quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

KATSOURANIS SUSPENSO - CD da Liga, dois pesos e duas medidas

O médio grego, Katsouranis, foi suspenso por um jogo pela Comissão Disciplinar da Liga. Assim, Katsouranis deixa de estar nas escolhas de Quique Flores para o jogo com o Rio Ave da 16ª jornada da Liga Sagres. A suspensão surge na sequência de uma “afirmação difamatória” do jogador dirigida ao árbitro do jogo Benfica – Nacional, Pedro Henriques, no passado dia 22 de Dezembro. Parece que não foi castigo suficiente os pontos perdidos com a aberração da anulação do golo contra o Nacional, vá lá que escapou à punição para o Porto - Benfica, mas temo que possam surgir novidades na próxima semana.
É caso para dizer que de facto a LPFP, que deveria tratar todos os clubes de igual modo, tem no seu conselho de disciplina, dois pesos e duas medidas.
Com o castigo de Katsouranis ficamos todos a saber que os treinadores podem incentivar à violência, chamar os senhores árbitros de incompetentes e colocar em causa que o erro seja humano, que isso meus senhores, não é difamatório e como tal não dá direito a punição!
Deixar impunes, dirigentes que titulam jogos como roubos de catedral, ou treinadores que comentam jogos em que a sua equipa não participa, de forma ofensiva e colocando em causa a idoneidade das pessoas, também não difamatório! Uma pouca vergonha.
Jorge Jesus, Paulo Bento, Jesualdo Ferreira, António Salvador Paulo Abreu, Rogério Alves, só para citar os mais recentes, são assim livres para proferirem as declarações que entenderem, uma vez que segundo o regulamento disciplinar da Liga, as declaraçoes por si proferidas no final de certos jogos, não são difamatórias, parecendo até que são inimputáveis perante a lei
Será que nestas 15 jornadas disputadas, Katsouranis, foi o único jogador que fez declarações contra as arbitragens?
Sinceramente não me parece, há aqui algo de errado, assim como nos sumarissimos, aparece agora uma nova moda para punir os jogadores encarnados, se fossemos por esse caminho, julgo que havia clubes que no final de certos jogos, ficavam sem plantel para a jornada seguinte, mas pronto, cá nos vamos aguentando com mais estas e depois o levado ao colo é o Benfica. Haja pachorra!
Termino com esta espectacular curiosidade: o mais engraçado, é que hoje ficou também a saber-se que o CD da Liga mandou arquivar uma queixa do árbitro Artur Soares Dias relativa a palavras, também consideradas insultuosas, de Derlei. O avançado do Sporting, segundo o árbitro, disse “isto é uma palhaçada”, mas o CD da Liga apenas deu como provado que a frase foi “isto é uma brincadeira”.Tem razão Derlei, na versão CD da Liga: “Isto é uma brincadeira”.
Palavras para quê?

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

MESQUITA MACHADO - Onde estão as revelações bombásticas?

--- Mesquita Machado, demitiu-se de Presidente da mesa da AG da Federação, foi um favor que nos fez, pena tenho que muitos outros que andam à mais de 20 anos a enxovalhar o futebol Português não lhe sigam as pisadas, seria uma forma de regenerar as instâncias que regem o futebol, de preferência com pessoas sem grandes ligações clubísticas.
Mesquita Machado, prometeu fazer revelações bombásticas na sua conferência de imprensa, mas depois de ler atentamente, é caso para perguntar onde estão elas? O que este senhor fez, foi dizer mais do mesmo, sem nada de novo, sem nomes e sem factos, enfim mais um à semelhança de tantos outros que lançou umas coisas para o ar, sem destinatário, sem provas e mais grave deixando ainda mais suspeição no ar, sem a concretizar, digno da inteligência da maioria das pessoas que continuam a gerir o nosso futebol e os nossos clubes.
Diz ele para justificar a sua demissão, que é um protesto contra a pouca vergonha, pois bem, se á coisa que este senhor não tem é vergonha, pois se a tivesse, já à muito se tinha demitido. Como pode um homem que está directamente ligado aos anos negros do nosso futebol, fazer-se agora de santo, como que não fosse um dos contribuintes para o miserável estado de espírito que reina no desporto rei? Sim, porque se o nosso futebol se vem denegrindo ao longo dos anos, obviamente a responsabilidade maior é dos dirigentes que anos a fio andam neste fenómeno, não é com toda a certeza responsabilidade de quem agora chegou.
Mas como pode Mesquita Machado dar tais justificações, quando foi sempre um apoiante de pessoas como Valentim Loureiro, Adriano Pinto e Pinto de Sousa? Como pode apenas e agora estar farto, quando foi um dos que mais pactuo com o sistema e com o actual estado de coisas no futebol português?
De facto, Mesquita nunca foi um exemplo para ninguém, foi sempre um dirigente altivo, de meios pouco idóneos, que quando exerceu funções no Sp. Braga, chegou vezes sem conta a incentivar evasões de campo, tentou agredir Octávio Machado e mais um rol de disparates, sendo caso para dizer, um dos sem vergonha disse adeus, obrigado por finalmente te teres posto a andar.
Quanto às "verdades" que prometeu revelar, disse já ter dito "muitas" e voltou a frisar ter tido "conhecimento de que teria havido influências externas para que o árbitro fosse alterado" no jogo com o Benfica. Prometeu dizer "nomes quando for aberto um inquérito pela Procuradoria-Geral da República", para "não prejudicar essa investigação", mas o curioso disto é que o árbitro que segundo ele deveria ter apitado esse jogo, foi o mesmo que apitou escandalosamente o Braga - Porto.
A minha questão é, sendo ele um dirigente federativo, não deveria defender por igual todos os associados e como tal, ao ter conhecimento de uma possível troca de árbitro, não deveria comunicar o facto antes do jogo e dar conhecimento da situação a ambos os seus filiados?
Pois bem, não o fez e não o fazendo deu a ideia de andar com jogos de bastidores na defesa de um só clube, como tal a Procuradoria deveria investigar a sua conduta na Federação.
Esperamos todos ansiosos para que em sede própria, prove as graves acusações que proferiu após o Benfica - Braga, sob pena de confirmar que é um mentiroso compulsivo, mas mais importante ainda, que explique bem a todos os contribuintes, a que contas bancárias foram parar as derrapagens financeiras da construção do estádio Axa, facto que ainda não explicou.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

1ª VOLTA DA POLÉMICA - Há que credibilizar o futebol

---Terminou a 1ª volta, toda ela manchada por péssimas arbitragens com clara influência em muitos resultados, com declarações irracionais dos mais variados agentes do futebol, desde presidentes de clubes a treinadores.
Julgo que não é esse o futebol que queremos, os erros vão sempre existir, assim como as más exibições das nossas equipas, mas o problema desta vez é que os erros foram imensos e como eu não me lembro de ver, contudo, quer acreditar que os erros são humanos.
Não quero aqui discutir quem foi mais ou menos prejudicado, acho que neste momento nada disso interessa, a intenção deste post é discutir com os meus amigos formas de melhorar e credibilizar o futebol, afinal de contas um desporto que todos gostamos.
As mais variadas reacções a que temos assistido dos mais altos agentes do futebol, são elas mesmo, descredibilizadoras e incendiárias do nosso desporto, até porque nós que discutimos na blogoesfera, podemos afirmar certas barbaridades, pois a nossa responsabilidade é nula e as suas repercussões também, já esses agentes do futebol, têm que medir o que dizem, são eles que têm ou deveriam ter interesse em vender este fenómeno desportivo, são eles que em 1ª instância o devem querer ver credibilizado. Acontece porém, que o caminho por eles tomado é de si, completamente errado, o histerismo que transmitem para a opinião pública pega e como tal, o que nos é transmitido é que aquilo a que vamos assistindo não passa de uma mentira e se é uma mentira, de facto, como diz Vítor Pereira, então não vale a pena ir ao futebol. Julgo mesmo que infelizmente, está adoptado na maioria dos clubes como estratégia, atacar e descredibilizar o sector da arbitragem, como forma de conseguirem muitas vezes sobreviver nos seus lugares, intranquilizarem os árbitros e daí tirar dividendos, ou seja, todos nos apercebemos facilmente a táctica de quem chora, mama e é precisamente isso que é preciso acabar, a estratégia dos clubes, não pode ser essa.
Julgo também, que esta descredibilização da arbitragem não é de agora, isto é sim, um acumular de situações que se vêm cimentando a longo dos anos, mesmo antes dos processos apitos dourado, com nítidos reflexos numa opinião pública cada vez mais desgastada e farta destas fantochadas.
Então o que é preciso mudar? Em primeiro lugar julgo que é preciso mudar o compadrio e os interesses instalados, de uma vez por todas, há que fazer chegar à primeira categoria os melhores árbitros e não os primos, os afilhados e o amigo do amigo, só assim se consegue competência, depois e não menos importante, há que mudar as mentalidades de todos os agentes desportivos, saber se querem ou não a verdade, é que por vezes chego a duvidar que quem está à frente os clubes e das federações o queira parece mesmo que se sentem bem e apenas sabem viver neste estado de coisas, o que é muito grave.
Perguntam vocês, então como mudar essas mentalidades que se foram instalando e deteriorando ao longo de vários anos? A resposta é complicada, mas acho que de uma vez por todas, os discursos para o exterior têm de começar a ser de compreensão, moderação e mesmo quando se critica um arbitro, fazê-lo, mas sem por em causa a idoneidade, ou seja, o discurso tem de ser menos inflamado, mais racional e construtivo, dando mesmo soluções, é que dá a sensação que por vezes os clubes se esquecem que se regem pelas regras por eles criadas no seio da Liga Portuguesa de Futebol Profissional e se as coisas estão como estão, a responsabilidade é em 1º lugar dos próprios clubes, os quais decididamente não querem um regulamento duro e disciplinador, não querem uma arbitragem autónoma, fora dos órgãos da liga e da Federação, e não querem terminar com o fenómeno dos empréstimos de jogadores a equipas que disputam o mesmo campeonato e que ajudam a alimentar a suspeição, algo só compreensível porque se quer continuar com jogos de bastidores.
Posto isto e um pouco de acordo com aquilo que comentou e bem o Carlos Silva neste espaço, o Desporto e Lazer online, visando dar um contributo diferente ao futebol, vai passar a comentar mais os jogos em si e menos as arbitragens, não deixo de mencionar os seus erros, mas há que começar a dar maior incidência ao jogo propriamente dito, julgo que se esse princípio fosse adoptado por quem vive no e do futebol, a sua imagem seria diferente, ele será melhor vendido, teria mais gente nos estádios. Aliás, parece que a ausência de espectadores não preocupa ninguém, será que ainda ninguém se apercebeu que os discursos para o exterior retiram milhares de adeptos dos estádios? Será que é assim tão complicado devolver o futebol ao povo e às famílias, pondo-o a ser jogado à tarde, mesmo que com transmissões televisivas um pouco à semelhança da Inglaterra? Parece-me sim, que os interesses instalados não o querem, mas de uma vez por todas há que decidir quem manda no futebol, se quem o dirige se quem o patrocina, se calhar havia mais força para impor as suas regras, se os dirigentes vendessem melhor o Futebol.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

COMO SE GANHA A HEGEMONIA NO FUTEBOL - O desabafo de um portuense

---- Para quem vive no Porto, como eu, conhece toda esta gentinha. Vivem e sonham com a grandiosidade do SL Benfica. Graças a discursos inflamados, desde o tempo do falecido Pedroto, criaram um fundamentalismo doentio que visa abater o Benfica. Colocam emissários em todo o lado: aparelho judicial, política, jornalismo, etc...Mas a verdade é como o azeite, um dia virá à tona... E quão magnífico será esse dia!
Esta frase não é minha, é feita por alguém que vive naquela cidade e conhece os visados. Fica à vossa consideração.

CAMPANHA ELEITORAL EM ALVALADE - A MÁ IMPRENSA

--- Acusei aqui o Rogério Alves e o Paulo Abreu, ilustres sportinguistas de campanha eleitoral depois de tanto terem abordado o Benfica - Braga, falando coisas incríveis, tais como ter sido um roubo de catedral e de o Benfica estar sempre a ser levado ao colo.
Acusaram-me alguns, de estar a ser injusto e cruel e que é natural que quem luta directamente pelo título com o Benfica, ter direito a indignação e que isso não significa campanha eleitoral.
Pois bem, parece que mais uma vez, o tempo me vem dar razão, pois volto a afirmar que foi um puro acto de campanha eleitoral e que falar mal do Benfica dá imensos votos no seio dos sócios sportinguistas e digo que tenho razão pelos simples facto de após este Braga - Porto, os tais senhores terem mantido absoluto silêncio. Já não estão indignados? Este jogo foi para eles normal? Será uma questão de futura aliança? Ou será apenas falta de coerência? Ou então tenho mesmo razão.
Pois bem se alguém ouviu alguma reacção de incredulidade destes senhores que me avise, posso ser eu que estou distraído.
Outro assunto engraçado: Os sportinguistas e até com razão estão indignados pelo facto de no jornal " A Bola", ter saído o seguinte título: " Miguel Veloso quer sair já em Janeiro do Sporting", mais palavra menos palavra. Esta noticia foi prontamente desmentida pelo próprio jogador, se bem que no inicio da época manifestou publicamente essa mesma vontade.
Pois bem, esta noticia constitui no universo sportinguista uma clara tentativa de desestabilização, e mais uma vez a velha teoria de vitimização, que tão bons frutos tem dado, como se fossem os únicos alvos da imprensa e o Benfica ser a equipa da boa imprensa.
Então que dizer do aproveitamento do jornal "Record", que titulou após uma brincadeira num encontro com crianças da escola , em que Katsouranis em resposta a um menino de 8 anos, que lhe perguntou o que lhes dizia o treinador para eles marcarem mais golos na 2ª parte dos jogos? Rindo e entrando na brincadeira com os miúdos, Katso respondeu, no intervalo ele fala mal de nós, e voltou a rir. Qual não foi o espanto, quando nesse jornal saiu o seguinte título " Katsouranis diz que ao intervalo o treinador fala mal dos jogadores", eu pergunto, qual a diferença?
Não me venham agora com a treta das declarações de Quique, as quais condeno, após o jogo do Restelo, pois o cu não tem a ver com as calças, esse tipo de declarações a criticar a atitude deste ou daquele jogador, foram já feitas por todos os treinadores, desde Jesualdo Ferreira a Paulo Bento.

domingo, 25 de janeiro de 2009

LÍDER POR LINHAS TORTAS - A pressão resultou

-- Para não variar, assistiu-se a mais uma jornada cheia de casas, a pedido de Jesualdo, foi paga uma factura, apenas se desconhece se desta vez o destino será o Brasil.

A pressão efectuada após o Benfica - Braga, resultou em cheio, no Restelo, Elmano Santos na dúvida, optou sempre pelo Belenenses, em Braga foi o que se viu, e se calhar quando falou na máfia, António Salvador estava a falar no futuro e não no passado, mas Jorge Jesus, por sua vez, não falou na sua carreira com mais de 20 anos.
BELENENSES 0 BENFICA 0 - Um jogo muito disputado, num terreno complicado, com um Benfica a entrar melhor no jogo, se contudo materializar a sua superioridade, num entanto aos poucos os homens de Belém foram equilibrando as operações, num jogo em que as oportunidades eram escassas. Mas no Benfica voltou-se a notar a terrível incapacidade da equipa em conseguir exercer pressão sobre o adversário, com a equipa a lutar é verdade, mas com um nível futebolístico muito insuficiente, faltando presença na área e maior rapidez nas transicções ofensivas. Nesta 1ª parte, o destaque vai para um lance aos 17 minutos que podia ter mudado o jogo radicalmente, Suazo isola-se na meia lua, quando surgia isolado para a baliza, é abalroado por um defensor do Belenenses, ficando um livre perigoso por marcar e consequente expulsão do defesa, a questão é, contra dez durante 70 minutos, o jogo seria ou não diferente?
Na 2ª parte, mais do mesmo, embora me pareça que o Benfica melhorou com a saída de Aimar, em claro défice fisico e futebolístico e a entrada de Nuno Gomes, o qual ofereceu muito mais dinamismo no ataque. Contudo o Benfica tinha imensas dificuldades em furar a boa muralha defensiva do Belenenses, que em rápidos contra - ataques, ia causando dificuldades à defesa encarnada, principalmente após a expulsão de Miguel Vítor, o qual no lance do 2º amarelo, demonstrou alguma ingenuidade, mas como disse em relação a uma expulsão de Daniel Carriço, aceitando a mesma, julgo que poderia ter imperado um pouco mais de bom senso.
Nota para as descabidas declarações de Quique Flores, batendo em vários jogadores publicamente, com tudo o que isso tem de negativo, as criticas a Reyes, parecem-me descabidas, mas ao fazê-las, estas teriam de ser feitas em privado e nunca na praça pública, é assim que se perdem balneários e julgo que esta na hora do treinador encarnado, em vez de andar sempre a culpabilizar os jogadores pelas derrotas, devia era assumir as suas responsabilidades como líder do grupo e elas são muitas, com quase 7 meses de trabalho, Quique ainda não conseguiu colocar um onze base em dois jogos seguidos e com a qualidade das individualidades que existem nesta equipa, a verdade é que ele não conseguiu ainda pôr a equipa a jogar um futebol aceitável e constante, aí as culpas não podem ser só dos jogadores. A ver vamos as repercussões que as suas declarações, mas principalmente a sua ausência de auto responsabilização, vão trazer no seio do plantel.
Elmano Santos sem ter estado muito mal, nos lances de maiores dúvidas, optou sempre por não assinalar, receoso que fosse ferozmente criticado como outros árbitros nos jogos do Benfica, fez além de tudo uma arbitragem com medo, em que o seu grande erro foi aquele que falei mais atrás.
Nacional 1 Sporting 1 - Não vi esse jogo, na altura estava a ver o Sc Linda - a - Velha, em infantis, onde o meu puto fez um Poker ( é apenas uma referência e um pai babado), por isso vou comentar o jogo com base e imagens e no que li, sem bem que não gosto muito de comentar o que os outros escrevem em jornais, pois por vezes arece-me que existe alguma falta de isenção.
Contudo, pareceu-me que o resultado se aceita, num jogo que dizem ter sido bom, mas também ele muito mal arbitrado, com mais beneficio para o Sporting que para o Nacional, isto se atendermos que o lance com maior influência foi a não expulsão de Rochemback aos 15 minutos da 1ª parte, por uma nítida agressão com uma cotovelada num adversário. Pergunto, será que vai haver sumarissímo? Duvido, até agora só tem havido para o Benfica.
Destaque no jogo para o golão de Néne, cada vez mais um avançado em grande na liga portuguesa, com um chapéu fantástico a um Rui Patrício muito adiantado, depois o penalti falhado e que me deixou algumas dúvidas, fiquei com a clara sensação de aproveitamento do avançado do Nacional de um ligeiro contacto de Abel, ao ser concretizado, dificilmente o Sporting iria conseguir sair da Madeira com um empate, por isso fez-se justiça no falhanço, já o golo de Liedson foi bem anulado, ele está ligeiramente adiantado, mas está, pouco ou muito é fora de jogo.
Vuckevik, marcou pela 4ª vez seguida, o que denota a importância que este jogador vem ganhando na equipa de Alvalade, espero e julgo que não é nada de grave o que se passou com ele.
Não posso acrescentar muito mais a este jogo, que pelo que me foi dado a conhecer, teve um resultado justo.
BRAGA 0 PORTO 2 - Apesar de ter de reconhecer que a equipa portista é sem margem para dúvidas, aquela que mostra mais ambição e vontade de vencer, o certo é que neste jogo teve a preciosa colaboração de Paulo Costa e seus pares, o arbitro portuense, fez o favor de oferecer de bandeja dourada, uma vitória com um apito ainda mais dourado, mas claro que este jogo não terá as proporções de escândalo que outros tomaram, mas se fosse o Benfica? Aí Jesus, caía o carmo e a trindade, assim Jesus, criticas suaves, que a gente precisa do Alan e do Renteria.
Foi um jogo disputado a bom ritmo, com o primeiro golo a ser falso, com toda a influência que esse lance tem no resto da partida, depois Moisés, qual profeta da bondade suprema, oferece a Lizandro o 2º golo. Com 0 a 2 ao intervalo, julgava-se impossível a reacção minhota, mas eles reagiram, só que quando em campo está uma terceira equipa determinada em colocar uma equipa na liderança, eis que Paulo Costa no seu melhor, não quis ver um claro derrube de Helton ao avançado do Braga e no minuto seguinte, fez vista grossa a um corte mais que nítido com o braço de Guarin, 2 minutos e 2 penaltis escomateados ao Braga.
No final do jogo, esperava ansiosamente que Jesualdo Ferreira, à semelhança dos comentários do Benfica - Braga, fosse critico para com Paulo Costa mas para meu espanto nem uma referência.
Espero sinceramente, pela queixa-crime de António Salvador a este homem de apito dourado e por nova deslocação do Presidente bracarense a Itália, para uma consulta mais precisa do local em Portugal onde está instalada a máfia, da qual ele se encontra em sintonia clara, com fortes laços de amizade.
Restantes resultados: Setúbal 0 Naval 1; Trofense 1 Paços 3; Estrela 2 Rio-ave o e Marítimo 0 Leixões 0. Uma palavra para os profissionais do Estrela, os quais têm sido brilhantes no seu comportamento, ante uma direcção de gente sem escrúpulos em que o minímo que devia fazer se tivessem vergonha era deixar o poleiro para quem tenha vontade de honrar este clube.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

SALVADOR O SACRISTÃO DO PAPA - O servo que presta justa vassalagem

--- Surgiram nas ultimas horas noticias dignas de comentar, começo pelo novo servo do futebol português, qual sacristão do Papa Pinto da Costa, de facto, não podia haver melhor porta - voz, até porque é justo que assim seja, tais os favores que têm sido prestados ao S.C. Braga.
Pelo hesterismo ridículo e evidente a cada dia que passa, com reacções absurdas e já sem qualquer tipo de escrúpulos, estou plenamente convencido que existe um campanha bem orquestrada em marcha que visa descredibilizar o Benfica, campanha movida por pessoas assustadas com a possibilidade não só do êxito imediato do Benfica, como também da possibilidade evidente da recuperação da hegemonia no futebol nacional.
Salvador, vem hoje dizer coisas espantosas, ainda indignado com a arbitragem na luz, se na verdade lhe reconheço o direito à indignação, julgo que há limites para tudo, embora a sua proximidade às suas novas fontes, lhe permitam ter um maior conhecimento da realidade existente há muito tempo no futebol português.
Vem este servo, dizer que esteve esta semana em Itália e que lá lhe disseram que pensava que a máfia estava lá, mas que depois de verem o jogo da Luz, parece que afinal ela passou para Portugal. Julgo que António Salvador, devia explicar melhor e sem mentiras, até porque como todos sabemos ele não saiu de Portugal, talvez tenha é estado no Porto e naturalmente sentiu-se como se estivesse na Secilia, aliás, julgo que o Presidente bracarense, chegou à conclusão que todos há muito havíamos chegado, pelo facto de agir em estreita colaboração com o FC Porto, daí ter-lhe sido muito fácil perceber que a Máfia estava em Portugal e de como ele estava tão próximo dela, nada mais natural.
Salvador vem ainda dizer algo que não me apanhou de surpresa, "O apito dourado continua bem vivo em Portugal", ele desde que estreitou a sua relação com um dos clubes condenados por corrupção, sabe melhor que nunca aquilo que diz, pois a sua proximidade com os seus autores é por demais evidente.
Como bom sacristão do Papa, o qual é obrigado a estar calado por força do seu castigo por tentativa de corrupção, nota-se perfeitamente que este senhor, acedeu de bom grado a ser o seu porta voz, no sentido talvez de desviar as atenções para o julgamento do seu patrão, que irá decorrer em Março, ou então por pura chantagem, do género, sê bom servo ou na próxima época não empréstimos, devo mesmo dizer que antes de ler o que disse Salvador, julgava que o Porto iria ter um jogo muito complicado em Braga, depois de o ouvir, julgo que se tratará de um mero cumprir de calendário.
Por falar em empréstimos, julgo ser um caso de sério debate desportivo, estranho mesmo que se fale tanto de arbitragem, mas os nossos atentos jornalistas, não falem desta questão pertinente, a qual é sem dúvida uma forma de falsear a verdade desportiva.
Há um clube em Portugal, com cerca de 20 e tal jogadores emprestados a clubes que com ele disputam o campeonato, o que pode dar azo a muitas especulações, não quero enveredar pelo caminho fácil da suspeita do género, vê lá, facilitas os nossos jogos e na próxima época tem mais uns quantos emprestados, caso contrário, já sabes, mas esta suposição é legitima, sendo urgente que se criem regras rigorosas a esse nível, as quais podem seguramente passar por um de duas alternativas: Ou pura e simplesmente não se pode emprestar jogadores equipas que disputem o mesmo campeonato, ou então criar o limite de apenas se poder emprestar um jogador por clube, a equipas que disputem o mesmo campeonato. Julgo que assim a verdade desportiva ficaria mais salvaguardada.
Estalou a bronca na Taça da Liga, ao que parece, o regulamento está mal redigido e da forma com está redigido e levando à letra, o Belenenses é o clube apurado para as meias finais, num entanto segundo a interpretação da LPFP, o Guimarães é o apurado.
Ou seja, o 1º factor de desempate, diz que passa a equipa com melhor Goal-average, o que é diferente de dizer que passa a equipa com maior diferença entre os golos marcados e sofridos (desculpem a minha ignorância, eu julgava que era a mesma coisa, mas não é). Passo a explicar: O goal Average, trata-se de apurar o coeficiente entre os golos marcados e sofridos, ou seja o Belenenses tem 2 a 1 em golos, segundo esse coeficiente que é calculado com a divisão entre golos marcados e sofridos, (2:1 = 2), o Guimarães tem 3 a 2 em golos, segundo esse coeficiente (3:2=1,5), logo o Belenenses passaria por esta regra que está escrita. Pois bem a Liga, defende que se aplica o senso comum do goal average, ou seja a diferença entre golos marcados se sofridos, e como o 2º critério de desempate é o maior nº de golos marcados, passa o Guimarães.
A verdade é que os regulamentos não podem ser feitos baseados no senso comum, mas sim na lei e na minha opinião, conta o que está escrito e aí a razão assiste ao Belenenses que não tem culpa da incompetência da liga.
Outro assunto que suscita grande interesse em Portugal é a candidatura Ibérica, Portugal - Espanha, para a organização do Mundial de 2018. Confesso que também eu gostaria à luz do coração de assistir a um evento desta natureza no nosso País, quem não tem ainda fresco na memória o fantástico Euro2004? Mas a verdade é que não me parece que Portugal esteja preparado para um encargo desta índole, independentemente das muitas estruturas já criadas, mas sabemos bem qual o nível de exigência da FIFA e não estamos como País em condições mínimas de megalomanias, ainda para mais sabendo de antemão que nem a abertura nem a final serão realizados em Portugal, o que por si só me faz ter sérias reservas quanto a esta candidatura conjunta.

domingo, 18 de janeiro de 2009

TAÇA DA LIGA - Benfica e Sportng aguardam Porto.

--- Disputou-se este fim de semana, a última jornada da fase de grupos da Calsberg Cup, onde Benfica ou Sporting aguardam pelo sorteio, para ver qual deles recebe o Porto, uma vez que ao serem os melhores 1ºs classificados, garantiram a vantagem de disputar a 1/2 final em casa.
BENFICA 1 BELENENSES 0 - Bateu-se neste jogo o recorde de assistências nesta triste prova, numa bela tarde, mais de 35.000 pessoas deslocaram-se à Luz, para assistirem a um jogo pobre de futebol.
Jogado sempre em toada lenta, Benfica levou a melhor sobre a turma do Restelo com um bom golpe de cabeça de Katsouranis ainda durante a 1ª parte da partida, numa altura de algum domínio de jogo, embora sem grandes oportunidades de golo.
Apenas assisti aos primeiros 15 minutos da 2ª parte, uma vez que também eu entrei em acção na minha futebolada semanal, mas v o resumo e sei que houve um protagonista que não o devia ser, chama-se Bruno Paixão e este senhor voltou a demonstrar porque não devia ser internacional, tal a sua falta de qualidade. Neste caso não foi o Benfica o beneficiado, mas sim o Belenenses o prejudicado e para os mais atentos e que estão por dentro das regras desta competição, percebem porque razão digo isto, é que mesmo perdendo até 2 golos de diferença, o Benfica seria sempre apurado, independentemente do que acontecesse nos jogos de hoje e o empate bastaria para ser 1º do Grupo, com a má decisão de Paixão ao anular um golo limpo ao Belenenses aos 89 minutos, com um super frango de Moretto, o Belenenses foi impedido de ser o melhor 2º classificado, passando assim o Guimarães às meias-finais.
Mas a equipa de arbitragem teve na minha opinião, mais um erro grave, ao assinalar um fora de jogo inadmissível, quando Suazo caminhava isolado para a baliza do Belenenses, com fortes probabilidades de fazer o 2 a 0. No lance entre Moretto e Marcelo, é no mínimo ridículo querer transformar em penalti num lance em que o Guarda-Redes salta para apanhar a bola e o avançado do Belenenses se baixa, sem sequer esboçar uma tentativa de salto, impedido a intercepção da bola. Para os que defendem penalti, deixo a pergunta: Quando um defesa salta para cabecear a bola e o avançado se baixa, o que devem os árbitros assinalar? Falta atacante, pois claro, a não ser que as regras mudem quando é com o Benfica.
PORTO 1 ACADÉMICA 0 - Mais um jogo com muito pouco público, numa noite fria na cidade invicta, numa partida em que a 1ª parte foi sempre disputada a um ritmo muito lento e praticamente sem ocasiões de golo, embora a Briosa estivesse melhor no jogo.
Na 2ª parte, o ritmo aumento ligeiramente, com o Porto a fazer uma maior pressão sobre o homem da bola, facto esse que foi tirando clarividência aos homens da Académica, mas a verdade é que o jogo continuava aborrecido e sem ocasiões de perigo, até que um lance infeliz de Luis Nunez, central da Académica, coloca o Porto em vantagem. Esse auto-golo deu confiança à equipa da casa e fez com que os homens de Coimbra baixassem os braços, sendo a ultima meia - hora de completo domínio portista, que só não ampliou a vantagem por algum desacerto na finalização, como no cabeceamento se Sapunaru ao poste.
Hoje com a derrota do Nacional, o Porto ficou em 1º lugar, o que lhe garante o acesso às meias-finais, mas tem de jogar fora, uma vez que foi o 3º melhor dos primeiros classificados.
Boa arbitragem de Carlos Xistra, um jogo em que os jogadores facilitaram a sua missão.
SPORTING 5 P. FERREIRA 1 - Um jogo agradável, numa Alvalade completamente despida de público, seguramente não mais de 5 mil pessoas, o que demonstra bem o interesse desta competição, como já disse, ponham os jogos desta competição aos fins de semana à tarde com bilhetes de família a preços simbólicos e mais público haverá.
A 1ª parte não foi muito bem jogada, lenta, com maior ascendente do Sporting, mas com alguns lances perigosos de contra-ataque do Paços, mas quando todos se preparavam para recolher às cabines, um frango enorme de Cássio, possibilitou a Liedson o 1º golo do seu hattrick na partida de hoje.
a 2ª parte, começou com o 2º golo do Sporting e de Liedson, era impossível pedir melhor, um golo a fechar a 1ª parte e outro no início desta 2ª parte. Mas a verdade é que os pacenses reagiram muito bem, foram para à frente e reduziram o marcador numa recarga de Cristiano, após remate ao poste de Rui Miguel. Com esse golo o Paços acreditou e durante os 5 minutos seguintes criou vários calafrios ao último reduto sportinguista, até que apareceu Izmailov, com um grande golo que derrubou por completo a reacção do adversário.
A partir deste grande momento em Alvalade, só deu Sporting, com Vuckcevic e Liedson a fecharem a contagem, ficando ainda mais golos por marcar.
Em suma foi uma exibição boa do Sporting, com boa arbitragem de Duarte Gomes, em que também os jogadores ajudaram.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

ULTIMAS DA NOSSA PRAÇA - Da detenção de Grimi ao adeus de Léo.

Nem só de futebol jogado se viveu esta semana, vários acontecimentos como sempre vão marcando a actualidade desportiva nacional.
No caso especifico do Benfica, fica marcado pelo emagrecimento do plantel, a rescisão por mútuo acordo com Léo, a quem fica aqui o meu reconhecimento pelo empenho e profissionalismo demonstrados ao longo das épocas em que defendeu as cores benfiquistas. A sua conduta é reconhecida pelos benfiquistas e adversários, como de grande categoria futebolistica, profissionalismo, sendo um jogador sempre com um discurso seguro na defesa dos interesses da equipa, nunca se envolvendo ou semeando polémicas, mesmo quando a renovação do seu contrato parecia não ser possível.
Julgo que a sua saída não se deveu única e exclusivamente aos problemas familiares que são do conhecimento de todos, embora essa situação tenha o seu peso, fico com a clara sensação que pura e simplesmente este jogador nunca entrou nas contas de Quique Flores, facto que me causa estranheza, até porque na minha opinião estávamos na presença do melhor lateral esquerdo a actuar em Portugal, mais um tiro no pé.
Ainda no Benfica, Makukula foi emprestado ao Bolton da liga inglesa, uma liga que me parece ser adequada às suas características, num negócio de empréstimo por uma época, em que o Benfica recebe 700 mil euros e o Bolton fica com a opção de compra no valor de 5 milhões de euros. Parece-me ser um bom negócio, até porque se o Bolton concretizar a opção de compra, o Benfica não só recupera o investimento, como ainda gera 1 milhão de lucro. Eu confesso, que fui um defensor da sua contratação na época passada, embora tenha achado um exagero aquilo que o Benfica pagou ao Sevilha, mas tenho de reconhecer que foi uma má compra, pois o jogador pareceu-me muito limitado.
No Sporting, o destaque vai inteirinho para o lateral esquerdo argentino Grimi, que foi detido pela PSP esta madrugada por ter acusado 1,24 de álcool no sangue, na zona das Docas, em Lisboa,facto esse que ao abrigo do código da estrada constitui crime. No entanto, o jogador já treinou esta manhã com os seus companheiros. Salema Garção, director de Comunicação do clube de Alvalade disse à Rádio Renascença que “o assunto está a ser tratado internamente”.
Já no Porto, as noticias ficam marcadas pela contestação do clube pelo facto da LPFP, ainda não ter feito a entrega do troféu respeitante ao anterior campeonato, facto esse que é estranho e já começa a pecar por tardio. Nunca consegui perceber, porque razão em Portugal o vencedor do campeonato, não recebe o seu troféu ou na última jornada da época do título, ou na 1ª da época seguinte, assim estas polémicas acabavam de uma vez por todas. Já que a liga puniu o Porto de modo a não lhe retirar o título, então tratem lá desse assunto de uma vez por todas se faz favor.
Outro facto que tem sido noticia de última hora è a contestação generalizada ao formato da Taça da Liga, com a última jornada da terceira fase em horários diferentes, ao contrário do habitual em outras competições, levanta críticas de alguns treinadores ainda envolvidos na prova. Manuel Machado (Nacional), Paulo Sérgio (Paços de Ferreira), Domingos Paciência (Académica) e Lori Sandri (Marítimo) criticam o actual modelo da competição e afirmam que a realização de jogos em horários diferentes prejudica o espectáculo, podendo, inclusive, desvirtuar a verdade desportiva.
Tenho de reconhecer a razão dos contestatários, o interesse das televisões não pode ser superior aos interesses desportivos, sendo uma autêntica vergonha que os jogos da última jornada, ao contrário das outras competições, não seja disputada à mesma hora.
Como sabe sou também eu um contestatário desta competição, uma vez que ela nada trouxe de novo ao futebol português e se na verdade como disse Herminio Loureiro, esta prova foi concebida a pensar nos clubes pequenos, então não se percebe porque razão são os grandes que têm 2 jogos em casa nesta fase de grupos, se foi para os ajudar financeiramente, então pode-se considerar um falhanço, pois as parcas assistências falam por si, gerado mais despesas que receitas aos clubes.
Das duas umas, a continuar assim mais vale acabar com esta prova, ou então cria-se nela incentivos, os quais podem passar pelo direito a um lugar na Taça Uefa, à semelhança da Taça de Portugal e da Taçada Liga inglesa e como forma de atrair mais público aos estádios, que tal devolver o futebol às famílias, com jogos nos fins de semana à tarde com bilhetes de família a preços simbólicos?
Para finalizar, a semana ficou ainda marcada pela enorme onda de contestação à abitragem de Paulo Baptista no Benfica - Braga, a blogoesfera foi evadida por sportinguistas e portistas ferozes nas acusações a esta arbitragem. Sendo asim, aqui ficam algumas imagens dedicadas a todos aqueles que tanto criticaram Paulo Baptista e apelidaram de escândaloso o penalti de Luisão:
e outras imagens que mostram exemplos da razão porque foram condenados por corrupção pela branda justiça desportiva nacional:

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

TAÇA DA LIGA - Benfica e Sporting na meia-final.

--- Volto a referir que das 3 competições nacionais, esta é aquela que menos interesse me desperta, por várias razões, porque julgo que o modelo está mal feito, uma vez que sendo esta uma prova a pensar nos clubes mais modestos, é feita com um calendário que beneficia e muito os grandes clubes, porque não cativa o interesse do público como se verifica pelas parcas assistências. Num entanto, julgo que se fosse introduzida nesta liga um lugar na Taça Uefa para o seu vencedor, tal como se faz em Inglaterra, poderia cimentar à prova um maior interesse.
Mas houve jogos e como tal há que falar neles, abrindo aqui desde já uma excepção ao jogo do Nacional-Porto, que não vou comentar pelo simples facto de nada ter conseguido ver, tal o nevoeiro, julgo apenas que é inadmissível deixar que se realize um jogo de futebol nestas condições. O Nacional venceu 2 a 1, não sei se bem ou mal, mas ainda bem que ganhou.
O Benfica venceu o Olhanense na Luz por 4 a 1, num jogo engraçado, com alguns bons momentos de futebol e julgo eu, não tenho bem a certeza, sem casos, talvez algumas pessoas tenham sei lá, conseguido ver ali meia dúzia de penaltis e 3 ou 4 expulsões para jogadores do Benfica, para além da nomeação do árbitro talvez ter sido trocada à última da hora, até porque Mesquita Machado, foi só o Presidente da A.F. de Braga, é Presidente da Câmara daquela cidade, e como tal insuspeito, não é verdade? Ele apenas frisou que não consegue provar aquilo que afirma, normalmente é o que acontece aos mentirosos que não conseguem fazer prova da mentira.
Mas adiante, vamos ao que interessa, num jogo em que o Benfica aproveitou para dar minutos a alguns jogadores fazendo-os alinhar com alguns titulares e que fica invariavelmente marcado pela presença na Luz, daquele que para mim foi o melhor jogador do mundo de sempre DIEGO MARADONA, quiçá, Inspirado por este Deus da bola, Di Maria marcou um golo fantástico, o que me leva a dizer que Maradona seria um grande reforço de Inverno para o nosso Angelito, assim o seleccionador argentino não deu o seu tempo por mal empregue e Di Maria tantas vezes criticado, marcou pontos para ser chamado com regularidade à selecção Argentina.
Foi um jogo em que o Olhanense dignificou em muito a vitória do Benfica, jogando solto, sem receios e procurando também ele marcar, num entanto o Benfica respeitou o adversário, encarou a partida com seriedade e como tal mostrou em campo a sua natural superioridade vencendo de forma justa um digno adversário, com golos de Nuno Gomes, Jorge Ribeiro, Sidnei e Di Maria e de Toy para os algarvios.
O Sporting venceu em Vila do Conde o Rio-Ave por 1 a o, com um golo duplamente irregular, uma vez que tanto Postiga que remata para defesa de Paiva está em nítido fora de jogo, como Vuckcevik que marca o golo tirou proveito da sua posição irregular na altura do remate, tudo normal até aqui, pois certamente as revoltadas vozes que aqui vieram a seguir ao Benfica - Braga, certamente estarão mais calmas e como sabemos, os portistas não fazem escândalos quando o Sporting é ajudado, e vice-versa, parecendo existir ali uma espécie de aliança da irmandade. O Jogo em si foi fraco, quase sempre mal jogado e com poucas situações de perigo junto das balizas, ficando decidido de forma fortuita pelo lance já descrito.
Por uma questão de coerência, espero ansiosamente ler amanhã nos jornais desportivos a indignação de Paulo Abreu e Rogério Alves em relação ao falsear da verdade desportiva e ao roubo de igreja com que apelidaram um outro jogo, pois não quero acreditar que a sua reacção a seguir ao Benfica - Braga, seja de carácter meramente eleitoral, pois como sabemos, o Sporting está em campanha eleitoral e com certeza vencerá o candidato que mais atacar o Benfica, afinal de contas essa é a maneira de estar da maioria sportinguista, independentemente de saberem quem é que andou a pagar a árbitros para que o Sporting fosse prejudicado e quem é que lhes tirou o Paulo Assunção e o Adriano de forma traiçoeira. Mas isso não interessa nada, não dá votos e afinal de contas todos sabemos que um bom sportinguista se revê nas vitórias portistas, pois para eles elas não representam uma derrota para o seu clube, mas sim para o Benfica, a minha dúvida é se tal se deve aos sinais dos tempos ou a sintomas de pequenez.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

CR7 - Justiça feita a quem foi o melhor

--- Só podia ser, de facto a época 2007/08 de Ronaldo, foi incomparavelmente superior a qualquer um do seus concorrentes, seria uma absurdo, o melhor marcador dos campeonatos europeus, de Inglaterra e da Liga dos Campeões, que foi campeão Inglês da Europa e do Mundo, não ser eleito como melhor jogador do mundo.
Cristiano Ronaldo iniciou a sua formação no Nacional da Madeira, sendo transferido com 12 anos para o Sporting por cerca de 4.500 contos, algo que na altura constituiu uma avultada verba para um jovem daquela idade, mas como ontem se viu, resultou de mais um excelente trabalho da prospecção verde e branca e hoje é um jogador com um valor astronómico.
Ronaldo foi lançado por Bolloni, na 1ª equipa do Sporting com apenas 17 anos, ficando logo a ideia que estava ali um diamante por lapidar, um ano depois, após magnifica exibição num jogo de apresentação do Sporting, frente ao Manchester, deu-se a transferência para este colosso inglês, o qual demonstrou ser o clube certo para o crescimento futebolistico deste fenómeno da bola, o que aliado à grande competitividade da liga inglesa o transformou no melhor futebolista do mundo, a 2ª distinção de um futebolista português a seguir a Figo.
Ronaldo é aos 24 anos um futebolista completo e ainda com margem de progressão, rápido, com um drible em velocidade sempre virado para a frente, bom jogo aéreo, bom em bolas paradas e com um poder de remate fantástico, melhor com o pé direito, mas também remata bem com o esquerdo, fazendo dele aquilo a que se pode chamar de um futebolista muito completo.
Parabéns ao Cristiano, por uma justa distinção que o fez entrar na galeria dos notáveis e honrar o nome de Portugal.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

VAMOS FALAR DE FUTEBOL - Equilíbrio à beira do final da 1ª volta

--- Depois de tantas e tantas polémicas em matéria de arbitragem, resolvi que não adianta continuar a chover no molhado, os benfiquistas vão sempre achar que são mais prejudicados que beneficiados, sportinguistas e portistas idem aspas e todos vão buscar os seus argumentos no sentido de justificar a sua opinião e todos se julgam donos da razão. Com isto tudo, esquecemos-nos muitas vezes de falar no essencial e o essencial é o futebol em si.
Estamos praticamente no final da 1ª volta, o campeonato está bastante equilibrado, quer no cimo, quer na cauda da tabela classificativa, facto esse que é de realçar, pois não são muitas as vezes que isso acontece.
Discutir se é nivelado por cima ou por baixo, é uma discussão interessante, embora sempre de complicada análise, se é certo que os melhores jogadores a actuar em Portugal vão saindo rumo às ligas mais competitivas, outros de valor vão chegando e aparecendo. O que na minha opinião se vem assistindo cada vez mais é ao encurtar do fosso entre os denominados grandes e os outros, isto porque as assimetrias profissionais e ao nível de condições de trabalho, são cada vez mais semelhantes, os conhecimentos técnico-tácticos dos treinadores também vão sendo cada vez melhores e a juntar tudo isto, as novas tecnologias e esta sociedade de informação ajudam a que haja um notório equilíbrio nas condições de treino e rentabilização dos atletas.
Das coisas que acho que é urgente mudar é uma maior aposta no atleta nacional, em jogadores, que por vezes até têm mais qualidade, mas que vão permanecendo por divisões secundárias, devido à aposta sistemática nos jogadores estrangeiros, essencialmente brasileiros, muitos dos quais de qualidade muito duvidosa. Outro caminho a seguir será o da aposta na formação e quando digo isto, refiro-me ao lançar nas equipas principais jovens jogadores que constantemente são tapados na sua evolução pelos tais atletas estrangeiros de qualidade duvidosa, só assim os clubes conseguirão adquirir o necessário equilíbrio financeiro, para que se extingam de uma vez por todas casos como os do Farense, Salgueiros, Boavista e mais recentemente do Estrela da Amadora, isto só para frisar os mais conhecidos.
Julgo ser urgente a Liga Profissional de Clubes em conjunto com a Federação Portuguesa de Futebol, legislar sobre essa matéria e obrigar os clubes nacionais a promoverem todos os anos 2 ou 3 jogadores das camadas jovens, era bom para os clubes e para a própria selecção, uma vez que as oportunidades para os melhores jovens atletas despontarem iriam surgindo e gradualmente se diminuiria o nº de estrangeiros a jogar no nosso país, até porque os clubes começavam finalmente a perceber que se calhar o melhor reforço está dentro de casa. Exemplo claro disto em Portugal é o Sporting, que salvo raras excepções, vai colocando cada vez mais jovens da sua formação no seio do plantel principal, com a consequente valorização de activos sem grande investimento.
Mas falava eu do Campeonato, o qual está bastante emotivo, parecendo que para os crónicos candidatos ao título, qualquer jogo é susceptível de ser um jogo para perder pontos, pelo que entre o 1º classificado e o 3º classificado, dista apenas 1 ponto de distancia; Benfica e Sporting 29 pontos e Porto 28 pontos, seguidos muito de perto pelo sensacional Leixões com 26, parecendo contudo que esta equipa se encontra ligeiramente em quebra. Na cauda da tabela as coisas não estão diferentes, basta reparar que o Belenenses à entrada para esta jornada era o lanterna vermelha e bastou-lhe ganhar em Vila do Conde para subir directamente para o 12º lugar e no caso da última surpresa da liga, o Trofense, que recebeu e venceu o Benfica quando estava em último lugar e de seguida empata no dragão, logo aqueles jogos que na teoria seriam os mais complicados, passando em 2 jornadas de último para 13º lugar. Mas como as coisas estão, basta uma ou duas jornadas para muito se alterar, no topo com 3 pontos a separarem os 4 primeiros e no fundo da tabela 4 pontos a separar o 11º do lanterna vermelha Rio - Ave com 10 pontos.
Espera portanto a todos os amantes do futebol, uma 2ª volta emotiva, com mais surpresas e constantes oscilações na tabela, o que é bom para a emotividade e o interesse da nossa liga, pena que cada vez haja menos adeptos nos estádios, para transmitirem o calor humano indispensável à melhoria da qualidade do futebol até agora apresentado, que diga-se em abono da verdade não tem sido muito.

 

SEMPRE BENFICA

Loading...
Adaptado por Blogger Benfiquista