segunda-feira, 30 de novembro de 2009

DERBY MORNO - Empate ajusta-se ao que se passou.

--- Foi uma jornada inevitavelmente marcada pelo sempre ansiado derby lisboeta, Sporting e Benfica, proporcionaram um jogo quase sempre em toada morna, em que houve sempre uma maior preocupação em anular as acções ofensivas de cada um, do que explorar acções atacantes e de ruptura, ou seja, houve demasiado respeito. Houve alguns momentos de ligeiro domínio de ambas as equipas, mas estes nunca foram nem muito evidentes, nem muito consistentes e se há jogos em que se pode dizer que o empate é justo, mas a haver um vencedor seria este, neste jogo, acho que nem isso se pode dizer, o empate, espelha na perfeição o que se passou no campo.
SPORTING 0 BENFICA 0 - O jogo começou em bom ritmo, a equipa da casa entrou melhor no jogo e dominou as incidências da partida durante os primeiros 10 minutos, sem contudo criar situações de perigo, aos poucos, o Benfica equilibrou o jogo e foi mesmo a primeira equipa a criar uma oportunidade de golo, depois de um bom lance de Cardozo sobre Polga, cujo remate saiu ao lado, se Cardozo tem levantado a cabeça e passado a Ramires que estava isolado e sozinho, poderia aqui o Benfica ter aberto o activo.
   O Sporting respondeu quase de imediato e Polga que havia comprometido anteriormente, desperdiça a melhor situação de golo da 1ª parte, rematando isolado por cima da trave, tendo a bola ainda raspado na mesma.
   O jogo continuou equilibrado até ao intervalo, ora com certos períodos de domínio leonino, ora com certos períodos de domínio encarnado, mas a verdade é que embora tenham havido um ou dois lances de maior aflição em ambas as balizas, as oportiunidades de golo escassearam, fruto dos acertos defensivos de ambos os conjuntos, pelo que o nulo era o resultado ajustado ao que se passou nestes primeiros 45 minutos.
   Na 2ª parte, o jogo melhorou um pouco, houve mais situações de perigo, embora as equipas continuassem algo conservadoras e se é verdade que se havia equipa que precisava de ganhar fruto do seu atraso pontual, era o Sporting, mas a equipa de Alvalade nunca correu riscos para vencer, também não deixa de ser verdade que o Benfica também nunca os correu, até nas substituições as equipas de equivaleram.
    O jogo estava agora com maior ritmo e se é verdade que Quim, faz uma defesa fabulosa a um grande remate de Veloso, pouco depois, Di Maria, na cara de Patrício, remata à figura do Guarda-redes, o "elan" estava criado e o jogo partiu um pouco, com bola numa área, bola na outra, mas com poucas rupturas, e as poucas oportunidades desperdiçadas, foram repartidas, pelo que o empate final é justo, embora pela futebol produzido na 2ª parte, pudesse ser um empate com golos, valeram os Guarda-redes, sempre bem e a falta de inspiração atacante.
   Pela Positiva: Atitude mais condizente com a alta competição dos jogadores do Sporting, com um bom espírito de luta e uma boa atitude, sinal mais de Adrien, muito útil, Veloso e Moutinho, no Benfica, o acerto defensivo, as boas rupturas de Ramires e David Luíz, sempre em bom plano e um especial destaque para Javí Garcia, que levou 12 pontos, sangrou de forma abundante, mas mostrou um espírito de sacríficio e uma vontade férrea de ajudar a equipa, um grande, mas mesmo muito grande profissional, pela negativa, a falta de ousadia de ambos os técnicos em arriscar para ganhar.
   Arbitragem de Pedro Proença foi positiva e equilibrada, alguns erros normais, com a missão facilitada pelos jogadores, os quais demonstraram que pode haver grandes jogos com fairplay. Os erros maiores foram o não assinalar uma mão de polga que daria um livre lateral, com 2º amarelo por mostrar a Polga, mas que não mancha a sua actuação, porque quando se vê num árbitro que não há tendências é porque o erro é humano e este foi, muito bem Proença.
Notas soltas: Há coisas em que sou um pouco crítico e se não compreendo, alguma euforia e enorme satisfação nas hostes leoninas por este empate, como se o Sporting fosse o grande vitorioso do derby, porque atendendo à tabela classificativa, foi mais penoso para a equipa leonina este empate que para o Benfica, daí não conseguir perceber essa situação, acho até que essa satisfação, os inferioriza perante o rival, porque acaba por ser um reconhecimento da superioridade do Benfica enquanto equipa. Mas devo também dizer que se concordei com Jorge Jesus na conferência de imprensa, nas suas críticas ao relvado de Alvalade, o qual sem dúvida tira velocidade ao jogo, achei deselegante e até uma falta de respeito para com o adversário, ele ter dito que o Sporting está fora da corrida ao título com este empate, JJ, até pode pensar assim, mas não deve dizê-lo, até porque há muito campeonato pela frente.
   Resta agora verificar se de facto a melhoria demonstrada neste jogo por parte do Sporting é real, ou se ela resulta do facto do jogo ter sido contra o Benfica e da recente mudança de treinador, o tempo o dirá, mas em relação ao derby, há um elogio que tenho de fazer ao Carvalhal, montou bem a equipa, principalmente com a inteligente colocação de Adrien no meio - campo, que serviu para tapar a subidas de Aimar e impedir as perigosas combinações em tabela, entre ele e Saviola, que muita mossa têm causado aos adversários, foi aí, na minha opinião que começou por não perder o jogo, faltou-lhe contudo audácia para depois querer ganhar o jogo, talvez por sentir, que o seu clube, neste momento, ainda não se pode dar ao luxo de arriscar frente ao Benfica. Já no Benfica, apesar de ter gostado da equipa, nota-se alguma baixa de intensidade no seu jogo, as transicções já não são tão rápidas, fruto das marcações impiedosas de que os principais criativos da equipa são alvo e de alguma quebra física em alguns jogadores, o que é normal e acontece sempre, com toda a certeza a equipa vai voltar a subir de produção na pausa das competições europeias.
PORTO 2 RIO-AVE 1 - Para não ser mal interpretado, começo por dizer que foi uma vitória justa do Porto, criou mais oportunidades, atacou muito e teve alguns períodos de jogo bem aceitáveis, pressionando o seu adversário, mas Paulo Costa, apesar de acabar por não influenciar o resultado, inclinou sempre o campo, mas repito, não foi por aí que se deu o triunfo posrtista, ante um Rio-Ave personalizado e a demonstrar a razão do seu bom campeonato.
   O Porto não entrou muito bem no jogo, apesar de Belushi tentar criar rupturas na bem organizada defensiva contrária, mas esta estava a acertar nas marcações, pelo que foi através de uma acção individual de Hulk, com alguma sorte nos ressaltos, que este jogador inaugura o marcador. Pensava-se que o mais difícil estava feito, puro engano, porque 2 minutos depois, o jovem de 34 anos, João Tomás, repõe a igualdade com um belo cabeceamento.
  Após a igualdade, o Porto teve um período de algum nervosismo em que os vila condenses, podiam ter aproveitado, mas após acalmar, os últimos 15 minutos da 1ªparte, foram o melhor período do Porto no jogo, valendo aí Carlos, que segurou o empate até ao intervalo.
Na 2ª parte, o Porto entrou muito ansioso no jogo e os assobios fizerm-ae ouvir, contudo, a equipa de Vila do Conde, revelava já algumas dificuldades em ter a posse de bola e as suas saídas para o ataque já não se faziam de forma tão boa, o Porto, sentindo isso, começou a carregar no acelerador e depois de Fucile já ter simulado um penalti, simulou outro e este foi estranhamente marcado pelo árbitro da partida, num lance verdadeiramente inadmissível, mas fez-se justiça e um Falcão, cada vez mais a perder fogo, falhou.
    O Porto não se desorientou e continuou a tentar marcar e na minha opinião, Paulo Costa, começou a inclinar o campo, deixando de marcar algumas faltas evidentes a favor dos visitantes quando estes saiam para o ataque e foi já para lá do minuto 80 e depois de algumas oportunidades desperdiçadas, que Varela dá vantagem à sua equipa e coloca um ponto final na partida, numa vitória suada, mas justa do Porto.
Pela Positiva, a organização do Rio -Ave, que tentou sempre jogar olhos nos olhos, não colocando nenhum autocarro à frente da sua baliza, excepto no período final do jogo, porque não havia pernas para mais, o facto do Porto ter sempre procurado o golo da vitória, pela negativa, a actuação de Paulo Costa e a desinspiração da cada vez menos ave de rapina Falcão, se calhar, os olheiros do Benfica, não são assim tão bons.
Arbitragem de Paulo Costa, foi boa na 1ª parte, mas na 2ª parte, além do penalti mal marcado a favor do Porto, teve um critério técnico desigual na marcação das pequenas faltas, com calro prejuízo para o Rio - Ave.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

FIM DE SEMANA EM CHEIO - VÁRIOS DERBYS E CLÁSSICOS.

--- Não é só em Portugal que as fortes emoções do futebol vão estar em foco, também por essa Europa fora, o fim de semana vai ser marcado por vários clássicos e derbys.
   O destaque para nós, é claramente o grande derby lisboeta Sporting - Benfica, vivido com intensidade e esperemos também com muito fairplay, para que o futebol saía fortalecido, é um jogo aguardado com ansiedade e expectativa, mas não passa disso mesmo, de um jogo, que se quer colorido, as pessoas no estádio a vibrar e ajuntamentos de pessoal a ver a bola, uns em casa, outros no café, enfim, um jogo em que o país futebolístico vai parar.
    Mas nessa Europa, vão haver mais adeptos com o mesmo sentimento que nós, adivinho que o nervoso miudinho já impera também nas suas almas, com destaque para o sempre aguardado, Barcelona - Real Madrid, mais que um jogo em Espanha e com as equipas separadas apenas por 1 ponto e apesar do elogio ao futebol dos catalães, o certo é que o Real Madrid lidera a liga espanhola com um ponto de avanço.
   Mas nem só em Portugal e Espanha as emoções estão ao rubro, também em Inglaterra estão, primeiro com o grande derby da cidades dos Beatles, um jogo marcado por forte rivalidade, os confrontos Everton - Liverpool, são para os seus adeptos os jogos mais importantes do ano e para terminar, ainda em Inglaterra, um fantástico clássico, Arsenal - Chelsea.
  Ufa! que jogões, que emoção a pairar no ar, venha então de lá o bom futebol, para que as nossas expectativas não saiam defraudadas.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

CONTAGEM DECRESCENTE - Derby está a chegar.

-- Contam-e os dias e as horas para o grande derby, um jogo apaixonante e cujos adeptos anseiam, é daquelas partidas de futebol que ninguém gosta de perder e cujo nervoso miudinho nos adeptos se vai acentuando à medida que a hora do jogo se aproxima.
   Por isso e para aquecer as hostes, coloquei no canto superior esquerdo deste blogue, vários resultados possiveis para que possas fazer o teu prognóstico, por isso aposta num resultado.
    Este Sporting - Benfica, é um jogo cheio de história e se é verdade que até hoje, o Benfica venceu mais derbies, não deixa de ser verdade que um jogo destes, seja qual for o momento das equipas, tem sempre um desfecho imprevísivel, é daqueles jogos sempre de tripla e ganhe quem ganhar nunca se pode considerar um surpresa, excepto quando excepcionalmente ocorrem goleadas, algo que aconteceu poucas vezes.
    O derby de sábado, tem contudo um contexto muito relevante, algo que se calhar, não se suponha ter à 11ª jornada, 11 pontos separam as 2 equipas e esse facto relevante, faz que para a equipa de Alvalade, este jogo tenha um cariz decisivo, algo que não seja a vitória, pode afastar irremediavelmente o Sporting do título e esse facto só por si, curiosamente, corre contra o Benfica, pois a entrega e empenhamento da equipa leonina será maior. Acrescido a esse facto, surge a mudança de equipa técnica, algo que mexe sempre com os jogadores e que nos primeiros tempos se revela sempre mais positivo que negativo, essa mudança de treinador, independentemente do nome, é sempre uma vantagem e com certeza o Sporting vai querer tirar partido dessa situação e em caso de vitória, Carvalhal, pelo menos num futuro próximo, vai criar as condições necessárias para efectuar tranquilamente o seu trabalho, para os adeptos e dirigentes, nada melhor que uma vitória no derby para se fumar o cachimbo da Paz, após tão conturbado periodo vivido em Alvalade, ao invés, em caso de derrota, as reacções dos adeptos, principalmente aqueles que estão em conflito com  Bettencourt, são imprivísiveis.
   Já para o Benfica, este derby, sendo muito importante, está longe de ser decisivo, em caso de derrota, as aspirações encarnadas mantên-se intactas e o Sporting ficará sempre a 8 pontos, mas num entanto, um bom resultado tem uma importância extrema, tanta, que há bem pouco tempo não se julgava possível, ou seja, após uma inesperada eliminação da Taça de Portugal, seria um cenário ainda não visto esta temporada, o Benfica ter 2 derrotas seguidas, com todas as sequelas psicológicas que daí podem advir.
   Apesar de serem duas competições diferentes, Taça e Liga, a verdade é que o cenário de duas derrotas, criará uma onda de análise de crise no Benfica e de perda de gás, que afinal esta equipa já estoirou, etc, facto esse que cabe aos jogadores encarnados evitar, mas vencendo e é assim que a equipa deve encarar o encontro, será um tónico fundamental às aspirações do Benfica, uma vitória num derby, ainda por cima no estádio adversário, trará uma onda de entusiasmo nos adeptos, de crença na equipa, que puderá ser fundamental rumo ao principal objectivo que é o título.
   Portanto meus caros, condimento para este jogo não falta, o nervoso miudinho já se apoderou de mim e agora, só resta esperar pelas 21H15 (que hora meu deus), do dia 28 de Novembro de 2009 e aguardar pelo desejo de um grande jogo e que vença o melhor, para mim neste caso, que vença o Benfica.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

E SE FOSSE O VIEIRA?

--- Deixo estas questões à consideração dos visitantes deste espaço: E se fosse o Luís Filipe Vieira em vez do Bettencourt, em vésperas de derby a ir a um simpósio de árbitros elogiá-los e dar-lhes uma palavra de força e incentivo, o que diriam?
    Porque razão já há árbitros definidos há mais de 2 meses para o derby, para o Benfica - Porto e para a final da Taça da Liga?
    Poque razão, ao mesmo tempo que discursa esta semana num simpósio de árbitros, Bettencourt elogia publicamente o sistema instalado no Porto?
  Fica à vossa consideração.

SORTEIO DA TAÇA DA LIGA - Adivinhem qual o grupo mais complicado?


--- Realizou-se hoje o sorteio da Taça da Liga, cujo actual detentor é o Benfica que curiosamente voltou a ter sorte madrasta e o Porto foi bafejado pelo brinde, algo que já começa a ser vulgar. Relembrar que são apurados para as meias finais, os vencedores de grupo, mais o melhor 2º classificado.
   Esta Taça, tem para mim, um valor pouco mais que insignificante e por isso, defendo que esta competição serve para dar ritmo competitivo aos jogadores menos utilizados e que o Benfica não deve colocar em risco quaisquer pontos no campeonato, para ganhar nesta prova.
 
Aqui fica o resultado do sorteio:

Grupo A: Porto, Estoril, Leixões, Portimonense.

Grupo B: Sporting, Braga, Trofense e Leiria
 
Grupo C: BENFICA, Nacional, Rio Ave e Guimarães   
 
De facto é engraçado verificar que o raio das bolas aquecem sempre para o mesmo lado e que há equipas, que em função dos adversários, se podem dar ao luxo de fazer uma boa gestão dos recursos e outras nem por isso. O Porto, tem apenas uma equipa da 1ª liga e logo uma que está a milhas do que fez a temporada passada, o Sporting, tem o Braga e o Leiria, duas belas formações, um é o actual líder e outro está a fazer um belo campeonato, já o Benfica, só tem equpas da 1ª liga e todos acima do meio da tabela.
  Como já disse, espero que o Benfica não descure objectivos mais importantes em prol desta Taça e que a use para dar minutos de competição a outros jogadores menos utilizados, aqui fica um bom onze para usar nesta Taça da Liga: Júlio César, Miguel Vitor, Sidnei e Roderick, Shaffer; no meio campo: Ruben Amorin, Filipe Menezes, Urreta e César Peixoto, na frente, Weldon e Nuno Gomes.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

TCHAU TAÇA - Numa eliminatória com várias surpresas.

--- O Benfica, foi ontem afastado da Taça e é com muita mágoa, que mais uma vez não vou ver o meu clube ao Jamor, paciência, há apenas que dar os parabéns aos vencedores, neste caso ao Guimarães, que sabendo defender bem, com alguns momentos de felicidade, foi uma equipa inteligente e que soube sempre sair a jogar em futebol apoiado.
BENFICA 0 GUIMARÃES 1 - Num jogo bem disputado, embora nem sempre bem jogado, o Guimarães conseguiu eliminar um Benfica digno, com grande atitude dos seus jogadores, embora com um futebol menos fluído que noutras ocasiões. De qualquer modo, quero salientar que mesmo não jogando muito bem, houve uma coisa que gostei e que no fundo tem sido a marca deste Benfica, os jogadores lutaram, deram tudo, com uma grande atitude, mas nem sempre se ganha e a continuar com esta postura, a equipa terá sempre o meu apoio e julgo que da maioria dos benfiquistas. 
  O jogo começou com domínio do Benfica, que aos 15 minutos, já tinha tido duas boas oportunidades para marcar, mas Nilson, mais um guarda-redes a engatar na Luz, a negar o golo com duas grandes defesas, mas aos poucos, o Guimarães equilibrava o jogo, fruto do bom povoamento do seu meio - campo e de um Targino endiabrado, o que causou sempre algumas dificuldades ao Benfica nas suas transicções.
   Mas sem se adivinhar, Lazaretti, na sequência de um pontapé de canto, faz o golo da vitória, com um bom cabeceamento que Moreira não conseguiu suster, apesar do ligeiro empurrão ao Javi, o lance foi legal, assim com havia sido o golo de Luisão em Braga, só que aqui, infelizmente, Elamano Santos decidiu que o lance era legal e na minha perspectiva bem, só espero, que quem em Braga, achou que no golo do Benfica houve falta, que mantenha a sua coerência.
   Após o golo, o Benfica tentou ir para cima do seu adversário, mas, a inspiração faltava e a equipa não conseguia assumir o jogo e embora tenha causado um ou outro calafrio na área adversária, o intervalo chegou sem grandes oportunidades.
  Na 2ª parte, houve mais Benfica, muito com a alma e coração, mas muito intermitente, com as transicções ofensivas a esbarrarem quase sempre num passe falhado, com Di Maria e Aimar, algo desinspirados e como se sabe, o futebol encarnado, passa muito por esses jogadores.
   O Guimarães esse, ensaiava contra - ataques rápidos, mas não criava já perigo e o domínio do Benfica a partir dos 70 minutos, chegou a ser avassalador, com muito querer da equipa, embora, nem sempre jogando bem, mas a verdade é que a equipa da Luz, teve várias oportunidades para marcar, mas ora por mérito de Nilson, ora por demérito na finalização, a verdade é que o golo do empate nunca pareceu e nesta fase, exceptuando um bom lance de Desmarets, com boa defesa de Moreira, o Guimarães já não conseguia sair do seu meio campo, mas a verdade é que venceu o jogo e por isso está de parabéns.
Pela Positiva, o bom jogo de Targino, Nuno Assis e Desmarets, os quais ao longo do jogo, causaram sempre alguns calafrios na defesa do Benfica, a excelente exibição de Nilson e a raça e o querer do Benfica, que embora não jogando bem, mostrou sempre uma atitude que eu gosto. Pela negativa, a desinspiração de Di Maria e Aimar.
Arbitragem de Elmano Santos, foi globalmente positiva, sem influência no resultado, embora nem sempre bem auxiliado, com alguns foras ao contrário e pontapés de baliza em vez de cantos.
PESCADORES 1 SPORTING 4 - Um jogo com uma interessante réplica desta equipa da III divisão, que chegou a assustar e a criar algum pânico, uma vez que além de marcar, jogava melhor que o Sporting, até cair fisica e animicamente.
   O jogo começou com o Sporting naturalmente a querer assumir as despesas do jogo, mas a defesa dos Pesacdores mostrava-se decidida e quando falhava, aparecia Nuno Madureira a defender, num entanto, há que destacar e elogiar esta equipa, que nunca coloclou um autocarro e que na 1ª parte, jogou mesmo o jogo pelo jogo, chegando ao merecido golo da vantagem, não porque tivesse oportunidades para isso, mas sim pelo mérito de estar a jogar o jogo pelo jogo com um grande do futebol português.
   Após esse golo, o Sporting enervou-se, embora fosse visível a diferença de valores e se é verdade que o Sporting não empatou antes do intervalo por mérito do Guarda - Redes adversário, também o Pescadores, causou mais dois valentes sustos ao Sporting onde podia ter marcado.
   Na 2ª parte, houve mais Sporting e o seu adversário, vinha com intenção de defender mais, mas notava-se que o golo era uma questão de tempo, tal a diferença entre as equipas, mas só com dois lances de bola parada, um livre e uma penalidade, o Sporting conseguiu virar o jogo e a partir desse momento, com uma quebra física, mas principalmente anímica, a equipa da Costa da Caparica, caíu completamente e o Sporting de forma calma e tranquila, marcou mais 2 golos, passando esta eliminatória com uma réplica e atitude assinalável do seu adversário.
Pela positiva, a atitude desta equipa amadora dos Pescadores, com uma grande 1ª parte, pela negativa, o cinzentismo leonino no 1º tempo .
  Arbitragem positiva, num jogo sem grandes casos e com os jogadores a facilitarem a sua tarefa.
OLIVEIRENSE - PORTO - Não houve jogo, porque de facto aquilo não era um campo de futebol, não era um batatal, era sim um enorme poço de lama, com buracos e charcos em tudo o que era sítio, uma vergonha ainda haver campos assim e até me custa a querer, que os árbitros dos jogos da Oliveirense, tenham permitido que ali se disputassem partidas de futebol, se calhar, porque ao contrário do Porto, os outros clubes não causaram grande pressão e alarido, até poque obviamente, não têm a mesma força do FC do Porto. No fundo, impeou o bom senso de Bruno Paixão, ao contrário dos seus outros colegas.
   Para terminar e porque nem tudo foi negativo no Benfica, destaque para a magnífica equipa de Futsal do Benfica, que conseguiu o apuramento para a final four do Uefa Futsal Cup, empatando na última jornada a 2 golos com o vice-campeão europeu, prevalecendo o Goal -Average.
O Benfica esteve a vencer por 2 a 0, deixando-se empatar e depois lutou muito para conseguir este enorme êxito e neste momento, o clube encarnado, está nas 4 melhores equipas da Europa e sabendo-se da missão extremamente complicada de ser campeão europeu na modalidade, todos os sonhos são legítimos e há que acreditar nessa possibilidade, até porque já fomos vice-campeões da europa em Futsal. Parabéns a toda a equipa de que muito se orgulham todos os benfiquistas.
   Quanto à equipa de futebol, o Benfica está fora da Taça, tenho pena, porque é uma prova de prestígio e da qual eu gosto muito, mas o mais importante é a liga e conseguir a sua conquista, e esta eliminação, com tudo o que tem de negativo, permite ao menos, que a equipa se concentre mais no principal objectivo, que é claramente o campeonato e eu não troco uma possível vitória na próxima jornada, por esta derrota, não só por ser um derby, mas essencialmente, porque esta é a prova mais importante e decisiva para o clube.
   Venha então o campeonato, onde estamos juntamente com o Braga na liderança e onde uma vitória em Alvalade, pode lançar definitivamente a equipa rumo ao título, mas onde também, uma derrota, nada compromete e é preciso lembrar, que até agora, o Benfica sempre que perdeu um jogo, ganhou o seguinte.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

A SAGA CONTINUA - Os sacerdotes do Pápa, continuam a sua cruzada.

--- Eu penso que a palavra "vergonha", já não encaixa no perfil de alguma classe dirigente do futebol nacional. Depois da pausa para as selecções nacionais, o Sacerdote de um Pápa qualquer, continua a sua cruzada, mostrando que a palavra "dignidade", não encaixa decisivamente no seu perfil, encaixa sem dúvida melhor, a frase "falta de escrúpulos".

   Vem isto a propósito da vergonhosa atitude de António Salvador e seus pares, ainda relativo aos acontecimentos verificados no seu estádio, repito, no seu estádio e cujas imagens, felizmente, para que a verdade não possa ser escondida, todos nós assistimos em directo e só alguém movido por má fé, clubismo exacerbado ou para defesa de interesses obscuros, pode negar o evidente e o evidente, foi uma cambada equipada com as cores do Braga, a agredir tudo o que mexia do Benfica e noutros casos a tentarem sem atingir os seus intentos.
  E o que pretende o " Capanga"? Pretende agora que Cardozo, Javi Garcia e Di Maria, sejam castigados pelo CD da Liga de clubes, apresentando para o efeito queixa no orgão representativo dos clubes, ou seja, a LPFP.
    Esta queixa não deixa de ser sintomática em relação aos verdadeiros objectivos da mesma, ou seja, em 1º lugar, estranha-se que só depois de mais de um mês, resolvam seguir com tal queixa, 2º Por coincidência, estranha-se, que a queixa resida estranhamente sobre os 3 jogadores que mais influência têm no futebol encarnado, o que só por si, no mínimo faz levantar a suspeita não só dos verdadeiros propósitos dos intentos bracarenses, com leva a questionar, quem verdadeiramente está por detrás disto.
    De facto, todo este imbróglio, cujos objectivos principais são nitidamente branquear a verdade do sucedido naquele estádio, como também provocar uma clara tentativa de desastibilização do Benfica e um enfraquecimento da sua equipa, algo que me apraz registar, pois é um claro sinal que há muita gente preocupada com a capacidade da equipa encarnada, mas por outro lado, leva-me ainda a concluir, que de facto, o caminho do Benfica está completamente minado, por jogadas baixas de bastidores, que tudo irão fazer para descredibilizar o Benfica, castigar-lhe jogadores, para a todo o custo, evitar que o Benfica possa lutar com armas iguias com os outros candidatos, pelo título nacional.
   Como disse, a vergonha á palavra que já não existe, mas, da maneira que está o balneário encarnado, venham mais tentativas, pois com a união existente, este tipo de cabalas, vão apenas servir para que a equipa se una mais e seja ainda mais forte e com ou sem Di Maria, Cardozo e Javí Garcia, vamos continuar a ganhar e a convencer com um futebol de grande qualidade.
   Ao senhor Salvador e seus pares, não lhe prevejo nada de bom no futuro, pois quem trabalha em prol de outros em vez de trabalhar para o seu clube, mais tarde ou mais cedo, acaba por pagar um preço bem alto, pelo menos assim espero e desejo, para que pessoas de tão baixo nível e de mau íntimo, possam de uma vez por todas deixar o futebol em paz, para que este seja o mais justo possível, para que todos possam lutar de igual modo pelos seus objectivos sem minas e armadilhas constantes, para que no fim, possamos simplesmente dar os parabéns a um campeão justo, algo que infelizmente, poucas vezes tem sido possível no nosso campeonato.
   Se por um acaso, em vez de se castigarem, quem verdadeiramente agrediu tudo e todos e que foi bem vísivel por toda a gente na televisão portuguesa e castigarem os elementos que alguém pretende ver castigado, estaremos certamente, na presença de uma das maiores cabalas futebolísticas do nosso panorama e será inevitável concluir-se, que de facto, os campeonatos ganham-se nos bastidores e não dentro de campo, porque para alguns, ganhar dentro de campo, é poder usar todas as artimanhas para minar o caminho dos outros.
 

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

TOMEM LÁ BÓSNIOS - Os Lobos fomos nós!

--- Finalmente uma grande exibição de Portugal, com categoria, espírito de sacríficio, capacidade de luta e técnica, foi uma vitória mais que justa, que apenas pecou por escassa e que calou um arrogante e palhaço Blasevic, que menosprezou Portugal, como já o havia feito na Croácia, afinal nos é que fomos os lobos e vocês uns cordeirinhos, toma lá disto e vai buscar.
   BÓSNIA 0 PORTUGAL 1 - Esperava-se um ambiente infernal e uma entrada forte da Bósnia, mas isso não aconteceu, porque a nossa selecção, soube sempre defender longe da sua baliza e nunca permitiu que os bisontes jogadores bósnios criassem lances de perigo na nossa área e aquilo que prometia ser um inferno, foi afinal um mar calmo, onde houve mais fumo que fogo.
    Aos poucos a selecção nacional foi tomando conta do jogo e apesar do estado lastimável de uma espécie de relvado, íamos deixando sempre em alerta o último reduto Bósnio, facto esse que ía causando algum receio nas suas saídas ofensivas e mesmo sem haver muitos lances de perigo na duas balizas, foram de Portugal os melhores lances e os de maior perigo.
 Na 2ª Parte, muito mais Portugal ainda, mostrando aos bósnios, que ao pé de nós são uns aprendizes e Queiroz, que foi justamente críticado noutras ocasiões, hoje, deu um banho táctico ao arrogante Blasevic, que talvez tenha aprendido com esta lição de futebol.
   Perante uma boa entrada de Portugal e já depois da nossa equipa desperdiçar uma ocasião de golo flagrante, Meireles, que jogo, faz o golo que deitou por terra quaisquer aspirações do nosso adversário e se eles até então nada ou quase nada tinham ameaçado, a partir deste golo só deu Portugal, que ficou apenas a dever a si mais golos, tal a quantidade de oportunidades desperdiçadas. Atrevo-me a dizer, que com um pouco mais de frieza na hora de finalizar, hoje, Portugal podia ter goleado a equipa do arrogante, facto esse que espelharia mais a verdade do jogo, tal a qualidade evidenciada nesta 2ª parte, em que conseguimos a melhor e mais completa exibição desta complicada caminhada rumo à África do Sul.
   Dedico esta vitória a alguns portugueses ou que se dizem como tal, que nunca estiveram com a selecção e até desejavam o seu não apuramento, por questões mesquinhas e ridículas, do convoca este e não aquele, só porque não era do seu clube, está na hora de aprenderem que a selecção não é dos clubes mas sim de todos nós. Deviam pegar no exemplo de um povo devidido por questões bem mais graves que a vossa mesquinhez e que na hora da verdade se uniu e nos deu uma verdadeira lição de patriotismo, a todos os que não desejavam o nosso apuramento, tomem lá!
   Numa exibição colectivamente muito forte, quero destacar aqui alguns jogadores, cuja sua prestação hoje foi notável, Bruno Alves, cortou tudo, não se intimidou com os calmeirões e parecia estar em todo o lado, Duda, porque foi sempre alvo de muita desconfiança e com alguma razão, pois as suas prestações foram sempre pobres, mas nunca nos lembramos, que sempre jogou por Portugal, numa posição que não é  a sua e hoje, esteve simplesmente brilhante, Meireles, ao nível do jogador da época passada é o melhor elogio que lhe posso fazer, Pepe mais uma vez a ser o 1º tampão defensivo e como ele correu e finalmente lá na frente Nani, correu, fintou, criou desiquílibrios de esteve no golo, pedir mais para quê? E depois a todos os outros jogadores que mais ou menos inspirados, lutaram até à exaustão, mostrando ao povo português que de facto, queriam muito estar no Mundial e os parabéns ao Carlos Quieróz, que hoje, soube motivar e preparar os seus jogadores para esta grande batalha, vencida com muito, mas mesmo muito mérito.
  FORÇA PORTUGAL, ESTAREMOS CONTIGO NA ÁFRICA DO SUL.
  

HOJE É DIA D - Vamos lá Portugal.

--- Hoje é o dia D, na caminhada portuguesa rumo ao mundial, num jogo de importância decisiva, ante um adversário que afirmei na altura do sorteio, ser o pior que nos podia calhar. E porquê? - Pela simples razão, que depois de todo o flagelo que atingiu este novo país, o Bósnia - Portugal, é para eles muito mais que um jogo, é uma causa nacional.
  Confesso que tenho andado algo desiludido com as prestações da nossa selecção, o seu futebol é pouco convincente e há de facto, nos dias de hoje, um grande défice de qualidade nesta equipa, num entanto, quero acreditar, que hoje, vamos ter um nível de superação muito grande e carimbar o passaporte para a África do Sul.
  Vamos a eles cambada, FORÇA PORTUGAL.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

E A SURPRESA FOI... Carlos Carvalhal.

---- Depois de mais um chorrilho de disparates dito por Bettencourt em relação a alguns adeptos, o Presidente leonino mentiu aos sportinguistas, dizendo na véspera do anúncio de Carvalhal como novo técnico, que o treinador do Sporting ía ser uma surpresa. Seria de Carvalhal que estava a falar? Sinceramente não acredito, acredito é que houve mais uma contratação falhada e escondida.
    Não está em causa o valor deste treinador, o que está em causa é a incompetência e o amadorismo demonstrado pela direcção leonina, na sua aquisição, que é claramente uma escolha de recurso.
    Só o tempo, dirá se foi uma boa ou má opção, pois são os resultados que ditam tudo, mas o facto de assinar por apenas 6 meses, diz bem da desconfiança que existe em relação ao seu nome, o que é desde logo um mau indicador.
   Como já aqui disse anteriormente, o derby com o Benfica, vai ser determinante no futuro da estabilidade do Sporting e do novo técnico, vencendo, a paz, pelo menos momentaneamente, dará condições quer à direcção, quer a Carvalhal, para fazerem normalmente o seu trabalho, mas em caso de derrota, depois de todas as perigosas frentes de batalha que abriu, principalmente com os seus adeptos, presumo, ou tenho a convicção, que quem poderá não passar deste ano é o próprio Presidente leonino, sabendo de antemão que uma derrota com o Benfica, será algo que avivará memórias recentes e fará subir a onda de contestação em torno desta direcção, que em tão pouco tempo, tanta desilusão tem causado numa já larga franja de adeptos, ou seja, não será tanto o papelo do treinador a estar em causa, será sim o papel de uma direcção que começou mal e ameaça acabar pior.
   Por isso afirmei à pouco tempo, que este derby que se avizinha, será de crucial importância e quiçá a última tábua de salvação para o regresso de um paz, que apesar de tudo, julgo que não será longa, o que não deixa de ser também isso mau para o Benfica, num jogo, que em minha opinião será mais díicil do que aquilo que à primeira vista poderia parecer.
   Quanto a Carvalhal, não é um treinador que ache capaz de dirigir um grande, pode até começar bem, mas julgo que será uma solução a prazo, que poderá trazer melhorias imediatas no Sporting, mas que ao longo do tempo o efeito chicotada se vai desanuviando e com isso um regresso ao que tem sido normal esta época, julgo que Carvalhal não é treinador para um grande, mas isso é apenas a minha opinião e o futuro dirá se tenho ou não razão, independentemente do que venha a suceder no derby, pois o trabalho de um treinador, não se avalia em um ou dois jogos, mas sim ao longo da temporada.
  E para terminar com bom humor, vejam este vídeo que retirei (sem ele saber pá), do blog Gloriosamente Falando do grande amigo Maestro, hilariante:
http://www.youtube.com/watch?v=g-aEqZmgiig&feature=player_embedded

sábado, 14 de novembro de 2009

PORTUGAL FELIZ - Algo sofrível esta equipa.

PORTUGAL 1 BÓSNIA 0 - Lamento muito dizer isto, mas este Portugal é pouco mais que sofrível, uma equipa sem ligação, pouca chama e uma debilidade física impressionante.
   Pelo que foi dado a ver na Luz, esta Bósnia é uma equipa normal e como tal, bastante acessível, isto se Portugal fosse a selecção que foi num passado recente, pois neste momento julgo que falta alguma qualidade na equipa.
   A selecção nacional apesar de algo lenta, nem entrou muito mal no jogo, até porque o adversário fechava bem os caminhos da sua baliza e quando se acelerava, os espaços apareciam com relativa facilidade, até porque tirando 3 ou 4 jogadores, a Bósnia também tem um défice de qualidade grande.
   Perante esse domínio, a equipa nacional chega ao golo por Bruno Alves, já merecido diga-se e quando se pensava que esse golo poderia tranquilizar a equipa e lança-la para um melhor resultado, eis que se deu o primeiro de vários apagões desta equipa, com vários jogadores completamente fora de forma e onde nos foi valendo um super Pepe.
   A Bósnia, com um futebol directo para os seus matulões da frente, só não ihualou a partida, porque 1º Eduardo faz um grande defesa e depois a barra foi amiga.
Na 2ª parte, Portugal voltou a entrar bem, só que desta vez mais rápido, e foi pena nesta fase termos um Deco e um Simão nitidamente muitos furos abaixo daquilo que valem, valendo-nos novamente um Pepe endiabrado e um Nani a espaços. A verdade é que até aos 65 minutos, a equipa das quinas, podia ter chegado ao 2º golo, mas não chegou e depois veio a hora Queiróz, o qual, mais uma vez se mostrou desastrado a mexer na equipa, pois se de facto era necessário refrescar algo, teria sempre de ser um Simão em claro sub rendimento a dar o seu lugar a Fábio Coentrão e nunca o Nani, coincidência ou não, foi a partir desse momento que se registou um novo apagão em Portugal e a Bósnia só por mero acaso não marcou o tento do empate, porque de forma incrível, no mesmo lance falha o golo, atirando primeiro à barra e depois na recarga, com a baliza escancarada, a bola vai ao poste, sorte, muita sorte e no fundo, vencemos por 1 a 0, num resultado que acabou por ser feliz.
   Tenho dúvidas se esta selecção nacional é merecedora de estar num Mundial, ou melhor, tenho receio que possa ali ter algumas humilhações, perante adversários com qualidade, pois um selecção com qualidade, passaria facilmente esta Bósnia e eu temo, a jogar assim, que possamos vir a ter um dissabor na 4ª feira, oxalá que não.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

E DEPOIS DA TEMPESTADE? Virá a bonança?

   Uma questão pertinente este, atendendo aos tempos conturbados que se vivem no rival do Benfica.
    Depois desta pausa para os jogos de play-off para a selecção, seguem-se ainda 2 compromissos, para a Taça de Portugal e para a Liga Europa, ainda antes do ansiado derby, que é muito mais que um simples jogo de futebol.
   O Benfica tem em teoria, um ciclo mais exigente e complicado antes desse jogo de Alvalade, joga com o Guimarães para a Taça de Portugal e depois, em véspera de derby, uma exigente viagem ao frio da Bielorrússia, com o natural desgaste da viagem e a exigência física de um jogo quer será certamente disputado em condições atmosféricas bastante adversas. Já o Sporting, tem uma missão muito menos espinhosa, jogará no Restelo com os Pescadores e depois em Alvalade com o Hereenven, o que fará com que na hora do grande derby, se apresente muito mais fresco.
   Num entanto, os tempos em Alvalade têm sido de extrema convulsão, desde a demissão de Paulo Bento e da restante estrutura do futebol, até aos desnorte do seu Presidente José Eduardo Bettencourt, o qual teve palavras bastante injuriosas para com os seus adeptos, chamando-os de terroristas, anormais e cretinos, algo muito grave e que obviamente causou perplexidade nas hostes leoninas, até porque, em momentos adversos a que todos os clubes estão sujeitos, o Presidente, terá forçosamente de ser sempre o último a perder a cabeça e a manter o mínimo de racionalidade, algo que Bettencourt não conseguiu, cavando uma guerra desnecessária e com consequências imprevísivies, numa altura em que já se sabe que será Sá Pinto o substituto de Pedro Barbosa, que a restante equipam técnica de Paulo Bento se encontra a prazo, mas onde falta ainda conhecer o nome do novo treinador, que tudo leva a crer seja André Vilas Boas, uma aposta de risco, num jovem que promete, mas não deixa por enquanto de ser uma incógnita.
   Posto isto, pode-se então afirmar que para o Sporting, este jogo será dos mais importantes da sua história, ou seja, vai representar muito mais que um derby, pois depois de uma tempestade, nada melhor que vencer o eterno rival, para que a bonança chegue e se o conseguir, por certo, o novo treinador terá alguma paz para fazer o seu trajecto, tentar melhorar a débil produção da equipa, tentando até à reabertura do mercado, disfarçar as lacunas evidentes de um plantel mal construído e com alguns jogadores com categoria duvidosa para a 1ª liga, quanto mais para representarem um clube com os pregaminhos do Sporting.
   Ao invés, perdendo o derby, depois das infelizes e ridículas palavras, Bettencourt, terá uma vida muito complicada e quiçá o seu lugar a prazo, pois depois daquilo que afirmou, uma derrota ante o Benfica, dificilmente lhe será perdoada e por certo, fará crescer a revolta dos já de si revoltados adeptos, triando também algumas paz ao clube, para que o novo treinador faça o seu trabalho.
   O nível das suas palavras, foram arruaceiras, ofendendo aqueles que estão sempre presentes e são o garante da sobrevivência de qualquer clube, os adeptos do Sporting, como de qualquer clube que se preze, não admitem que seja o próprio Presidente a ofendê-los e ainda por cima a criticar o Sul em relação ao Norte, com a triste figura de estilo dos Visigodos e Mouros, enfim, algo que com certeza deixou perplexo o universo sportinguista e desiludido qualquer adepto que se preze, eu confesso, não admitiria, que o Presidente do meu clube me chamasse nomes.
  A um outro nível meramente desportivo, é muito gratificante ao Benfica deslocar-se a Alvalade e poder encarar o jogo com tranquilidade classificativa, sabendo que em caso de vitória arreda definitivamente o Sporting da corrida ao título à 11ª jornada, uma vez, que não acredito que até ao fim, o Benfica, se quiser ser campeão, perca mais de 14 ou 15 pontos, isto sem o Sporting perder mais pontos, ou seja, ao contrário do Benfica, o jogo é decisivo para o Sporting.
  Se vencer, o Benfica dá um grande passo na sua caminhada, cavando o tal decisivo fosso para o eterno rival e mantendo pelo menos a distância para o Porto, se perder, manterá sempre uma boa vantagem em relação ao Sporting e ficará ainda à frente do Porto, algo que permite que este encontro seja encarado com naturalidade, mas com a necessária ambição.
  Venha de lá esse ansiado derby, pois estas pausas na Liga, deixam-me com fome de bola e com saudades de vibrar com as emoções do meu clube.
  Não posso terminar este post, sem de forma até algo tardia, prestar aqui a minha última homenagem a um grande guarda-redes, Robert Enke, em que uma das suas grandes exibições que me recordo dele, foi precisamente num derby em Alvalade, a que assisti ao vivo, em que ele adiou com um punhado de grandes defesas a festa leonina do campeonato, num jogo sentenciado por Sabry.
   Ainda no fim do jogo, com um amigo, recordávamos com saudade este grande atleta e no dia seguinte a notícia da sua morte. BEM HAJA ONDE ESTIVERES ENKE.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

UFF! JÁ ESTÁ. - O futebol venceu.

--- Ontem, foi para mim, uma noite especial, tive o enorme prazer de antes do jogo no Estádio da Luz, de conhecer pessoalmente a enorme Rainha dos bloggers, a nossa querida Margarida Benfiquista, do blogue, "O BENFICA É UMA PAIXÃO", uma pessoa que aprendi a conhecer através da sua escrita e pela qual comecei a criar uma forte admiração, pela sua coragem, a força, o querer que demonstra e a sua atitude vencedora, aquilo que é o nosso Benfica actual, a ela o meu obrigado pela felicidade que me deu em conhecê-la com um enorme beijinho e ao seu marido que também conheci, uma grande abraço, pela cumplicidade e pelo grande alicerce que é, foi fantástico conhecer-vos e só espero que nos encontremos mais vezes antes dos jogos, para conversarmos um pouco.
---- Como havia dito no post anterior, este jogo revestia-se de enorme importância para o Benfica e num jogo muito complicado, fruto do camião TIR utilizado pela Naval, as Águias voaram alto mesmo à beira do fim, com alguma felicidade, mas muito mérito, fazendo-se justiça, numa vitória não só do Benfica, mas também do futebol, contra o anti-futebol, no fundo, um merecido castigo para uma equipa que apenas pensou em defender e um justo prémio a uma equipa que só tentou atacar.
   Assim e cumprido o 1º terço da liga, o Benfica volta a igualar o Braga na liderança, mas mais importante ainda aumenta para 5 pontos a vantagem sobre o seu maior adversário, o Porto, e 11 sobre o Sporting.
BENFICA 1 NAVAL 0 - Confesso que já não estava habituado a sofrer assim na Luz, mas estas vitórias são ainda mais saborosas e no fundo, valem os mesmos 3 pontos que os 8 a 1 ao Setúbal ou que qualquer das muitas goleadas protagonizadas pelo Benfica esta temporada.
    Cedo se percebeu ao que vinha a Naval, certo que obviamente não podia dar-se ao luxo de se bater de igual para igual, mas podia ao menos tentar de vez em quando sair a jogar, mas limitou-se a aliviar as bolas ganhas na sua defensiva.
   O Benfica tentava dar velocidade ao jogo, mas com um defesa super povoada é muito complicado e a verdade é que as ideias iam faltando e a equipa encarnada era obrigada muitas vezes a lateralizar o seu jogo, em virtude da falta de espaço, reflexo disso, o facto de nos primeiros 30 minutos, o Benfica apenas criava perigo em lances de bola parada e aí, apareceu Peiser, guarda - redes da Naval, que fez seguramente a exibição da sua vida, com um punhado de grandes intervenções que adiavam sistematicamente o golo.
   Mas com caracter, querer e vontade, marca das grandes equipas, o Benfica não deixava de tentar por todos os meios o golo e as oportunidades, embora em pequeno número iam aparecendo e se não havia Peiser, havia a trave da baliza e assim se chegou com o nulo ao intervalo, lisonjeiro, diga-se, para a Naval.
  Na 2ª parte, o filme era o mesmo, o Camião Tir estacionado na área navalista e o Benfica a tentar quer pelo meio, quer pelas alas marcar e a verdade é que nesta fase, talvez devido a uma maior velocidade, o Benfica criava mais perigo em bola corrida, pecando somente na finalização, ora por falta de pontaria dos avançados, ora por mérito de um gigante na baliza da Naval, com defesas do outro mundo, ora mais uma vez pela trave da baliza, parecia que a bola não queria entrar.
    Como se sabe, o Benfica é uma equipa que trabalha até à exaustão os lances de bola parada, cada vez mais importantes, não só no futebol moderno, como também para fazer face a equipas como esta que se apresentou na Luz e foi precisamente, após tanto profiar e tantas oportunidades criar, que num livre marcado por Di Maria, Javi Garcia, que jogão, manda um potente cabeçada para o fundo das redes e a esta bola, nem o gigante Peiser conseguiu defender, estava feita finalmente a justiça no marcador aos 89 minutos.
  Foi sem dúvida, uma vitória sofrida, mas muito justa, os números falam por si: 29 remates do Benfica, contra apenas 5 da Naval, dos quais, nem um foi em direcção à baliza encarnada, 7 defesas fantásticas do guarda - redes da Naval contra 0 de Quim, 68% de posse de bola, 2 bolas na trave do Benfica, contra 0 da Naval e foram ainda contabilizadas 9 oportunidades de golo do Benfica, contra uma da Naval, julgo que posto isto, não se pode falar de sorte, mas sim de azar, pois se o Benfica marcasse mais cedo como merecia, se calhar o resultado seria outro.
Pela positiva, a grande exibição de Peiser, uma noite memorável do guardião navalista, a força e o querer do Benfica, com mentalidade de campeão, que nunca desistiu do seu objectivo e colocou a carne toda no assador, nos últimos 10 minutos, chegaram a estar os 10 jogadores do Benfica no meio -campo adversário, pela negativa, a postura anti-futebol adoptada pela Naval, o público não paga bilhete para isto, há que haver o mínimo de respeito.
Arbitragem de Lucílio Baptista sem grandes casos, embora eu sinceramente nunca tenha gostado da sua forma de apitar e de lidar com os jogadores, os quais facilitaram em muito a sua missão, além de pequenos erros, ajuízou bem à beira do intervalo, um lance em que Mai Pereira faz carga de ombro na área encarnada sobre Kerrouche, acho que é legal carga de ombro até para os jogadores do Benfica.
   Para finalizar, dizer que mais uma vez, a equipa do Benfica, sem obviamente jogar tão bem como em algumas ocasiões, porque assim era complicado consegui-lo, demonstrou atitude de campeão, uma vontade tremenda e foi justamente premiada, os campeões também se fazem com sofrimento.
   Quando surgem equipas assim é importante marcar cedo, se isso suceder, as equipas vão abrir-se e os golos surgem com naturalidade, não marcando cedo, obviamente a ansiedade começa a surgir e as dificuldades aumentam.
   Uma palavra para as declarações finais quer de Inácio, quer dos jogadores da Naval, que apesar de sofrerem o golo da derrota à beira do fim, tiveram um extraordinário fairplay, ao reconhecerem publicamente a justiça da vitória do Benfica, porque foi a equipa que demonstrou vontade de ganhar.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

OPORTUNIDADE DE OURO - Rivais escorregam.

--- Esta jornada, que completa o 1º terço da liga, fica desde já marcada pelo escorregançao dos rivais encarnados, pelo que o jogo Benfica - Naval de hoje, reveste-se da maior importância para o Benfica, que tem de mostrar se definitivamente, quer ou não ser campeão nacional.
   Depois da derrota de 6ª feira do Braga em Guimarães, esperada, até porque depois da enorme capacidade fisíca demonstrada ante o Benfica, eu suspeitava (vá lá saber-se porquê), que no derby minhota, algo houvesse que não lhes permitisse ter a mesma capacidade fisíca, ou seja, a seguir a uma bomba, vem o descalabro.
  Mas vamos tentar analisar os jogos dos nossos rivais:
MARITÍMO 1 PORTO 0 - Um grande 1ª parte dos madeirenses, ante um Porto completamante à deriva e que nitidamente, não atravessa uma fase positiva em termos exibicionais.
   A equipa madeirense entrou no jogo com algumas cautelas, mas sempre com sentido de baliza, com rápidas subidas para o ataque, após recuperarem a bola, mercê da grande pressão no seu meio-campo, com Roberto Sousa e Bruno em grande destaque e depois com a velocidade e capacidade técnica de Marcinho, Djalma e Bába, bem secundados por Manú.
   Assim, já Bába tinha desperdiçado uma grande oportunidade, antes de Rolando com uma abordagem desastrada à bola, fazer um auto-golo, que colocou o Marítimo na frente do marcador.
   Esperava-se uma reacção portista que nunca aconteceu, foi mesmo o Marítimo que por duas ocasiões, esteve mesmo perto do 2º golo, que diga-se era justo.
Na 2ª parte, O Porto, apesar de tentar reagir, mostrava-se algo trapalhão, com Hulk a tentar fazer tudo sozinho e quase sempre mal e desligado de sectores, sem conseguir incomodar verdadeiramente a defesa maritimista e apesar de já não ser tão rápido nas descidas para o ataque, era mesmo assim o Marítimo quem causava mais perigo.
   Para se ter uma ideia da frágil exibição do Porto, apenas aos 81 minutos, criou a sua primeira oportunidade, num grande lance de um apagado Falcão, em que Peçanha executa uma intervenção de grande categoria. Já mais com o coração de que com a cabeça e com o Ma´rítimo mais recuado, o Porto teve mais uma boa chance na cabeça de Falcão, mas a bola passou por cima da trave.
  Vitória justa e sem contestação do Marítimo.
Pela Positiva, a postura no jogo do Marítimo, olhando o Porto de frente e sempre com a baliza adversária nos olhos, pela negativa, a péssima exibição colectiva do Porto e um desastrado Hulk, tentando fazer tudo sozinho e não será assim que se afirmará como um grande jogador.
Arbitragem muito positiva de Paulo Baptista, um ou outro pequeno erro, mas sem qualquer influência no decorrer da partida.
RIO-AVE 2 SPORTING 2 - Depois da tempestada vivida esta semana em Alvalade, este jogo revestia-se de crucial importância para o Sporting, assistindo-se a um bom jogo, com 2 partes completamente distintas: Na 1ª parte, um Sporting mais forte, com uma razoável qualidade de jogo, consguindo o domínio do meio campo e a pressionar no meio-campo adversário, mostrando vontade de alterar o rumo dos acontecimentos.
   Já os vilacondenses, mostravam alguma incapacidade de reagir ao bom início do seu adversário, a equipa de Alvalade, estava melhor, rematava e começava a criar lances de perigo, até que Matias Fernandez ( o melhor do Sporting), abre o livro, senta Gaspar e faz um belo golo, com uma execução técnica de grande qualidade, estava feita a justiça no marcador.
  O ímpeto leonino continuava e os lances de perigo na área do Rio-Ave também e num lance infleiz de Sílvio, que ao tentar dominar com o peito, vê a bola a resvalar no braço direito, o Sporting, por Moutinho, chega ao 2 a 0, com inteira justiça a premiar a sua 1ª parte.
Na 2ª parte, julgava-se que a vitória já não fugiria ao Sporting, fruto da qualidade de jogo anteriormente apresentada e da incapacidade do Rio-Ave em criar perigo, puro engano, o Sporting reavivou os fantasmas recentes e o Rio-Ave entrou muito mais forte e decidido, o que me leva a questionar, quem teve mérito em quê,ou seja a boa 1ª parte foi demérito do Rio-Ave ou a 2ª parte foi demérito do Sporting? Fica aqui a dúvida.
  A equipa de Alvalade começava a revelar dificuldades em ter a bola e os vilacondenses encostavam o Sporting mais atrás e depois de Sidnei desperdiçar uma boa oportunidade, João Tomás, reduz o resultado, o que diga-se, já era merecido.
  A equipa de Vila do Conde continuava com o pé no acelerador e o Sporting meio atordoado com a reacção do adversário e de novo joão Tomás, a corresponder a um grande cruzamento de Bruno Gama, de primeira, faz um belo golo que empatou a partida.
   Em 20 minutos apenas, o Rio-Ave conseguia a reviravolta e para agravar a situação, Carriço faz falta e leva o 2º Amarelo, que julgo ter sido causa da sucessão de faltas do central leonino, que neste jogo, esteve nos golos do adversário e longe do que já mostrou.
   O jogo estava partido, mas as oportunidades não existiam, até que aos 85 minutos, Caicedo, que desastre, dá para rir , falha de forma incrível um golo na cara de Carlos e na sobra Liedson chuta contra um adversário, gorando-se assim a possibilidade dos 3 pontos para o Sporting.
  Resultado que se ajusta ao que se passou em campo, pois houve uma parte de domínio quase absoluto para cada equipa e assim a onda de contestação ao Sporting aumenta, com mais uma dura manifestação de contestação à equipa após o jogo.
Pela positiva, a excelente reacção do Rio-Ave, que com 2 golos de desvantagem ao intervalo, não deu o jogo como perdido, pela negativa, a 2º parte estranhamente miserável do Sporting e a aberração Caicedo, julgo que se este com 2 penas vale 10 milhões (claúsula de compra), Mantorras com uma perna, vale 20 milhões.
Arbitragem dificil de Soares Dias, benefício da dúvida no penalti, aceitando-se a decisão, assim como na expulsão por acumulação de Carriço.
  Com esta conjugação de resultados, o Benfica, dispões de uma excelente oportunidade de igualar o Braga na liderança, aumentar a sua vantagem em 5 pontos para o Porto e 11! para o Sporting, melhor seria impossível.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

PAULO BENTO OUT - Seguiu-se a restante estrutura do futebol

--- Paulo Bento disse adeus ao Sporting, pedindo a sua demissão.
  Não vou aqui fazer juízos de valores de um treinador que disse algo muito importante: - " se calhar, estive 4 meses a mais no Sporting, mas se aceitei iniciar a época, foi porque se calhar, pensei mais com o coração do que com a razão e isso nem sempre é o melhor".

   Julgo que atendendo às condições que lhe foram proporcionadas, se pode dizer que o balanço do seu trabalho é positivo, foi sempre honesto com a sua entidade patronal, dando vezes demais a cara, pecando apenas, na minha opinião, por reacções a quente, que nem sempre se revelaram boas, quer para si, quer para a equipa, até porque certas coisas que se dizem, passam para os jogadores, com os necessários reflexos na equipa.
   Uma palavra, para o meu afilhado e sobrinho, pessoa que admiro e gosto muito, hoje, já estive a falar com ele, ainda antes de ler o seu comentário no post anterior e sabia, que estava dorido e até magoado, por isso e esquecendo a clubite aguda que por vezes no divide, liguei-lhe e já pude falar com ele e dei-lhe a minha opinião sincera, que no fundo não foge ao que disse anteriormente e ao que vou dizer agora: - Por muito que custe a alguns sportinguistas, a saída de Paulo Bento era inivitável por várias razões, 1º, porque parecia que a sua mensagem já não passava para os jogadores, ou seja, dava-me a ideia que o seu discurso já era muito repetitivo e daí, alguma incapacidade para motivar os jogadores, no fundo Paulo Bento reconheceu isso na conferência de imprensa de hoje, 2º poque o ambiente, junto de uma boa franja de adeptos, começava a ser insuportável e a fazer lembrar Peseiro e 3º, mas mais importante ainda, transpirava cá para fora, que o grupo de trabalho estava dividido naqueles que estavam com o treinador e naqueles que não estavam, pelo que a sua saída era inivitável, agora, ou mais tarde.
  Podemos dizer que foi injusto, se calhar foi, pois Paulo Bento, pagou a factura de definir objectivos, para os quais a estrutura do futebol não lhe deu meios, daí, na minha opinião isso ser um pecado do treinador leonino, mas como sabemos, nestes casos, a corda parte sempre pelo treinador, é assim no Sporting, no Benfica, no Porto e em todos os clubes e por mais que Bettencourt tenha vindo dizer que ele NEVER despedia o Paulo Bento, a verdade é que mais tarde ou mais cedo, a continuarem assim as coisas, teria de o fazer e digo isto, porque ele próprio, na semana passada, disse na festa dos núcleos leoninos, que não estava agarrado à expressaõ Forever e que se eventualmente tivesse de despedir o treinador, não seria essa frase a impedi-lo, pois forever é o Sporting e que sabe muito bem diferenciar a amizade do profissional.
   Quando se diz que muitos quiserem ver Paulo bento fora do Sporting, julgo que isso foi de dentro de várioas quadrantes do Sporting e nada mais que isso.
   Leonel Pontes, vai assumir interinamente o lugar de treinador, algo estranho, uma vez que ele era o número 3 da equipa técnica, a qual não foi nada solidária com o seu chefe de equipa, ao contrário do director do futebol, Pedro Barbosa e do admnistrador para a pasta do futebol, Ribeiro Teles, os quais também se demitiram.
  Posto isto, julgo ser actual, colocar à vossa disposição, várias possibilidades para um inquérito que visa saber qual a vossa escolha para novo treinador do Sporting, o qual está colocado no lado esquerdo deste bolgue e para o qual agradeço a vossa participação. 
 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista