terça-feira, 27 de outubro de 2009

GOLEADA PARA À LIDERANÇA - Dedicado a quem gosta de bom futebol.

---- Ainda nem sequer tinha feito este post e já no post anterior pude ler um comentário que me deixou abismado, digo isto, porque ao ler tal comentário, fiquei convencido que mais uma vez o Benfica só ganhou porque é levado ao colo, aliás, estas goleadas surgem devido aos árbitros, ao mau futebol da equipa, a qual não joga absolutamente nada, comparado ao espectacular futebol do Sporting, o que se assiste na Luz é uma vergonha, um atentado ao bom nome dos adversários.
  Pela lógica de alguns, tudo o que veste de vermelho era expulso, não houve nenhum golo mal anulado ao Benfica, o golo do Nacional é clarinho como a àgua e os golos do Benfica são todos irregulares, precedidos de qualquer coisa que só alguns conseguem ver e ainda fiquei a saber que não atirar a bola fora para dar cobertura a simulações é falta de fairplay, mas simular lesões é do mais puro e elementar fairplay, as coisas que a gente vai aprendendo com a azia dos nossos rivais.
Como diz o anúncio, aqui fica uma mensagem que recebi hoje: "OLÁ, EU SOU O JORGE JESUS, SE PODIA VIVER SEM GOLEADAS? SIM, PODIA, MAS NÃO ERA A MESMA COISA".
BENFICA 6 NACIONAL 1 - Mais uma grande jogatana do Benfica (julgo eu), num jogo marcado por muitos erros grosseiros de arbitragem, com evidente prejuízo para ambas as equipas, mas, que julgo ainda eu, acabou por não influenciar ou colocar em causa a vitória do Benfica e até mesmo a goleada, tal a qualidade e a avalanche de bom futebol a que assistimos.
   O Nacional entrou nitidamente 541, com o intuito de tentar fechar os caminhos da sua baliza e tentar rápidos contra-ataques em futebol directo, mas o Benfica, mostrou ser paciente e saber esperar pelo momento certo para desferir a golpada necessária, ou seja, o 1º golo e ele surgiu numa abertura fantástica para Coentrão, que de primeira serve Cardozo para o golo, uma jogada simples, bonita e eficaz, não sei se alguns viram ali alguma irregularidade, eu julgo que sim, um passe como o do Aimar, é uma falta de respeito para as defesas adversárias, logo devia ter visto amarelo.
    Reagiu bem o Nacional, que diga-se, tentou sempre defender bem e sem autocarro e num lance de claro fora de jogo, chega ao empate.
   Mas este Benfica não se deixa abater e reagiu de imediato, Saviola marca, mas o lance é bem anulado, embora seja um fora de jogo bem mais à queima que o do golo madeirense, só que quem joga como o Benfica, o golo é uma questão de tempo e ele surgiu num belo cabeceamento de Saviola e este, achou eu, também foi um golo legal.
  Na 2ª parte, houve muito mais Benfica e se o 3 a 1, surgiu num penalti por clara simulação de Aimar, devo lembrar que sem erros de arbitragem, o Benfica tinha chegado ao intervalo com os mesmos 2 golos de diferença. O Penalti foi convertido com a bola a atingir, pasme-se 128KM/H.
  A partir daí acabou o Nacional e foi só ver um Benfica a passear classe dentro de campo, o 4 a 1, surge num lance perfeitamente legal, em Javi Garcia recupera a bola, tem-na controlada e Ruben Micael choca contra o espanhol e simula que está aleijado, estava tão aleijado que se levantou de imediato a correr a discutir com os jogadores do Benfica, ele há milagres do catano.
   Os golos foram surgindo em catadupa e há ainda um lance inavalidado que culmina em mais um golo, mas um Benfica assim, marca 6 e ainda lhe podem tirar 2.
  A finalizar a partida, mais um penalti de Cardozo, com a bola a entrar à incrível velocidade de 142KM/H, é obra!
   O resultado final espelha a diferença do futebol produzido em campo, um Benfica dominador em todos os aspectos e que mais uma vez deliciou os seus adeptos com um grande futebol e mais uma goleada, estou ainda para ver, o Benfica a vencer um jogo por apenas 3 a 0 na Luz e ser assobiado, é que os niveis de exigência são tramados.
   Julgo, que era escusada a provocação de Jesus com os 4 dedos ao seu homólogo do Nacional, mas comprende-se, uma vez que o treinador do nacional, não tem feito outra coisa na sua vida, que andar constantemente a provocar e a ofender Jorge Jesus, os cretinos são assim e como disse o sr. Machado com um espelho à frente, quem é cretino é sempre cretino, nós já sabiamos.
  Pelos relatos da imprensa e dos jogadores, treinadores e dirigentes do Nacional, no intervalo do jogo aconteceram desacatos no Túnel de acesso aos balneários, como não vi, uma vez que estava no estádio, gostava imenso que as imagens viessem a público, para se perceber quem começou com as provocações a quem, pois no estádio, o que vi, foi o Quim a tentar acalmar Cléber quando este ía entrar para o túnel, depois, que venha a verdade ao de cima.
  Destaques pela positiva: a grande exibição de Saviola, um senhor jogador, o tal que os nossos rivais diziam ser velho aos 27 anos e acabado para o futebol, é caso para dizer, venham mais acabados destes para o Benfica e para Fábio Coentrão, uma adaptação forçada a lateral esquerdo, que fez um grande jogo, se calhar, Queiroz encontrou o lateral que a selecção precisa. Pela negativa, os incidentes protagonizados ao intervalo e o gesto dos 4 dedos de Jesus, escusado, ele tem de ser superior aos cretinos.
Arbitragem desastrosa de um tal Vasco Santos da AF do Porto, validou mal o golo do empate do Nacional, marcou mal o penalti do Aimar, esses foram  os seus erros mais graves e steve apenas bem no penalti sobre Ramires, esse é indiscutível. Faltou ainda marcar uma falta para amarelo de Aimar, numa entrada perigosa a pés juntos, teve a sorte de não atingir o adversário, mas atenção, ele não tinha qualquer cartão, por isso não percebo como alguém consegue ver 2 amarelos nos mesmo lance.
   Hoje joga-se o Guimarães - Sporting, um jogo complicado para os de Alvalade, mas a verdade é que até agora os melhores jogos do conjunto de Paulo bento, foram precisamente os mais dificeis.
  RESTANTES RESULTADOS: Porto 3 Académica 2; Setúbal 1 Leixões 0; Marítimo 3 P. Ferreira 1; Belenenses 0 Olhanense 0; Rio-Ave 1 Braga 1; Leiria 2 Naval 0.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

ATACAR A LIDERANÇA - Para calar o capataz.

---- A bola continua a rolar para delírio das multidões, afinal é disto que nós gostamos. Esta 8ª jornada, está desde já marcada pelas declarações polémicas e ridículas do capataz de Pinto da Costa, qual obediente empregado, sempre pronto a servir mais depressa o patrão que o clube a que preside, quem sabe, se não estará desde já encontrado o natural substituto do maior mafioso da história do futebol português, pelo menos António Salvador, demonstra ter as características exigidas para o cargo.
   A sua propensão para seguir as pisadas do "Big Boss", são evidentes, basta atentar ao modo como ele aceita as encomendas para tentar denegrir o clube que está a causar imensa preocupação a quem está habituado a dominar tudo à base da fruta e do leite com café, aliás as declarações insinuosas, graves e descabidas de António Salvador, mais preocupado em servir o Porto que o Braga, devem ser alvo da maior atenção por parte da liga e alvo de um rigoroso inquérito e o mesmo deve ser desde já exigido pelo Benfica, pois o clube da Luz, não pode ignorar tais declarações, as quais, afinal de contas, são desde já um lançar de pressão de modo a condicionar a arbitragem do próximo jogo, que acredito, ser´apitado ou por Benquerença ou por Pedro Henriques, vale uma aposta?
   Então o que disse o subserviente empregado? - " Tal como na temporada passada, o Benfica vai estar interessado em jogadores nossos. Esperem para ver que vão sair noticias dessas na comunicação social"; "Sabemos os truques que usam para desastibilizar. Há duas décadas que é assim. Não sei quem são os repsonsáveis, mas, se os jornais forem sérios então escrevam essas notícias, mandem tudo cá para fora".
   Enfim, lastimável, mas ao menos, António Salvador tem um grande mérito, sabe como ninguém quais são as práticas de hà duas décadas do seu patrão, pois como discurso encomendando, as declarações proferidas, têm por base obviamente conhecimento de causa, pois todos conhecem bem as práticas relatadas, como estnado associadas ao Porto.
    A falta de escrúpulos e de vergonha desse capuchinho vermelho que obedece ao lobo mau, são de um autêntico palhaço, de uma pessoa desonesta e até desiquílibrada mentalemente, espero apenas que o Benfica lhe responda dentro de campo na próxima semana, se deixarem.
   É certo que o Braga, pela 1ª vez esta temporada, perdeu pontos, é certo que houve um erro grave no golo do Rio-Ave, falta evidente sobre Moisés, mas é pena, que o seu treinador e o capataz Salvador, se tenham esquecido que venceram em Alvalade com uma grande defesa desse mesmo Moisés, ganharam na Madeira com um penalti no fim da partida a catigar o escorreganço de Meyong na área do Marítimo, que venceram o Belenenses quando o árbitro ignora uma mão descarada de João Pereira aos 89 minutos que daria penalti para os homens do Restelo e apergunta que fica é quem seria líder isolado se as coisas corressem com normalidade?
    Nem me vale a pena comentar mais declarações da índole das proferidas por esse pau mandado, pois como se costuma dizer, as acções ficam para quem as comete e curiosamente ou talvez não, depois de dizer o rol de disparates que disse, o que se assistiu ontem à noite no Porto 3 Académica 2, foi um autêntico roubo, bem ao nível dos últimos 20 anos, como tão bem frisou António Salvador.
   A jogar um futebol de má qualidade, o Porto conseguiu o mais importante, os 3 pontos, com a conivência do árbitro que cometeu vários erros, os quais por terem sido naturais, foram todos para o mesmo lado.
  Aos 8 minutos Bruno Alves, puxa ostensivamente Orlando na área portista, com penalti a ficar por marcar, lance esse completamente ignorado por quem comentava o jogo na RTP e com apenas 1 ou 2 repetições, sem que esses comentadores abordassem o lance, depois, Bruno Alves agredi ao murro um jogador da Académica, nem sequer amarelo, quando o vermelho se impunha, aliás esse jogador, continua a espalhar porrada por esse país a fora, depois no 1º golo do Porto, Farias que está em fora de jogo, faz-se ao lance, iludindo o guarda - redes da Académica, no 3º golo fora de jogo evidente de Farias e curiosamente ou talvez não, A transmissão da RTP, ignorou os lances, esquecendo-se por certo, de colocar a linha amarela, porque será?
   Com um resultado de 3 a 2, etá bom de ver se houve ou não influência no resultado, mas daqui a uns tempos isso está esquecido e depois nos finais de época, branqueadas estas repetitivas situações, fala-se de um campeão com mérito!!!
   De facto, pouco ou nada interessam as capas de jornais sobre o Benfica tão reclamadas por várias pessoas, importante é ter uma imprensa, principalemente televisiva, que molda a opinião pública, através de uma vergonhosa manipulação de imagens, a isso é que se chama boa imprensa.
    Faltam ainda 2 jogos para completar uma jornada que começou 6ª feira e acaba 3ª feira, 5 dias de uma jornada!!!, algo que de facto tira interesse a esta competição. O Benfica, recebe o difícil Nacional, num jogo em que ganhar é imperioso, não só de modo a assumir a liderança, mas também para que chegue a Braga líder.
   Joga-se ainda o Guimarães - Sporting, num jogo complicado para a equipa de Alavalade, que não pode perder mais pontos, pois tal facto, pode afundar ainda mais psicológicamente a formação de Alvalade.
  A Lamentar a morte de mais um desportista, Kevin Widemond , jogador de apenas 24 anos da Ovarense, que faleceu no intervalo do jogo com a Académica e que deixou em estado de choque toda a equipa, a eles, uma palavra de força e que de facto a vida vale mais que qualquer resultado.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

FURACÃO NA LUZ - Benfica arrasa Everton

--- Foi um furacão vermelho aquele que passou no relvado da Luz, humilhando por completo a equipa do Everton, numa 2ª parte de grande nível, um regalo para quem realmente gosta de futebol.
   Antes de falar do jogo, uma grande palavra de apreço para os adeptos do Benfica, num jogo transmitido em sinal aberto, num dia de trabalho às 18H00, é notável a assistência que esteve no Estádio da Luz, 44.000 espectadores!!!, o bom futebol atraí gente.
BENFICA 5 EVERTON 0 - Ante um adversário de bom nível, com jogadores de grande categoria, o Benfica fez de facto um jogo de dimensão europeia, dando sinais claros de ser a melhor equipa do grupo.
   Entrou bem o Benfica, pressionante como quase sempre, a assumir as rédeas do jogo, perante um Everton que veio à Luz para tentar disputar o jogo de igual para igual e isso contra o Benfica, pode ser um pecado capital.
   Perante tão boa entrada, o golo surgiu num belo cruzamento de Di Maria, com um remate de primeira de Saviola, fazendo um golo de bom efeito, apesar de alguma felicidade. Reagiu o Everton, só que a defesa encarnada ía servindo para as encomendas e sinceramente, não me lembro de uma grande oportunidade dos ingleses, já o Benfica, apesar das suas transicções no contra - ataque não terem grande velocidade, era a equipa que criava oportunidades, embora não tenha feita uma 1ª parte espectacular, dominava o jogo em todos os sectores do terreno.
Na 2ª parte, O Benfica surgiu que nem um verdadeiro furacão, com uma velocidade de jogo impressionante e quando o Everton acordou, já Cardozo tinha bisado, em duas jogadas em que Saviola, Aimar no 2º golo e depois Saviola e Di Maria, estiveram brilhantes. O jogo estava resolvido.
   Mas o que dá gosto ver neste Benfica, é que mesmo com 3 golos de vantagem, nunca tira o pé do acelarador e com um Everton abismado perante tão bom futebol, Luisão, marca na sequência de um canto, realmente faltava o golo da ordem de bola parada, onde o Benfica é fortíssimo.
  Com 4 a 0, deu para tudo, momentos de verdadeira Di Magia, uma circulação de bola notável e um adversário colocado ao nível do Monsanto, tal o banho de bola que levava e para que os adeptos não estivessem mais de 30 minutos sem golos, eis que mais uma vez Di Maria abre o livro e oferece o bis a Saviola, 5 a 0, resultado final, em que nem os mais optimistas acreditavam, já os que rezam constantemente por uma derrota do Benfica, pedimos desculpa, mas vão ter de esperar mais um pouco.
Pela positiva, a presença de muito público, pese as condicionantes atrás referidas e as exibições fantásticas de Di Maria, Saviola e Cardozo, um trio fantástico, com Cardozo a mostrar que afinal não marca só de penalti. Pela negativa, num jogo em que a exibição do Benfica roçou a perfeição na 2ª parte, é complicado falar em factores negativos, pronto, mas eu tenho de arranjar um e olhem, acho que hoje a Águia Vitória não voou tão bem.
Arbitragem fantástica, a deixar jogar nos limites, com claro benifício para o espectáculo.
VENTSPILS 1 SPORTING 2 - Foi na minha opinião um jogo ante um adversário frágil e vulgar, com duas partes completamente destintas, uma primeira, com completo domínio do Sporting, principlamente na meia hora inicial, em que podia ter resolvido o jogo, embora sem mais uma vez, fazer um exibição de encher o olho, o que diga-se, num campo daqueles não era tarefa fácil.
   O Sporting teve a felicidade de marcar cedo num golo de canto directo, que julgo, não foi intencional e esse golo de Veloso, foi importante pois deu tranquilidade à equipa, a qual chega ao intervalo com apenas um golo de vantagem, muito por culpa da falta de eficácia na concretizãção.
Na 2ª parte, custa perceber o que aconteceu ao Sporting, entrou adormecido à sombra da sua vantagem no marcador e perante isso, o Ventspils começou aos poucos a crescer e foi perdendo o respeito ao adversário, embora, devido à sua vulgaridade, não conseguisse lances de grande perigo, até que num lance infantil de um defesa leonino, cujo elemento não me recordo, surge caído do céu, um penalti para a equipa da Letónia e o empate estava feito e diga-se, era um castigo justo para o Sporting, não tanto pelo que o adversário jogou, mas sim, por aquilo que a equipa leonina não jogava.
   Esse golo enervou o Sporting e os passes transviados eram agora imensos, mas a equipa da casa parecia também ela satisfeita com um empate que servia muito melhor os interesses do Sporting que os seus, até que João Moutinho, tem um pontapé fulminante, fazendo um grande golo, que selou a vitória e garantiu praticamente o apuramento para a fase seguinte da champions, onde dificilmente, encontrará equipas do nível das do seu grupo, embora, nessa altura, o Sporting, também tenha obrigatoriamente de estar melhor.

Pela positiva, o fantástico golo de Moutinho e a primeira meia hora do Sporting, pela negativa a apatia geral da equipa de Alvalade na 2ª parte e os flops exibicionais de Matias Fernandez e Caicedo.
Arbitragem regular.
AT. BILBAU 2 NACIONAL 1 - Não vi o jogo, mas pelos comentários que ouvi, a falta de experiência nestas andanças paga-se caro e se Ruben Micael deu mais uma vez mostras da sua enorme categoria, gelando San Mamés, a verdade é que a equipa portuguesa, não soube matar o jogo na 1ª parte e na 2ª parte, não resistiu à pressão exercida pelo seu adversário.
   Assim e com apenas 1 ponto, o Nacional está praticamente arredado desta Liga Europa, mas apesar de tudo, tem tido uma presença meritória, jogando sempre taco a taco com os seus adversários.
PORTO 2 APOEL 1 - Um jogo maçudo, um Porto nitidamente superior a este adversário, mas que não teve uma noite particularmente inspirada.
   O Porto demorou a entrar no jogo e com isso os cipriotas conseguiam manter o jogo longe da sua baliza e a um conveniente ritmo baixo, chegando mesmo à vantagem num golo feliz e que me pareceu ser marcado na própria baliza por Álvaro Pereira.
    Curiosamente esse golo teve o condão de acordar a equipa da casa e o Apoel começava a cometer erros infantis na sua zona de saída para o ataque e foi precisamente num erro gritante, que um jogador cipriota oferece a bola a Falcão e este endossa a Hulk para fazer o empate.
   Foi um golo que surgiu do nada, já que nada era aquilo que o Porto estava a fazer, mas a partir daí, os cipriotas como que desapareceram da partida e só chegam ao intervalo empatados, porque o Porto estava a jogar francamente mal.
Na 2ª parte, melhorou o Porto, mais pressionante e rápido, começava a criar espaços na área adversária e Chiotis (belo guarda-redes) começava a brilhar, mas foi através de mais um erro infantil, que surgiu um penalti cometido estupidamente por mão na bola e assim, vindo do céu e da ingenuidade do adversário, o volte-face no marcador foi dado.
   Se o Apoel já pouco fazia, a partir do momento que ficou em desvantagem no marcador, passou a ser completamente inofensivo, valendo-lhe o seu guarda-redes para que o Porto não resolve-se logo o jogo. Depois, veio a estupidez de Mariano, embora acha-se severo o vermelho por suposta agressão, a verdade é que era escusada a atitude do jogador portista e esse facto, podia ter de novo galvanizado o Apoel e colocar o resultado em perigo, mas nada disso aconteceu e o Porto, com muita facilidade e uma exibição quanto baste, venceu e ganhou 3 pontos muito importantes para o seu apuramento.
Pela positiva, o bis de Hulk e a sua exibição sempre inconformada, pela negativa a fraca qualidade deste jogo.
Arbitragem positiva, sem grandes erros e a deixar jogar, embora o veremelho a Mariano me tenha parecido algo exagerado.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

DEPOIS DA FESTA DA TAÇA - Segue-se um ciclo complicado.

--- Depois da festa da Taça, que as gentes da aldeia de Monsanto, concelho de Alcanena, fizeram questão de registar com constante animação, segue-se um ciclo complicado de jogos, que não sendo decisivos, podem muito bem vir a marcar a época do Benfica.
    Este ciclo de jogos, começa já 5ª feira com os ingleses do Everton e depois da derrota na Grécia, é imperioso vencer este adversário em casa, sob pena de as hipóteses de seguir em frente nesta prova, poderem ficar hipotecadas. O Everton é um adversário de qualidade, com grandes executantes, mas que atravessa um momento de menor fulgor na liga inglesa, facto do qual o Benfica pode retirar dividendos.
  Julgo que um Benfica ao nível daquilo que vem demonstrando, tem boas chances de vencer a partida, mas é bom, que os adeptos encarnados não andem sempre a exigir goleadas, 1 a 0 ou 2 a 1, são 3 pontos, no fundo o essencial.
   Depois vem ainda a caminho uma fase importante na nossa Liga, 2ª feira, o Benfica recebe o europeu Nacional, equipa muito bem orientada e organizada que vai obrigar um Benfica pós ressaca europeia a um grande esforço para vencer este jogo, uma vez que a seguir vem a deslocação a Braga e é imperioso ir lá com hipóteses de saltar para a liderança.
    Não sendo decisivo, longe disso, uma vitória em Braga e por consequência o assumir da liderança, pode ser um forte tónico rumo ao restante campeonato, a moral ficaria elevada e o clube daria uma grande demonstracção de força, o que acabaria por convencer até os mais cépticos e os nossos adversários, que jogo após jogo, continuam sempre a achar que o Benfica ainda não teve uma verdadeira prova de fogo e julgo, que vencer em Braga, acabaria com esse infeliz argumento.
   Não vencendo, tudo continuará intacto, embora as ambições do Benfica saiam menos reforçadas, pois em função do calendário mais favorável do Porto, dificilmente eles perderão pontos nas próximas 2 jornadas (Académica e Belenenses em casa) e seria uma grande injecção de moral, sair deste ciclo na frente.
  Já o outro ainda candidato, Sporting, tem também ele um ciclo dificil, até atendendo ao fraco futebol que continua a apresentar. Se na Liga Europa tudo corre bem, 6 pontos em 2 jogos, apesar da fraca prestação em termos de futebol praticado e da acessibilidade do seu grupo de apuramento, já no campeonato, as deslocações a Guimarães e a recepção ao Maritímo, podem ser decisivas para o Sporting no que ao resto da temporada diz respeito, pois não ganhando estes jogos e se os seus rivais vencerem, julgo que as pretensões leoninas ao título, ficam definitivamente postas em xeque.
  Vêm aí portanto, fortes emoções, com bons jogos até à nova pausa para os compromissos da selecção nacional, que no sorteio de hoje, se ficou a saber que vai defrontar no Estádio da Luz, dia 14 de Novembro, a selecção da Bósnia, cujo seu ponto forte é o ataque, depois dia 18, deslocação à Bósnia e então ficaremos a saber se temos mundial com ou sem Portugal.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

PORTUGAL CUMPRE A SUA OBRIGAÇÃO - Venha o play-off.

---- Portugal cumpriu a sua obrigação, goleando por 4 a 0 a frágil selecção de Malta, que serviu para animar a Malta.
      Outro tipo de resultado seria impensável, atendendo ao valor de uma adversário que não marcou um único golo na fase de apuramento para o Mundial de 2010.
    A equipa, fez o que lhe competia, atirou-se desde o apito inicial para cima do seu adversário e teve o condão de marcar cedo, um belo golo de Nani, algo importante perante adversários que colocam onze jogadores atrás da linha da bola e desde logo, se dúvidas houvessem, elas ficaram dissipadas.
   Portugal continuava a atacar para resolver desde logo a questão, mas ía desperdiçando algumas oportunidades, até que Simão (3 golos nos 2 jogos decisivos), faz o golo da tranquilidade mesmo ao cair do pano da 1ª parte.
  Depois, foi gerir os amarelados e facturar mais 2 golos, num jogo sem grande história e no qual obviamente Portugal teve o mérito de não complicar aquilo que se antevia fácil.
   Agora vem aí o play-off, pode calhar-nos em sorte um destes adversários: Ucrânia, Eslovénia, Bosnia e Rep. da Irlanda, julgo que um bom Portugal, ao seu melhor nível, tem obrigação de passar qualquer um destes adversários, embora julgue que o menos apetecível seja a Ucrânia, não só pelo valor dessa selecção, mas também pela longa viagem.
   Eu tenho uma preferência, Rep. da Irlanda, pela simples razão de normalmente nos dar-mos bem com selecções britânicas, embora não veja com maus olhos a Eslovénia, já a Bósnia, sinceramente, desconheço por completo o seu valor, mas julgo que só o facto de ter conseguido apurar-se para o play-off, ficando apenas atrás da campeã europeia Espanha, pode ser elucidativo do perigo que pode representar.
   Uma palavra para o público presente nestas duas finais, contra a Hungria e Malta, estiveram soberbos no apoio à selecção, sabendo muito bem distinguir clubes de selecção, algo que para os menos inteligentes se torna uma àrdua tarefa, a eles os meus parabéns, Portugal, precisa do nosso apoio e eu estou cá para apoiar. FORÇA PORTUGAL, RUMO AO MUNDIAL DE 2010.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

PELA BOCA MORRE O PEIXE - Será Alzheimer precoce?

---- Sinceramente já não sei o que pensar ou dizer de uma pessoa que o que diz hoje, contradiz amanhã, assim torna-se complicado avaliar o comportamento de alguém, levando-me a pensar que há ali algo de senil ou então de Alzheimer precoce.
     Vem a isto a propósito de uns dias depois de tanto ter criticado o "Stars Founds" do Sport Lisboa e Benfica, o Presidente do Sporting, vem afinal afirmar o seguinte:
  José Eduardo Bettencourt questionou no início da semana a criação de um fundo de jogadores pelo Benfica, mas dias depois, deixou em aberto a possibilidade dos leões adoptarem o mesmo caminho. "É uma medida sempre possível, faz-se aqui, faz-se em todos os sítios. O acesso a crédito bancário, como todos os portugueses sabem, é cada vez mais difícil, para as famílias, as empresas e os clubes não vão fugir à regra, recusando-se a alongar mais sobre as críticas desferidas ao clube encarnado, Bettencourt frisou que os leões têm de escolher um caminho "que tem de ser em função daquilo que o Sporting possa e os sportinguistas quiserem que o Sporting seja".
   Afinal em que ficamos caro Bettencourt? Parece que após estudar bem o assunto, de perceber em que consistia o fundo de investimento do rival encarnado, teve de dar o dito por não dito e reconhecer publicamente que mais uma vez, o vendedor de pneus, como alguns chamam ao Presidente do Benfica, deu um banho em matéria de gestão financeira de um clube de futebol a alguém que dizem ser tão cotado no mundo empresarial, pois é meu caro, é mesmo caso para dizer, "PELA BOCA MORRE O PEIXE".

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

PORTUGAL VOA NAS ASAS DE SIMÃO - Play - off na mão.

---- No seu regresso a casa, Simão embalou Portugal para uma vitória fundamental, ante uma Hungria, pouco mais que vulgar, contando com uma preciosa ajuda da Dinamarca, para desse modo passar novamente a depender só de si para o apuramento.
PORTUGAL 3 HUNGRIA 0 - Vitória justa da equipa das quinas, apesar de algumas intermitências muito preocupantes no seu jogo, que já foram e poderão vir a ser fatais contra selecções mais cotadas.
    Portugal entrou com um ritmo forte, rápido nas transicções, embora nem sempre bem no último passe, uma vez que os Húngaros fechavam todos no seu meio - campo e o espaço escasseava.
  Simão e Ronaldo estavam fortes, mas Deco não acertava com  o último passe e disso se ressentia a selecção, mas após um cruzamento remate de Ronaldo, o guarda - redes defende para a frente e Simão a entrar com tudo para fazer o primeiro, um golo já merecido, o mais difícil estava feito, o primeiro golo.
  Mas depois veio o primeiro contra tempo, Ronaldo na sequência do golo magoa-se e é substituído e a verdade é que a sua saída, coincidiu com o melhor período do nossa adversário. Quer se queira quer não, Ronaldo, jogue bem ou mal, coloca muito respeito nos adversários e a sua lesão, foi como que uma lufada de ar fresco para a Hungria, a qual atirou uma bola à barra e causou mais 2 ou 3 calafrios, já Portugal, tinha dificuldades em furar a defensiva adversária.
  Na 2ª parte, mais Portugal, a equipa rectificou o que estava mal, subiu as suas linhas e o bloco nacional estava mais coeso, fruto da acção de Pedro Mendes, um jogão deste trinco, assim a equipa nacional controlava o jogo e começou a encostar o adversário às cordas, pese embora alguma intermitências no jogo, também porque quer Deco, quer Meireles, falhavam muitos passes, foram talvez, na companhia de Duda, os homens menos da equipa, até que justamente Liedson, após bom passe de Bruno Alves, faz o golo da tranquilidade e a partir daí sim, os húngaros deixaram de acreditar, Portugal sentiu que a vitória já não fugia e depois, Simão, a coroar etse seu fantástico regresso a casa com um grande golo, o terceiro de Portugal e o seu bis, diga-se bem merecido.
   Foi uma vitória justa, mas Portugal, denota ainda algumas fragilidades graves, nomeadamente na esquerda da sua defesa, na pouca ligação dos sectores, por vezes muito afastados uns dos outros e vive mais de iniciativas individuais do que do jogo colectivo, denotando mesmo alguma gritante falta de entrosamento em alguns momentos.
Pela positiva, Simão e Pedro Mendes, encheram o campo e ao público que aderiu em força, sempre do lado da equipa nos bons e maus momentos do jogo, pela negativa, as intermitências graves da selecção em alguns períodos da partida.
 Arbitragem que nem se deu por ela, querem melhor elogio?

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

RESULTADOS DE SONDAGEM - Aimar vence categoricamente.

---- Em mais uma sondagem da "Catedral do Desporto", em que se questionava quem iria ser o melhor jogador da liga 2009/10, Aimar venceu com cerca de 40% dos votos, a confirmar as expectativas geradas pelo seu fantástico início de temporada.
  Disso é também reflexo a 2ª posição obtida por Ramires, com cerca de 25% dos votos, a qul não é também alheio a bela performance da equipa que ambos representam.
  Aqui fica a classificação:

  1. P. Aimar, 8 votos = 45%


  2. Ramires, 5 votos = 25%


  3. Saviola, Hulk e Liedson 2 votos = 10%


  4. Javi Gracia, 1 voto = 5%

    Agora que lhe tomei o gosto, deixo novamente mais uma sondagem, a qual julgo ser actual, uma vez que a tabela classificativa se começa a querer definir e há equipas que se lançam nos seus objectivos e outras nem tanto, pelo que o estalar do chicote já começou e ameaça não ficar por aqui, por isso a próxima questão, novamente colocada no canto superior esquerdo é "Qual vai ser a próxima vitima do chicote?".
    Agradeço desde já o vosso contributo, solicitando a todos os que nos visitam, que deixem aqui o seu voto, para que se possa bater o record de participações.

TODOS COM PORTUGAL - Chegou a hora de todos se unirem.

--- No vosso caso não sei, mas desde que me habituei a ver mundiais e europeus com Portugal, estes não têm para mim a mesma vibração e piada sem a minha selecção presente.
   É por isso que goste-se ou não do seleccionador, concorde-se ou não com os convocados, a hora é de união em torno de uma causa única, Portugal e essa causa tem muito mais valor que qualquer discussão ridícula do convoca este, não convoca aquele, se tal jogador devia ou não estar na selecção, cada um de nós é um ser e como tal faria diferente, também com critícas e elogios.
    Infelizmente, por vários erros cometidos nesta fase de qualificação, Portugal não depende só de si para chegar ao play-off de acesso ao Mundial, sim, porque a qualificação directa está fora de questão, é fundamental que a Suécia não vença a Dinamarca, mas mais importante ainda é Portugal vencer os 2 jogos em falta, Hungria e Malta, 2 adversários perfeitamente ao alcance de uma selecção nacional normal.
    Julgo que para este jogo frente aos húngaros, vai ser determinante saber qual o resultado do Dinamarca - Suécia, que se disputa 1H45 antes, algo que me parece ridículo, jogos decisivos com estes, deviam ser à mesma hora, se a Dinamarca não perder, julgo que Portugal vai entrar com uma motivação extra e não irá deixar escapar a oportunidade do 2º lugar, mas se a Suécia vencer, temo pelo comportamento da nossa Selecção.
 Quem não recorda com saudade os tempos do Euro 2004 no nosso País? Quem não vibrou com a nossa selecção nos últimos tempos, com bandeiras à janela, o povo na rua com as buzinas dos carros a falarem mais alto? Tenho saudades desse tempo e é por isso que digo que é hora de esquecer as divergências clubísticas, de rumar à Luz e todos gritarmos a uma só voz, PORTUGAL, PORTUGAL, PORTUGAL.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

QUESTÕES DE INVEJA - O que é crítica, se calhar deveria ser modelo a seguir.

Julgo eu, que se calhar, não custava muito ter a honestidade de pelo menos se saber reconhecer meia dúzia de factos evidentes para todos os que queiram ser honestos consigo mesmo: Que é um sinal de vitalidade um clube conseguir valorizar as suas acções por simples vitórias internas, chegando estas a valer o dobro das dos seus rivais juntos, algo que nem um Porto vencedor da taça Uefa e da Champions em épocas seguidas conseguiu, reconhecer que um simples vendedor de pneus como já aqui disseram, é muito mais bem sucedido no mundo empresarial, movimenta-se melhor na banca e consegue grandes contratos e soluções financeiras para o seu clube, mesmo orfão de receitas fundamentais como as da champions, que outros, sendo pessoas tão bem formadas, de um nível cultural, académico e social superior, parecem não conseguir. Aliás ainda não há muito tempo, Rogério Alves e Dias Ferreira, se mostraram preocupados pelos simples facto de o Sporting não conseguir arranjar investidores, reconhecer que se calhar uma política financeira de mercearia, que consiste em guardar os trocos debaixo do colchão, não cativa investimento, se calhar uma política de algum risco, com forte investimento o consiga fazer, basta olhar para o Benfica.
Finalmente ter a ombridade, que não custa muito, que de facto, este ano, o Benfica está mais forte e sólido e tem todas as condições para ser mais competitivo e poder discutir o título com um Porto, que é obviamente mais favorito, essencialmente pela mentalidade ganhadora com resultados que já ali está implementada e que obviamente tem vantagens psicológicas muito importantes em relação aos seus opositores.
    Julgo que reconhecer estes evidentes factos era isso sim, sinal de nobreza de carácter, mas todos sabemos, que se isso acontecer da boca dos responsáveis leoninos, a onda de contestação cresce e evidentemente, numa altura de afundamento, o que interessa é criticar os fundos dos outros, até para poder dizer que não é esta a política do Sporting e dizem-no porquê? Porque não têm como fazê-lo, porque ninguém investe numa SAD que não corre riscos, que não actua no mercado e dá sinais evidentes de inércia.
  Estes factos é que deviam ser alvo de profunda reflexão no Sporting, não é uma questão de treinador, que faz milagres com o que lhe colocam à disposição, é sim uma questão de fundo, provocada por alguém que não tem actividade e se limita a arranjar bodes expiatórios quer internos, quer externos, para tudo o que de mau se passa no clube.
Afinal de contas, as questões são, o que é que incomoda verdadeiramente JEB? O que é que ele tem a ver com a maneira como o Benfica é gerido o cria receitas?
   Relembro, que já anteriores direcções leoninas, brincaram, enxovalharam e criticaram decisões de fundo do Benfica, tais como os contratos de naming das bancadas, do centro de estágio, o canal Benfica TV e curiosamente uns tempos depois deram naming às portas de entrada no estádio à sua academia e estão a tentar criar o canal SportingTV e é aí que JEB deveria colocar os olhos, afinal os bons exemplos do seu rival, não deveriam ser alvos de críticas, mas sim uma fórmula boa para o Sporting tentar aplicar no seu clube.
  O sinal de raiva, mesquinhez e inveja dos nosso rivais, não passa afinal de contas de um evidente sinal de preocupação, estou certo, que se o Benfica estivesse ao nível do Sporting, nem Pintos, pardais ou outro tipo de passarecos, falariam tanto de um clube que não precisa que os outros lhe deêm assim tanta importância, o Benfica caso não saibam, consegue ser grande, mesmo sem a vossa ajuda.
  É por isso, que muito me vou rindo com aquilo que leio e ouço, com frases engraçadas, como "se voces em 6 milhoes metem 45000 no estádio nós em 1,5 milhoes metemos 25000, se fizer a proporçao se calhar até consegue perceber que vai mais gente do sporting à bola".
  De facto, só alguém sem sentido de humor, consegue resistir sem rir a uma frase destas, de facto o sinal de desespero é imenso e dá-me um gozo tremendo, confesso.
Quem não conheça a nossa liga e ler uma frase deste nível, é levado a pensar que a nota dominante do nosso campeonato são as enchentes que Sporting e Porto provocam por todo o país, já o Benfica, coitado, vá onde for, nunca tem apoio, tão pouca é a gente que leva ao futebol.
    Acho graça e ainda bem que existe quem se orgulhe do grande record do Sporting ter chegado uma única vez a uns 1/8 avos de final  da Champions, Curioso, terem como bandeira algo que há muito foi uma barreira ultrapassada para outros, devo também  dizer que acho muito bem que a  enorme ambição de certos clubes seja estar à frente do Benfica, pois há quem não se canse de empoleirar com os 2ºs lugares, que além de ser um forte sinal de ambição!!!, faz-me concluir que só houve competição nos últimos 4 anos, o que me deixou perplexo, pois julgava que já tivessem havido mais campeonatos, pelos vistos andei iludido vários anos.
  Afinal de contas, como disse Rui Costa, nós benfiquistas, temos a vantagem de não passar a vida a sonhar com os outros.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

7ª JORNADA - Resposta categórica do Benfica pós Atenas.

---- Em primeiro lugar, quero dedicar esta vitória do Benfica a todos aqueles que passam a vida a sonhar com o Benfica, em especial ao Sr. José Eduardo Bettencourt, o qual vergonhosamente apelidou o "Stars Found" do Benfica como vergonhoso, ficando escândalizado que Javi Garcia valesse 17 Milhões, o que é no mínimo patético.
   É estranho, que enquanto o seu clube se afunda na liga, a sua preocupação seja os fundos do Benfica, mais uma vez digo, que o melhor se calhar seria olhar para dentro do seu clube, cujos problemas abundam, se calhar, devia preocupar-se com o alerta de Liedson, quando diz que "O sporting tem de agir rapidamente e mudar alguma coisa". O ridículo das suas declarações são por demais evidentes, numa pessoa, que sinceramente ainda não percebi o que anda a fazer hà 6 meses, exceptuando a apresentação de uma dúzia de sócios de vez em quando, pois as suas palavras em relação a mais um enorme encaixe financeiro do Benfica, deveriam ser mais no sentido de dizer, porque raio não consigo eu fazer entrar dinheiro no Sporting? Pura incompetência, digo eu.
  Como é possível, descrever como correcto e educado, uma pessoa que não tem feito mais do que o papel de mexeriqueiro de tudo o que de notável o Benfica faz em termos financeiros? Cuja a impotência do Sporting de atrair investimentos é gritante, a ele o conselho de que é melhor pensar naquilo que precisa para melhorar o seu clube, de imaginar formas de fazer entrar dinheiro no seu clube e de pensar o que seria o Sporting sem a Liga dos Campeões, se mesmo com essas receitas apresentam prejuízos astronómicos, essa sim, deveria ser a sua preocupação.
    Falando de futebol, foi uma jornada com muitos golos, em que o Sporting volta a marcar passo e os 3 primeiros vencem.
PAÇOS DE FERREIRA 1 BENFICA 3 - Mais uma entrada fortíssima do Benfica, numa importante vitória, após uma derrota e que serviu para demonstrar a todos, que este plantel tem mais que 11 opções, pois ninguém se lembrou de Aimar, Di Maria e Maxi, um Benfica que mais uma vez se mostrou letal nas bolas paradas, algo só possível, devido ao imenso trabalho nesse tipo de lances, que são cada vez mais importantes no futebol moderno.
   Logo aos 3 minutos, David Luíz dá vantagem ao Benfica e nada melhor que entrar a ganhar num jogo que se atevia complicado.
  Mas o melhor de tudo, é que a equipa não fica satisfeita apenas com um golo e procurou sempre marcar mais e mais, confundindo um adversário que no seu estádio é muito complicado e onde ainda não havia perdido.
  O domínio era acentuado e após Cardozo e Saviola, desperdiçarem duas situações eminentes de golo, com boas intervenções de Cássio, Carlos Martins, aprioveita o espaço concedido no meio campo pacense e dispara fortíssimo a 30 metros da baliza, aproveitando a defeciente colocação do guarda - redes adversário e fazendo um grande golo.
 Nem esta vantagem parecia satisfazer a equipa, a qual continuou na busca do golo e esse para mim, é um dos principais encantos do futebol encarnado e de livre directo, num lance em que deveria ter sido mostrado vermelho ao defesa do Paços, na falta sobre um Saviola isolado em posição frontal, eis que Cardozo, dispara uma bomba sem hipóteses de defesa, um grande golo, que praticamente arrumou a questão.
Na 2ª parte, o Benfica tentou gerir a partida, de modo a gerir também o natural desgaste de alguns dos seus jogadores mais influentes, não o fazendo sempre da melhor maneira e com isso cresceu o Paços.
   Os castores tiveram o grande mérito de acreditar sempre, mesmo com tamanha desvantagem no marcador, caíram em cima do Benfica, o qual, sem nunca me parecer desorientado, ía sentido algumas dificuldades defensivas e não conseguia fazer as necessárias transicções para desferir o golpe fatal, pelo que justamente, o Paços chega ao golo e 2 minutos depois Quim, faz uma defesa determinante, num lance de Cristiano que a ser golo, poderia colocar tudo em causa e obrigar o Benfica a ir novamente em busca do golo.
  Esse lance, teve ainda o condão de voltar a acordar o Benfica, o qual foi começando a impedir o adversário de jogar perto da sua baliza e com o tempo a correr a favor do Benfica, as forças começaram a faltar à equipa da casa e o marcador final saldou-se em 1 - 3, de inteira justiça, para a melhor equipa em campo.
Pela positiva, a demonstracção de qualidade de um plantel que não depende deste ou daquele jogador, os grande golos do Benfica e a atitude sempre boa da equipa pacense, pela negativa, alguma excesso de confiança com que o Benfica entrou na 2ª parte, julgando que o jogo já estava decidido.
Arbitragem negativa de João Ferreira, que tem pouca qualidade, sem lances de grande polémica, teve muitos pequenos erros que tiraram fluídez a um jogo aguerrido, mas muito correcto, perdoando ainda a expulsão a Ozeia por acumulação de amarelos, numa falta sobre Cardozo.
SPORTING 0 BELENENSES 0 - Um jogo marcado por mais um despedida ao ritmo de uma sinfonia de assobios, porque de facto, a jogar daquela maneira, não há santo que resista a este Sporting, algo que parece não preocupar o seu Presidente, sempre muito mais perspicaz e atento ao Benfica.
   A equipa leonina, joga a 2 tempos, devagar e parada, isso permite a um adversário que se organize bem, anular com alguma facilidade este Sporting, a quem falta fluídez e velocidade de jogo, com muitos jogadores em claro défice psicológico e de forma física.
É óbvio que nesta 1ª parte, foi o Sporting que causou mais perigo na baliza adversária, outra coisa nem seria de esperar, o problema é que esse perigo é feito a espaços e de forma atribulada.
Na 2ª parte, houve uma ligeira melhoria do Sporting, que até teve oportunidades para vencer o jogo, perante um Belenenses sólido, mas que à medida que o tempo passava, optava por se fechar cada vez mais e com isso, a equipa de Alvalade, conseguiu em alguns (pouco) períodos encostar o seu adversário bem lá atrás, sem contudo criar muitas oportunidades e com o tempo a passar, o nervosismo era cada vez mais evidente quer nos jogadores, quer no pouco público presente me Alvalade (outra coisa que não preocupa Bettencourt)., pelo que o nulo foi o resultado final a castigar a apatia deste Sporting.
Pela positiva, a boa organização de um belenenses que era fraco quando foi goleado pelo Benfica, mas que agora já deve ser uma grande equipa, pela negativa, a apatia de um Sporting sem ambição, conformado e triste, muito triste na sua forma de jogar.
   É caso para dizer neste Sporting, que Paulo Bento Forever + Bettencourt Together = a Champion Never.
  Carlos Xistra, teve uma arbitragem no geral muito positiva, ficando apenas dúvidas num lance de Diakité na área azul, mão na bola ou bola na mão, fica a dúvida.
OLHANENSE 0 PORTO 3 - Num vôo picado de Falcão, o Porto ganhou com uma facilidade que se calhar não esperava em Olhão, cuja equipa esteve longe, muito longe do futebol que já apresentou esta temporada.
    A equipa portista entrou determinada a vencer e quando assim é, mais fácil se tornam as coisas, o seu adversário apresentava-se algo macio e sem marcações aos mais influentes jogadores portistas, como se viu no 1º golo em que Falcão, no coração da àrea, incrivelmente não tinha ninguém a seu lado num raio de 10 metros, o que me parece um absurdo.
   Depois, o jogo partiu um pouco, mas exceptuando um remate ao poste do Olhanense, pareceu-me sempre masi evidente o 2º golo do Porto que o empate e esse golo acabou por surgir num momento chave, mesmo em cima do minuto 45, o que conferiu a desejada tranquilidade portista para o intervalo.
    Na 2ª parte, tentou reagir o Olhanense, mas continuava a dar muito espaço a um Porto que tirou o pé do acelerador, o jogo esse endureceu e Pedro Henriques não teve mão e quando parecia que o jogo ía ficar assim, uma transicção rápida do Porto desfez todas as dúvidas, com Hulk em velocidade a fazer uma assistência perfeita para Falcão, novamente sozinho no coração da área adversária a empurrar para o 3 a 0 final.
  Pela positiva, a veia goleadora de Falcão e a atitude do Porto em campo, pela negativa, a diferença de atitude dos jogadores do Olhanense em relação ao outros jogos.
Pedro Henriques teve uma actuação muito negativa, quer no capítulo disciplinar, quer no técnico, incrível a forma como apenas mostra amarelo em 2 situações semelhantes, de Álvaro Pereira a Miguel Garcia e depois Guga a Tomás Costa, aquilo é atirar o braço contra a cara dos adversários sem pensar em bola, logo, são agressões e a perdoar ainda o vermelho a um jogador do Olhanense por uma entrada feia e duríssima a Guarin. Técnicamente, incrível a forma como ignora o puxão de Bruno Alves a Rabiola, em que o tira da sua frente e o faz sentar no chão e isto tudo com Pedro Henriques a olhar para o lance a pouco mais de 10 metros, ou seja, ele viu, apenas não quis marcar, poderia ser o 1-2.
RESTANTES RESULTADOS: Braga 2 Setúbal 0; Nacional 2 Guimarães 0; Académica 2 Marítimo 4; Leixões 3 Leiria 2; Naval 3 Rio-Ave 2.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

SEMANA EUROPEIA - Tragédia grega em noite desinspirada.

--- Foi uma semana europeia de má memória para o Benfica, ao perder na Grécia, local de más recordações, de resto, uma perfomance de resultados positivos para as equipas lusas.
AEK ATENAS 1 BENFICA 0 - Um jogo algo estranho de comentar, não me pareceu que o Benfica jogasse assim tão mal, como também esta equipa grega, me pareceu uma equipa perfeitamente ao alcance de um Benfica normal, então porquê de tão mau resultado? Pareceu-me que houve 3 factores fundamentais: Uma equipa mais desligada entre sectores do que é normal, falta de eficácia nas muitas situações de finalização criadas e um guarda - redes adversário como uma exibição perfeita.
   Teve um bom princípio de jogo o Benfica, dominando completamente o seu adversário em todas as zonas do terreno, com uns 20 minutos inicias em que falhou essencialmente o último passe na área adversária, ante uma equipa fechadinha e com nítida intenção de contra - ataque, onde  se destaca neste período um remate forte de Di Maria ao poste.
   Mas, como nesse período de domínio não houve mossa, o AEK foi acreditando que era possível ganhar, isto porque este Benfica não se mostrava tão capaz como noutras alturas e começou a acercar-se da baliza de Júlio César com mais perigo e curiosamente, foi num lance de bola parada em que o Benfica costuma marcar muitos golos, que desta vez o sofreu, com culpas para os centrais encarnados que não atacaram a bola.
   Foi um castigo demasiado pesado para o Benfica, se é verdade que os encarnados não justificavam estar a ganhar ao intervalo, também não me pareceu que o seu adversário o merecesse.
Na 2ª parte, entrou novamente melhor o Benfica, aliás, neste período, os gregos praticamente abdicaram do ataque planeado, tentando apenas aproveitar-se da ansiedade que se ía apoderando dos jogadores encarnados, à medida que o tempo passava, depois, bom, depois, começou um autêntico festival de grandes defesas do guarda-redes grego, negando sucessivamente o golo a Di Maria, Cardozo, Fábio Coentrão e Weldon, com defesas simplesmente magníficas, aliado a isso, a desinspiração de Cardozo e seus pares, quando conseguiram ganhar de cabeça e de frente para a baliza na área do Aek, mas o tiro saíu sempre para fora do alvo, pelo que a vitória algo injusta caíu para os da casa.
  Destaques pela positiva para o Guarda - redes do Aek, o principal responsável da vitória da sua equipa, pela negativa, a menor inspiração de Ramires, Aimar e Saviola, passaram completamente ao lado do jogo e para a defesa encarnada, onde David Luíz e Maxi Pereira, estiveram longe do seu nível.
A Arbitragem foi no geral boa, apenas dúvidas num lance em que Cardozo me pareceu puxado pela camisola na área adversária e que vê amarelo por simulação, julgo que ficou penalti por assinalar.
SPORTING 1 HERTHA de BERLIM 0 - Não vi quase nada deste jogo, o que vou aqui dizer é aquilo que no fundo vem retradado nos jornais de hoje.
   Atendendo à exibição do Sporting, o último classificado da liga alemã, foi o melhor adversário que lhe podia ter calhado, o qual foi sempre uma equipa sem chama, com muitos passes errados e um ritmo muito lento, o que se estranha numa equipa que tinha a obrigação de se conhecer e de apresentar um outro fio de jogo.
   Começar melhor era impossível, um golo feliz de Adrien, antes de se atingir os primeiros 20 minutos, deveria ser um importante tónico para a equipa de Alvalade e uma rude machadada numa destroçada equipa alemã, mas nem isso teve o condão de acordar o Sporting, na verdade esta 1ª parte, parece que poucos motivos de interesse teve.
  Na 2ª parte, já vi mais do jogo, e pareceu uma fotocópia da 1ª parte, uma jogo sensaborrão, em que os bocejos dos poucos espectadores presentes em Alvalade eram bem notórios. O Sporting quase não criava perigo e as debilidades deste frágil conjunto alemão também pouco ou nada conseguia assustar Rui Patrício, a excepção foi um remate à barra da sua baliza, pelo que não houve mudanças no marcador.
Pela Positiva, o regresso de Tonel à defesa do Sporting, que ganhou capacidade aérea e mais estabilidade e a vitória do Sporting que quase garante o apuramento, bem melhor que a exibição,  pela negativa a má exibição do Sporting e a presença de apenas 16 mil espectadores em Alvalade, algo que merece uma profunda reflexão.
  Arbitragem com muitos erros, perdoando uma expulsão a um jogador alemão por uma entrada violenta sobre Liedson e poupando o Sporting a um penalti cometido por Tonel.
AUSTRIA DE VIENA 1 NACIONAL 1 -  Não vou falar muito de um jogo que pura e simplesmente não vi, apenas o breve resumo que passou na televisão.
   Julgo que um empate fora é positivo, mas que atendendo aos outros opositores do grupo, pode ter comprometido o apuramento para a fase seguinte.
   Parece que a equipa madeirense dominou em muitos períodos do jogo e que a equipa austrieca reagiu bem ao grande golo de Ruben Micael, um nome a ter cada vez mais em atenção. Depois aos 76 minutos o empate da equipa de casa, que foi uma machadada nas aspirações dos portugueses, mas que no fundo, deu justiça ao marcador.
PORTO 2 AT. MADRID 0 - Um jogo de sentido único, embora na 1ª parte o Porto revela-se sérias dificuldades em ultrapassar a frágil defesa dos espanhois.
   Nem sempre jogando bem e muitas vezes previsível, esteve sempre a pairar no ar a ideia que mais tarde ou mais cedo o Porto marcaria, bastava apenas acelerar um pouco mais o seu futebol na linha atacante, o Atlético, esse, lá ía ameaçando devagar, devagarinho em iniciativas normalmente levadas a efeito por Aguéro ou por Forlan, as 2 mais valias desta equipa, Simão esse, se cumpria em termos defensivos, pura e simplesmente não se via em termos ofensivos, denotando uma má forma assinalável, apesar também do mérito de Fucile. O Intervalo chegou com um nulo que no fundo espelhava o que se passava em campo.
   Na 2ª parte, houve claramente mais Porto, as marcações do meio campo madrileno já não eram tão eficazes e o Porto conseguiu dar mais velocidade ao seu futebol, embora nem sempre jogando bem, até que chegou a hora, Hulk versus Falcão, uma dupla terrível no ataque postista, com um bom remate de Hulk e na passada este dá a Falcão que um magnífico calcanhar faz o tão ansiado golo e logo um golo de grande beleza.
   Esse golo desorientou completamente a equipa espanhola e até ao fim do jogo só deu Porto, culminando esse domínio com mais um golo, agora de Rolando, na recarga a um cabeceamento de Bruno Alves.
  Em suma, foi uma vitória justa e importante rumo ao apuramento.
Pela positiva, o grande golo de Falcão, cheio de classe, pela negativa, as debilidades de um At. Madrid, com grandes individualidades, mas um mau conjunto.
Arbitragem regular, com dúvidas num lance eum que Aguero é empurrado na área do Porto, com penalti por marcar e o resultado ainda em branco.
 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista