quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

MAL AGRADECIDOS - Benfica a sustentar o futebol em Portugal.

--- Estamos ainda a meio do nosso campeonato e os dados são realmente esclarecedores, é o Benfica o garante do futebol nacional, sei que isso não é uma novidade para ninguém, mas quando os factos são demasiado evidentes, há que os realçar.
     O Benfica é o clube responsável pela venda de cerca de 39%, leu bem, 39% da venda de bilhetes na Liga Sagres, em casa tem sempre para cima de 40 mil espectadores e fora é a única equipa que vai enchendo estádios e a verdade é que grande parte dos clubes, são mal agradecidos, criando laços de união com um clube que os compra emprestando o jogadores, mas que não lhes dá qualquer receita acrescida quando os visita.
    Não vou atribuir aqui culpas a ninguém, julgo que já esclareci suficientemente o meu ponto de vista acerca deste assunto, até porque em casos de confusões em tuneis ou nos seus acessos, nos relvados ou fora deles, não há inocentes, mas não posso deixar de reparar do comportamento dessas equipas para com os jogadores e treinadores do Benfica nos seus jogos, muito mais agressivos, bárbaros até às vezes, intimidando e criando climas de conflitos, que não vejo contra outros, talvez porque haja muito mais em jogo fora das quatro linhas, do que aquilo que nos é dado a conhecer e apenas lamento, que nesses casos o Benfica não marque uma posição forte, ou porque não se dá conta da sua força e importância única no futebol nacional, ou por alguma inércia nesse sentido de quem o dirige.
   Ou seja, o Benfica sustenta esses clubes, dando-lhes a receita da época e ainda vê actos de autêntico ódio para consigo, quando na verdade esses clubes deviam estar gratos por se calhar poderem ter os seus ordenados em dia, andam cegos e não observam que estando o Benfica forte, só lucram com isso, pois não há quem arraste tantas multidões, mas quiçá, haverá alguém que possa cobrir o prejuízo desses clubes com um Benfica enfraquecido, é que tudo tentam para o enfraquecer, mas independentemente do que vai acontecer até ao final da temporada, julgo que as defesas foram finalmente criadas e a robustez apresentada, tornaram o Benfica mais imune a essas situações.
    Para não ser mal interpretado, não quero dizer que por causa disto que os clubes deviam todos venerar o Benfica e tornar-lhe a vida fácil, ou aliarem-se a ele, nada disso, até porque acho que para haver uma verdade absoluta, os clubes devem relacionar-se mas nunca aliar-se, só a simples presunção de aliança, faz supor que há algo para combater e isso é um mau princípio. O que eu defendo é antes que se trate o Benfica com respeito, do mesmo modo que os outros, que não veja jogadores a espumar de raiva contra o Benfica, só porque esse clube tem um aliado rival, ou então se espumarem pela boca, que espumem contra os outros também e a verdade é que quem tiver um pingo de atenção, tentando por uma vez aliar-se de clubismos, perceber que de facto há jogadores de clubes, não todos, cuja postura contra o Benfica não é a mesma e não será inocente a coincidência das maiores broncas terem sido contra Olhanense e Braga, precisamente dados como aliados de outro candidato e contra esse candidato, embora neste caso, os jogadores encarnados nada tenham a ver com o sucedido.
    Portanto e para concluir, o que quero dizer, é que com essa força que faz com que 39% dos ingressos vendidos na Liga, sejam responsabilidade do Benfica, quando mal tratado, deve a direcção pedir aos imensos benfiquistas dessas regiões do país, para não mais comparecerem naquele estádio, oferecendo-lhes um jogo na Luz, até que haja um pedido formal de desculpas, é que os mal agradecidos não devem ser recompensados e a gratidão é um sinal de educação.
    Este foi o meu último post de 2009, pelo que desejo a todos os que me visitam neste espaço, um Ano Novo em grande, com felicidade, cheio de coisas boas e já agora, que o meu Benfica seja campeão.



sábado, 26 de dezembro de 2009

MERCADO DE INVERNO - O ataque começou.

--- Com o campeonato praticamente a meio e o mercado de Inverno aberto, são diversas as movimentações dos clubes nacionais no sentido de fazer nuns casos ajustes nos seus planteis de forma a torná-los mais equilibrados e competitivos para as duras batalhas que se avizinham e noutros casos para reorganizar e moldar planteis mal construidos pela raiz.
   Dos 3 grandes, Benfica e Sporting já se reforçaram, já o Porto, na voz do seu Presidente, movido pela arrogância e excesso de confiança que apresenta sempre que se desloca a Lisboa, afirmou nesta cidade que o Porto não iria ao mercado, uma vez que o plantel portista foi planeado para ser usado até ao final da temporada, algo que obviamente não corresponde à verdade e o Porto irá necessariamente ao mercado para buscar 2 ou 3 jogadores que cubram o fiasco de 80% das suas contratações.
  O Benfica contratou já dois jovens brasileiros a quem se reconhece imenso potencial, um pouco à imagem que já fizeram com David Luiz, Sidnei, Di Maria e outros e que na minha opinião se tem revelado uma boa política, embora, alheado a isso, gostasse de ver uma aposta mais efectiva em alguns jovens de grande potencial oriundos da formação e de preferência portugueses.
   Alan Kardec, avançado brasileiro de 20 anos e Ailton, médio defensivo e campeão brasileiro pelo Flamengo, ambos internacionais sub-20, são contratações não a pensar num futuro imediato, mas sim para serem talhados e trabalhados durante a presente temporada, de modo a fazerem uma adaptação calma e sem pressão ao futebol português.
   Julgo que o Benfica, com a qualidade do seu plantel, como ficou bem patente no último Benfica - Porto, em que não se notaram as ausências de algumas pedras basilares da equipa, apenas precisa de mais um lateral esquerdo, com qualidade e esse para se assumir no imediato, de preferência vindo do continente europeu e julgo que mais compras, serão um esbanjar a mais do muito que já se esbanjou e pode até criar alguma instabilidade num plantel que se tem revelado forte, unido e com mentalidade de campeão.
  Já os rivais de Alvalade estão por profunda necessidade a apostar tudo neste mercado de Inverno, fruto da débil qualidade do plantel actual e do risco que se previa do Sporting poder até falhar um lugar de acesso às provas europeias.
   O Sporting acabou de contratar um jogador de valor, Pongolle, ex- At. de Madrid, jogador francês que embora não marque muitos golos, desiquilibra muito pela sua velocidade, sendo um jogador de enorme valia e que luta imenso, será com toda a certeza um elemento importante no ataque e que poderá fazer um boa dupla com Liedson, isto a juntar ao já contratado João Pereira, que para além de vir suprir uma das mais evidentes lacunas da equipa, é na minha opinião, o melhor lateral direito português a actuar no nosso futebol.
   Assim, com o reforço do ataque e da sua lateral direita, o Sporting remendou já duas das suas imensas carências e julgo que chegarão a Alvalade pelo menos mais 3 jogadores para que as restantes lacunas sejam preenchidas, um lateral esquerdo, fala-se em Del Horno, um médio ala e um defesa central, já que Mexer não me parece ser o reforço que a equipa precisa, mas sim um jogador para talhar para o futuro.
   Mas nestas aquisições há algo que o Sporting vai ter de aliar à qualidade técnica de quem contrata, a altura dos jogadores, pois a baixa estatura média do seu plantel é também ela só por si uma lacuna evidente e que não pode ser descurada e quer João Pereira, quer Pongolle, não encaixam nesse parâmetro, pese embora a sua qualidade evidente.
   Falta saber apenas quem o Porto vai contratar, aposto que pelo menos 2 jogadores chegarão ao Dragão, até porque a equipa está carenciada de um médio centro que assegure ao mesmo tempo a ligação do meio - campo e ataque, mas Luchos não abundam no mercado e valem muitos milhões, para além disto, julgo que mais um ponta de lança chegará também, com caracteristicas completamente distintas aos do actual plantel, os quais são baixos e sem grande poder de choque para puderem abrir espaços para os alas e médios, Farias claramente não é jogador para Jesualdo e embora marque muitos golos quando entra, apaga-se quando joga de início e contra as equipas grandes, já Falcão, começou em grande, mas o fogo depressa se tem apagado, é o que dá querer provocar o Benfica sem antes comprovar o verdadeiro potencial do seu reforço.
   A juntar a tudo isto, o processo disciplinar a Sapunaru e principalmente Hulk, que vai obrigar a ajustes na equipa, uma vez que estes jogadore, pelo menos em Janeiro dificilmente jogarão.
   Vamos então ver quem ataca melhor o mercado sabendo-se que a margem de erro do Sporting é mais reduzida, uma vez que tanto o Benfica como o Porto, já tem traços gerais os seus onzes mais ou menos definidos e não será fácil alguém entrar de caras, facto esse que por outro lado, permite ao Sporting em caso das contratações não falharem, poder ser a equipa a quem o aumento de qualidade do seu futebol mais se vai notar e valha-nos a verdade, diferente não podia ser, porque piorar parece uma tarefa mais árdua que melhorar.
  A todos continuação de Boas Festas.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

A TODOS UM BOM NATAL

--- " A CATEDRAL DO DESPORTO ", deseja a todos aqueles que nos visitam e que tanto ajudam ao dinamismo deste espaço, um Santo Natal, junto daqueles que mais amam, com muito paz e harmonia.



segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

JORNADA DE CLÁSSICO - Benfica vence em todas as frentes.

---- Depois de Olhão, apoderou-se dos adeptos portistas, uma desmedida euforia e um desvalorizamento das reais capacidades deste Benfica que lhes deu uma resposta à altura da sua arrogância, sendo um vencedor justo, que ganhou em todos os momentos do jogo e deu uma prova cabal, que por mais que esse seja o desejo dos adeptos adversários e de alguns pseudo - comentadores, não é uma fraude, mas se o é, apenas desejo que o seja assim até ao final da temporada.
     Nuno Marçal, basquetebolista do Porto, havia dito na semana que antecedeu este jogo, que o Benfica ia ter uma má semana com 2 derrotas, no basket e no futebol, enganou-se, a má semana foi para o Porto que perdeu em ambas as frentes, a ele só lhe posso dizer, paciência e que tenha um bom Natal.
   Na semana que antecedeu este jogo, houve um desvalorizar tremendo do valor desta equipa, que praticamente não teria hipóteses pernate um Super Porto, aconteceu um pouco de tudo, valeu um pouco de tudo, desde aparecerem no dia do jogo noticias de que vários árbitros eram ameaçados nos jogos do Benfica, até a uma agressão a Pinto da Costa, em relação à primeira notícia, não me parece nada inocente que ela tenha aparecido precisamente no dia do jogo, com que intuito desconheço, mas que se apure a veracidade ou não da notícia, em relação a Pinto da Costa, foi vergonhosa a acção da comunicação social, primeiro a dizer que ele havia sido agredido, depois que foi tentativa e afinal de contas, foi apenas uma troca de palavras, algo que infelizmente acontece em todos os clássicos, tanto lá como cá, mas enfim, a resposta foi dada de forma adequada e no sítio certo, dentro de campo, com uma vitória categórica e indiscutível.
   Para um Benfica que está em quebra segundo alguns, não foi nada mau o que se passou em campo, lamento informar que afinal, para quem só vencia na pré-temporada, que goleava os fracos, que não chegava ao Natal, estamos vivos e bem vivos.
BENFICA 1 PORTO 0 - Exceptuando a 1º parte, onde a bola ainda circulava bem, foi um jogo mais de luta e entrega dos jogadores, do que pelo bom futebol, fruto do mau estado do relvado, que obviamente obrigou a um jogo mais físico que técnico e para quem dízia que este Benfica não iria resistir a relvados pesados, aqui está mais um resposta, enfim, o Benfica está sempre a cair, mas nunca mais caí.
  O Porto entrou melhor na partida, com iniciativa de jogo, mas cedo se esfumou esse domínio inconsequente e sem lances de perigo no último reduto do Benfica, depois, a partir dos 10 minutos de jogo, o Benfica começou a assumir o seu domínio, a assaltar o meio campo portista, num domínio que chegou a ser avassalador, como demonstram os 9 remates contra 2 do Porto, até que após uma oportunidade falhada de forma incrível por Cardozo, na sequência da jogada, uma antecipação de David Luiz, isola Saviola que não perdoa e estava assim feita justiça no marcador.
  Após o golo, esperava-se uma reacção portista, mas o modo como o Benfica pressionava a toda a linha, impedindo que o Porto assumisse a sua zona de construção, fez com que o Benfica continuasse por cima e pode-se até dizer que ao intervalo, o resultado era lisonjeiro para o Porto, numa exibição de categoria, personalidade, entrega e mentalidade ganhadora do Benfica.
Na 2ª parte, o Porto entrou então mais forte, assumindo o jogo e conseguindo nessa fase dominar a partida, mas a verdade é que não conseguia entrar na área encarnada, com David Luiz e Luisão em grande e os seus lances de maior perigo resumiram-se a 2 remates de meia distância, foi o que de melhor fez o Porto na partida e julgo que isso é sintomático em relação à justiça da vitória do Benfica.
   Esta reacção natural e esperada do Porto, durou 20 minutos e porquê? Na minha perspectiva, porque Jesus leu muito melhor o jogo que Jesualdo, ao aperceber-se que nesses 20 minutos, o Benfica estava com dificuldade em ter a bola devido ao desgaste de Carlos Martins e Urreta, trocou-os por Luis Filipe e Weldon e com isso o Benfica ganhou frescura fisica e mais largura, ao invés, Jesualdo resolve colocar avançados e tirar o jogadore do seu meio campo, o que é um princípio sempre errado, porque não interessa haver avançados se não houver bola para os servir e o Porto perdeu assim o meio campo e com isso o Benfica voltou a dominar.
   Com um terreno cada vez mais pesado e a bola a rolar menos, o Benfica foi mais inteligente no modo de jogar, deixando o futebol apoiado e apostando na velocidade de Saviola e Weldon, o que baralhou um Porto partido em dois e o seu domínio foi novamente mais notado nos últimos 15 minutos, onde poderia perfeitamente ter ampliado a sua vantagem.
   Quero aqui salientar a inteligência do treinador do Benfica, o qual e bem, lançou Urreta para espanto geral e que bem jogou o miúdo, pondo a cabeça em água a Fucile, assim, o Benfica teve em campo o mais parecido possível com o Di Maria e o Fábio Coentrão, mantendo os princípios e a identidade de jogo, algo que o Porto não fez ao lançar Guarin, demostrou receio, talvez ciente da melhor qualidade actual do Benfica e por isso o empate satisfazia Jesualdo, que afinal foi quem teve medinho.
   Destaco ainda David Luiz, que demonstrou uma maturidade fantástica para a idade, tem sido perseguido e atacado de uma forma absolutamente incrível, mas deu mais uma vez prova cabal da sua personalidade e categoria, à campeão, jogando com uma atitude notável, não perdeu um lance e leva injustamente um amarelo, resultado da pressão que se tem lançado para que ele seja punido.César Peixoto esteve fantástico, se calhar a dar razão a Jorge Jesus, Hulk não passou por ele e esteve sempre muito atento, subiu quando tinha de subir e com uma capacidade de passe notável e Luis Filipe, que parece outro, confiante, seguro e determinado, já a restante equipa esteve muito bem, com Saviola, os centrais, Ramires e Javi em destaque.
  Ao fim  ao cabo, O Benfica mostrou que tem um plantel e não 11 jogadores, algo que obviamente deixou os adversários ainda mais preocupados e não precisou de todas as suas unidades para ganhar ao Porto, mostrando que neste momento é melhor, lembro que o Benfica jogou 20 minutos, com meia equipa de suplentes e não convocados e foi o que bastou.
   Foi portanto uma vitória com inteira justiça do Benfica, equipa que parece que não pode perder pontos, porque se o fizer é porque está em quebra, se calhar isto até serve de elogio, é sinal de reconhecimento que o Benfica é uma grande equipa, pois na perspectiva das pessoas tem de vencer tudo e todos senão não presta e também ainda não sei se é este o teste ao Benfica, se calhar não é, mas de teste em teste lá vamos caminhando.
  Lamentável a incapacidade de jogadores e técnicos portistas e saber reconhecer a justiça da vitória do Benfica, numa clara demosntracção de mau perder, paciência e o desejo de um Bom Natal.
  Obviamente nem o Benfica é pior por perder em Braga ou empatar em Olhão, nem agora é o maior por vencer o clássico, mas é certamente um candidato efectivo ao título, que obviamente está muito longe de estar defenido, num campeonto que promete emoção até ao fim.
Arbitragem de Lucílio Batista, má, ao nível daquilo que o considero como árbitro, num jogo que pese a correcção dos jogadores, com uma ou outra escaramuça, mas no geral muito correcto, não foi fácil de dirigir, devido ao estado do tempo e do relvado e da intensidade do jogo que permitiu muitos contactos, decidiu bem no lance de Peixoto sobre Hulk, pois Peixoto antecipa-se, ganha posição e é ele que toca a bola e saiu a jogar, pareceu-me igualmente correcta a decisão na bola que bate no braço do Cardozo, ele salta à bola, com os braços ao longo do corpo que em algum momento se mexeram para a bola que até sofreu um desvio em Urreta, já Rodriguez, faz um penalti descarado e visto da Lua, por mão na bola na sequência de um canto, jogador esse a quem foi perdoada a expulsão num lance sobre Javi Garcia. Esteve ainda muito mal ao trocar 2 pontapés de baliza para o Porto em 2 cantos para o Benfica e mesmo no final da partida, quando Cardozo obrigou Helton a uma grande intervenção, Peixoto recolhe a bola já bem fora de campo, erros a mais mas sem influência no vencedor da partida.
NAVAL 0 SPORTING 1 - Não segui o jogo atentamente, estava numa bela petiscada com a malta da minha bola e foi olhando para a televisão, mas pareceu-me uma vitória justa do Sporting, que foi superior à Naval e dominou os 90 minutos, num mau relvado que não permitiu que o jogo fosse bom.
  Desculpem, mas depois de um clássico tão intenso e saboroso, não consigo dizer muito mais deste jogo.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

COMPETIÇÕES DA UEFA - Um sorteio curioso.

--- Realizaram-se há pouco tempo atrás, os sorteios da Liga do Campeões e da Liga Europa, com a particularidade de Sporting e Benfica, trocarem os seus adversários da fase de grupos, com o Benfica a deslocar-se à Alemanha para defrontar o Hertha e o Sporting a Inglaterra para defrontar o Everton, já o Porto, apesar de maiores dificuldades, não se pode queixar muito da sorte, calhou o Arsenal e se poderia ser melhor, também tinha adversários bem mais complicados, portanto, um sorteio regra geral agradável para as equipas lusas, que têm francas possibilidades de seguirem em frente.
Aqui ficam os jogos dos 1/16 avos de final da Liga Europa:

Rubin Kazan-Hapoel Tel Aviv

Athletic Bilbau-Anderlecht
Copenhaga-Ol. Marselha
Panathinaikos-Roma
At. Madrid-Galatasaray
Ajax-Juventus
Club Brugge-Valência
Fulham-Shakhtar Donetsk
Liverpool-Unirea Urziceni
Hamburgo-PSV Eindhoven
Villarreal-Wolfsburgo
Standard Liège-FC Salzburgo
FC Twente-Werder Bremen
Lille-Fenerbahçe
Everton-Sporting
Hertha Berlim-Benfica

--- Analisando o adversário do Benfica, julgo e atendendo ao que vi contra o Sporting, ser um adversário perfeitamente ao alcance do Benfica, é o último classificado da Liga Alemã e apesar de um ou outro jogador de categoria, pareceu-me no geral um equipa de grandes fragilidades, quer defensivas, quer ofensivas. Já no acasalamento dos jogos para os 1/8 de final e em caso de passar a próxima eliminatória, o Benfica vai jogar com o vencedor o Copenhaga - Marselha, aí, julgo que caso passe o Marselha, o grau de dificuldade aumenta, embora julgue que o Benfica também tem capacidade para bater este adversário, a ver vamos, uma vez que o momento actual das equipas pouco conta, o que vai contar é o momento das equipas na altura dos jogos, pois não só os momentos de forma das equipas variam durante a temporada, como existe um mercado de inverno para retocar as equipas e há ainda a questão das lesões e castigos.
   Já o Sporting, tem uma missão um pouco mais complicada, julgo que o Everton é mais forte que o Hertha, mas apesar de tudo, um Sporting a um nível mais de acordo com o seu historial, pode perfeitamente passar este obstáculo, mas tal como no caso do Benfica, o momento das equipas em Fevereiro, poderá ditar uma análise mais rigorosa.Caso passe vai defrontar o vencedor da partida At. Madrid - Galatasaray e aí, pese embora a fragilidade defensiva dos espanhois, as dificuldades também aumentam.
  Na champions o Porto tinha obviamente à partida uma missão sempre mais complicada que Benfica e Sporting, o nível desta prova é outro, embora houvesse um ou outro adversário menos complicado, julgo que calhou o meio termo, este Arsenal é teoricamente mais complicado que Bordéus, Fiorentina e Sevilha, mas mais acessível que Barcelona, Manchester e Real Madrid, embora as recordações do seu adversário não sejam as melhores, pois foi contra o arsenal que o Porto sofreu uma das suas maiores humilhações nesta prova com a goleada sofrida em Londres.
Aqui ficam os jogos dos 1/8 de final da Champions:

Estugarda-Barcelona

Olympiacos-Bordéus
Inter de Milão-Chelsea
Bayern Munique-Fiorentina
CSKA Moscovo-Sevilha
Olympique de Lyon-Real Madid
FC Porto-Arsenal
AC Milan-Manchester United

Um grande agradecimento a todos pelo bonito número de 20000 visitantes ao fim de 276 postagens, um crescimento lento, mas sustentado de um espaço que procuro que seja agradável, verdadeiro e com alguma polémica, mas sempre com a correcção de quem aqui tem comentado e que muito agradeço.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

LIGA EUROPA - Cumpriu-se o calendário

--- Foi um cumprir de calendário para as equipas portuguesas envolvidas nesta última jornada da fase de grupos da Liga Europa, com Benfica e Sporting já apurados e primeiros no seu grupo e o Nacional a despedir-se da competição com uma valente goleada.
BENFICA 2 AEK ATENAS 1 - Um jogo que em termos desportivos já pouco ou nada valia, jogado principalmente durante a 1º parte a um ritmo lento e sem aquela chama dos jogos a doer, parecia mais um jogo treino e num relavado deplorável, a querer dizer que o prazo deste tapete, já está fora de validade e muito bom foi ele, durante 4 épocas.
   Num entanto, o Benfica mesmo apresentando-se com um onze completamente renovado, em que apenas Di Maria fazia parte dos habituais titulares, foi neste período sempre superior ao seu adversário, embora, exceptuando o penalti falhado por Filipe Menezes, as oportunidades fossem muito poucas, tão poucas que o grande foco de interesse, acabou mesmo por ser o golo de Di Maria, mesmo à beira do intervalo, mas que no fundo veio premiar a ligeira superioridade do Benfica.
Na 2ª parte, o ritmo aumentou ligeiramente, já foi mais rasgadinho, embora ainda sem grande intensidade, o que aliás se compreende, tanto para uma, como para outra equipa, o campeonato é nesta altura e com tudo definido na Europa, uma prioridade.
  O jogo estava como disse mais rápido, até que finalmente apareceu um momento mágico na Luz, daqueles momentos em que dizemos, valeu a pena o preço do bilhete, o magnífico golo de Di Maria, um lance soberbo, com um grande passe de Carlos Martins, Di Maria a fazer um túnel fantástico ao defesa contrário e depois, a marcar um golo de letra, sim de letra, com uma execução técnica só ao alcance de alguns e a dar razão ao Sr. Eduardo Barroso, realmente, isto é um golo de um jogador com a técnica de futsal, pena que ele no seu clube, não tenha destes jogadores de futsal, mas também depois de o ouvir a falar de futebol ou ler o que escreve de futebol, já ninguém lhe dá crédito ao que diz, tal a quantidade de disparates que dali saiem. Mas não vamos estragar este momento de magia, com uma nulidade, este golo foi realmente espantoso e Di Maria é de facto um jogador com um potencial enorme, que apenas precisa de ser mais trabalhado e solidificado, pois, assim como tem estes lances de génio, depois, perde-se em lances inúteis e sem nexo, tais como o que deu origem ao golo do Aek de Atenas, embora aí a infelicidade maior ainda tenha sido a de Miguel Vítor, que até então, tinha feito uma exibição quase perfeita.
   Com o golo do Aek, o jogo partiu-se e os gregos acreditaram ser possível empatar e até criaram 2 ou 3 situações de muito perigo para a baliza de Júlio César, mas já era tarde demais, o Benfica começou a guardar a bola e com ela o fim do jogo, com uma vitória simples e justa do Benfica, coroada com o tal lance delicioso de Di Maria.
NACIONAL 5 A. DE VIENA 1 - Mais um jogo sem grande história, que não vi, mas que segundo rezam as crónicas, os madeirenses fizeram uma grande exibição, fechando com chave de ouro a sua presença nesta comeptição, embora em termos de apuramento já se soubesse que de nada valia.
  Curiosamente foram os austriecos os primeiros a marcar, mas a resposta do Nacional não se fez esperar, por um jogador que os grandes tardam em resgatar e que provavelmente o vão deixar fugir para o estrangeiros, Ruben Micael de seu nome, o qual além de pautar todo o jogo da sua equipas, tem uma enorme pulmão, recupera bolas, demonstra uma inteligência de jogo e uma maturidade competitiva fantástica e depois, ainda marca golos, 5 nesta competição e os de ontem, sem ser de difícil execução, foram marcados com a frieza e a classe que destingue um bom jogador de um jogador normal.
   Foi portanto uma goleada ao que parece justa e pena que o Nacional, das várias vezes que esteve em vantagem no marcador, se deixasse sempre empatar ou perder, se tivesse mais experiência e alguma classe, podia ter passado este grupo algo complicado.
HERTHA 1 SPORTING 0 -  Ao contrário dos outros jogos, neste havia uma equipa, o Sporting, a cumprir calendário, embora mantive-se quase a sua equipa base e outra, os da casa, que precisavam pelo menos de empatar para serem apurados, pelo que o Hertha nunca foi uma equipa de correr muitos riscos, contudo, ante o último classificado da liga alemã, a 4 pontos do penúltimo, o Sporting foi mais do mesmo, ou seja, apático, sem chama e conformada com o desenrolar do jogo .
   Neste jogo a feijões, esperava-se contudo um pouco mais da equipa de Alvalade, que até entrou relativamente bem no jogo, principlamente nos primeiros 20 minutos, onde Izmailov, compreensivelmente longe da sua melhor forma, falhou um golo incrível, concluído de forma desastrosa, depois, apagou-se, os alemães cresceram e foram acercando-se da baliza leonina com mais perigo, mas o ritmos lento e a igualdade satisfazia a equipa alemã, que nunca criou muito perigo.
Na 2ª parte, o Sporting entrou ainda pior e o Hertha, vendo que a confiança e o momento do seu adversário não é de facto o melhor, foi começando a acreditar que afinal, vencer era possível e aos poucos, foi empurrando e pressionado mais o Sporting que não conseguia ligar as suas jogadas ofensivas e tinha perdas sucessivas de bola no seu meio campo, pelo que não admirou que o Hertha chega-se à vantagem, já depois de Patrício a ter negado noutra ocasião.
  Se os alemães já estavam encantados com o nulo, vendo-se em vantagem, ainda mais encantados ficaram e de imediato recuaram as suas linhas, dando a iniciativa de jogo ao seu adversário, mas a verdade é que o Sporting tem muita dificuldade em estabelecer os ritmos de jogo e de ter iniciativa do mesmo, daí, que normalmente, as suas piores exibições sejam com adversários que lhe dão a iniciativa e embora a equipa portuguesa tivesse uma ou outra situação de perigo, onde com mais sorte podia ter empatado o jogo, a sua desinspiração colectiva, fez com que não conseguisse dar a volta aos acontecimentos, pelo que se aceita este resultado.
   Mas na minha opinião, pior que o resultado, foram as declarações finais de alguns jogadores e de Carlos Carvalhal, os quais elogiaram a postura e a qualidade de jogo da sua equipa, chegando alguns dos jogadores a classificarem-na de grande exibição, se é este o nível de exigência de treinador e jogadores, isto deve deixar os adeptos leoninos muito preocupados,a mim,  parecem-me desadequados tais elogios, a não ser que eu tivesse visto um jogo diferente.
   Amanhã, realizam-se os sorteios dos 1/8 de final da Liga dos campeões e dos 1/16 avos de final da Liga Europa., que ganha agora mior força e expressão, com as equipas vindas da Champions e a ver vamos que sorte nos dita este sorteio.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

JORNADA AZIAGA PARA LISBOA - Adivinha-se clássico escaldante.

--- Infleizmente para mim, foi um fim de semana que me impossibilitou de fazer o que gosto, ou seja, de assitir atentamente ao desempenho nos jogos das principais equipas nacionais, devido a uma série de afazeres, segui por vezes aos bochechos muito pouco dos jogos, mas retenho aqui algumas palavras de hoje de manhã, em conversa de café, com um vizinho adepto confesso do Sporting. "Depois do que vi em Olhão, embora me custe admiti-lo, porque como sabes detesto o Benfica, a verdade é que no futebol português começa a valer de tudo para tingir os fins, não se admiti, nem se pode pactuar com a violência imposta em campo pelo Olhanense, nem com o constante clima de provocação, seja contra clube for, isso só envergonha o nosso futebol e sinceramente, acho que não há equipa que seja capaz de resistir a tamanha quantidade de provocações, embora o Benfica tenha muitas culpas no cartório, quem manda no futebol tem de uma vez por todas colocar um ponto final nisto, sob pena do nosso futebol se afundar de vez na arruaça e na vergonha. Já o meu Sporting, é o que se vê, por mais amigos que sejam os adversários não tem futebol para ganhar seja a quem for".
   Não foram palavras minhas, foram mais letra, menos letra, palavras de um amigo e vizinho sportinguista, com quem ao café da manhã, quando podemos, falamos das jornadas do nosso campeonato, as quais ajudaram um pouco a complementar a ideia que tive do resumo a que assiti pela televisão e ao que já alguns amigos me tinham relatado.
OLHANENSE 2 BENFICA 2 - Depois de uma futebolada pelas 18 horas, que me impediram de ver o jogo do rival lisboeta, vim para casa, cheio de dores no meu pé esquerdo (tem sido uma constante ao fim de cada jogatana) e como não tenho sporttv, tentei assistir ao jogo através da net, mas o raio da imagem estava sempre a parar, pelo que desisti, daí não puder falar muito do jogo e vou apenas comentar o que vi do resumo.
    O Olhanense chega cedo à vantagem através de uma enorme falha de marcação da defesa encarnada, depois da marcação de um livre lateral que não existiu (só se fala disso porque deu golo e defendesse bem o lance o Benfica e não seria golo, esta regra relembro deve aplicar-se quando favorece o Benfica), um corte mal efectuado e o golo que ainda nada fazia prever. Reagiu o Benfica e depois de uma falta sobre Coentrão, este fica no chão e aí está o mote para a estratégia do Olhanense, sururu criado de forma inexplicável e sem razão aparente, é incrível o modo como reagiram, com Djalmir a puxar o jogador do Benfica que estava no chão pelos cabelos, Cardozo a reagir, a levar mais um soco de outro jogador e Luisão a tentar tirar dali os seus colegas, com um veremlho para Djalmir e amarelo para Cardozo bem mostrados, ficando outro veremelho por mostrar ao jogador que agrediu Cardozo a soco e a pergunta que fica é havia necessidade? Tiveram essa atitude contra outros adversários? Claramente não e é isso que me causa apreensão e receio que os jogos estejam a ser jogados muito para lá das 4 linhas, pois o que vi contra outro grande do nosso futebol, foi um Olhanense a prestar vassalagem ao seu amigo que no caso devia ser adversário.
  O jogo continuou, sempre com picardias e provocações, ao que me contaram e Saviola empata o jogo depois de uma saída em falso de Ventura.
   Com uma unidade a mais, o Benfica estranhamente sofre o 2º golo em mais um falha e apatia geral na sua área defensiva na sequência de um canto, incrível a facilidade com que Toy cabeceou no coração da área do Benfica.
  Num entanto, o Benfica tinha vantagem numérica e julgava-se que podia dar a volta aos acontecimentos, mas Di Maria, com uma atitude violenta sobre Carlos Fernandes é expulso e bem expulso, colocando em xeque a sua equipa e sendo um dos principais responsáveis pelo desaire da sua equipa, lamentável e inadmissível.
   Para se ter uma ideia do clima de intimidação que o Benfica já esperava, mas contra o qual não se conseguiu conter, Jorge Jesus não deixou os seus jogadores seguirem de imediato para o balneário, não fossem acontecer cenas tipo Braga e com mais expulsões que não se percebessem e só depois de toda a gente entrar no túnel é que os comandados de Jesus se encaminharam para o balneário, julgo que esta acção diz tudo, sobre aquilo que se vai passando obscuramente no nosso futebol e do que Jesus já esperava.
Na 2ª parte, parece que foi um jogo em que o Olhanense defendeu muito e bem e o Benfica atacou muito e mal, sem criar grandes situações de golo, com muitas entradas duras, a roçar a violência dos jogadores algarvios, que ao que parece até espumavam da boca, tala a raiva com que encararam este jogo e não deixa de ser curioso, verificar que estranhamente, foi contra 2 conjuntos associados a um rival do Benfica, que se criaram sempre enormes sururus, aglomerados em campo, entradas muito feias, tudo situações lesa futebol com que a nossa liga vai pactuando, o que me leva a concluir, que por detrás destas coisas podem estar terceiros e que mais uma vez, se vai ganhando em bastidores muita coisa que devia ser ganha em campo, o que a mim pessoalmente muito me entristece e julgo que está na hora, a bem da verdade, de começar a limitar os emprestados, sob pena de se assistir a comportamentos bem distintos em confrontos nos jogos contra a equipa que emprestou e a que luta pelos mesmos objectivos da equipa que empresta jogadores, foi claramente o que se viu e vá lá que Nuno Gomes, lá empatou o jogo no período de compensações.
  Num a parte, julgo que a direcção do Benfica é muito responsável pelo que se vai passando contra si, isto porque via sutentando esses clubes, que depois tão mal tratam os seus jogadores e só há um caminho a percorrer, pedir aos seus adeptos, que não vão ao estádio da equipa b do seu principal adversário, impedindo desse modo que entrem nos seus cofres a receita da temporada, permitindo antes, que esses adeptos venham a Lisboa ao Estádio da Luz assistir a um jogo com as viagens pagas, que o seu clube amigo lhes encha o estádio e lhes proporcione a receita da temporada, o Benfica deve deixar de ser o euromilhões do futebol português e como paga ser mal tratado, há que mostrar um sinal de força.
    Voltando ao jogo, julgo que num entanto há muitas culpas do Benfica neste desaire, a começar pela incapacidade de saber controlar as emoções dos seus jogadores para não cairem nas provocações dos adversários, sabendo aquilo que lhe esperava e depois porque os golos sofridos foram apenas e só por culpa própria.
  Com não vi o jogo, não posso classificar os aspectos positivos e negativos nem a arbitragem que ao que me disseram, foi muito dificultada pelos jogadores, mas no geral não foi má.
SPORTING 0 U. LEIRIA 1 - Também só vi o resumo, mas pelo que li da crónica do jogo, foi mais uma exibição pobre e sem chama da equipa leonina, continuando a revelar lacunas gritantes e uma notória falat de capacidade em dar largura e velocidade ao seu futebol.
   Na 1ª parte, ao que sei, foi uma equipa de Leiria superior em todos os capítulos do jogo, criando situações de perigo, marcando o golo e atirando uma bola à trave, ao invés, o Sporting não criou uma única oportunidade.
   Na 2ª parte, principalmente a partir dos 15 minutos de jogo, houve mais Sporting, o Leiria recuou e foi nessa fase que embora de forma algo atabalhoada, a equipa de Alvalade criou 3 ou 4 situações eminentes de golo, valendo nessa altura a exibição serena e segura de Djuricic e alguma sorte aos leirienses, que contudo, lançaram sempre bons contra ataques e viram ainda um golo ser-lhes mal invalidado, numa vitória, ao que parece, justa para os homens do Lis.
  Também aqui não posso destacar o positivo e negativo do jogo, nem falar da arbitragem, pois não vi nada para além do resumo.
PORTO 2 SETÚBAL 0 - Uff!, mais um jogo que perdi, porque estava numa festa de aniversário da filhota de uma amigo, mas pelo que li, foi uma exibição quanto baste do Porto, com uma vitória incontestável, ante uma adversário frágil, que julgo já não haver dúvidas para ninguém é o mais fraco desta Liga Sagres.

   O Varela voltou a marcar um bom golo, o Porto fez rapidamente o seu resultado e depois foi jogar com o relógio, controlando sempre a partida, ante um Setúbal completamente inofensivo e sem um único jogador de qualidade assinalável.
   Com esta sequência de resultados nesta jornada, cresce a emoção do clássico Benfica - Porto, que estando longe de decidir seja lá o que for, é da maior importância para o que aí vem da temporada, pois os indíces psicológicos que podem sair deste jogo, podem vir mais tarde a revelar-se da maior importância.
  O Benfica, parte em vantagem pontual para este confronto, mas teve o azar de na altura mais importante estar privado de vários jogadores fundamentais na sua estrutura, com destaque para Ramires e Di Maria, o 1º por lesão e o 2º por estupidez e culpa própria, a juntar a estas ausências, a de Fábio Coentrão que viu o 5º amarelo, a de Ruben Amorin e provavelmente de Aimar, muitas ausências para um jogo muito importante.
  Mas nem isso pode servir de desculpa para um resultado menos feliz, o banco do Benfica tem valor e julgo que tem jogadores que podem suprir as ausências e nestes jogos, conta muito o caracter e a atitude colocada em campo e não tenho dúvidas que os jogadores encarnados vão dar tudo e se não vencerem, terá, espero eu, de ser por mérito do adversário.

  Uma palavra para a entrevista que li hoje de José Eduardo Bettencourt no jornal " Record", foi uma boa entrevista, com um discurso claro e sincero do Presidente so Sporting, abordando de forma clara o momento do seu clube, mostrando um discurso virado para dentro e para aquilo que há a fazer para que o clube caminhe para melhores momentos, abandonando o discurso fatalista, de viragem sempre para os outros clubes e em vez de se virar contra uma certa franja de adeptos, a dizer claramente que precisa de todos unidos e só desse modo o Sporting pode caminhar para melhores dias.
  Sinceramente gostei da entrevista e na minha opinião, foi o melhor discurso público feito por Bettencourt desde que assumiu a presidência do Sporting, claramente nota mais para esta entrevista muito interessante e esclarecedora.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

UMA VISÃO SOBRE AS COMPETIÇÕES EUROPEIAS.

---- Depois da última jornada da Champions league, com a definição dos apurados para os 1/8 de final e das equipas que foram relegadas para a Liga Europa, pode-se já fazer um balanço daquilo que será cada uma das provas e dos possíveis adversários das equipas portuguesas nos próximos sorteios.
    Não sei como será a definição a nível de sorteio das equipas vindas da champions, se as 4 últimas que poderão calhar ao Benfica e Sporting será em função do seu Ranking ou em função dos pontos obtidos nessa prova.
   Vamos começar, por se tratar da maior prova futebolística de clubes na Europa, pela Champions e pelos possíveis adversários do Porto, que são: Bordéus, M.United, Real Madrid, Fiorentina, Barcelona, Sevilha e Arsenal, uma vez que o Chelsea não pode calhar em sorte. - Não se afigurando nada fácil a partir de agora a missão portista, há num entanto adversários que podem oferecer boas perspectivas, casos de Bordéus, Fiorentina e Sevilha, julgo que com qualquer destas 3 equipas, não sendo fáceis, permitem que o Porto tenha mais possibilidades de passar, já a evitar, temos os casos de Barcelona, Real Madrid e Arsenal, com os colossos espanhois a estarem uns furos bem acima dos portistas e o Arsenal, porque parece-me que os Dragões não se dão muito bem com a intensidade e velocidade de jogo da equipa inglessa, já o Manchester coloco numa espécie de meio termo, uma vez que não me parece tão forte e tão favorito nesta prova como noutras ocasiões, mas, contudo, é sempre um adversário temível e que se agiganta nestas situações.
   Para o terminus da Liga Europa ainda falta uma jornada e como tal não são conhecidos todos os possíveis adversários dos grandes de Lisboa, num entanto, sabe-se já que tanto o Benfica como o Sporting serão cabeças de série no sorteio, facto esse que lhes confere sempre alguma vantagem, mas vão ter sempre a possibilidade de defrontar quatro das oito equipas que vieram da Champions e algumas delas muito fortes, sendo até uma surpresa o seu afastamento de uma competição onde normalmente dão cartas, casos de Liverpool e Juventus.
   Aqui fica a lista dos relegados: Juventus, Liverpool, Wolfsburgo, Marselha, At. Madrid, Rubin Kazam, Unirea e St. Liége.
   Julgo que os 4 melhores classificados no seu grupo da Champions, irão entrar directamente para o pote 1, dos cabeças de série e os 4 piores, para o pote 2, dos não cabeças de série e assim sendo, Benfica e Sporting evitam à partida: Juventus, Unireia, Wofsburgo e Marselha, o que me leva logo a dizer que era bom o Unireia, campeão romeno, integrar o pote 2, já os clubes vindos da champions que podem calhar em sorte, são: Liverpool, Rubin Kazan, At. Madrid e St. Liége.
   Posto isto e desconhecndo-se ainda os 2ºs classificados da fase de grupos da Liga Europa, dos clubes que vindos da champions podem calhar em sorte, julgo que os 2 primeiros são claramente a evitar, o Liverpool, porque é normalmente muito forte em provas a eliminar e apesar da má campanha actual quer no seu campeonato, quer nas provas europeias, é sempre um adversário muito forte e que com toda a certeza quer nesta prova apagar a sua má campanha europeia até ao momento, pese embora o facto do Benfica ter excelentes recordações de Liverpool, já o
campeão russo, é daquelas equipas sempre muito complicadas, matreiras, que defendem bem e são tacticamente muito fortes, aliado a esse facto, a frescura física que demonstram nesta fase da prova, mercê do facto de estarem em ínicio de temporada, em crescendo de forma e as equipas ocidentais, estarem normalmente com os seus campeonatos a caminhar para o final e em défice de frescura física, não é por acaso que nos últimos anos, foram 3 equipas da ex- URSS que ganharam a extinta Taça Uefa (Cska Moscovo, Zenit e Shaktar). Mais favoráveis, julgo serem o At. Madrid, porque é uma equipa que apresenta gritantes debilidades tácticas e uma insufuciência defensiva assinalável, embora estou em crer, que vá atacar no mercado de inverno para suprir as suas muitas lacunas e aparecer mais forte nos 1/16 avos da Liga Europa e o St. Liége, que julgo estar perfeitamente ao alcance de muitas equipas portuguesas e que no caso do Benfica, Jorge Jesus conhece bem, pois na época transacta ao serviço do Braga, eliminou esta equipa belga com muita facilidade.
  Concluindo, para Benfica e Sporting, será melhor que no sorteio lhes calhe um 2º classificado da fase de grupos, onde se pode juntar o St. Liége, evitando os outros adversários, a ver vamos, a sorte que está reservada aos clubes nacionais.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

ORGASMÓMETRO CHAMADO BENFICA - Quando a estupidez fala mais alto.


--- Confesso que já procuro muitas vezes não ver imbecis a quem dão tempo de antena e que além de perceberem pouco de futebol, de serem parciais, são movidos por um ódio exarcebado e não por uma causa clubística, infelizmente ontem e porque nada dava de jeito na televisão, resolvi ficar um pouco a ouvir imbecis, até para me rir, no programa da SIC, "Dia Seguinte" e de facto desta vez cheguei a enervar-me, mas ao mesmo tempo a ter um prazer enorme em ver que a certas pessoas o Benfica funciona como um orgasmómetro, tal o histerismo e o prazer exacerbado a ânsia em falar do Benfica.
    É lamentável para quem for minimamente coerente, honesto para consigo mesmo e que não ande movido por ódios que o façam cair no ridículo, ver a atordoada de disparates que pelos vistos, semanalmente dizem, num trio que funciona numa espécie de dois para um, tal o espírito de união existente entre dois personagens cheios de tristes figuras de nomes José Guilherme Aguiar e Dias Ferreira, os quais, com toda a certeza, saem com as cuecas humidas do prazer em falar mal do Benfica, isto caso ainda consigam que saia da berguilha qualquer coisa, caso contrário podemos estar sob suspeita de um caso de incontinência mental, que diga-se, também molha as cuecas.
   Acho verdadeiramente hilariante, desonesto de uma estupidez intelectual, fazer crer que uma equipa, o Benfica, que ganha o seu jogo por 4 a 0, por causa do árbitro da partida, sem qualquer mérito, vejam lá, se calhar é melhor o Benfica começar a vencer por 10 golos, é que de facto, a Académica dominou todas as incidências do jogo, num domínio avassalador sobre o Benfica, que foi futebolisticamente humilhado por uma adversário que fez um jogão, ante um Benfica de péssimo nível, por amor de Deus, tenham dó, não deixem que esse vosso ressabiamento vos tolde o cérebro e vos iniba o raciocínio, sob pena de andarem constantemente a cair no rídiculo. Eu sei que a azia é lixada, eu sei que o Benfica só ganhava na pré-época, depois era porque só goleava os fracos, depois porque ainda estavamos nas primeiras jornadas, depois era quando viesse a chuva, depois porque empatou em Alvalade e foi eliminado da Taça estava em crise, e o raio do Benfica afinal nunca mais caí, mas calma pessoal, vejam lá esse corações, porque imaginem se a azia já faz disto, então o que será se o Benfica por acção dos árbitros e não por ter um ataque com 35 golos e não por até à 12ª jornada ser a equipa que de longe practica o melhor futebol, tem a sorte de ser campeão? Já viram as imbecibilidades e o rol de disparates que vão chegar? Os ataques de histeria e a quantidade de indivíduos que vão ter de recorrer ao Júlio de Matos para tratar do bloqueio mental que os vai atingir.
    Como é possível, por exemplo, dizerem-me que o suposto lance de penalti do David Luíz, aos 11 minutos contra a Académica é penalti escândaloso, quando só mais de 24 horas depois do jogo é que viram, após repetições com a imagem parada que ele in extremis, acaba por não tocar na bola? Só vejo uma razão, má fé e contra isso, lamento mas não tenho receita para o tratamento.
  É engraçado a celeuma causada por um lance que supostamente daria o empate, ainda com mais 79 minutos pela frente de jogo, será que o Benfica não marcaria mais golos? Lance esse que nem os jogadores da Académica protestaram, porque também eles ficaram com a impressão que houve corte, em que nem o treinador da Académica fez qualquer referência a esse lance e que em movimento rápido é de complicadíssima análise.
  Mas a estupidez por vezes sobrepõe-se à razão, é o que acontece, a quem vê o futebol não como adepto de determinado clube, mas como anti qualquer coisa, ou seja, nem é peixe, nem é carne e então é porque houve um outro penalti com pasme-se, o resultado já em 3 a 0 favorável ao Benfica e creio que com toda a certeza, ao ser aí marcado penalti, a Académica ainda dava a volta ao jogo e seguramente ganharia por 4 a 3 e mais, se o árbitro marca-se o penalti aos 11 minutos, o Benfica não marcava mais 3 golos, porque o jogo era diferente, mas este penalti ía existir na mesma, porque aí o jogo já seria igual, rídiculo não?
    Mas enfim, esta cantilena a mim não me espanta, até porque é algo useiro e vezeiro, quando a baixeza de processos das pessoas é mais que evidente, mas não deixo de colocar no ar certas questões, por exemplo, se o nosso futebol está neste estado de degradação, será por causa de quem? Se calhar por causa daqueles que andam a viver à custa do futebol há mais de 30 anos e que tiveram importantes cargos quer federativos, quer da liga, ou será por causa de quem? Depois, como podem pessoas movidas por um ódio insuportável a um clube, por um cegueira clubística de bradar aos céus, terem sido isentos no exercício de funções que deviam ser imparciais e de defesa de todos os clubes por igual? Ouvindo o que ouço, da forma que ouço, como posso eu acreditar que eram isentos?
  É que não podemos esquecer, que por exemplo, Guilherme Aguiar, foi durante anos e anos, Director Executivo da Liga, ou seja, não só foi dos que mais contribuo para o estado que ele próprio afirma degradado do nosso futebol, porque esteve lá a dirigir, como, foi com toda a certeza e atendendo ao ódio das suas palavras, tudo menos parcial, isto para não afirmar categoricamente que foi desonesto.
   Acho de facto que alguns andam com uma imaginação de tal modo fértil, que qualquer dia já ninguém os leva a sério, tal o rídiculo daquilo que dizem e depois acho muito curioso, que se ache um escândalo o que se passou na Luz, mesmo com o Benfica a golear  e depois, em contra partida, se ache que num jogo, em que o Sporting está  a ganhar por 1 a 0, haja uma expulsão ridícula por simulação e Moutinho de um jogador do Setúbal, que assim ficou reduzido a 10 unidades e como tal sem possibilidade de discutir o jogo de igual para igual e atenção, havia 1 a 0 e depois, se marque um golo aos 87 minutos, nunca antes visto, em que um fiscal de linha assinala fora de jogo, todos param, Liedson incluído, a bola saia sefuramente mais de 30 centímetros para lá da linha final, ou seja, se não era fora de jogo, era pontapé de baliza e Nuno Santos, guarda - redes sadino, passa a bola para que um seu companheiro a possa repor rapidamente em jogo, uma vez que está a perder e Liedson aproveita para marcar o segundo golo, com o fairplay que todos lhe reconhecemos. Posto isto eu pergunto, imaginem o escândalo que alguns adeptos de outros clubes e esses pseudo-comentadores fariam, se o beneficiado fosse o Benfica? O que diriam de Cardozo se ele se aproveitasse da inocência do guarda - redes adversário para facturar? Enfim, é essa a consciência que essas pessoas não têm e quando se lida com esse tipo de pessoas, obviamente não as podemos levar a sério, ou seja, o Benfica vence 4 a 0 e o árbitro é que permitiu ao Benfica vencer, o Sporting está a ganhar por 1 a 0 e o árbitro não tem influência no resultado, dá para rir não dá?
   Eu se um dia tivesse a felicidade de estar a debater algo junto de tão sui generis personagens, levava o programa a gozar, porque não se pode levar a sério quem tem um problema grave de cabeça, e dízia logo que David Luíz corta só a bola no lance do suposto penalti aos 11 minutos e no outro lance é David Luíz que é agarrado escandalosamente pela camisola, pelo menos assim colocava-me ao nível deles e só assim se pode falar de futebol com essa gente. Acho até curioso, como alguém que considera Bruno Alves um grande central, dos melhores do mundo, pode dizer que David Luíz é violento, existe aqui alguma incompatibilidade.
   O meu mais sincero desejo é portanto, que continuem a ter orgasmos pelo Benfica, pois seria um sinal fantástico até ao final da temporada.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

SERENATA À CHUVA - Em mais um dilúvio de golos.

--- Foi um dia em cheio este que passei ontem, primeiro, durante a tarde, a colaborar com o SL Benfica, nas captações que decorreram na "Caixa Futebol Campus" no Seixal, com a casa cheia de miúdos encantados e alguns com muito talento, seguindo-se o nosso pequeno convívio de Natal, com um buffet oferecido pela Direcção da Propsecção, com a presença do nosso director e fantástica pessoa, o mítico Rui Àguas, a todos aqueles, vindos de várias zonas do país, que com muito amor ao clube, com ele colaboram, dão o seu melhor e muitas vezes sacrificam momentos com a sua família, para tentar descobrir jovens atletas de qualidade e olhem que há muitos e é fantástico ver como certos meninos parece que nasceram com uma bola, é um dom natural. Finalmente, depois do muito trabalho, convívio e estômagos bem aconchegados, a romaria ao Estádio da Luz, para sermos premiados com mais uma goleada e um golo simplesmente fabuloso de Saviola.
   Esta jornada, ficou marcada também, por uma goleada do Porto, ao nosso carrasco da Taça, naquela que foi a sua melhor exibição da época na Liga e pelo escorreganço do Braga em Matosinhos, onde mesmo a jogar 40 minutos contra dez jogadores, a equipa de Domingos não conseguiu mais que um empate e já para lá do minuto 85.
BENFICA 4 ACADÉMICA 0 - Um jogo essencialmente marcado por uma grande eficácia do Benfica, não considero que tenha sido dos melhores jogos do Benfica, mas o marcar cedo, obrigou o adversário a encarar o jogo e quando assim é, normalmente, contra as águias, dá nisto.

    O Benfica marcou logo aos 6 minutos, com uma boa jogada e um passe fantástica para Cardozo de Saviola, que jogador, e Tacuara a fazer o seu primeiro golo, o mais complicado estava feito.
   Com a desvantagem no marcador, a Académica, sempre muito digna na abordagem do jogo e com isso a valorizar o futebol, tentou encostar o Benfica mais atrás e em alguns periodos, até conseguiu, embora sem criar uma única situação de perigo, até que aparece um momento de pura arte, de magia, um passe de Maxi Pereira a rasgar a defensiva academista e Saviola, com classe pura, a fazer um golo com um primoroso chapéu a Rui Nereu, um golo a rever vezes sem conta, foi sem dúvida o momento alto do jogo.
  Para quem gosta de futebol, fica aqui o lance:
 http://www.youtube.com/watch?v=ymW6vOswvdw&feature=player_embedded
Esse golo criou naturalmente uma descrença no adversário, mas o Benfica continuava a jogar a um ritmo quanto baste e quando se goleia a um ritmo destes, é caso para dizer, abençoada a crise que querem atríbuir ao Benfica.
Na 2ª parte, entrou um pouco mais rápido o Benfica e voltou a marcar cedo, com Cardozo a bisar numa reacarga a remate de Di Maria e a Académica acabou aí. O jogo partiu e para além dum remate de Tiero em boa posição, que Quim segurou na sua melhor intervenção da noite, ficou sem dúvida, uma penalidade evidente e escusada de David Luíz, que puxou a camisola do seu adversário, em mais um traço de imaturidade que por vezes demonstra, pese toda a sua categoria, esse foi talvez o canto do cisne para a Briosa, que aí poderia ter reduzido para 1 a 3, mas que obviamente não a relançaria no jogo, tal a diferença no marcador e no futebol jogado no relvado.
  O Domínio do Benfica era agora mais evidente que nunca e embora as oportunidades não fossem correspondentes ao caudal ofensivo, os calafrios da área academista iam surgindo, até que Tacuara, que goleador, faz o seu 3º Hattrick da temporada, o seu 14º golo em 11 jogos que fez e dos quais, apenas 3 de penalti, se um jogador que tem mais golos que 10 equipas da liga, Sporting incluído, só marca de penalti, como alguns dizem, então, sinceramente, têm de me explicar o que é um avançado, para ver se eu consigo elevar um pouco os fracos níveis de conhecimento futebolístico que tenho.
  Depois desse golo e com a chuva a cair cada vez com mais intensidade, o Relvado foi ficando empapado (algo a rever em termos de escoamento de um relvado com 4 anos) e o futebol de qualidade do Benfica, foi perdendo algum fulgor.
   De facto, é óbvio que a intensidade de jogo do Benfica não é a mesma do ínicio de época, nem poderia ser, era complicado manter aquela intensidade uma temporada inteira, mas a equipa tem um futebol caracterizado, enraizado pelos jogadores, tanto que mesmo quando a equipa não jogar muito bem, pode apresentar argumentos para ganhar e numa prova de regularidade é isso que se pede.
Pela Positiva: O golo de saviola, uma obra prima e a presença de quase 42.000 adeptos na Luz, com uma noite de Domingo, chuvosa e transmissão do jogo em canal aberto, querem mais? Pela negativa, o maus escoamento do relvado e a imaturidade que por vezes David Luíz, de quem gosto muito, demonstra e que em jogos de outro nível, a não serem emendados, podem causar dissabores,
Arbitragem de Cosme Machado ao seu nível, má, muito apitador, sem critério, mal auxiliado e com uma penalidade por marcar a favor da Académica aos 61 minutos, com o resultado já em 3 a 0.
GUIMARÃES 1 PORTO 4 - Um Vitória a encarar de peito aberto (que pena que não o tenham feito na Luz para a Taça), mas com o azar de apanharem um Porto inspirado e a mostrar que vai defender com unhas e dentes o seu título.
   Foi de facto, uma 1ª parte avassaladora do Porto, decidido, rápido e firme nas transicções e com o meio - campo vimaranense, por via disso, a ter dificuldade em segurar a bola e a velocidade do seu adversário e este Porto a demonstrar que o seu futebol sem Hulk é mais colectivo e com isso ganha equipa, embora se saiba que o brasileiro, a qualquer momento resolve um jogo, mas em muitas situações é egoísta demais, ou seja, para ser um jogador de top, falta-lhe ser mais inteligente e perceber quais os momentos para criar rupturas individuais e os momentos para soltar a bola.
   Assim, com naturalidade o Porto, à passagem da meia hora, já tinha vantagem de 2 golos, obra de Varela, cada vez mais uma revelação e de Falcão, mas à beira do intervalo e num periodo já de menore fulgor portista, Andrezinho, dá o tónico que o Guimarães precisava para reentrar no jogo.
   A 2ª parte começou com mais Vitória, a equipa portista tinha perdido algum pulmão, já não era tão agressiva sobre a bola e a sua capacidade de pressão baixou, Moreno tem mesmo no calcanhar uma ocasião soberana para igualar a partida, mas foi na outra baliza, quase logo a seguir, que Bruno Alves, corresponde da melhor forma a um livre muito bem marcado por Meireles em nítida subida de forma, com esse golo, o Porto matou o jogo e depois foi gerir e ampliar ainda a vantagem com o 4º golo de Rodriguez a carimbar uma vitória expressiva, mas muito justa.
Pela positiva, a determinação com que o Porto entrou no jogo, que lhe valeu 2 golos e outros que ficaram por marcar, pela negativa, a incapacidade do Guimarães nos primeiros 30 minutos em acompnanhar o ritmo forte imposto pelo adversário.
Arbitragem de Olegário Benquerença, sem interferência no desenrolar da partida, segura e serena.
   Faltam ainda 2 jogos para terminar esta ronda, com um Leiria - Nacional e um Setúbal - Sporting, jogos entre equipas que lutam pela Europa e um Setúbal que terá muitas dificuldades em manter-se entre os grandes. Esta deslocação do Sporting ao Sado é uma oportunidade da equipa sair de um lugar na tabela que não é condizente com o seu estatuto e só a vitória interessa, sob pena, de com apenas 12 jogos, ficar à distância de 14 pontos dos líderes, que não se podem explicar apenas por uma questão orçamental, porque com essa explicação, como justificar a distância para um Braga com metade do orçamento ou o facto de equipas como o Marítimo, Nacional e Rio-Ave estarem à frente dos leões de Alvalade? 
  Uma ressalva para dizer, que é com alguma tristeza, que hoje se assistirá ao sorteio da Taça de Portugal, sem a presença do Benfica, numa prova que adoro e que culmina com aquele que eu considero o jogo mais bonito do ano, a final do Jamor.
 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista