sexta-feira, 29 de abril de 2011

CATEDRAL EM REPOUSO.

--- Caros amigos, uma série de situações, quer a nível profissional, quer pessoal, tem ocupado o meu tempo de tal maneira que me tem sido complicado manter este espaço activo.
    Inclusive, tem-me sido impossível percorrer os blogs que normalmente acompanho, a paciência e o cansaço estão no limite, mas conto regressar em força dentro de uma semana.
   Até já e Viva sempre e em qualquer circunstância o Benfica.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

UMA QUESTÃO DE CULTURA - Ou da sua ausência

--- Não há que arranjar desculpas, bodes expiatórios ou seja lá o que for, muito menos andar já em pânico, colocando tudo e todos em causa, como é norma em muitos benfiquistas quando as coisas correm mal e eu muito menos coloco sequer em causa a possibilidade de se trocar de treinador, mesmo que considere que este possa ter cometido alguns erros, a verdade que há que ter a humildade de saber reconhecer a evidência e a evidência é que o Porto desta temporada é mais forte e muito melhor que o actual Benfica e isso é uma verdade tão indesmentível, como os resultados entre ambos o demonstram.
      Na verdade, este plantel tem mostrado evidentes desiquílibrios, neste jogo da Taça, por exemplo, as ausências de Salvio e Gaitan, foram duro golpe porque simplesmente não existem alternativas válidas, o que me leva a questionar a razão da contratação de Fernandez.
    Uma equipa que quer ganhar títulos e estar em várias frentes, não pode ter apenas um onze, tem de ter no seu banco jogadores à altura de os substituir e na verdade, o que se viu é que o Benfica não tem alternativas para os flancos e o seu futebol ressentiu-se imenso disso, pois nunca conseguiu acelerar o seu jogo na frente sempre que recuperava a bola, ao invés, no Porto, nunca se notaram as ausências de Belushi e Guarin no meio campo, porque de facto, as alternativas nada lhes ficam a dever em qualidade.
   O que se viu na Luz, foi um Porto cheio de confiança, a respirar saúde por todos os poros e com uma qualidade futebolística de enaltecer, eu sei que existe algum dificuldade em dar mérito ao adversário quer de um lado quer do outro, felizmente, a mim, nada me custa saber reconhecer a superioridade do adversário.
   Desculpar com a arbitragem é injusto, Xistra não esteve bem, mas não foi ele nem de longe nem de perto, o responsável pela superioridade portista, apesar do golo em fora de jogo de Hulk, porque como estava o jogo, era garantido que o golo poderia surgir a qualquer momento, porque o Benfica, pura e simplesmente não saia do seu meio campo e para mais, na minha opinião, o penalti sobre Saviola é forçado.
    Confesso que após a vantagem obtida no Dragão, nunca me passou pela cabeça perder esta eliminatória, mas quem joga com receio do adversário, preocupado apenas em não sofrer golos, sem sequer conseguir assustar o adversário, não merece mais do que aquilo que lhe aconteceu.
   Para mim, mais decepcionante que o resultado, foi a ausência de ambição, de raça e de querer, ou seja, uma questão de cultura no clube que não parece existir, há um conformismo latente, ao invés, no adversário, existe um cultura, que goste-se ou não, é uma imagem de marca, existe exigência, ambição e cultura de vitória e um inconformismo atroz perante a derrota, há mesmo uma cultura de guerra perante o adversário, o que se vê no Porto e não se vê no Benfica, é que os jogadores que ainda esta época ali chegaram, parece que nasceram no clube, tal a raiva, empatia com os adeptos, a mentalidade guerreira que ali impera e lhes é imposta, algo a que no Benfica antes se chamava de mística.
     Contudo, isto é já passado, há um futuro pela frente, há ainda coisas para ganhar, a começar já neste Sábado, não pela importância da prova em questão, que é para mim uma prova menor, mas pela necessidade de se moralizar as tropas, o fundamental agora é vencer e essa é a única palavra que tem de ser incutida aos jogadores, VENCER, seja contra quem for a Liga Europa, sob pena de termos uma época do quase e bastante decepcionante.
   Mais do que bater nos jogadores e principalmente num treinador que me devolveu a ilusão e que continuo a apreciar, é hora de focalizar todas as atenções na Europa e vencer, vencendo na Europa, teremos por certo uma época positiva, mas perdendo, há que manter a estrutura e principalmente o treinador, o Benfica, a qualquer adversidade, não pode continuar a dar tiros no pé, tem de dar continuidade no futebol, porque só com um trabalho longo e sem grandes revoluções, se pode recuperar a tal mística, caso contrário, continuaremos a dar 2 passos atrás, por cada passo á frente.

terça-feira, 19 de abril de 2011

A TAÇA É NOSSA - Benfica depende apenas de si.

--- Vem aí um dos jogos de grande importância para o Benfica, numa semana que se prevê intensa e já com algumas decisões pelo meio.
    Amanhã, pelas 20H30, no Estádio da Luz, joga-se uma cartada decisiva rumo ao Jamor, numa partida em que por um lado o Benfica tem a vantagem do resultado da 1ª mão e por outro lado, o Porto tem a vantagem dos seus jogadores poderem optar entre o futebol e o andebol, como se viu na jornada anterior do campeonato e em muitas outras.
    Prevê-se um jogo intenso, com as duas melhores equipas portuguesas, julgo que seria catastrófico, o Benfica deixar fugir uma vantagem tão importante e relevante obtida no Dragão e é esse factor psicológico, que dá clara vantagem ao Benfica, porque uma coisa seria o Porto entrar em campo para vencer, outra bem diferente é o Porto entrar em campo a ter que ganhar por 3 a 0.
    Julgo que o factor mais importante da equipa portista é o seu meio campo, o qual é normalmente bem preenchido e assenta em 3 jogadores que têm uma grande capacidade de trabalho na recuperação da bola, aliando esse facto a uma boa capacidade criativa, que normalmente descobre espaços para os seus homens da frente, os quais imprimem sempre muita velocidade nas suas acções ofensivas.
   Para contrariar isso, ainda por cima estando em clara vantagem na eliminatória, o Benfica tem de aplicar a mesma receita que aplicou na única vitória obtida esta época frente ao seu rival, ou seja, povoando o seu meio campo com outra unidade com boa capacidade de fechar o espaço entre o meio campo e a linha defensiva e com boa capacidade de recuperação de bola, ou seja, tem de impedir que o adversário tenha bola e espaço para lançar a velocidade dos seus homens da frente, se assim for, está meio caminho andado para o sucesso.
    Certamente, pela necessidade de vencer, o Porto irá correr riscos e com isso terá de abrir espaços no se último reduto, pelo que o Benfica terá de fazer transições ofensivas muito rápidas sempre que recupere a bola, porque marcando primeiro, a dúvida irá instalar-se no adversário e com a vantagem ampliada, o Benfica assumirá por certo o domínio do jogo.
   Obviamente, isto são apenas conjunturas teóricas, porque com a bola a rolar, por vezes é a capacidade individual dos jogadores que resolve, deitando por terra todas as tácticas, daí a enorme contrariedade que é para o Benfica a ausência de Salvio, um atleta tacticamente muito bom, criativo, forte no 1x1 e rápido nas transições e sem um substituto adequado à sua altura.
     Não sei quem jogará no seu lugar, Carlos Martins, seria a solução mais lógica, mas as suas características, são completamente diferentes, é um atleta com uma menor capacidade de romper, tem tendência para fugir ara zonas mais centrais do terreno, mas é também aí que define melhor o passe e esse factor pode também ser importante, inclusive na exploração quer da sua meia distância, quer nos lances de bola parada, essencialmente nos livres laterais.
   Os dados estão lançados e o meu desejo mais sincero, é que este jogo seja uma grande propaganda para o futebol, sem violência e com o firme desejo que sejam os jogadores e apenas estes a resolver o jogo.
   Estou confiante que o Benfica não vai deixar fugir a hipótese de estar no Jamor e que a Taça será nossa, FORÇA BENFICA.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

VENHA A TAÇA - Que o campeonato já era.

--- Mais uma jornada sem grande história e significado para o Benfica na Liga, a concentração está toda ela centrada nas Taças, com toda a legitimidade e a minha concordância, julgo mesmo que é bom e importante para o clube, que sejam agora as chamadas 2ªs linhas a entrar em campo, porque lhes dá ritmo de competição, permite avaliar as reais capacidades destes atletas, avaliá-los e ver o crescimento competitivo de alguns jovens, acho até que num ou noutro caso, são já evidentes as melhorias de alguns desses jogadores, até porque este onze começa também ele a ganhar algumas rotinas.
BENFICA 2 BEIRA - MAR 1 - Um jogo de pouca intensidade, com um Benfica algo lento e previsível na 1ª parte e mais criativo, rápido e solto na 2ª parte, onde justificou amplamente o triunfo.
  Com o 2º lugar garantido, este jogos serviu para alguns atletas mostrarem serviço, num onze que cresce aos poucos, embora haja alguns casos de défice qualitativo para uma equipa deste calibre.
   A equipa entrou a tentar dominar, mas o Beira-Mar defendia bem e soltava-se a preceito para o contra ataque, causando alguns calafrios a Júlio César que se cotou com uma boa exibição.
  Aos poucos, embora sempre de forma lenta e previsível, o Benfica foi começando a assumir as rédeas do jogo, fruto das acções de Carlos Martins, para mim o melhor em campo e Aimar, até que surgiu o momento do jogo, um livre indirecto cobrado por Aimar, a bola a tabelar num adversário, a entrar na baliza aveirense e pasme-se, Elmano Santos a anular o golo, não sei o motivo, julgo que foi por agora se pretender que os golos do Benfica sejam proibidos, à semelhança dos penaltis por marcar a favor do Benfica em toda a temporada, chegando-se por isso com um nulo ao intervalo.
   Sei que já não há necessidade de prejudicar o Benfica, afinal o campeão anunciado foi já consagrado, mas os hábitos são terríveis e estão de tal modo enraizados, que que continua o roubo com uma leviandade tremenda.
Na 2ª parte, houve claramente mais Benfica, mais solto e rápido, embora por razões óbvias, longe da produção que a principal equipa consegue atingir,mas foi notoriamente um jogo mais agradável.
   Por esse facto, não se estranhou que o golo tenha surgido cedo, após mais uma bela iniciativa de Martins, que desmarca Kardec que coloca a bola em zona de finalização, para Sidnei concluir com facilidade.
   O Benfica em vantagem continuou a carburar e o Beira - Mar já não consegui soltar-se tão facilmente, pelo que o 2º golo surgiu com toda a naturalidade, num lance individual de rara beleza, protagonizado por um Jara até aí algo trapalhão.
   Com 2 a 0 no marcador, o Benfica baixou o ritmo, sem perder o controlo do jogo, mas foi esse facto bem aproveitado pelos aveirenses, que com um jogador encarnado, Yartei, ao cair do pano, fez o golo de honra, num remate fantástico sem hipóteses para Júlio César.
Pela positiva: As exibições em crescendo de Carole, um jovem interessante e que promete e os golos de Jara e Yartei, ambos de grande qualidade.
Pela negativa: Os assobios que se ouvem por parte dos adeptos a alguns jogadores do clube, isso em nada os ajuda a superar os momentos menos bons e isso já matou jogadores que depois vingaram noutro lado, é incompreensível.
Arbitragem de Elmano Santos, ao seu nível muito má e como sempre com claro prejuízo para o Benfica.
   Nesta jornada houve ainda clássico, se ainda assim se pode chamar, a mim parece-me mais um encontro de irmãos, Porto e Sporting, protagonizaram um jogo agradável, com bons lances de futebol, com Falcão de  a demonstrar que é de facto um avançado de excepção, com faro pelo golo e um jogo de cabeça de qualidade ímpar, um autêntico quebra cabeças, que colocou a defesa do Sporting em alvoroço e tirou enorme proveito dos anjinhos Evaldo e Polga, que me vez de atacarem a bola, esperam sempre que ela lhes chegue.
    Do outro lado a confirmação que Patrício, na minha opinião, é o guarda - redes que mais evoluiu nos últimos tempos, de longe o melhor português na sua posição e para mim o melhor da liga portuguesa, tudo isto com apenas 22 anos e tirando De Gea do At. de Madrid e Czesni (julgo ser assim que se escreve), não vejo melhor por essa Europa fora com esta idade.
   Quanto ao jogo em si, julgo que em futebol jogado o Porto foi bem melhor, mas com um árbitro competente o resultado poderia ser outro, porque aquela penalidade mais que evidente de Rolando, mesmo  ao cair do pano é uma vergonha ficar pro sancionar, nada que chateie muito os sportinguistas, que caso lance semelhante tivesse acontecido com o Benfica, não só daria direito a conferência de imprensa e a declarações nos jornais do Rogério Alves e companhia, como seria motivo de conversa por vários meses.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

RUMO A DUBLIN - Penúltima etapa, Eindhoven.

--- Rumo a Dublin, o destino que todos os benfiquistas desejam, o Benfica tem hoje mais uma etapa na Holanda, depois do jogo da 1ª mão, em que o resultado obtido conferiu uma boa margem de manobra para o jogo de mais logo, tenho esperança, que se esteja na presença de uma etapa de grau de dificuldade relativo, em que só uma noite de descalabro, a pode transformar em etapa de montanha.
   No jogo da 1ª mão na Luz, o Benfica desperdiçou a possibilidade de uma goleada histórica, tantas foram as oportunidades criadas e desperdiçadas, contudo o 4 a 1, é um grande resultado em jogos a duas mãos e confesso que não me passa pela cabeça outro cenário que não a passagem às meias finais e acredito mesmo que com mais uma vitória.
   É sabido que a superioridade que o Benfica demonstrou na 1ª mão foi enorme, para mim, inclusive, esperava mais do PSV, mas também será verdade que em casa, esta equipa é bem mais forte e que muito provavelmente, o Benfica, nos primeiros minutos, terá de ser coeso, forte defensivamente e ameaçador nas saídas para o ataque, até para colocar o adversário em sentido, se assim for e o PSV não conseguir fazer um golo que os anime, o tempo jogará certamente a nosso favor e é nisso que eu acredito.
   A expectativa é por isso, legitimamente elevada e a oportunidade de estar entre as 4 melhores equipas da prova é enorme, seria até catastrófico que isso não acontecesse.
   Portugal já fez história na Liga Europa, 3 equipas, numa fase tão adiantada, permitiu desde já 3 equipas na edição da Champions em 2012/13 e 6 equipas nas competições da UEFA, mas atendendo ao que foi feito nos jogos da 1ª mão, julgo ser bem possível que todas as equipas lusas estejam presentes nas 1/2 finais, se isso suceder, fica desde logo garantida uma equipa portuguesa na final, de facto, o Porto e Benfica estão com pé e meio nas meias e o Braga legitimamente com esperança de lá marcar presença, fruto de um resultado em Kiev que o colocou em vantagem para o jogo de hoje.
   Os dados estão lançados e que role a bola mais logo, pelas 20H05.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

MENSAGEM A UM DOS NOSSOS - Porque estamos todos com ele.

--- Porque há valores muito mais importantes que o golo ou o mero jogo de futebol em si, este post é dedicado ao nosso companheiro Vhugo, do blogue: http://forcamagicoslb.blogspot.com/ , o qual passa por uma situação complicada na sua vida, está internado no IPO do Porto, com leucemia.
   Pois caro Vhugo, importante é a força que vens demonstrando, importante é realçar a tua bravura e sentires que neste universo de bloggers benfiquistas, todos, mas todos estamos em força contigo, porque pegando nas palavras do blogue "Magalhães Sad", tu vais mostrar a tua RAÇA, QUERER e AMBIÇÃO e sinceramente, acredito, que no final de tudo isto, serás enorme como o Benfica e vencerás com nota artística.
    Gostaria imenso que esta mensagem tivesse eco na Holanda, onde amanhã, iremos com certeza carimbar o passaporte para as 1/2 finais da Liga Europa, para que a vitória seja também tua, cabe-nos a nós tentar.
         Força Companheiro, sempre disponível para o que for necessário.  

terça-feira, 12 de abril de 2011

ESPÉCIE DA CARTA ABERTA - À teoria da vitimização.

Antes de mais, a todos os leitores deste espaço, quero informar que apaguei o meu post anterior, porque continha matérias que são do foro interno do clube e que eu as tornei públicas por revolta e quando assim é, está nela inerente a precepitação. Já pedi desculpas a quem de direito e o mínimo que deveria fazer, era apagar o que tinha escrito.
   Entrando no tema do post:
    Depois de ler as ridículas declarações do Sr. Antero Henrique, não posso deixar de manifestar o meu repúdio, por tão dispares e ridículas que foram e escrever aqui, uma espécie de carta aberta aqueles que causando os maiores horrores, tendem ainda para a constante vitimização, mais parvo que eles, é quem neles acredita.
     "A vossa mania de alcunhar as coisas, de transformar mentiras em verdade, é sem dúvida um mérito que vos reconheço, é já uma arte.
   Falam os senhores em ligas dos túneis, quando sabem, porque era pratica corrente, que o mais famoso túnel de todos foi o das Antas, onde se passaram dos maiores horrores do futebol português, imagem essa aliás, a que vocês estão ligados, sim, porque a vossa direcção, nomeadamente na pessoa do seu Presidente, está intimamente ligada ao que de mais podre se passou no futebol português, as escutas, o seu conteúdo falam por si e esse, por não ser possível de desmentir, nunca foi por vós questionado, o que me apraz registar, sempre questionaram a sua legalidade porque contra factos não há argumentos.
     Falam agora em campeonatos do apagão, que moral tem quem andou constantemente a provocar o SL Benfica, quem passou a época a incendiar o ambiente, quem começou pela liga do golfe, dessa não falam vocês, aliás, o vosso fairplay é tal, que estou em crer que se o Benfica fosse campeão no vosso estádio os premiavam com ramos de flores, fairplay tem sido de facto a vossa maior virtude, a qual ficou bem patente nos vossos festejos, que com uma linguagem obscena e ordinária, mais não fizeram que ofender o Benfica, com sinais inequívocos de complexo provinciano e de inferioridade.
      Essa é aliás a vossa maneira de estar no desporto, semeando a guerra, fomentando a discórdia e depois fazerem-se vitimas.
    É incrível que quem pactuou com a violência com que a equipa do Benfica foi e é tratada cada vez que ali se desloca, se mostre tão incrédula com o apagão, do qual eu discordei, mas meus caros, isso é uma canção de embalar comparado ao que vocês fazem, relembro que os  episódios de violência, protagonizados não por adeptos, mas por vos mesmos são tantos e tantos, que teria de usar demasiadas linhas para os mencionar, vocês sabem quais são e não vale apenas dizer-lhes.
     Não vou aqui falar em ligas de aconselhamentos matrimonias, de viagens ao Brasil, da fruta e do café com leite, isso seria baixar ao vosso nível e essa não é certamente a minha noção de fairplay, mas estou ciente que é a vossa.
    Felizmente, vozes de burro não chegam ao céu e só quem não vos conhece é que acredita em vocês."

Um adepto farto de guerras e da vossa postura e linguagem obscena que não os dignifica, mas classifica.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

NOITE EUROPEIA DE SONHO - Benfica falha goleada histórica.

--- Foi uma noite europeia de sonho aquela a que se assistiu na Luz, estádio cheio, exibição fantástica, golos e uma público vibrante, aliás, o próprio treinador holandês, referiu que sentiu os seus jogadores assustados com tamanho ambiente, apenas falhou uma goleada histórica, tantas e tantas foram as oportunidades de golo desperdiçadas.
  BENFICA 4 PSV EINDHOVEN 1 - Poucos com certeza, iriam imaginar um resultado tão dilatado, mas o certo é que apesar de muito bem encaminhada, a eliminatória não está desde já resolvida, porque os golos falhados foram muitos e porque, sem o querer crucificar, Roberto voltou à sua intranquilidade e quase comprometia uma vitória que se tornou fácil.
   O Benfica entrou muito forte no jogo, pressionante em todo o campo, subido no terreno e imprimindo uma tremenda velocidade sempre que recuperava a bola, a equipa holandesa parecia atordoada e valeu-lhe entre outros sustos, uma bola no poste para que o nulo subsistisse até aos 15 minutos de jogo.
   A partir daí, finalmente o PSV conseguiu soltar-se um pouco daquela agonia, mas foi sol de pouca dura, o Benfica voltou a acelerar o seu jogo e chegou finalmente ao golo que há muito merecia numa jogada de insistência culminada com um remate de Aimar, finalmente o marcador tinha alguma justiça.
   Com o golo, o Benfica ganhou ainda mais moral e sentindo um adversário incapaz, caiu-lhe em cima e as situações de perigo na sua baliza sucediam-se e o golo e Salvio, numa conclusão brilhante, apenas pecava por tardio, chegando-se ao intervalo com 2 a 0, um bom resultado, mas curto para tamanho domínio.
   Na 2ª parte, esperava-se um PSV em busca do prejuízo e mais afoito, puro engano, foi o Benfica que de novo começou dono e senhor do jogo e Salvio, novamente, numa bela iniciativa individual, faz o 3º do Benfica com toda a justiça.
    Aí o Benfica deslumbrou-se, optava mais pelo bonito que pelo prático, mas o KO dado ao PSV era evidente e tantas e tantas foram as situações desperdiçadas, que o Benfica ficou a dever a si mesmo uma enorme goleada e um passeio à Holanda.
   Quem não marca sofre e foi o que aconteceu aos 80 minutos, num lance aparentemente inofensivo, um cruzamento rasteiro para o interior da área e uma abordagem deficiente de Roberto ao lance, deu o golo que os holandeses estavam longe de justificar.
   Esse golo enervou o Benfica e fez o PSV acreditar que nada estava perdido, só que o público acordou de novo a equipa e pouco depois, era o Benfica quem voltava a mandar no jogo e já num último fôlego, com uma alma imensa, Maxi Pereira fura a defesa holandesa, assiste Saviola que roda sobre um adversário e conclui com firmeza, o golo que dá uma margem enorme à equipa para o jogo da 2ª mão.
   Uma grande exibição do Benfica, com uma vitória inequívoca, tanto que me arrisco a dizer que foi pior o resultado que a exibição.
  Pela positiva: O público, só num clube como o Benfica, depois de perder o seu título em casa, enchia o Estádio num apoio inequívoco à equipa, foi neles que começou o triunfo. Maxi Pereira, que alma, que querer, que categoria, encheu o campo e só de olhar cansou e foi muito bem secundado pelos centrais, por Javi Garcia, por Fábio e Aimar, a classe em movimento. Destaque ainda para Salvio, 2 belos golos, sendo que o gesto técnico do primeiro é genial.
  Pela negativa: Roberto, tem de acalmar, voltar a acreditar nele, aquele erro no golo, poderia te consequências graves, valeu-lhe a equipa.
Arbitragem: Notável, um erro ou outro, normal, mas deixou sempre jogar no limite, aplicou muito bem a lei da vantagem e fez-me pensar, como seria diferente o nosso campeonato com arbitragens de tamanha isenção e correcção.
   Nos outros jogos, está também quase tudo definido,  Porto goleou o Sp. Moscovo, a equipa mais acessível desta fase da prova, mas que não retira qualquer mérito ao seu robusto triunfo, segundo dizem, assente numa 2º parte de grande nível, com um super Falcão, de facto um avançado de suprema categoria, com baixa estatura, mas um jogo e cabeça absolutamente notável.
   O Villarreal também resolveu o seu jogo, pelos mesmos 5a 1 do Porto, o Twente, outra surpresa na Europa e na sua Liga, foi trucidado pelo submarino amarelo e já não existem dúvidas que uma das 1/2 finais, será entre estas 2 equipas, num jogo de grande intensidade em que um pormenor poderá definir o finalista.
    Destaque ainda para o Braga, a equipa com o orçamento mais baixo desde há muito nesta prova, mas que continua a surpreender na Liga Europa, ir empatar com golos ao campo do D. Kiev, é obra e assim parte em vantagem para a 2ª mão, podendo estar eminente uma meia final 100% portuguesa, o que desde logo, garantiria uma equipa lusa na final, aliás, estou plenamente convencido que teremos em Dublin, uma final portuguesa.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

MISSÃO LIGA EUROPA - Vencer o PSV

--- Perdido há muito o campeonato nacional, as atenções têm de estar todas focalizadas no muito que há ainda para vencer, começando já hoje, frente aos holandeses do PSV, a missão Liga Europa, uma missão complicada, mas possível.
    O Benfica pode ter ainda uma grande época, ao contrário de alguns opinadores, até ao momento, atendendo a todas as condicionantes do princípio de temporada, acho que o Benfica, está a fazer uma boa época, mas só os resultados no final desta, dirão como foi a temporada do clube.
   Uma das boas notícias para este jogo, é o facto do Estádio da Luz ter a lotação esgotada, sinal inequívoco que os adeptos estão e acreditam na equipa, estou mesmo em crer que essa enchente será um enorme reforço moral para todo o grupo de trabalho.
   Vai ser certamente um bom jogo, duas equipas de mentalidade ofensiva, com bons executantes, prometem um jogo empolgante e com bom futebol, no entanto, espero que o Benfica, que se apresentará na máxima força, assuma o jogo e consiga imprimir a dinâmica a que já nos habituou, se isso acontecer e a inspiração individual dos nossos jogadores estiver ao nível deles, certamente a vitória será mais fácil de alcançar.
   Neste tipo de eliminatórias, é importante vencer o primeiro jogo, preferencialmente sem sofrer golos, se possível criando margem de algum conforto para a 2ª mão, algo que não tem sido conseguido na totalidade nos jogos já disputados nesta prova, se é certo que o Benfica tem ganho em casa, tem sofrido sempre golos e ganho e sempre pela vantagem mínima, algo que julgo ser importante não fazer hoje, hoje convém levar para a Holanda pelo menos 2 golos de vantagem, porque lá, no seu terreno, esta equipa do PSV é muito poderosa em termos ofensivos.
  Vamos então ver o que nos reserva hoje este jogo, pelas 20H05, no Estádio da Luz, com lotação esgotada, mesmo dando o jogo em canal aberto, é obra.
   O Porto, novo campeão nacional, tem talvez a missão menos complicada da 1ª mão dos 1/4 de final, esta equipa russa é acessível, está num momento menos bom, como demonstra o seu mau início de época no seu campeonato, factor esse que pode favorecer a equipa portista.
  No entanto, é imperioso ao Porto vencer, porque se não o fizer, terá novamente a missão complicada de jogar em campo sintético, apesar de na eliminatória anterior ter passado esse teste.
  O jogo, apesar de ser transmitido em canal fechado e de o Porto se ter sagrado campeão português, não terá lotação esgotada.
  Ao invés, o Braga, terá talvez a missão mais espinhosa da 1ª mão, em Kiev, frente ao dínamo local, uma equipa que tem uma forte base da selecção Ucraniana, composta por bons executantes e que por norma é uma equipa tacticamente muito forte.
   Só que este Braga, na Europa, já nos surpreendeu nas mais diversas ocasiões e por isso tudo é possível, se sair com um bom resultado da Ucrânia, pode decidir a sua passagem às 1/2 finais em casa, com  vantagem inerente a essa situação, pese embora o facto das equipas de leste, serem por norma muito fortes no contra ataque.
   Agora, é ver o que está reservado para os jogos e em relação ao clube que verdadeiramente me interessa, o Benfica, a esperança num bom resultado é muito e a fé neste treinador e jogadores é ainda maior.

terça-feira, 5 de abril de 2011

FAIRPLAY? Isso é uma treta.

---- Ponto prévio, não gostei, sou frontalmente contra a atitude da direcção do Benfica e do seu procedimento no final da partida com o Porto e digo-o porque infelizmente, a nossa direcção, conseguiu baixar ao nível da portista e isso é algo que me deixou triste e desiludido, porque não me revejo, nem nunca me revi no modo de estar no desporto por parte do FC do Porto e ver que fomos iguais a eles é para mim uma tremenda desilusão.
    Posto isto, vamos lá falar do fairplay, o que é o fairplay? Uma treta, é muito bonito falar dele, e acusar os outros de falta de fairplay quando perdem e nós ganhamos, aliás, acho muito curiosas as críticas feitas por quem nesta matéria é tudo menos um exemplo, por quem passou uma época inteira a arranjar um confronto bélico, por quem sistematicamente, de forma reiterada, com uma violência verbal assente numa linguagem obscena, ordinária, provocou sistematicamente, os dirigentes, os adeptos e principalmente a instituição Benfica e acho mesmo estranho e ao mesmo tempo sintomático, que aqueles que nada têm a ver com isto, refiro-me aos sportinguistas, venham agora mostrar-se tão incrédulos com o apagão na Luz e em situações muitos mais graves e lesivas protagonizadas pelo Porto, não tenham demonstrado a mesma estupefacção, que achem que pautar uma conduta no futebol, com aconselhamentos matrimonias, viagens ao Brasil, com fruta e café com leite, seja um exemplo nato de fairplay, embora, pela subserviência demonstrada e cada vez mais vísivel, esse comportamento não me espante, surpreendido ficaria se tal não se verificasse, aliás caso fosse o Benfica campeão no Dragão, a direcção portista nunca seria capaz de tal atitude, acho mesmo que ofereceria um ramo de flores aos nossos jogadores, felicitando-os pelo título, como se viu na época passada em que o fairplay foi a nota dominante no discurso do Porto.
  A legitimidade de alguns para falar em fairplay, é tanta, que ficou bem registada nas eleições do seu clube, em que nem o Presidente vencedor conseguiu ser empossado e foi alvo de enxovalho e agressões.
   Para esses que se revêm nas vitórias do Porto, julgo mesmo que alguns deles colocaram o cachecol azul e branco e foram festejar juntamente com os portistas, não a sua vitória, mas sim o facto do Benfica não ter ganho, sim, porque o que é a queda no 4º lugar comparado ao facto do Benfica nãoter sido campeão? Um fait-divers na sua mentalidade.
   Mas o que eu gostaria de saber mesmo, é que se o Sporting fosse constantemente ofendido por aquela gente, como o foi o Benfica ao longo da época, como reagiriam, se calhar com admiração e respeito, o que não deixaria de ser um comportamento normal por quem tem sido sistematicamente enganado pelo Porto, vendo inclusive o seu roupeiro a ser alcunhado de anormal  o seu Presidente a ser enxovalhado e estão sempre prontos a dar a outra face com veneração e submissão dignas de registo, no fundo, muitos sportinguistas são hoje uma espécie dos "sem terra" no Brasil, são os "sem clube", tal o fervoroso entusiasmo e regozijo na hora das vitórias do Porto.
     Mas afinal de contas que fairplay foi o da equipa que ganhou? Soube ganhar? Não me parece, senão vejamos:
   O Fairlay portista é tanto, que se recusaram a entrar em campo com os miúdos equipados à Benfica, usual em todos os jogos das equipas que jogam e casa, mas pior ainda foi o teor dos seus festejos.
   Uma das coisas que me orgulhou na conquista do título da época passada, foi verificar que em momento algum, se pronunciou outro nome que não o do Benfica, foi isso que se gritou e foi o clube que se exultou, pelo simples facto de não andarmos a reboque de ninguém e porque nos revemos no nosso clube, quando ganhamos e quando perdemos e isso sim é ter clube e identidade.
  Nos festejos do Porto, registo semelhante atitude, não se exultou o nome do Porto, foi sim o nome do Benfica, mais uma vez, aquele que se ouviu, o que me apraz registar, sem calhar é por essa obsessão ao Benfica, por verem num adversário um inimigo, que nunca deixarão de lado o seu complexo de inferioridade e por muito que ganhem, nunca deixarão de ser um clube de raiz meramente provinciana e circunscritos geograficamente a uma dimensão regional  .
    Acho ainda curioso, que aqueles que tão escandalizados ficaram com o apagão, no hora dos festejos, chamem de palhaços aos adversários, isso sim é fairplay, tal como os próprios atletas do Porto, terem palavras ofensivas e ordinárias para com o Benfica, alguém na época passada, viu semelhante atitude no Presidente do Benfica e nos seus jogadores durante os festejos? É que dos portistas não me admira, mas dos sem clube, estranho que não sejam tão veementes na crítica a esta atitude como o são em relação ao apagão.
   Para terminar, só o registo simples, que que uma simples vitória do Benfica no Dragão, para a Taça de Portugal, deu direito a ligarem o sistema de rega logo após o termino do jogo, imaginem agora se fosse uma conquista de um campeonato, além do apagão, soltava-se o bobby, o tareco e o guarda Abel.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

PORTO CAMPEÃO NA LUZ - com resultado justo.

--- Não existe em mim, qualquer espécie de complexo de provincianismo ou de inferioridade bacoco, isso permite-me ter o discernimento necessário para não ter qualquer tipo de problema em pronunciar nomes dos adversários, a não encará-los como inimigos, a não fazer de um jogo ma guerra e a saber reconhecer quando uma equipa foi melhor.
BENFICA 1 PORTO 2 - O Porto jogou melhor e ganhou bem, porque foi mais capaz, teve mais vontade e além de tudo, assumiu o jogo de forma muito mais tranquila, o que lhe permitiu assumir o jogo desde o apito inicial.
   O jogo ainda não tinha qualquer equipa com superioridade, quando surgiu o golo inaugural, sempre muito importante neste tipo de partidas, um frango monumental de Roberto, permitiu que o Porto, num lance aparentemente inofensivo se colocasse em vantagem no jogo, o que lhe deu ainda maior tranquilidade.
   Roberto, que esteve intimamente ligado a mau início de temporada do Benfica, ficava agora ainda mais ligado ao título portista,é preciso perceber que o guarda-redes espanhol, capaz das defesas mais fantásticas e dos frangos mais incríveis, é um guarda - redes habituado a equipas pequenas, que está ainda em fase de adaptação a uma realidade diferente e que para poder ser um bom nº1do Benfica, tem ainda muito que palmilhar, essa é uma realidade evidente.
   Com a vantagem no marcador, a equipa portista, que assenta o seu futebol na consistência e povoamento do seu meio campo, fazendo do transporte e posse de bola o seu forte, fiou nas 7 quintas e nem mesmo o golo do empate, numa penalidade convertida por Saviola, lhe retirou a confiança.
  No entanto,com esse golo a partida ficou de novo equilibrada, embora se sentisse sempre um Porto mais capaz e foi e mais um erro defensivo que o guarda redes do Benfica comete a penalidade que permite que a equipa portista chegue ao intervalo com uma vantagem importante e que se revelou decisiva.
  Na 2ª parte, o Porto voltou a entrar melhor, ainda mais tranquilo, ante um Benfica com várias contrariedades de peso e sem conseguir ganhar a posse de bola, porque no meio campo, o Porto colocava mais unidades.
  Contudo, o jogo estava mais partido e ambas as equipas dispunham de alguns lances de perigo, até que Otamendi, em mais uma entrada dura, vê o 2º amarelo e coloca  sua equipa em desvantagem numérica.
  Nesse período, houve mais Benfica, Cardozo, tanta vez criticado, mostrou como a sua acção é decisiva na equipa, fixa os centrais adversários, abre espaços para quem vem de trás e é uma referência fixa no ataque, algo que Jara não é nem pode ser.
   Mas, numa fase em que o Benfica estava mais por cima do jogo, a única diga-se, Cardozo descontrolou-se e é expulso, sinceramente, pareceu-me algo forçada a expulsão, porque o paraguaio não chega a atingir o seu adversário, que mostrou ser forte no teatro.
  A partir daí o jogo voltou a ficar dividido e no fim do jogo, depois de Roberto com uma grande intervenção ter negado o 3º golo ao Porto, o Benfica desperdiça o empate, primeiro num remate contra uma adversário e depois com uma recarga ao poste.
   No fim, vitória e festa portista, justa e que decidiu o novo campeão nacional a 5 jornadas do fim da prova.
  Sei que o sentimento de alguns benfiquistas é de amargura por verem o Porto ser campeão na Luz, sinceramente e já o tinha dito antes, isso a mim não me causa qualquer sentimento especial, amargura causa-me apenas o Benfica não ser o campeão, porque o que me interessa mesmo é ser campeão seja lá onde for.
    O Benfica na minha opinião, opinião essa de um leigo na matéria, errou, errou, porque não fez aquilo que lhe permitiu vencer no Dragão, ou seja, não deu consistência no eu meio campo, com a colocação de alguém no auxílio a Javi Garcia, facto esse que permitiu ao Poro ter sempre mais unidades no meio campo  ganhar as rédeas do jogo e foi isso que fez a diferença no jogo.
   Agora, vem aí o jogo da Taça, esse sim importante para o Benfica e os condimentos são completamente diferentes porque o Benfica entrará a vencer por 2 a 0 e a obrigatoriedade do adversário entrar para ganhar por 3 a 0 e não simplesmente para vencer, fá-lo entrar muito mais pressionado e se o Benfica colocar a tal unidade a mais no meio campo, certamente será muito mais capaz e forte e eu digo já aqui que estou plenamente confiante que nesse jogo a festa será nossa e que o Benfica não vai perder esse jogo, porque desta vez, a vantagem moral está do nosso lado.
   Apenas não dou os parabéns ao novo campeão porque sou coerente nas minhas análises e porque sou recíproco na incapacidade que existedo outro lado em saber fazê-lo e apesar de ter a convicção e achar que o Porto foi claramente a equipa mais forte da prova, houve condicionalismos vários, alguns dos quais roçaram a vergonha ou falta dela, que condicionaram o normal desenrolar da competição, permitindo uma clara e importante vantagem pontual ao Porto que lhe conferiu a injecção de moral para esta caminhada, ao invés do Benfica, que em jogos vários foi impedido de ganhar essa moral, embora não se possa escamotear os muitos erros próprios e esses há que assumi-los e emendá-los.
  Para mim, como sempre disse, esta foi a liga da vergonha e mantenho.
  Quero ainda dizer que não vou fazer comentários às sucessivas vergonhas desta violência triste e que me faz desgostar deste desporto que adoro, já estou farto, já me chateia e não é este o futebol que desejo e que amo, o que eu desejo é que toda a gente, possa livremente apoiar e vibrar com os seus clubes e para isso, basta retirar dos estádios os energúmenos que mancham e estragam este desporto, se necessário colocando-os onde deveriam estar há muito tempo, atrás das grades, a culpa de tudo isto é da Liga e da sua comissão disciplinar, sem lei nem roque, porque soubesse agir, se punisse desde o início de forma exemplar, matando pela raiz os tristes acontecimentos que se sucedem, com toda a certeza hoje o futebol estava mais calmo.
  Para terminar registar a dimensão regional da festa do Porto, a qual se resume A Alameda do Dragão, onde apenas 5 mil esperaram o autocarro, 6 vezes menos pessoas que o Benfica colocou em Paris num simples jogo de futebol, essa é a diferença entre um clube e outro e é isso que lhes dói na alma, porque por muito que ganhem, não conseguem ser enormes.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

JORNADA DE CLÁSSICO - Uma mera questão de honra.

--- Vem aí mais um clássico, um Benfica - Porto é e será sempre um jogo muito apetecível, com os adeptos a viverem-no com uma ansiedade e tremenda intensidade, ainda para mais, quando a rivalidade que deveria existir e se saúda, lamentavlmente extravasou para episódios que em nada dignificam o futebol.
    Para o Porto, este jogo é de grande importância, obviamente, a possibilidade de ser campeão no estádio do seu maior rival, é por si só um factor extra de motivação, não se pode negar que seria ouro sobre azul, em tudo semehante ao que aconteceu na época passada em que o Benfica esteve na mesma siuação, resta ver se esse factor será positivo ou negativo, porque por vezes, o nervosismo inerente à responsabilidade do jogo, pode ser uma pressão extra, com reflexos no rendimento dos atletas que condiciona a sua prestação individual e colectiva, foi o que aconteceu na época passada ao Benfica no Dragão.
   Já para o Benfica, este jogo não será mais que uma questão de honra, dito assim parece pouco, mas não é, impedir o rival de ser campeão no seu estádio e ganhar esse jogo, tem tremenda importância para a maioria dos adeptos e é uma grande responsabilidade a equipa responder aos seus anseios, não só impedindo a festa a quem tem sido constante na arruaça e provocação, adiando-a por uma ou duas semanas, mas essencialmente porque há um recorde a defender, o Benfica é até aos dias de hoje, o único clube que foi campeão invicto e a importância desse registo, deve ser o maior factor motivacional dos jogadores e eu estou certo, que se tudo decorrer com a normalidade que deve haver num jogo de futebol, se a equipa não conseguir vencer, não será certamente por falta de empenho.
   Um clássico é sempre um jogo em que os adeptos querem ver a sua equipa vencer, esse é o sal, mas repito como noutros posts, mais importante para mim é o jogo da Taça de Portugal, pelo simples facto de que o Benfica pode vencer essa prova ao contrário da Liga.
   Isso no entanto não me tira a vontade de ver o Benfica vencer no Domingo, pelos factores já descritos e por mais um, o facto de eu detestar ver o Benfica perder.
   A pausa para os jogos da selecção, teve o condão que acalmar as hostes e de por uns tempos haver tréguas no clima de guerrilha instalado, lamentavelmente só até ontem, acabaram os jogos da selecção e começaram os comunicados portistas provocatórios e com a recorrente teoria de vitimização de um clube que é o principal responsável por sucessivos campeonatos sem verdade e com constantes violações das mais elementares regras do desporto e da verdade desportiva, alguém que tem no seu currículo, corrupção na arbitragem, acusar outro clube de estar acima da lei, é não só uma tremenda imoralidade, como também o assumir que esse facto consta na sua noçao de legalidade, o que classifica bem a forma de estar e a postura da estrutura dirigente do Porto no futebol.
   Curiosamente, causa especial repúdio à direcção portista, o facto de os seus adeptos serem impedidos de entrar na Luz, com adereços alusivos ao seu clube, confesso que a mim também, acho que não deve ser assim, acho que todos nós temos o direito de ir a qualquer estádio e poder torcer livremente pelos nossos clubes, só que, estranho, que o Porto emita um comunicado a denunciar esta situação, quando é recorrente nisso cada vez que os adeptos do Benfica vão ao Dragão, a isso, só posso chamar de teoria de vitimização e de mais uma vez o Porto gostar que não lhe façam a eles o que eles fazem aos outros.
    Deixo ainda aqui um forte apelo aos adeptos do Benfica, para antes e durante o jogo, se limitarem a puxar pela nossa equipa até ao fim, se preciso lembrando ao Porto o que de melhor sabem fazer no futebol, gritando bem alto "Corruptos, Corruptos", sem em momento algum arremessar objectos para o relvado, assim ganharemos nós e ganhará o futebol e desse modo não faremos a vontade à direcção do Porto, é que nós vamos mostrar que estamos no estádio para ver futebol, enquanto eles estão no estádio para jogar golfe.
   Que seja uma grande festa de futebol, um grande jogo e claro, com o meu forte desejo de que ganhe o Benfica.
 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista