultrapassar este obstáculo e conquistar os 3 pontos, com muita pena minha, diga-se.
   Que role então a bola e que a época comece, com um desejo muito forte que a prova decorra sem grandes casos, com verdade, para que no fim todos possamos dizer que tivemos um campeão justo, seja ele qual for, porque julgo que a maioria dos verdadeiros adeptos deste modalidade, gostam que o mérito da sua equipa seja reconhecido por todos, será pedir muito?

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

MANIA DE BENFIQUISTA? Por vezes parece...

    Não sei que reacções irei receber a este post, mas não me consigo conter perante as atrocidades perpetuadas pelos próprios benfiquistas a que vou assistindo e que dá azo aos mais variados comentários dos nossos rivais e tenho por vezes de reconhecer que com alguma razão.
   Uma das coisas que me vai repugnando no seio do Benfica, é a habilidade que muitos adeptos ditos benfiquistas têm para arranjar casos em tudo o que achem que não devia ser assim, ou que não seja como eles queriam que fosse, é uma coisa impressionante a leviandade e a facilidade com que diariamente, passando por essa imensa blogoesfera, se encontram posts a criar casos que só podem existir na sua imaginação, muito fértil diga-se, lamento dizer, mas isto já me parece uma espécie de mania de benfiquista, esse facto deveria fazê-los corar de vergonha, pelo muito que mancham o nome do Clube.
   Vem isto a propósito da não inscrição de Capdevilla para o play-off da Liga dos campeões, pois bem, já há muito boa gente a querer fazer de uma situação perfeitamente normal um caso, vendo já nas entrelinhas algo de estranho, ou um diferendo Jorge Jesus versus atleta, é de facto demais, a capacidade para ver fantasmas em tudo o que mexe, deve ser claramente um caso de qualquer trauma de infância mal curado.
   Julgo que para quem acompanha um pouco este fenómeno do futebol e não precisa de se ser qualquer espécie de expert na matéria, que Jorge Jesus, ciente do atraso na preparação do atleta, o qual começou a pré-época bem mais tarde que os outros, tenha optado à cautela, protegendo até o atleta, de fora da lista enviada para UEFA.
 Esses criadores de casos, parecem até ignorar o facto de até à véspera do jogo, essa mesma lista poder ser alterada, até porque, o ritmo de jogo já começa a ser elevado e o jogador pode ainda estar em condição insuficiente para as exigências desse jogado, assim como pode evoluir o suficiente durante a semana para ser integrado na lista em detrimento de outro jogador.
   Por favor, não vejam fantasmas em todo o lado, não inventem casos onde eles não existem, para isso já basta uma vasta franja da comunicação social, muita dele manipulável, o Benfica não precisa que sejam os próprios adeptos a fazê-lo.
    No fundo, isto é o mesmo que assobiarem os jogadores do próprio clube no estádio, só os prejudica, o que por exemplo fazem semanalmente ao Cardozo é uma autêntica vergonha, já para não falar de César Peixoto, o homem mal falha um passe ou um remate é logo coroado com assobios, os mesmos que depois vibram com os seus golos, isso só prejudica o jogador e o clube, já alguém pensou que o melhor goleador estrangeiro da história do clube, algo que alguns parecem esquecer, falha mais do que seria normal devido ao tratamento a que é vetado? Acham que um jogador sentindo-se tão mal tratado, joga com tranquilidade? É que o medo de falhar só o faz falhar mais e isso é também responsabilidade dos palhaços assobiadores.
  Numa coisa estou de acordo com o Presidente do Sporting e transportando as suas palavras para o Benfica, quem assobia o Benfica, não é certamente benfiquista, é que para isso estão lá os adeptos dos nossos adversários e eles agradecem a essa cambada de energúmenos cujo melhor favor que poderiam prestar ao Benfica era não irem ao estádio, pois o Benfica precisa de apoio e não de uns quantos otários que a mínima contrariedade passam todo o jogo a assobiar.
   Curiosamente, esses assobiadores otários, são os mesmos que quando depois se marca um golo, fazem uma festa enorme e já acham todos os melhores do mundo.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

A AGRESSÃO AO PROENÇA - Gabo-lhe a clarividência

---Todos os jornais dão hoje conta de uma agressão com uma cabeçada ao árbitro lisboeta Pedro Proença, no interior do centro comercial Colombo, mas um deles, o "Correio da Manhã", cuja credibilidade deixa muito a desejar, acrescenta ainda que foi um adepto do Benfica que o agrediu.
   Esse diário, afirma que chegou à fala com Pedro Proença afirmou o seguinte: "Sim, é verdade, fui agredido por um adepto benfiquista".
  Antes de mais, há que gabar a celeridade com que esse jornal foi o único que conseguiu chegar à fala com o árbitro, é de facto fantástico que para os outros jornais, o seu telemóvel estivesse desligado, menos para o "Correio da Manhã", provavelmente terá alguma linha privada para chegar à fala com Proença, depois, ficamos ainda a saber pela boca de alguns energúmenos, que este centro comercial é exclusivo a benfiquistas.
  Mas a ser verdade que Pedro Proença tenha afirmado ter sido um adepto do Benfica a agredi-lo, deve-se gabar a clarividência que teve, pois mesmo sofrendo uma forte cabeçada, que ao que consta lhe partiu 2 dentes, conseguiu ainda saber que foi de um adepto do Benfica, provavelmente irritado por este no dia anterior ter sonegado 2 penaltis evidentes ao Porto.
    Face a isto, estou mesmo a ver o filme e a conversa entre o agressor e o agora desdentado Proença:
!  AGRESSOR: Olhe, seu morcão, eu sou adepto do Benfica, estou irritadíssimo consigo, o que fez ao Porto na Supertaça não se faz, por isso bou-lhe dar uma cabeçada carago!
  Puum, deu-lhe uma forte cabeçada e partiu-lhe 2 dentes.
 PROENÇA: Aíiiii, (prostado no chão), dexxculpe, qual era mexxmo o xeu clube?
 AGRESSOR: Benfica carago!.
 PROENÇA: Ponto, era xo pa xaber!
   Hilariante de facto a clarividência após tão bárbara agressão, é assim como se eu chegasse junto de Soares Dias, lhe desse uma cabeçada, e lhe dissesse, olhe, sou adepto do Porto ou do Sporting.
  Para finalizar, dizer que sou obviamente contra qualquer tipo de agressão, a violência para mim nunca foi solução e é o recurso dos fracos.

 

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

VALE UMA APOSTA?

    A bola vai finalmente começar a rolar e quando digo a bola, refiro-me ao futebol a sério, aquele que nos coloca os nervos em franja, aquele que a cada momento gera em nós uma tremenda ansiedade, aquele que verdadeiramente nos faz vibrar.
  Eu sei que já temos 2 jogos a sério, bem conseguidos diga-se, mas parece que enquanto o campeonato não começa não há futebol a sério.
   Pois bem, o Benfica mostra estar preparado para o arranque, no que ao futebol jogado dentro das 4 linhas diz respeito, o que me assusta é o jogado fora das 4 linhas, cujos especialistas são bem conhecidos de toda a gente e um Benfica forte, é aquilo que menos lhes interessa, por isso, sinceramente, acredito que haja já movimentações no sentido de à semelhança de muitas e muitas temporadas, a coisa estar desde já a ser preparada para nas primeiras jornadas empurrar uns para cima e outros para baixo.
  Esse tem sido o trabalho bem feito pela máfia futeboleira nacional, o que resulta e de que maneira como nos tem sido dado a observar, ou seja, nas primeiras jornadas beneficia-se determinado clube, julgo não ser preciso mencionar o nome e tenta-se afundar o mais sério concorrente, com isso a equipa mafiosa moraliza e depois, sem pressão acaba até por jogar bem e ganhar os seus jogos com relativo à vontade e como se decide o campeão logo de princípio e a memória das pessoas é curta e a equipa que vai à frente jogando sem rival directo, com toda a tranquilidade do mundo, diz-se que joga melhor, que é forte, que é um justo campeão e por aí fora.
   É imperioso para o Benfica entrar forte, dinâmico e com sede de ganhar, contando desde logo que terá muitas armadilhas pela frente, como se pode desde já ver com pseudo declarações de Cardozo a um jornal turco, prontamente desmentidas pelo próprio, como esta, muito mais situações virão, é que a Liga está a começar e a discórdia tem de ser instalada, porque este Benfica começa a assustar e como sabemos, para sermos campeões neste país, não nos basta ser melhores, temos de ser muito melhores para vencer e todos têm de estar preparados para isso.
  Por isso é que eu digo, VALE UMA APOSTA QUE O ÁRBITRO DA 1ª JORNADA NO JOGO DO BENFICA É O OLEGÁRIO BENQUERENÇA OU DA A.F. DO PORTO?
 
  

BALANÇO DE PRÉ - ÉPOCA - Pós festival Arsenal.

--- Por falta de tempo, não tive oportunidade de deixar aqui a minha opinião sobre o jogo com o Arsenal, numa exibição de elevada qualidade, com momentos de pura magia, a fazer lembrar tempos não muito distantes, de um futebol espectáculo protagonizado pelo Benfica.
    Infelizmente, a memória curta é uma característica comum à grande maioria dos adeptos de futebol, não só do Benfica, mas no geral, o futebol vive da emoção e por isso, embora por vezes magoe um pouco a maneira superficial com que se avaliam as situações em prol de uma vitória ou de uma derrota, a verdade é que o futebol sem esta irracionalidade pouco sentido fazia.
   Por isso, é que eu não me esqueço que foi Jorge Jesus quem meteu o meu Benfica a jogar um futebol com qualidade arredada da Luz à cerca de 20 anos, só ao nível dos melhores momento de Erickson, foi assim no ano em que fomos campeões, foi assim em largos períodos da época passada e se Jesus falhou, foi porque de facto o plantel não tinha alternativas válidas, pois até à lesão de Salvio e Gaitan, em muitos momentos da temporada passada, o Benfica teve um futebol empolgante e de grande qualidade, só que com essas lesões e a inexistência de soluções, o Benfica afundou-se e é por isso que me custou e lamento que este treinador não só tenha sido mal tratado por uma larga franja de adeptos encarnados, com não entendi a razão para tanta desconfiança no princípio de pré-época.
   Este jogo com o Arsenal, serviu como imensa bofetada ao que muito de mau se vinha já dizendo do treinador do Benfica, assim como não entrei em pânico com exibições menos coloridas no princípio, também não embarco agora em euforias desmedidas e sem nexo, veja-se o caso do Sporting e tome-se como exemplo.
    Em alguns momentos, chegou ser absolutamente lamentável o que se dizia já deste Benfica e do seu treinador, parecia que era obrigação com uma semana de treinos, a equipa entrar em campo e massacrar os adversários, como se não houvesse intensidade nos treinos e cargas físicas que condicionam a desenvoltura dos jogadores nos jogos, até parecia que era anormal a equipa entrar nos primeiros jogos presa de movimentos, pois eu estaria preocupadíssimo se ao fim de uma semana de trabalho os jogadores do Benfica já corressem que nem uns desalmados.
  O que fui assistindo nesta pré-época, foi uma equipa a criar rotinas, a subir de jogo para jogo e é isso que interessa nesta fase, com um plantel mais equilibrado e com mais e melhores soluções que o da temporada passada.
   Com já disse a euforia não pode, nem deve apoderar-se dos benfiquistas e muito menos do grupo de trabalho, o jogo com o Arsenal foi fantástico, mas não deixou de ser mais um jogo treino, a sério é agora e´o contexto, a pressão dos jogos a doer é completamente diferente e como tal, a análise concreta ao verdadeiro valor desta equipa, só pode ser feito com jogos a sério.
   Chegou agora a hora de todas as decisões, Jorge Jesus vai ter de definir quais os jogadores com que conta, quer ao nível interno, quer para as provas da UEFA, é que os regulamentos têm de ser tidos em conta na constituição do novo plantel, se para as provas internas, o limite de jogadores estrangeiros é de 19, para a UEFA são de 17, sendo que dos 8 portugueses obrigatórios, 4 têm de vir da formação.
   Jorge Jesus já disse que quer contar com 27, 28  jogadores, desses, terão de sair 2 ou 3 para a lista da UEFA, pelo que me tem sido dado a perceber e creio que não andarei muito longe da verdade, julgo que a lista de jogadores a inscrever para a época 2011/12, não andará muito longe da seguinte:
GR: Artur, Eduardo e Mika; DEFESAS: Maxi Pereira, Ruben Amorim, Luisão, Roderick, Garay, Miguel Vítor, Jardel, Emerson e Capdevila; MÉDIOS: Javi Garcia, Matic, Witsel, Gaitan, Nolito, Bruno César, Carlos Martins, Enzo Perez, David Simão, Aimar e Urreta; AVANÇADOS: Nelson Oliveira, Rodrigo, Cardozo, Saviola e Jara.
   Esta lista engloba 8 portugueses, dos quais 4 da formação, entrando como 5 jogador da formação numa lista B, o jovem Ruben Pinto, o que eventualmente poderá dar origem ao empréstimo de mais um jovem da formação, sendo que para as provas europeias, terão ainda de sair 2 estrangeiros desta lista, que creio irão ser Urreta (com muita pena minha) e Jardel, dando assim cumprimento aos regulamentos da UEFA.
 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista